Seguidores

Mostrando postagens com marcador academia de polícia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador academia de polícia. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Dez viaturas são queimadas no pátio da academia de polícia em Porto Alegre

Três veículos zero quilômetro foram totalmente destruídos em incêndio no pátio da Academia de Polícia Militar, em Porto Alegre. Os carros faziam parte de um lote que estava sendo preparado para uso da Polícia Militar em cidades de fronteira com Argentina e Uruguai. No total, dez carros foram atingidos pelo fogo, que começou na noite de segunda (24). Os veículos não tinham seguro
  • Três veículos zero quilômetro foram totalmente destruídos em incêndio no pátio da Academia de Polícia Militar, em Porto Alegre. Os carros faziam parte de um lote que estava sendo preparado para uso da Polícia Militar em cidades de fronteira com Argentina e Uruguai. No total, dez carros foram atingidos pelo fogo, que começou na noite de segunda (24). Os veículos não tinham seguro
Dez veículos que estavam sendo equipados para o policiamento ostensivo foram queimados na madrugada desta terça-feira (25), no estacionamento da Academia de Polícia Militar, na zona sul de Porto Alegre. No primeiro levantamento, três carros tiveram perda total. Um inquérito foi instaurado para apurar as causas do incêndio.

Conforme o chefe do Estado Maior da BM (Brigada Militar), coronel Alfeu Freitas Moreira, as caminhonetes Nissan Frontier, que equipadas custariam cerca de R$ 100.00 reais, não tinham seguro. Elas seriam entregues nas próximas semanas a cidades gaúchas na fronteira com Uruguai e Argentina.  

"Três veículos tiveram perda total. As viaturas não são seguradas, pois isso é uma opção nossa para, caso seja necessário, termos possibilidade de novas aquisições", explicou o chefe da comunicação Social da BM, major Leandro Balen.

O fogo começou por volta 23h30 da segunda-feira (24). Naquele momento, 15 policiais militares estavam de serviço no local. Eles estão sendo ouvidos pelos investigadores, que aguardam o resultado da perícia realizada nesta manhã. 

As possíveis causas levantadas até o momento são curto-circuito em algum carro ou atentado contra a corporação.

"Os peritos estão realizando a parte investigatória. Todas as hipóteses estão sendo investigadas", disse Balen.

No ano passado, logo após os protestos de julho, bombas caseiras foram lançadas no pátio da Secretaria Estadual de Segurança Pública, na região central, destruindo duas viaturas da Brigada Militar. 

Lucas Azevedo
Do UOL, em Porto Alegre