Seguidores

quinta-feira, 31 de maio de 2012

SGT DE TUPACIGUARA-MG É ACUSADO DE VIOLENTAR MENOR COM DEFICIÊNCIA



Um policial militar do município de Tupaciguara é suspeito de ter violentado sexualmente um adolescente de 16 anos, portador de deficiência mental moderada. De acordo com o menor, o sargento o buscava em casa de bicicleta levava para a casa dele. Lá, mandava que o adolescente tirasse a roupa e fazia sexo oral nele.

Ainda segundo o menor, o filho do policial, que estuda na APAE juntamente com a vítima, presenciava tudo. “Ele não fala e ficava agressivo”, disse.

A mãe, de 42 anos, afirma que o policial não saía da porta dela. “Ele falava que era pra deixar meu filho ir para a casa dele para nadar, joga sinuca e depois traria ele. Depois que ele fez essa barbaridade com meu filho, não veio mais aqui”, disse.

O pai, de 64 anos, não se conforma. “Eu estou muito decepcionado. Nunca esperava isso. Além de ele ser autoridade, é um pai de família. Deveria amparar e proteger as pessoas. Ele é até avô”, afirma.

O caso foi publicado no Jornal “O Independente”, de Tupaciguara, no dia 28 de maio. Na reportagem consta que o sargento deixava a arma em cima da mesa durante o ato sexual, ameaçando a vítima de morte a todo momento.

O Conselho Tutelar de Tupaciguara encaminhou denúncia à 254ª Cia PM, onde o sargento está lotado, e ao Ministério Público, “para prosseguimento a um possível processo criminal”, conforme divulgou “O Independente”.

Por telefone, o capitão Ramon, da PM da cidade, disse à nossa reportagem que o departamento policial vai tomar providências, mas não deu detalhes.

Fonte: UIPI

2 comentários:

Anderson Dim disse...

cade a continuidade,desse caso,se fosse uma pessoa civil,apanharia e muito,acho que os direitos deveria ser iguais pra todos,ele não deveria ser transferido de cidade ele deveria ser expulso da corporação agora manda ele para uberlandia para fazer isso com outra pessoa

Anderson Dim disse...

cade a continuidade,desse caso,se fosse uma pessoa civil,apanharia e muito,acho que os direitos deveria ser iguais pra todos,ele não deveria ser transferido de cidade ele deveria ser expulso da corporação agora manda ele para uberlandia para fazer isso com outra pessoa