Seguidores

Mostrando postagens com marcador copa das manifestações. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador copa das manifestações. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Morre policial baleado na cabeça durante tiroteio no Rio (somos campeões da insegurança...)

Soldado Fábio foi atingido por um tiro no rosto durante tiroteio no Alemão
Foto:  Reprodução
Rio - O policial militar Fábio Gomes da Silva, de 30 anos, morreu às 6h30 no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, onde estava internado após levar um tiro na cabeça durante tiroteio na UPP Fazendinha, no Complexo do Alemão, na Zona Norte, na noite deste domingo. Ele deu entrada na unidade de saúde em estado grave. A informação foi confirmada pela Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) e pela direção do Hospital Getúlio Vargas.

O soldado Fábio estava há dois anos na PM e faria 31 anos na próxima quinta-feira, dia 26. O policiamento na região segue reforçado nesta manhã por militares de outras UPPs, do Grupamento de Intervenções Táticas (GIT) das UPPs e pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope).
De acordo com a PM, o soldado foi baleado no rosto por um tiro de pistola quando enquanto participava com outros PMs da UPP Fazendinha de um patrulhamento na região conhecida como Beco do Desabamento, por volta das 20h30. A bala ficou alojada na cabeça.

Dois menores também foram mortos, outro foi ferido e um segundo PM baleado em pelo menos dois confrontos na noite deste domingo no Complexo do Alemão. A polícia afirma que os menores têm envolvimento com o tráfico de drogas.

Na localidade do Areal, no Morro do Alemão, dois adolescentes de 16 e 17 anos morreram em confronto com a PM. A polícia diz que eles participavam da quadrilha que ainda atua no Complexo do Alemão. Nas redes sociais, amigos desmentem a informação da PM e afirmam que os jovens não tinham envolvimento com o crime organizado.

No mesmo incidente, um PM da UPP local foi ferido à bala na mão. Um jovem de 17 anos, que estava em uma lan house, foi baleado no ombro. Os dois foram medicados no HGV e liberados.

O caso foi registrao na 45ª DP (Alemão). A polícia investiga se os dois tiroteios estão relacionados.

Morte de PMs em 2014 

Com a morte do soldado Fábio Gomes da Silva, chega a 137 o número de policiais baleados no Estado do Rio, de janeiro até a data de hoje. Destes, 86 estavam de serviço.

domingo, 8 de junho de 2014

Nova música dos TITÃS: "Fardado você também é explorado"


A música teria sido inspirada nas manifestações realizadas pelo Brasil inteiro em junho do ano passado, teve seu título retirado de um cartaz: “Fardado, você também é explorado.”


Fardado (Sérgio Britto / Paulo Miklos)

Você também é explorado
Fardado
Você também é explorado - aqui! Por que você não abaixa essa arma O meu direito é seu dever
Por que você não usa essa farda
Pra servir e pra proteger Por que você não escuta o que eu digo
Não limpa as botas de terra
Não prende esse cachorro contigo
Não abre a rua e limpa essa merda!
Ponha-se no meu lugar, ponha-se no seu lugar Ponha-se no meu lugar, no meu lugar
Você também é explorado
Fardado
Você também é explorado - aqui! Por que você não abaixa esse escudo
O meu direito é sua obrigação
Por que não olha antes de tudo
O seu dever é minha autorização
Por que você não escuta o que eu falo
Não limpa a terra das botas
Por que não segura esse cavalo Não abre a rua e limpa essa bosta! Ponha-se no meu lugar, ponha-se no seu lugar Ponha-se no meu lugar, no meu lugar


Fonte: Blog da Renata

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Agora serão policiais de SP, marcam protesto para o dia 4 por aumento salarial


Faixa contra governo na sede da Associação de Cabos e Soldados de SP - Bruno Ribeiro/Estadão
SÃO PAULO - As 17 associações que representam soldados, cabos e oficiais da Polícia Militar do Estado de São Paulo marcaram para o próximo dia 4, quarta-feira, uma manifestação na frente do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. O protesto será contra a proposta de reajuste salarial de 0% apresentada às categorias, segundo informou na tarde desta terça, 27, a Associação de Cabos de São Paulo.

O protesto deve reunir apenas oficiais da reserva e familiares dos militares, uma vez que eles não podem participar de manifestações. Policiais de outros Estados, como Pernambuco e Bahia, chegaram a cruzar os braços neste ano durante negociações trabalhistas. Continue lendo no ESTADÃO

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Polícia em alerta para ataques na abertura da Copa


As polícias militar e civil já preparam plano de prevenção
O serviço de inteligência da polícia de São Paulo tem informações de que facção criminosa organiza ataques simultâneos na capital e região metropolitana dia 12 de junho, abertura da Copa do Mundo FIFA. As polícias militar e civil já preparam plano de prevenção, contingência e contra-ataque. Insatisfeita com o bloqueio de bens através de um minucioso trabalho da PF, a facção quer vitrine internacional. A onda de assaltos à mão armada na cidade estaria levantando dinheiro para financiar o ‘salve geral’.

sexta-feira, 25 de abril de 2014

RIO: Confronto entre policiais e moradores (Brasil à beira da guerra civil)


Depois do enterro de Douglas da Silva, o DG, no cemitério São João Batista, parentes, amigos e muitos outros indignados voltaram para a comunidade protestando pelas ruas de Copacabana em repúdio à morte do jovem e à política de pacificação das UPP's.

No fim do trajeto, num dos acessos ao morro do Pavão-Pavãozinho, moradores e policiais militares se enfrentaram e a polícia dispersou o grupo com muitas bombas de gás lacrimogêneo. Algumas pessoas saíram feridas.

Coletivo Tatu

sexta-feira, 11 de abril de 2014

RIO: MARCHA CONTRA CORRUPÇÃO E PELA REFORMA DA SEGURANÇA PÚBLICA


CONCENTRAÇÃO AS 09:00 NA AVENIDA ATLÂNTICA EM FRENTE A RUA PRADO JÚNIOR (PRÓXIMO AO POSTO 2)

As Forças de Segurança e a sociedade unidas em defesa de um país mais seguro.

O evento será realizado pelo Sindicato dos Policiais Federais do Rio de Janeiro com o apoio da Federação Nacional dos Policiais Federais e de outras categorias de servidores públicos visando expor a atual situação em que se encontra a segurança pública. Não é possível que tratem a segurança na sociedade de forma passageira, visando um objetivo que é um evento internacional ou ainda que perdurem sistemas falidos que até hoje não resolveram o problema da criminalidade. O Sindicato dos Policias Federais do Rio de janeiro em nome de seus associados, Agentes, Escrivães e Papiloscopistas lançam um alerta a sociedade e conclama a mesma a participar da passeata a ser realizada às 9:00 hs na Praia de Copacabana, iniciando na Avenida Atlântica em frente a Rua Prado Junior. Mostre o seu descontentamento com a atual situação da violência que começa a dar sinais de aumento no Rio de Janeiro e demais cidades do Brasil. Os Agentes, Escrivães e Papiloscopistas de Policia Federal lançam um alerta para que a população proteste e que venha nos ajudar a mudar a atual situação, pois do jeito que a segurança vem sendo tratada, a violência só tende a piorar. Ajude-nos a exigir uma forma definitiva e eficiente de melhora da segurança pública, pois a solução não é difícil, faltando apenas vontade política.

sábado, 1 de março de 2014

Subtenente da Marinha do Brasil desabafa: dia 22 de março "VAMOS PEDIR INTERVENÇÃO MILITAR"


DIA 22 DE MARÇO É O DIA DE DAR UM BASTA A TUDO ISSO QUE VOCÊ NÃO AGUENTA MAIS VER ACONTECER COM O BRASIL, SE VOCÊ NÃO QUER QUE O NOSSO PAÍS VIRE UMA VENEZUELA, ESSE SERÁ O DIA "D". CONTO COM A SUA PRESENÇA !!!

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Presidente DILMA é "amada" pelo povo, quanta "popularidade"...foda-se a copa!!!


