Seguidores

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Policiais Civis e Agentes Penitenciários do DF entram em greve


Os agentes da Polícia Civil do Distrito Federal decidiram em assembleia na tarde desta quinta-feira (27) entrar em greve por tempo indeterminado.

Com a decisão, 30% do efetivo vai trabalhar. Crimes de menor potencial ofensivo como furtos de veículos e roubos não serão investigados. As escoltas de presos para hospitais por agentes também estão suspensas.

“Vamos atender e investigar apenas crimes contra a vida e crimes hediondos, como estupro”, informou o vice presidente do sindicato da categoria, Luciano Marinho.
Essa é a segunda vez neste ano que a categoria interrompe o atendimento à população. Entre e abril e maio, os agentes pararam por 16 dias e conseguiram do GDF a promessa de que os salários seriam reajustados em 13%, o pagamento de dívidas que o governo tem com a categoria, a implementação do plano de saúde subsidiado e a reestruturação da carreira.
De acordo com a SSP, como o salário dos policiais é pago com recursos do Fundo Constitucional, qualquer reajuste depende de conversas com o governo federal.



Neste mês, os agentes fizeram duas paralisações de três dias para pressionar o governo. A Secretaria de Segurança Pública informou que está trabalhando em uma solução para solucionar o impasse com os policiais civis o mais rapidamente possível.

Agentes penitenciários também estão em greve



Os agentes penitenciários do DF estão em greve desde o dia 6 deste mês. De acordo com o Sindicato dos Agentes das Atividades Penitenciárias (Sindpen), a categoria reivindica aumento de 120% para ter os salários equiparados com agentes penitenciários da Polícia Civil
O presidente do Sindpen, Leandro Allan Vieira, afirma que os agentes penitenciários do DF recebem R$ 3.300 para fazer o mesmo trabalho dos agentes da polícia, que recebem R$7.500.
As visitas aos presos no Complexo da Papuda chegaram a ser suspensas. Nesta semana,agentes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros foram chamados para monitorar as visitas.
Nesta quarta-feira (26), o Tribunal de Justiça do DF determinou que os agente penitenciários em greve devem ter os dias parados descontados. Além disso, os grevistas estão proibidos de circular dentro das unidades prisionais e de assinar o ponto.
O tribunal determinou que servidores da Secretaria de Segurança Pública devem ocupar o lugar dos agentes em greve para normalizar as vistas aos presos, inclusive por seus advogados. A greve foi considerada ilegal no dia 7 de outubro, e o sindicato deve pagar multa de R$ 50 mil por dia pelo descumprimento da decisão judicial.

Nenhum comentário: