Seguidores

Mostrando postagens com marcador capitão. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador capitão. Mostrar todas as postagens

domingo, 11 de maio de 2014

Capitão da PM é vítima de latrocínio e leva tiro no rosto em bar de Guarulhos


Um policial militar de folga foi baleado e morto em uma bar, na noite de sábado (10), em Guarulhos, região metropolitana de São Paulo. 
O capitão estava acompanhado de um amigo e tinha duas armas. Segundo o Boletim de Ocorrência, três homens se aproximaram à pé. O miitar foi retirado do comércio e desarmado. Em seguida, ele levou um tiro no rosto. O policial morreu no hospital. 
A vítima, de 45 anos, trabalhava no 18º Batalhão da PM (Polícia Militar), na Freguesia do Ó, zona norte da capital paulista. Até o momento, ninguém foi preso. 

Cópia do histórico do boletim de ocorrência:


O Cap PM Mata, em trajes civis, portando duas armas de fogo, estava no interior de um bar acompanhado de Alexandre Souza. Três criminosos a pé se aproximaram, abordaram o Cap PM Mata e disseram "perdeu". Os criminosos retiraram o Oficial do bar, subtraíram suas armas e o agrediram com um tiro na face. O Cap PM Mata foi socorrido por uma equipe da Força Tática do 44º BPM/M ao PS Pimentas, mas faleceu. Testemunhas informaram que logo após o crime um veículo GM/Kadett de cor cinza passou na via em alta velocidade. Alexandre Souza informou que trabalha para o Cap PM Mata em serviços de segurança.

sábado, 25 de janeiro de 2014

Capitão PM cometeu suicídio


O capitão Gondim, da Polícia Militar do Estado do Rio Grande de Norte (PMRN), cometeu suicídio, no início da manhã desta sexta-feira (24), por volta das 5h30, pulando do oitavo andar do edifício onde morava, no condomínio Plaza, no bairro Nova Parnamirim, região metropolitana de Natal, capital do estado.


Segundo informações da PM, capitão Gondim sofria de depressão, embora tivesse boa convivência com amigos e familiares, porém ele estava passando por problemas com a família.

Ele era lotado no Comando da Polícia Rodoviária Estadual (CPRE)serviu por muito tempo o Batalhão de Trânsito de Natal e também no 4º Batalhão de Polícia Militar (4º BPM), na zona norte da capital potiguar.

O capitão da PM estava afastado, por tempo indeterminado, do serviço operacional e só portava arma quando estava de serviço pela corporação.

A Polícia Militar isolou a área do local em que o corpo caiu, no estacionamento do condomínio. Equipe de resgate médico foi acionada, porém nada pode fazer porque ele morreu no instante da queda, sofrendo várias fraturas pelo corpo.

No final de 2013 um cabo da Polícia Militar da cidade de Pau dos Ferros, interior do Rio Grande do Norte, também cometeu suicídio atirando contra a cabeça. Segundo informou o portal Passando na Hora





Fonte: Redação com portais do Rio Grande do Norte

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Bombeiros de Uberaba se mobilizam para salvar capitão com leucemia

Capitão foi diagnosticado com doença em janeiro (Foto: 8ºBBM/ Arquivo)Acostumados a salvarem vidas, os integrantes do 8º Batalhão de Bombeiros Militar deUberaba realizam duas ações nos próximos dias para conseguirem um transplante de medula óssea para o Capitão Renato Lúcio de Aguiar Tiradentes, de 35 anos, diagnosticado com leucemia em janeiro.
Nesta segunda-feira (18), o comando recebe visita do Hemocentro para a coleta de material destinado ao teste de compatibilidade.
De acordo com o Capitão Ricardo Marisguia, subcomandante do batalhão, o militar constatou a doença quando suspeitava de uma anemia profunda e foi realizar exames. Ele iniciou tratamento em janeiro e atualmente está internado no Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU). “Ele é um irmão de farda muito positivo, muito bom. Apesar de essa doença ter entrado na vida dele, ele não se abalou como a gente pensava que iria acontecer. Mas infelizmente ele está piorando”, disse.
A mãe do oficial, Sônia Aguiar, afirmou que a família se mobilizou e todos fizeram testes, mas não encotraram doador compatível. Ela acompanha o filho no hospital e comemorou todas as pequenas evoluções. "Ele está andando e conversando. Era pra ter alta, mas ele teve febre na noite anterior e o médico preferiu deixar em observação", concluiu.
O procedimento no batalhão do Corpo de Bombeiros ocorre na a partir das 8h, na Sede do batalhão, na Rua Treze de Maio, 74. Na quinta-feira (21), às 13h30, a equipe de coleta estará no Centro de Treinamento, na Avenida Doutor Randolfo Borges Júnior, 2.800.

sábado, 1 de junho de 2013

Escândalo na PM demite capitão e coronel



Um escândalo envolvendo a Polícia Militar do Estado da Bahia veio à tona após um registro no Diário Oficial do Estado da Bahia no último dia 29 informar a demissão de um capitão e um tenente-coronel. Fora publicado a demissão das fileiras da corporação da Polícia Militar dos seguintes oficiais, Tenente Coronel PM RENATO SALES DE OLIVEIRA, matrícula funcional 30.064.515-4 e o Capitão PM JORGE LIMA ROCHA, matrícula funcional 30.073.156-5.

O comando não divulgou as ações específicas que levaram às duas demissões e nem a quais batalhões os dois policiais pertenciam. De acordo com a publicação, a demissão teve como fundamento os artigos 189, no qual o Oficial pode perder o posto e a patente se tiver conduta incompatível com a permanência na corporação, e 190, que permite a demissão do Oficial que houver perdido o posto e a patente sem direito a qualquer remuneração.



Mas, segundo fontes ligadas ao site Bocão News, o tenente-coronel Renato Sales de Oliveira e o capitão Jorge Lima Rocha, pertencentes ao departamento de finanças da PM, foram investigados no ano de 2001, por uma comissão sob a presidência do secretário da fazenda do Governo Paulo Souto, Albérico Mascarenhas. A comissão descobriu um desfalque de R$ 547.651,23 na corporação, mas a fraude se estendeu para mais de R$ 700 mil. Na fraude participou também a funcionária civil Lúcia Maria Barreto de Oliveira, que já foi demitida.

O tenente coronel Sales e o Capitão Lima Rocha foram submetidos ao plenário do Tribunal de Justiça da Bahia, que julgou os oficiais indignos ao oficialato da PM BA. Com a decisão, que é inédita na PM da Bahia, serão cassados os proventos dos policiais. Renato Sales já tinha sido posto na reserva desde 2007 e recebia como Coronel.

O esquema consistia mediante o recebimento de créditos em contas bancárias cadastradas de forma fraudulenta para receber pagamentos pelo Sistema de Informações Contábeis e Financeiras do Estado.


sexta-feira, 3 de maio de 2013

Capitão da PMMG agride repórter e é preso em Itabira



Motivação: Um amigo do radialista contou que as agressões, podem estar ligadas a um possível envolvimento de Galvani com a mulher do policial militar, através de um site de relacionamentos. A reportagem apurou que o radialista já teria sido alertado por este mesmo amigo, sobre as atitudes que ele vinha tomando com mulher casada. Galvai Silva não quis se pronunciar sobre o caso. 


O radialista Galvani Silva da Rádio Pontal FM foi agredido, com socos e cotoveladas por um capitão da Polícia Militar de Itabira. Segundo informações, por volta das 11h15 no intervalo do programa apresentado por Galvani, ele conversava com o delegado regional Paulo Tavares, pelo celular, do lado de fora da emissora quando chegou ao local, fardado, o capitão Nilton Eleutério lotado no 16º Batalhão da Polícia Militar de Itabira. De acordo com informações, o capitão invadiu as dependências da emissora da Rádio Pontal FM e agrediu com socos o radialista, que chegou a pedir socorro ao delegado pelo telefone. Ele correu para dentro da emissora, mas foi perseguido pelo policial. 

As informações seriam que o Capitão Nilton, inicialmente teria danificado a moto do radialista e uma janela da emissora. Para invadir a emissora o policial teria passando por uma das funcionarias, que foi empurrada, e pelo proprietário da rádio, Marcos Evangelista “Gabiroba”, que também teria sido empurrado vindo a machucar o braço, e após transpor um corredor, deparou com o radialista e passou a agredi-lo. Testemunhas contaram que a vítima foi agredida com socos e cotoveladas no rosto. Instigadores da Polícia Civil chegaram ao local e levaram o oficial da polícia para a Delegacia. Várias viaturas da Polícia Militar foram para porta da rádio, pois a informação inicial era de que havia um homem com uma faca ameaçando o radialista Galvani Silva. Uma equipe do SAMU foi ao local e prestou os primeiros atendimentos ao radialista que foi levado para o pronto socorro. Na saída o radialista pediu por três vezes para que os militares o acompanhasse até o pronto-socorro, temendo que o agressor fosse lá. A ambulância foi escoltada por viaturas da Polícia Militar até o pronto socorro municipal da Cidade.



Giovane Esteves via facebook

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Capitão da PM tem casa e carro metralhados por criminosos em Natal


A casa e o carro do capitão Reginaldo Silva, oficial do 4º Batalhão da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, foi alvo da ação de criminosos na madrugada desta sexta-feira (26), na zona Norte de Natal. Tiros foram disparados contra as grades da residência e o automóvel dele, um Fiesta que estava estacionado na garagem. Segundo o próprio capitão, que acordou com o barulho dos disparos, os suspeitos são três homens que teriam fugido em um carro branco. “Foi tudo muito rápido. Quando eu levantei eles já tinham fugido”, relatou.
Ainda de acordo como o capitão, o atentado aconteceu por volta das 2h50. Foram disparados tiros de pistola e espingarda calibre 12. “Coisa de profissional. Eles levaram as cápsulas para não deixar pistas”, observou o oficial. "Estou vendo se algum vizinho tem câmera que possa ter filmado o ataque. Isso vai nos ajudar a identificar estes criminosos", acrescentou.
Ao G1, o capitão disse que não tem inimigos, mas acredita que foi vítima de represália pela atividade que realiza na região. “Com certeza são pessoas que querem me intimidar ou se vingar por eu ser policial”, frisou.
Em razão do ocorrido, o capitão também revelou que vai se mudar da região. “A mulher ficou traumatizada. Então, para a família ficar mais tranquila, é melhor encontrar um outro lugar pra morar”, finalizou.

quarta-feira, 20 de março de 2013

PMs denunciam extorsão dentro de batalhão de Copacabana (quando a vida imita a arte...)


Olá amigos! Após recebermos 4 e-mail de 4 PMs diferentes do 19ºBPM (Copacabana), relatando o mesmo fato, ou seja, a mesma denuncia, além de um comentário na nossa página "FALA AÍ POLICIAL" sobre o mesmo assunto, resolvemos publicar e escrachar. As denuncias dizem respeito ao Capitão PM RAFAEL Barros de Santana (foto), mais conhecido como Capitão "RATOEL"; não precisamos dizer o porquê do apelido... Pois bem, o tal capitão que comanda uma "cia" no referido batalhão, anda exigindo altas quantias em dinheiro para que policiais continuem trabalhando em seus serviços. O capitão RAFAEL, que já serviu no 19ºBPM como tenente, voltou e já mostrou para o que veio. Acelerado e graneiro como todos sabem, o mesmo mandou a real pra tropa da sua "cia" e quer r$ 200 toda sexta-feira de cada guarnição de "RP" que estiver de serviço durante o dia; r$ 100 das cabinas onde rola uma "prata" e r$ 50 das cabines e demais serviços onde não tem nada, ou seja, que ficam no "0a0". Até policiais que não pegam nada na rua, vão ter que tirar r$50 do próprio bolso para colocar no bolso do tal capitão ladrão. Ele só pode estar de sacanagem... Acho que ele esqueceu que a area do 19ºBPM não é mais como antes, em função das 3 UPPs. É o cúmulo do absurdo, o capitão RAFAEL cobrar, extorquir dinheiro dos policiais e o comando do batalhão não fazer nada a respeito. E o que mais nos deixa putos, é o fato de que alguns policiais acharam normal e vão fazer o jogo sujo do cara e pagar o que ele quer toda sexta, tudo para não sair do setor. Ninguem grava, ninguem tira foto, todo mundo aceita; é por isso que ele faz isso. Se alguém criasse coragem e filmasse a sacanagem que ele anda fazendo, e entregasse no MP, rapidinho as asinhas dele iriam ser cortadas. Agora vos pergunto: Se ninguém pagar o que o capitão ladrão quer toda sexta, ele vai fazer o quê? Bicar do batalhão?! O capitão vai bicar uma ala toda do batalhão?! Nunca! Se ninguém der nada, ele simplesmente não vai poder fazer nada. Os policiais de batalhões por onde este bandido já passou, deram graças a Deus quando ele foi embora. Ele sai do mundo real e cobra quantias absurdas para o PM bancar algum tipo de serviço o qual esteja interessado. E tem mais amigos... Segundo a denuncia feita por comentário na nossa página "fala aí policial", até o sub-comandante do 19ºBPM, Tenenete-Coronel ALÍPIO, também perdeu a noção e esta extorquindo descaradamente policiais da APtran, exigindo a quantia de r$ 2000 por semana de cada guarnição que estiver na sexta de dia. E segundo informações dos PMs desta unidade, o tal capitão RAFAEL voltou ao batalhão a convite do sub-cmte. Muito estranho isso... Seria uma formação de quadrilha para extorquir PMs que trabalham nas ruas? 

Fonte: Blog da Verdade RJ 

Comento: Bem que o filme Tropa de Elite 1 demonstrou isso na cena em que o personagem diz: " - Se você quer rir...você que me fazer sorrir"- depois de abir a gaveta...e o pm que foi pedir para adequar suas férias....saiu frustrado da seção.

segunda-feira, 18 de março de 2013

Ex-Capitão, comandante da UPP, envolvido com tráfico, é condenado a seis anos de prisão


Carolina Heringer/Jornal Extra

O ex-comandante da Unidade de Polícia Pacificadora do Morro do São Carlos, Adjaldo Luiz Piedade Júnior, preso por receber propina do tráfico de drogas da comunidade, foi condenado a seis anos de prisão, em regime fechado, por associação para o tráfico de drogas.

De acordo com as investigações, entre novembro de 2011 e janeiro de 2012, Adjaldo recebia R$ 15 mil por semana do traficante Sandro Luís de Paula, o Peixe, para não coibir a venda de drogas no São Carlos, época em que era comandante da UPP. Ele foi preso pela Polícia Federal e pela Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança, em fevereiro de 2012.

Na sentença, do último dia 13, o juiz Alcides da Fonseca Neto, da 11ª Vara Criminal da Capital, decretou ainda a perda do cargo do PM. Segundo o magistrado, Adjaldo Luiz funcionava como um verdadeiro "escudo protetor" que possibilitava que o negócio pudesse ser realizado de modo discreto, porém de maneira extremamente eficiente. Ele impedia ou dificultava a atuação de seus subordinados na repressão ao tráfico de drogas na região. "Em troca, recebia o pagamento da quantia de R$ 15 mil por semana, isto é, ele percebia, por sua atuação no grupo, a quantia de R$ 60 mil por mês", afirmou o juiz.

