Seguidores

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Tenente preso porte ilegal de armas


PM acusado de matar médico Marcus Buíssa é preso por porte ilegal de arma
O tenente foi preso em flagrante e conduzido ao quartel da Polícia Militar (PM) no 17º Batalhão da corporação. A prisão foi ratificada pela Polícia Civil (PC), porque o material encontrado é de uso restrito e o militar não apresentou registro ou documentação do mesmo. O comandante do 32º Batalhão da PM, tenente coronel Sandro Heleno Leite, afirmou que o mandado e a investigação que levou ao procedimento estão sendo conduzidos pela Justiça Militar. “Em decorrência de um inquérito instaurado pelo batalhão em razão de ameaça entre o tenente e sua companheira, que também é militar, e a denúncia de que ele teria uma arma em sua residência, um mandado foi expedido”, disse.

O próprio tenente entregou os materiais que estavam guardados dentro de uma sacola aos militares. Araújo afirmou que as munições e a granada pertenciam a seu pai, que morreu, e seriam devolvidas ao 14º Batalhão da PM, em Ipatinga, onde ele servia como policial militar.

Além deste inquérito de ameaça que corre na Justiça Militar, está previsto para maio de 2014 o julgamento do tenente pela morte de Buíssa. O MPE já recebeu o inquérito, indiciou o tenente e a audiência de instrução já foi realizada. Araújo continuará preso até que seu advogado entre com o pedido de soltura.

A reportagem do CORREIO de Uberlândia contatou o advogado que defende o tenente na ação da morte do médico e ele informou que não tem conhecimento da prisão do militar. Ele disse ainda que o advogado da Associação dos Oficiais da PM e do Corpo de Bombeiros deve estar conduzindo os procedimentos. Os telefones de contato disponíveis da entidade no site não foram atendidos.

Nenhum comentário: