Seguidores

Mostrando postagens com marcador anti-comunismo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador anti-comunismo. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Entrevista do Sgt PM Rocha que reprimiu a Guerrilha do Caparaó, no combate aos comunistas

Clique aqui e assista no youtube.com
Créditos: Sargento Cláudio Dias, mantenedor do blog com o seu nome. 

Comento: Parabéns pela excelente entrevista, pelo cunho histórico recente, que muitos desconhecem. A Guerrilha do Caparaó foi a primeira tentativa dos comunistas se instalarem no interior do Brasil. Devido ao fracasso, posteriormente foram para a região de Goiás, hoje conhecido como Tocantins e se reorganizaram e fizeram a Guerrilha do Araguaia.

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Justiça aceita denúncia contra militares da Guerrilha do Araguaia

Coronel Sebastião Curió foi denunciado pelo MPF

A Justiça Federal em Marabá, sudeste do Pará, aceitou denúncias propostas pelo Ministério Público Federal (MPF) contra dois militares, por crimes cometidos durante a Guerrilha do Araguaia. De acordo com o MPF, o coronel Sebastião Curió Rodrigues de Moura e o major Lício Augusto Maciel, ambos da reserva do Exército, são acusados de sequestro. As denúncias foram recebidas na última quarta-feira (29), pela juíza federal Nair Pimenta de Castro, da 2ª Vara da Subseção de Marabá. Segundo a Justiça, os dois réus são os primeiros, em todo o país, a responder a processos penais por supostos crimes cometidos durante a Guerrilha.
O MPF denunciou o coronel Curió em março de 2012, mas a Justiça havia recusado a denúncia, levando em consideração a Lei da Anistia, em vigor desde 1979, que anistiou os supostos autores de crimes políticos ocorridos de 02 de setembro de 1961 e 15 de agosto de 1979, período que abrange a ditadura militar.
O MPF então, recorreu da decisão, e a 2ª Vara Federal de Marabá, através da faculdade de retratação, decidiu aceitar a denúncia contra o coronel. Ele e o major Lício Maciel vão responder pelo crime previsto no artigo 148 do Código Penal Brasileiro – “privar alguém de sua liberdade, mediante seqüestro ou cárcere privado”.
O G1 tenta entrar em contato com os militares denunciados pelo MPF, mas ninguém foi encontrado até o momento da publicação desta reportagem.
Denúncia
De acordo com a denúncia do MPF, coronel Curió teria sequestrado cinco militantes, capturados durante a repressão à Guerrilha do Araguaia na década de 1970. Os cinco nunca foram encontrados.
Segundo o MPF, os sequestros ocorreram durante a última operação de repressão à guerrilha, denominada de "Operação Marajoara", deflagrada em outubro de 1973, e comandada por Curió.
Quanto ao major Lício Maciel, a denúncia afirma que o militar teria sequestrado um homem durante uma emboscada no dia 14 de outubro de 1973. Os outros três guerrilheiros foram executados na ação, enquanto a vítima do sequestro foi levada com vida para a base militar da Casa Azul, em Marabá. O homem nunca mais foi visto.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

A Visão de um cubano sobre como é a vida em um país comunista em pleno sec.XXI

  A verdade na ilha comunista é muito diferente do que escreveu Frei Betto ou do que pensam os jovens comunistas que cospem na cara da verdadeira democracia. Traduzimos esse pequeno texto publicado no blog de Yoani Sanchez, que escreve de Havana seu blog Generation Y. Yoani morou fora de Cuba. mas regressou por motivos familiares. (http://sociedademilitar.com)   
Demanda dos cidadãos cubanos por outra Cuba:  Como cubanos, filhos legítimos desta terra e parte de nossa nação, nós sentimos uma profunda tristeza na prolongada crise que nos demonstra a incapacidade do atual governo para fazer mudanças fundamentais. Isso nos força, como sociedade civil,  a procurar e processar nossas próprias soluções.

     Renda miserável, a escassez de comida e abrigo, a emigração em massa devido à falta de oportunidades, discriminação de pensamento e opinião, a falta de espaços para o debate público, prisões arbitrárias, a falta de direitos dos cidadãos, a corrupção e a segurança da propriedade somente para a elite dominante são alguns sintomas da difícil realidade que enfrentamos.
   Queremos que ocorra o debate público sobre a moeda dupla, restrições à imigração, direitos dos trabalhadores a um salário mínimo, o direito de todos os cubanos, onde quer que vivam, para promover iniciativas econômicas em seu próprio país, a crise demográfica, acesso gratuito à Internet e novas tecnologias. Discute-se o exercício da democracia.
    Com base na Constituição da República de Cuba estabelece: No artigo 3 º: Na República da soberania de Cuba está nas pessoas de quem se origina todo o poder do Estado.
     E no artigo 63 º: Todo cidadão tem o direito de apresentar queixas e petições às autoridades e recebeu a devida atenção ou respostas adequadas e no tempo, de acordo com a lei.
     DEMANDAS ao Governo cubano: Para implementar imediatamente as necessárias garantias jurídicas e políticas continue lendo no blog SOCIEDADE MILITAR

sexta-feira, 9 de março de 2012

COMISSÃO DA VERDADE x VERDADE EM AÇÃO

Esquerda no poder não vai deter a ação da história.

A participação atuação da CIA na campanha que começou em 1962 e culminou com o golpe de estado que derrubou João Goulart em 1964 é fato histórico bem documentado. É referido no livro QUEIME ANTES DE LER (Stansfield Turner, editora Record 2009) e no livro O GRANDE IRMÃO, do historiador Carlos Fico, editora Civilização Brasileira, cuja resenha pode ser lida aqui  http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2009/02/440049.shtml . 


A ativa participação do serviço secreto inglês naquele episódio, entretanto, não tem sido muito estudada, nem tampouco é de conhecimento geral. Mas isto mudou com a publicação de SEGREDOS DA PROPAGANDA ANTICOMUNISTA, do jornalista Geraldo Cantarino (editora Mauad X)  http://jornaldedebates.uol.com.br/debate/quais-os-verdadeiros-valores-sociedade/artigo/segredos-propaganda-anticomunista/17162



A verdade histórica, portanto, já é conhecida. Durante a preparação do golpe de estado de 1964 civis e militares brasileiros se aliaram aos ingleses e aos norte-americanos para destruir a democracia, afastar o povo brasileiro da atividade política e sindical e dominar brutalmente o Brasil para desta forma intensificar a exploração capitalista e a acumulação de capital. 



Segundo os relatórios dos agentes ingleses que atuaram na época no Brasil (relatórios que, portanto, não podiam ser influenciados pelos comunistas na época) a atividade comunista havia declinado entre 1962 e 1963. O PCB não havia conseguido se infiltrar no campo, razão pela qual a possibilidade de uma verdadeira revolução comunista não existia. Mesmo assim o medo do comunismo continuou a ser espalhado pelos agentes ingleses e norte-americanos e seus aliados brasileiros civis e militares que desejavam o rompimento brutal da legalidade. 



O golpe de estado de 1964 foi tramado e arquitetado de maneira metódica e malvada. A destruição da democracia brasileira instituída pela Constituição de 1946 foi justificado com base no medo do comunismo porque a propaganda anticomunista no Brasil era massiva, eficiente e coordenada pelos agentes norte-americanos e ingleses (apesar dos próprios agentes ingleses admitirem em documentos oficiais que o perigo de insurgência comunista não existia). A repressão que se seguiu também metódica e malvada. Qualquer brasileiro que defendesse a legalidade do regime de 1946, ou seja, o regime constitucional atacado pelos TRAIDORES brasileiros a serviço dos EUA e Inglaterra, que ousasse desafiar o regime ditatorial que permitiria aos norte-americanos e ingleses uma excelente temporada de caça aos lucros no país era silenciado mediante tortura, execução e desaparecimentos. 

Por Fábio de Oliveira Ribeiro 08/03/2012 
Fonte: CMI BRASIL:>>>>>>>