Outros réus

O ex-PM foi denunciado junto com outros 10 réus e, além dele, foram condenados Alex Moura de Matos, gerente das "bocas de fumo" da Cidade Nova, a quatro anos de reclusão, em regime semiaberto, com a substituição da pena privativa de liberdade à prestação de serviços à comunidade e ao pagamento de multa; Douglas Moura de Matos, braço direito de Alex Moura, a três anos e três meses de reclusão, em regime semiaberto, tendo a pena também substituída pelo pagamento de multa e serviços à instituição pública; Anni Fabiana de Souza Barata, Shirlei da Silva Nascimento e Jeovânio Beserra Santos a três anos de prisão, em regime aberto, pena substituía pelo serviço à comunidade e o pagamento de multa.

Foram absolvidos Vera Lúcia da Silva Rodrigues, Ronaldo Cruz dos Santos e o PM Alexandre Duarte, por falta de prova. Os outros dois réus, Anderson Rosa Mendonça, o Coelho; e Sandro Luiz de Paula Amorim, o Peixe, que controlavam o tráfico de drogas no Complexo de Favelas de São Carlos, tiveram o processo julgado extinto, uma vez que foram denunciados pelo mesmo crime em outro processo na 17ª Vara Criminal da Capital.


segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Capitão da PM é preso por tráfico de drogas

Na madrugada deste sábado, um policial foi preso sob acusação de tráfico de drogas.  Segundo fontes ligadas ao site, um capitão da Polícia Militar que foi autuado em flagrante com pacotes de cocaína.  

A prisão

Segundos relatos de policiais da Rondesp, durante ronda de rotina a guarnição parou em um bar em Lauro de Freitas e abordou algumas pessoas. Nesta ocasião, um homem se apresentou como policial e alegou que estava de passagem no local. Entretanto, em uma segundo momento, quando os policiais retornaram ao bar, um homem apontou para um veículo prata e afirmou que teria sofrido uma tentativa de assalto pelos ocupantes do veículo.

Quando os militares foram checar as informações, encontraram dois homens dentro do carro. Klecios Caros de Oliveira, capitão da 9ª Companhia Independente da Polícia Militar, e um homem identificado como Ronaldo Silva Costa. Com os dois, um tenente da Rondesp e sua guarnição encontraram algumas 
trouxas 
de cocaína.

O capitão negou que fazia uso de drogas e alegou que o flagrante teria sido uma falsa acusação. Mas, os dois foram autuados por tráfico de drogas e permanecem a disposição da Justiça.

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Capitão da PM é expulso por participar de roubo a caixa eletrônico


A Secretaria de Segurança do Estado do Rio informou nesta sexta-feira que o capitão da PM Marcelo Lourenço Barbosa foi expulso na última quarta, devido à sua participação no roubo a um caixa eletrônico, em Botafogo, Na Zona Sul do Rio, ainda em 2004.
A expulsão do policial foi por meio de decreto do Governo do Estado, que determinou a perda de sua patente. Segundo a secretaria, por tratar-se de oficial, houve um Conselho de Justificação, formado por oficiais superiores, que decidiram pela expulsão.
A decisão foi encaminhada ao Secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, que acatou a decisão e encaminhou aos desembargadores do Tribunal de Justiça.
No momento do crime, o capitão estava na companhia do cabo da PM Gil de Almeida Junior, já expulso da corporação. Desde 2008, já foram expulsos 1.393 policiais civis e militares por participação em crimes e outros delitos.  

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Militar de Uberlândia assumirá cadeira como vereador


 A primeira notícia de 2013 é especialmente voltada para os militares e servidores da segurança pública de Uberlândia, que na última eleição para vereador, não conseguiu eleger nenhum policial. Apenas os militares Cabo Emídio e Capitão Duque ficaram como primeiro suplentes em seus respectivos partidos. Segundo informações do G1/Triângulo Mineiro, o Capitão Duque irá assumir a vaga como vereador, no lugar da titular da cadeira, a vereadora Jerônima Carlesso, que pediu afastamento de 35 dias.


  Segundo a lei eleitoral, o servidor público que se afastar da função para exercer cargo eletivo por mais de 30 dias, automáticamente será reformado. Segundo o grupo do deputado Tenente Lúcio, o Capitão Duque, após esses 35 dias como vereador, provalmente deva assumir algum cargo auxiliando a Secretaria de Defesa Social.

  Para a tropa é importante a representação, mesmo sendo provisória, mesmo sendo em âmbito municipal, pois várias demandas estão latentes na caserna, como a mudança da escala de serviço, que atualmente funciona no sistema três serviços uma folga, três serviços duas, onde o policial tem que trabalhar até 60 dias para ter direito a gozar um final de semana com sua família. Além de plano habitacional, cobrança junto ao governo do Estado de maior efetivo, criação da Guarda Municipal e criação do Colégio Tiradentes.

   É claro que um vereador sozinho, e por tão pouco tempo não conseguirá fazer tais articulações, mas, já é um começo, fazendo parte da base do governo, tanto no município, quando no Estado; as coisas hão de ficar mais fáceis, quiçá...

domingo, 11 de novembro de 2012

CAPITÃO É EXPULSO DA PM NO RIO DE JANEIRO!


O secretario de segurança do RJ, José Mariano Beltrame, no uso de suas atribuições, decide acatar a decisão do conselho de justificação da PMERJ e do corregedor geral das polícias do estado do RJ, desembargador Giuseppe Vitagliano, o qual considerou INCAPAZ e INDIGNO de permanecer nos quadros da PMERJ (Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro), o Capitão PM ADJALDO LUIZ PIEDADE JUNIOR (foto), preso após escutas telefônicas da polícia federal, que comprovaram que o mencionado capitão estava recebendo propina de traficantes para facilitar a venda de drogas no morro do São Carlos após sua "pacificação". O capitão comandava a UPP do morro do São Carlos. *LEIA MAIS SOBRE O CASO AQUIÉH AMIGOS... SE O "BICHO ESTÁ PEGANDO" ATÉ PARA OFICIAL, IMAGINEM PARA O POBRE DO PRAÇA... A EXCLUSÃO DO CAPITÃO LUIZ PIEDADE FOI PUBLICADA NESTA SEXTA-FEIRA (09-11-2012) NO BOLETIM RESERVADO DA CORPORAÇÃO Nº 209. AGORA ME DIZ: VALEU A PENA TER PÊGO ARRÊGO DE TRAFICANTES? SE NÃO FICOU RICO COM AS PROPINAS QUE RECEBEU, PROVAVELMENTE SERÁ MAIS INTEGRANTE DE MILÍCIA. O CAPITÃO LUIZ PIEDADE É SÓ MAIS UMA PROVA DE QUE NÃO É SÓ OS PRAÇAS QUE SE ENVOLVEM EM SACANAGENS. OS OFICIAIS FALAM MAL DOS PRAÇAS, QUANDO UM SE ENVOLVE EM SUJEIRA, MAS QUEM É PM NO RJ SABE QUE NÃO É BEM ASSIM. O QUE TEM DE OFICIAL BANDIDO NA PMERJ, NÃO CABERÁ NO "BEP" SE TODOS FOREM PRESOS. A PMERJ ESTÁ CHEIA DE OFICIAIS SAFADOS, VERDADEIROS BANDIDOS, DE 2º TENENTE A CORONEL, QUE POR TRÁS DAQUELA POSE TODA DE HONESTOS, FICAM SENTADOS EM SUAS MESAS, COM A GAVETA ABERTA, RECEBENDO PROPINA DE TRAFICANTES, JOGO-DO-BICHO E ATÉ MESMO DOS PRÓPRIOS POLICIAIS, QUE INSISTEM NESSA PRÁTICA BURRA DE PAGAR PARA TRABALHAR NUM LUGARZINHO ONDE RENDA UMA "PRATA". VALEU A PENA O CAPITÃO LUIZ PIEDADE JOGAR UMA CARREIRA DE OFICIAL DA PM PRO ALTO EM TROCA DE PROPINA? MAS FAZER O QUÊ NÉ AMIGOS... FOI A ESCOLHA QUE ELE FEZ, PORÉM, SE DEU MAL. POR FALAR EM OFICIAL BANDIDO, COMO ANDA A SITUAÇÃO DO TENENTE SAMUEL FARIA, PRESO POR INTEGRAR A MILÍCIA "FAMÍLIA É NÓS" EM D. DE CAXIAS, APÓS OPERAÇÃO DA DRACO? COM ABSOLUTA CERTEZA, SERÁ MAIS UM, O QUAL O CORREGEDOR GERAL NÃO TERÁ PENA DE COLOCAR NA RUA. LUGAR DE BANDIDO É NA CADEIA, E NÃO NA PM. NÓS DO BlogDaVerdadeRJ SOMOS DEFENSORES DOS POLICIAIS, PORÉM, SOMENTE DOS BONS. NÃO PASSAMOS AS MÃOS NA CABEÇA DE POLICIAL BANDIDO! POLICIAL BANDIDO AQUI É ESCRACHADO. POIS, É POR CAUSA DESTES, QUE OS BONS ACABAM PAGANDO O PREÇO E SENDO ESCULACHADO NAS RUAS PELA SOCIEDADE. NESTE ASPECTO, NÓS CONCORDAMOS COM A DECISÃO DO CORREGEDOR; SEJA PRAÇA OU OFICIAL, FEZ MERDA, COLOCA-O NA RUA! ESPERAMOS QUE ESTA IMPARCIALIDADE DO CORREGEDOR E DO SECRETÁRIO DE SEGURANÇA CONTINUE, POIS, SABEMOS QUE O CORPORATIVISMO ROLA SOLTO, TANTO NA PM, POR PARTE DOS OFICIAIS, QUANTO NA POLÍCIA CIVIL, POR PARTE DOS DELEGADOS; E QUE TODA QUE VEZ QUE UM OFICIAL ESTIVER ENVOLVIDO COM A SACANAGEM, QUE SEJA EXPULSO, ASSIM COMO FAZEM COM OS PRAÇAS. TAMBÉM SOMOS A FAVOR DE QUE SEJA CRIADO UM ÓRGÃO NEUTRO, PARA JULGAR SE POLICIAIS CIVIS E MILITARES, TANTO OFICIAIS E DELEGADOS, QUANTO PRAÇAS E INSPETORES, ENVOLVIDOS EM CRIMES, TÊM CONDIÇÕES DE PERMANECER NAS INSTITUIÇÕES. AÍ SIM, ESTAREMOS NO CAMINHO CERTO PARA LIMPAR A SUJEIRA DAS POLÍCIAS.