MALDIÇÃO DA PEC 300!!! APESAR DELA SE ESQUECER DA SEGURANÇA PÚBLICA E DO PISO NACIONAL DESSES PROFISISONAIS...NÓS É QUE AINDA A MANTEMOS NO PODER...Protestos dos brasileiros na inauguração do estádio ARENA AMAZONAS, onde nem futebol existe...será mais um elefante branco...maldidos!!!

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Advogado de preso por crime na manifestação afirma: "Tem grupos que pagam 150 reais para cada manifestante"

O DA DIREITA DEVE SER LIGADO A ALGUM "PEIXE GRAÚDO", CORRETO?

(Via Lucia Celentano)

O infeliz que foi acusado de acender o rojão que matou o cinegrafista da BAND, foi preso durante a madrugada. Sinceramente não acredito que seja ele quem acendeu o artefato. Contudo, ele fez revelações muito sérias sobre grupos que financiam a baderna, que pagam até R$150 reais para cada manifestante. Quem está financiando essa gente? A quem interessa causar tumulto no final das manifestações para esvaziar os verdadeiros manifestantes? A quem interessa que o povo não vá às ruas, pelo medo de bombas e black bostas? Não custa lembrar que membros da alta cúpula do governo está presa por obter dinheiro ilícito, lavagem de dinheiro, pagamento mensal de deputados para votar favorável nos projetos do governo. É muita coincidência, não acham? Será que estaríamos diante do mensalão black bloc's? Dinheiro não é problema para eles...

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Se a corda arrebentar, policiais e bombeiros estão ao lado do povo

JA TEMOS UMA BOA GALERA AO NOSSO LADO COM ISSO JÁ É MEIO CAMINHO ANDADO PARA EXILAR TODOS POLITICÚS DO PAIS…
Policiais do Brasil todo, sigam o exemplo e enviem suas faixas ….

Anastacio Qap

Imprensa inglesa diz que o governo brasileiro perdeu o rumo e agora joga o povo contra o povo


Até os ingleses já sabem que a coisa está feia no Brasil. Uma matéria do The Guardian, traz uma análise crítica, um visão de alguém de fora sobre a situação do Brasil, onde se vê claramente um governo que se perdeu política e economicamente, e agora, tenta distrair as atenções com a copa do mundo, colocando ainda as classes sociais umas contra as outras, e, assim, tirar o foco dos reais problemas.

Antes, para somar à matéria, alguns link´s, dão a dimensão do caos, espalhado em várias regiões do país, de diversas maneiras:
The Guardian - um ano de protesto frustrado contra um governo intransigente lançou uma onda de reprimida violência entre classes. “No Brasil há um ditado que diz:”. “Ladrão bom é ladrão morto” Estas palavras não são mais relevantes na paisagem dominada pelas guerra de classes brasileira de hoje, onde o preconceito, a violência e o racismo correm livres.(Veja um exemplo de preconceito e arrogância de uma classe contra outra) 

A última semana foi cheia de atos de violência no Rio de Janeiro. Mais uma vez, a polícia e manifestantes entraram em confronto durante um protesto no centro da cidade. Alguns dias antes, um adolescente foi espancado, despido e amarrado a um poste de luz por um grupo de vigilantes por supostamente assaltar pessoas na rua. Os confrontos não são mais pessoas contra autoridade, eles se tornaram pessoas contra pessoas, são do povo contra o próprio povo.

E figuras da mídia tradicional têm apoiado os 'justiceiros/vigilantes' que fazem justiça com as próprias mãos. Esta semana Rachel Scheherazade, a âncora do SBT, disse que suas ações foram "compreensíveis”, e que se as pessoas fossem a favor dos direitos humanos que deve "fazer um favor ao Brasil e adotar um ladrão". Ela fez estas declarações na televisão nacional em horário nobre. (Reveja aqui) 

Para muitos, as estatísticas justificam a reação violenta: em 2013 mais de 33.000 pessoas foram assassinadas no Rio, 1070, como consequência de assalto. Ainda mais assustadoramente, 5.412 pessoas morreram em conflitos com a polícia.

Como o governo concentrado na Copa do Mundo para agradar a comunidade internacional, tem se negligenciando mais ainda as pessoas do que o normal, e as coisas ficaram piores. Brasil já é o quarto país mais desigual do mundo (de acordo com a Organização das Nações Unidas).

