Seguidores

sábado, 23 de junho de 2012

MILITARES Professores são INVESTIGADOS e ameaçados de perder a renda EXTRA

    As Forças Armadas estão passando um pente fino em seus quadros para descobrir militares que lecionam para aumentar a renda. A ordem é do Tribunal de Contas da União e se se baseia em regra Constitucional que só libera acúmulo de dois cargos públicos para professores e médicos e prevê, ainda, dedicação exclusiva para militares, inclusive os com formação docente e de saúde.  (http://sociedademilitar.com)
O pente fino expõe num só ato os baixos soldos e uma incoerência para um País onde faltam professores, sobretudo de Química e Geografia, disciplinas amplamente estudadas nos meios militares.
“A Constituição permite o acúmulo de cargos (professores e médicos) a funcionários públicos civis, mas por que não aos militares?”, criticou uma fonte da Força Aérea, que está respondendo a uma sindicância interna pelo acúmulo de matrículas.
“São 5 mil militares da FAB nessa situação, sendo 2,4 mil só no Rio, somados aos que já estão na reserva, que também respondem à mesma sindicância”, completa o militar, destacando que “o estresse é muito grande”.
Outro militar decidiu apelar ao Congresso para a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional 008/2009, que permite a acumulação de cargo militar com outro cargo público de magistério. 

Muitos militares da ativa atualmente pagam, com muita dificuldade cursos em faculdades particulares, esperando uma oportunidade de complementar a renda depois de irem para a reserva, essa atitude do governo parece arbitrária e absurda contra uma categoria que só tem lutado por manter a dignidade das suas famílias. A norma tem de ser revista e adaptada. Somos cidadãos na plenitude da palavra ou não somos? 

Dados de: Força Militar (O Dia Online)/montedo.com

Nenhum comentário: