Seguidores

domingo, 9 de setembro de 2012

PUTA QUE PARIU DIREITOS HUMANOS! Morte de PM teria sido oferecida como presente de aniversário a traficante


A morte de um cadete da Polícia Militar cujo corpo foi encontrado neste sábado (8) no Rio de Janeiro teria sido oferecida como presente de aniversário a um traficante. De acordo com uma fonte da PM, o assassinato ocorreu em homenagem ao criminoso conhecido como Ratinho, que teria comemorado mais um ano de vida neste final de semana na Favela da Chatuba, no município de Mesquita, na Baixada Fluminense.

O corpo de Jorge Augusto de Souza Alves Júnior, de 34 anos, foi encontrado ontem pela manhã dentro do porta-malas de seu carro, um Fox preto, no bairro Vila Emil, em Mesquita. Segundo a fonte da PM, a identificação chegou a ser demorada porque o cadáver estava com o rosto deformado. No corpo, ainda havia sinais de violência sexual e marcas de espancamento e tiros.

Colegas de Jorge Augusto, conhecido como Alves, relatam que ele foi visto pela última vez na sexta-feira (7) à noite, saindo de um show de pagode em Mesquita, acompanhado de uma mulher. No dia seguinte pela manhã, quando foi encontrado morto, o policial estaria de serviço.

De acordo com a fonte da PM, investigações apontam que o crime teria ocorrido para presentear o traficante Ratinho. Ele integraria o bando de Luís Fernando Nascimento Ferreira, o Nando Bacalhau, gerente do tráfico de drogas no Morro do Chapadão , em Costa Barros, zona norte do Rio, e teria ido comemorar seu aniversário na Favela da Chatuba.

O caso foi registrado na 53ª DP (Mesquita) e repassado para a Divisão de Homicídios da Baixada. A mulher que acompanhava Alves no show de pagode está sendo procurada.

O cadete assassinado estava na Polícia Militar desde 2006 e era aluno da Escola de Formação de Oficiais da corporação. Sua formatura iria ocorrer em 1º de dezembro deste ano. Querido pelos colegas, ele integrava o time de basquete da escola. Alves era solteiro e não deixa filhos. Seu corpo vai ser enterrado às 15h deste domingo no cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, zona oeste da capital fluminense.

 Fonte: blog 

Comentário nosso: Se fosse juíza tinha sido publicado até pela imprensa estrageira. A resposta tem e vai ser rápida, tenho certeza que a honra e o sangue derramado por esse cadete, serão justiçados pelos seus colegas. Prender...isso é pra Suíça...lá nem armas eles usam...no Brasil já vivemos no front a muito tempo...condolências a família e a foto é uma homenagem, jamais sensacionalismo. PUTA QUE PARIU OS DIREITOS HUMANOS...

3 comentários:

Anônimo disse...

ONDE ESTAIS "TU" GOVERNADOR? QUE NÃO VE O SANGUE DE UM DE SEUS NOBRES GUERREIROS SER DERRAMADOS POR MARGINAIS, E NÃO COLOCA A TROPA EM PRONTIDÃO ATÉ VER ESSE MALDITOS ENFORCADOS!!! MALDITO SERÁS TODA A DESCENDÊNCIA DAQUELES QUE APOIAM ESSA ATROCIDADE DESSES MALDITOS!

Anônimo disse...

Se fosse na época do saudoso governo militar e do AI5......já tinha um dez malas no minimo lá em cima da pedra do iml !!

Anônimo disse...

Mais um motivo para nós que somos militares termos nossos representantes principalmente com um meio de acharmos um que é realmente nosso representante e não aproveitador e que possa ser escolhido por representantes de todos os estados da federação e que também possa ter a participação do Exército, Marinha, Aeronáutica, Polícias Militares, corpo e Corpo de Bombeiros na escolha deste representante. Temos associações em todos os estados e inclusive temos mais de uma associação em determinado estado. devemos prestar atenção porque qualquer que seja esta associação ela deve ter no mínimo 500 associados.