Seguidores

Mostrando postagens com marcador anti drogas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador anti drogas. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Agentes da lei se unem para defender legalização do comércio e do uso de drogas no país


Legalizar a produção, o comércio e o consumo das drogas no país. Esse é o objetivo da filial brasileira da Leap ("Agentes da Lei Contra a Proibição", em português), que reúne juízes, policiais civis, militares, entre outros profissionais de segurança pública. Na visão do grupo, a atual política de combate às drogas "viola a liberdade individual", segundo a presidente da Leap Brasil, Maria Lúcia Karam, e se mostra incapaz de proporcionar "a regulação e o controle" da venda e uso de entorpecentes.
Karam, juíza que atuou na área criminal durante oito anos, afirma ter sido sempre favorável à "inconstitucionalidade das leis que criminalizam a posse de drogas para uso pessoal", pois elas se referem, na versão de Karam, a uma "conduta privada que não atinge concretamente os direitos de terceiros". Na tentativa de promover o debate, juntou-se a homens como o delegado da Polícia Civil do Rio Orlando Zaccone e o ex-chefe do Estado Maior da PM coronel Jorge da Silva. Continue lendo noticias UOL

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Polícia encontra túnel para levar droga de favela à USP



As operações da Polícia Militar, realizadas nesta quarta-feira em mais duas favelas de São Paulo para prender assassinos de policiais , acabaram descobrindo por acaso que os traficantes da favela São Remo usavam um túnel para facilitar o acesso à Universidade de São Paulo (USP) para o comércio de drogas.
Na casa de um dos criminosos presos, separada da USP apenas por um portão, tinha um túnel para duas residências, uma para refino de cocaína e outra para venda de drogas. Os imóveis eram interligados por um túnel de 15 metros de extensão, que chega perto dos limites da Cidade Universitária da USP.
A operação na favela era para cumprir sete mandados de prisão contra suspeitos de matarem um policial militar da Rota em setembro . Os policiais apreenderam 75 tijolos e 403 trouxinhas de maconha, 146 pinos de cocaína, 11 cartelas de LSD, 92 vidros de lança-perfume, quatro armas, dois coletes à prova de balas e rádios portáteis. Três homens foram presos. Fonte: ultimosegundoig
Comentário nosso: Parte da imprensa elitista infelizmente massacrou os policiais, que devem estar respondendo a procedimentos disciplinares e criminais ate hoje. Por isso é que a polícia era tão odiada e mal vista no campus...droga, vício, uma meia dua de babacas que deveriam estar estudando e tiram a vaga de muitos, pra fumar maconha, furtar carros no pátio, cometer pequenos e grandes crimes para manter o vício.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

A falta de investimento social e altos índices de homicídio: "ISSO É JUSTO?"

   Luana Piovani e outros famosos estrelam campanha pela descriminalização dos usuários de drogas Viva Rio/Divulgação
  Todos estão escandalizados com os altos índices de homicídios, especialmente quando envolvem jovens brasileiros. Porém, não deveríamos ter estranheza, pois as drogas estão cada vez mais comuns, seja em que classe for. Como explicar a perplexidade dos homicídios se parte influente da sociedade, especialmente os artistas defendem o consumo? Como coibir o tráfico sem combater o usuário?

        Mais uma vez o foco do problema não está sendo enfrentado e os pseudo-especialistas sobre segurança, descarregam seus argumentos frágeis no pretexto de que só através do combate repressivo é que se diminuirá os altos índices de homicídio. Todos sabemos que as mortes têm relação direta com as drogas, sejam para matar delatores, seja para matar devedores (já que o tráfico não tem SPC - Serviço de Proteção ao Crédito), seja para matar concorrentes das bocas de fumo, sem falar nas cracolândias onde os usuários vivem como bichos de esgoto, sujos, sem dignidade, desdentados, famintos e repletos de doenças. O que os governos fazem para recuperar os drogados? Minas criou a bolsa-noiado que garante R$900,00 reais para as famílias dos dependentes pagarem clínicas de reabilitação. O melhor programa de prevenção as drogas chama-se PROERD, mas, infelizmente atinge apenas os estudantes. 

         A matança de jovens no tráfico aumentará muito mais ainda, se políticas de reabilitação não forem feitas de maneira direcionada. Drogas não é só repressão, drogas é questão de saúde pública e falando em saúde...para os "normais" já faltam leitos, vagas nos hospitais, imaginem para os noias?...Estamos longe do problema e o combate as drogas me lembra um cachorro doido, que passa horas correndo atrás do próprio rabo. O Estado que não investe em efetivo na Polícia Civil, visando elucidar os crimes, o estado que não investe em novos hospitais e centros de reabilitação, o estado que finge não ver o exército de zumbis nas praças do Brasil esmolando, fumando crack, fazendo pequenos crimes...não pode se espantar com os altos índices de homicídios.
       

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Consultório de rua ajudará no combate às drogas em Uberaba

dependentes (Foto: Reprodução/TV Integração)
Com o objetivo de oferecer tratamento e também atender a população em situação de risco e vulnerabilidade, o Governo Federal irá realizar uma série de investimentos em todo o país para aumentar o número de leitos para dependentes químicos e também reforçar a rede de assistência. As ações, além de oferecer tratamento, buscam combater a violência, já que segundo dados do ‘Observatório do Crack de 2011’ o uso de drogas está relacionado ao aumento da criminalidade. Em Uberaba, no Triângulo Mineiro, algumas ações serão implantadas ainda este ano, entre elas, o treinamento de profissionais e a criação de um Consultório de Rua para atender a população.


Sérgio Marçal, referência técnica em saúde mental da Secretaria Municipal de Saúde, disse que Uberaba conta, atualmente, com o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS-AD III). O funcionamento do centro é 24 horas, inclusive nos finais de semana e feriados. Nele são oferecidos serviços que vão desde a internação de curta duração, até o acompanhamento clínico e o tratamento ambulatorial de pessoas com transtornos relacionados ao uso de crack e outras drogas. Segundo ele, com a ampliação dos investimentos no setor, o atendimento deverá ser reforçadoContinue lendo no G1 Triângulo

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Presidente do Conselho Municipal de Segurança, critica nome da Secretaria Antidrogas


UIPI

Câmara de Uberlândia aprova criação da Secretaria Antidrogas


Vereadores aprovaram o projeto de lei do prefeito
Oldemo Leão (Foto: Reprodução / Tv Integração)
 
Foi aprovado nesta quarta-feira (15), durante a última sessão do mês de fevereiro da Câmara Municipal de Uberlândia, a criação da Secretaria Antidrogas e de Defesa Social. O projeto prevê o aproveitamento da estrutura da Superintendência de Defesa Social e cria mais seis cargos. A votação foi em segunda discussão com 14 votos favoráveis.

O  projeto de lei de autoria do prefeito Odelmo Leão recebeu 18 votos favoráveis em primeira discussão duas ausências. Depois, o presidente da Câmara, Vilmar Resende,  convocou uma sessão extraordinária e a proposta foi aprovada. A pasta vai ser responsável por integrar órgãos públicos do Sistema de Segurança, definir estratégias de prevenção e fazer a reinserção de dependentes químicos. O orçamento anual da secretaria será de R$ 6 milhões.

A secretaria vai seguir os moldes do que é feito em Curitiba, mas já foi criada com muitas críticas. Para o conselheiro Municipal de Políticas sobre Drogas,Renato Gulart, faltou debate com a sociedade. Segundo ele, as 28 entidades ligadas a este trabalho não foram ouvidas. Continue lendo no G1:>>>>>>>>>>