domingo, 22 de julho de 2012

O DESABAFO DE UM CAPITÃO DO EXÉRCITO BRASILEIRO

Presidente Dilma, veja meu contracheque de Capitão do Exército Brasileiro, em anexo.
MEU SALÁRIO LÍQUIDO: 5.299,00.
- Comando 48 homens (imagino o salário deles... bem menor que o meu).
- Trabalho cerca de 50 horas por semana, mas estou há 15 anos de prontidão, pronto para ser acionado (em caso de garantia da lei e da ordem, ou outro motivo julgado necessário por meu comando).
- Por lei, não posso fazer greve. Mas faço operações de fronteira com colegas da Polícia Federal que ganham 3 vezes mais que eu. Eles podem fazer greve.
- Vários Natais, Carnavais e aniversários de minha filhinha, hoje com 6 aninhos, e do meu guri, com 8, passei na selva, em treinamento.
- O armamento que uso, Presidente, é ultrapassado.
- Minha esposa até tinha conseguido um trabalho com artesanato, que dava um ganho de uns 200,00 a cada mês e meio, + ou -. Mas desde nossa última transferência, ela está meio deprimida, e não consegue ajudar aqui no sustento da casa.
- Jurei que não colocarei meus filhos em escola pública. Só consigo mantê-los atualmente na escola particular graças à ajuda do diretor do colégio (fez um "pacote" mensal para mim, pra 2012, de R$ 1.620,00).
- Tento economizar em outras coisas... O carro, por exemplo, é o mesmo há 6 anos. E já me dá um trabalhão de oficina.
- As crianças e minha esposa usam as mesmas roupas do ano passado. Sim. Estamos em julho; e a última roupa comprada para os três foi no Natal.
A próxima roupa? Se Deus quiser, no Natal.
- Mês passado, tomei uma decisão (pena que minhas crianças é quem mais vão sofrer): cortei a TV por assinatura (eu tinha um pacote básico).
- Agora nosso tormento vai ser tirá-los da TV aberta. Leitura? É o que eu e minha esposa gostaríamos de incentivar neles. Mas... Presidente... Como livro é caro, viu!
- Moro na Vila Militar. Não consigo sequer planejar a compra de um imovelzinho... um apartamento pequeno, para que quando a reserva chegar, não pegue de surpresa um "Coronel desavisado" (como já vi acontecer com dois conhecidos).
- Bem, Presidente:
Como não posso economizar na Amoxilina e outras medicações, que de vez em quando meus filhos tomam;
Como não posso economizar no composto feito em farmácia de manipulação, que a endócrino prescreveu para minha esposa (ainda bem que a minha saúde ainda é muito boa);
Como não posso economizar com a gasolina, nem com limpeza (a quantidade de sabão em pó, detergente, etc, é fixa);
Como a conta de luz e telefone já chegou a um mínimo, de onde não dá mais para economizar; e Como o meu filho sabe que não posso pagar a ele os passeios (meio caros) que a escola propõe para a turma...Para fugir dos empréstimos, passei a economizar comprando menos comida. Isso, Presidente. Jurei não recorrer mais às financeiras... a muito custo estou abolindo cartão de crédito. Mas para isso digo que estou cada vez comprando menos comida.
Há quatro anos me "sobra", para o supermercado e a feira do mês, de 1200 a 1300 reais.
Só que as coisas sobem. A inflação está baixa... mas as coisas sobem.
Pode parecer ridículo, mas passei a comer menos vegetais... até mesmo menos arroz e feijão.
Pelo menos tenho o café da manhã e o almoço no quartel, onde posso até repetir o prato, de vez em quando, quando a comida tá boa...A sra viu quanto está o preço da couve? do brócolis? Eu queria ter esses vegetais todos os dias na mesa de casa... mas atualmente, só dá 1 vez na semana. E o que dizer do leite? E do acém? E o preço do quilo do peixe?
Há dois anos, comíamos peixe a cada duas semanas, pelo menos. Hoje não dá. Em casa, hoje em dia, substitui-se legumes por pão, em algumas ocasiões. É menos saudável, eu sei.
Mas enche mais a barriga. É barato. Já faz um tempão que não usamos azeite de oliva. Puxa, presidente, como o azeite é saboroso! Lembra minha infância. Hoje, consigo comprá-lo muito raramente. Muito caro, Presidente! Eu não tomo mais iogurte em casa, nem minha esposa. O litro que consigo comprar, semana sim, semana não, fica para as crianças. Minha esposa adorava um chocolate. Não come mais. E os guris ficam com o que consigo comprar. Adianto, Presidente, que faz três anos que o chocolate não é mais Nestlé, Garoto ou Lacta.
Compro uma barra, semana sim, semana não, da marca mais barata. Comer fora? Consigo levar minha família ao McDonald's a cada seis meses. A cada dois meses, um Habib's. Duas esfihas p/ cada. Sim! Precisamos economizar. Ainda por cima, já faz quase cinco anos que mando 150,00 por mês para meus sogros. Eles bem que precisariam de mais, mas não consigo aumentar essa quantia... Tenho uma esposa que, graças a Deus, me compreende.
O chato, Presidente, é que tem coisas que não dá para fugir. Por exemplo: eu tenho que economizar para dar a minha filha, no Natal, a boneca que não pude dar em seu aniversário.
Aniversário que, diga-se de passagem, foi na lanchonete, com mais duas amiguinhas... e não numa casinha de festa, como ela queria, com todas as amiguinhas da sala...O chato, Presidente, é que AMO meu Brasil e meu Exército...Agora pergunto a V.EXA: é justo isso, Presidente?...Por que outras carreiras do Executivo são tão bem pagas??...



Fonte: Blog do Coronel Paúl

domingo, 8 de julho de 2012

Capitão condenado duas vezes por roubo de combustíveis da Polícia Militar é elogiado no Boletim do Comando Geral da PM capixaba

No dia 19 de março deste ano, o capitão PMES  Ezequiel Ferreira dos Santos foi julgado e condenado pela Vara da Auditoria da Justiça Militar do Espírito Santo a seis anos de reclusão em regime inicial aberto pela acusação, feita pelo Ministério Público Militar, pelos crimes de peculato e crime continuado. Em síntese, o capitão Ezequiel foi investigado pela PM e denunciado pelo Ministério Público por roubo de combustíveis do 6º Batalhão (Serra), onde era lotado à época dos crimes.


Os mesmos crimes provocaram também uma denúncia de improbidade administrativa – pelo fato do capitão ser servidor público – na esfera da Justiça Comum. Sendo assim, no dia 26 de março deste ano, o capitão Ezequiel foi julgado e condenado a pagar aos cofres públicos R$ 24.732,68 e à perda do cargo público (posto e patente).

Na Justiça Militar, ele foi condenado a três anos de reclusão por cada um dos crimes pelos quais foi denunciado pelo Ministério Público. Entretanto, somadas, as duas penas foram reduzidas para quatro anos, conforme cita a sentença do Conselho Especial de Justiça Militar, presidida pelo juiz auditor Getúlio Marcos Pereira Neves:

“Fixou o Conselho Especial de Justiça Militar a Pena Base em 03 (três) anos de reclusão para cada delito (vencidos os srs. 3.º e 2.º Juízes Militares, que a majoraram). Fica fixada, pois, em definitivo, a pena de 03 (três) anos de reclusão para cada delito, não havendo circunstância atenuante nem agravante, nem causas de diminuição ou aumento de pena a considerar.”

“Tendo o acusado agido em continuidade delitiva, conforme reconheceu o órgão julgador, houve por bem o Conselho de Justiça aplicar ao caso a regra do art. 71 do Código Penal Comum, por ser mais benéfica, conforme já consta assentado da jurisprudência do Excelso STF. Com fundamento nisto, determinou a majoração de 1/3 (um terço) da pena aplicada para cada delito, fixando, pois, a Pena  Final em 04 (quatro) anos de reclusão. O regimento inicial de cumprimento será o aberto.”

“Cumprirá a reprimenda aplicada trabalhando normalmente nas suas escalas de serviço e recolhendo-se ao Quartel de sua Unidade nos períodos de folga, na forma do art. 36, § 1.º, do Código Penal.”Continue lendo no BLOG ELIMAR CORTES

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Oficiais mantinham relações sexuais com alunas dentro do Centro de Formação da Polícia Militar do Espírito Santo

O corporativismo sempre foi algo predominante, sobretudo, nas instituições policiais. Por mais que seus comandantes não se omitem na hora de mandar investigar uma denúncia, há casos de arrepiar os cabelos que ficam escondidos do público. Um desses casos é uma verdadeira orgia sexual que ocorria dentro do Centro de Formação de Oficiais e Soldados (CFA) da Polícia Militar do Espírito Santo, localizado no bairro Santana, em Cariacica.

Quase 10 anos depois da descoberta da orgia, protagonizada por três oficiais – dois homens e uma mulher – e uma soldado, o caso está vindo a público por meio do Blog do Elimar Côrtes. Entretanto, para não causar constrangimento e transtorno aos familiares dos quatro militares, este Blog prefere manter os nomes no anonimato.

Um deles hoje é tenente-coronel, o outro é major e uma das mulheres já é capitã. A outra protagonista da história é uma cabo. Como se vê, ninguém foi punido, embora ficasse comprovado que usaram as dependências de uma das mais importantes unidades militares do Estado – criada para formar oficiais e praças – para fazer rodadas de sexo. Não foram punidos e ainda acabaram sendo promovidos. Os dois oficiais, na época, eram instrutores no CFA.

Dois dos oficiais – os homens – não só deixaram de ser punidos, como conquistaram cartaz com poderosos da política capixaba: ambos ganharam moral no governo de Paulo Hartung e também no de Renato Casagrande (este, talvez, tenha sido induzido ao erro).

A história que envergonha os homens e mulheres de bem da Polícia Militar do Espírito Santo começa a ser contada no Boletim do Comando Geral número 19 de 13 de maio de 2005. Traz a informação de que portaria foi aberta em novembro de 2004 para julgar a conduta de um capitão – o que hoje é major – por ter mantido relacionamento íntimo com subordinada hierárquica no “interior do aquartelamento” – dentro do CFA –, não recomendável, portanto, à hierarquia, disciplina e à imagem da Corporação. O mesmo é dito para a aluna-soldado que participou da orgia sexual dentro de um banheiro com o tal oficial no CFA.

De acordo com a investigação, feita pela Diretoria de Inteligência da PM (Dint), o então capitão e a aluna-soldado marcaram encontros no banheiro. Em certo dia, o capitão pulou a parede do banheiro masculino e passou para o banheiro das mulheres, onde manteve relação sexual com a aluna-soldado.

Em seu depoimento, o agora major chegou a confessar que, de fato, foi ao banheiro feminino, mas “apenas para dar um beijo” na aluna soldado. Continue lendo no Blog do ELIMAR CORTES

terça-feira, 5 de junho de 2012

Capitão da PMMG sob suspeita de enriquecimento ilícito

Militar integraria máfia da contravenção ligada ao jogo do bicho e caça-níqueis na Zona da Mata


A Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Assembleia Legislativa investiga suspeita de enriquecimento ilícito por parte do capitão da PM Yoshio Luiz Yamagushi, que estaria ligado à máfia da contravenção em Juiz de Fora. Nesta segunda-feira (4), o deputado estadual Sargento Rodrigues (PDT), que é membro da comissão, apresentou fotos tiradas na última sexta-feira, que mostram cinco imóveis, avaliados em R$ 135 mil cada um, que pertenceriam ao capitão. “Além disso, ele mora em uma casa de alto padrão no bairro Bom Pastor,em Juiz de Fora, o que é incompatível com o seu salário, que gira em torno de R$ 4 mil”, revelou.


A CDH se reuniu nesta segunda-feira (4), em sessão secreta, para dar continuidade à discussão sobre denúncias, divulgadas com exclusividade pelo Hoje em Dia, relativas à existência de crime organizado em Juiz de Fora, relacionadas à exploração de máquinas caça-níqueis e jogo do bicho. Foram convocados a prestar depoimento os delegado Fernando Camarota Filho, acusado de receber propina, Alexandre Soares e Eduardo da Silva. Além de mais 13 pessoas entre policiais, procurador e promotor. Era aguardada a presença do capitão Yamagushi que não compareceu, assim como outros cinco convocados.

Outra apuração em curso se refere à informação da Polícia Federal que comprova a participação de um promotor de Justiça que teria conhecimento do pagamento de propina no valor de R$ 10 mil a um delegado e a um investigador da Polícia Civil de Juiz de Fora. Os nomes dos envolvidos não foram revelados. “Esse promotor nada fez por causa da amizade que tinha com o delegado que estaria recebendo propina”, explicou o parlamentar.

Sobre Yamagushi, sargento Rodrigues declarou que será verificado se houve recebimento de herança que justificaria a obtenção dos imóveis. “Sou conhecedor dos salários dos policiais, soldados e coronéis e sei que o capitão recebe cerca de R$ 4 mil, porque paga duas pensões alimentícias. Por isso o fato dele ter essas cinco casas é um forte indício de que estaria recebendo dinheiro dos caça-níqueis”, acusou.

A CDH pretende ir a Juiz de Fora para ouvir duas testemunhas que foram convocadas e não participaram. O promotor suspeito de acobertar o pagamento de propina também será convidado para falar.

Segundo o presidente da comissão, deputado Durval Ângelo, os fatos também indicam suposto envolvimento de agentes públicos da administração municipal em atividades criminosas na cidade, especialmente as relacionadas a jogos de azar.

Na reunião, Sargento Rodrigues questionou os presentes sobre denúncias relativas à violação de noteiros de máquinas caça-níqueis por peritos da Polícia Civil, durante uma operação para apreensão desses equipamentos. Durval Ângelo chamou a atenção para o fato de que máquinas apreendidas estariam retornando para as casas de jogos de azar.

Para Rodrigues, ficou claro que a exploração do jogo de bicho e caça-níqueis em Juiz de Fora tem ligação com o esquema de Carlos Cachoeira, em Goiânia. “Os aparelhos onde hoje se faz os jogos de bicho foram encomendados e vieram de Goiânia”, explicou.

Dados da Polícia Federal apontam que Juiz de Fora possui, proporcionalmente, um número muito maior de máquinas caça-níqueis e vídeo bingo do que o Rio. Além disso, nos últimos quatro anos em BH foram apreendidos 3 mil máquinas, enquanto que em JF, no mesmo período, foram encontrados 4 mil aparelhos.

Hoje em Dia