A onda de crimes recentes, em particular no bairro do Flamengo, onde o adolescente negro foi atacado, e o resultado direto da raiva da população que foi deflagrada em junho passado. A tentativa do governo de elevar tarifas de ônibus mais uma vez atuou como um lembrete de que, desde os protestos do ano passado, as coisas ficaram piores, não melhores.

Talvez, as pessoas já tenham percebido que protestando não chegam a lugar nenhum, exceto para a obtenção de mudança em curto prazo.
O governo está enviando uma mensagem clara: vamos fazer o que queremos e os seus protestos não podem nos parar. Esta mensagem tornou-se perigosa, porque as pessoas agora se sentem no direito de roubar, de usar a violência para torturar os autores em qualquer situação que a polícia, toda desestruturada e implorando ajuda à nação, (veja aqui), não esteja a atuar.

E sempre haverá pessoas inocentes que sofrem. Na quinta-feira, um cinegrafista foi atingido na cabeça por um explosivo, supostamente uma bomba da polícia, depois de um protesto que se tornou violento. Ele está em coma.

A guerra é de alta renda versus baixa renda.
Enquanto as pessoas das favelas são levadas ao crime por causa de sua falta de oportunidades, pessoas de classe média se sentem cada vez mais com medo da violência e se preocupado com sua segurança. A raiva contra o governo está colocando uns contra os outros e, apesar do glorioso sol do Rio de Janeiro, o ambiente é de medo e tristeza para uma cidade de tal potencial.

Em última análise, embora o suporte para a tortura e violência seja horrível, os problemas sociais no Brasil são muito mais profundos que vigilantes/justiceiros fazendo o que acham que é certo.
Não é uma simples questão de matar um criminoso, porque ele é inerentemente mau; centenas de anos de opressão, do racismo e negligência do governo não podem ser camufladas com uma simples decisão de não aumentar as tarifas de ônibus.

“As coisas podem piorar". 


Link da matéria publicada no Theguardian 08/02/2014

Tradução Luiza De Sordi
Equipe Jornal Zona de Conflito Mídia Independente
Colaboração da mídia livre Anonymous Baixada Fluminense RJ e Jornal Zona de Conflito Mídia Independente
Texto adaptado com link´s e inserções do FCS Brasil para facilitar a leitura dos internautas.



O Brasil "perto" da Ucrânia...quando a polícia vira caça...


Violent protests in Kiev: Rioters beat up police officers

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Exército poderá substituir polícias brasileiras durante as manifestações (Será?!)


Para Anistia, documento é 'vago, arbitrário'

Wilson Tosta / RIO - O Estado de S.Paulo

O diretor executivo da Anistia Internacional no Brasil, Átila Roque, considerou "vago, arbitrário e potencialmente danoso à democracia" atribuir às Forças Armadas poder de polícia, tendo como um dos objetivos o controle da população. "Ao considerar movimentos e organizações como forças oponentes, perturbadoras da ordem pública, o documento pode abrir um perigoso caminho para a repressão e a criminalização dos protestos."
Para o Ministério da Defesa, a inclusão de "movimentos e organizações" entre as "forças oponentes" teve o objetivo de não designar especificamente nenhuma entidade, o que, na visão da assessoria jurídica da pasta, elimina o perigo de criminalizar movimentos. "Hoje, as operações de Garantia da Lei e da Ordem estão muito bem definidas fática e legalmente, sendo excepcionais, temporárias e episódicas, definidas onde ocorrerão e por quanto tempo", disse a assessoria de imprensa da Defesa.
O ministério lembrou que a Constituição já define a participação das Forças Armadas em Operações de GLO. Para a Defesa, a existência de um documento estabelecendo procedimentos nessas ações é uma "arma" da população, que poderá verificar se seus direitos estão sendo respeitados.
O professor de Relações Internacionais da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) Márcio Scalércio, estudioso de questões militares, considera que o documento não representa "nenhum arroubo" dos militares. "A ideia é que, caso as forças policiais, em uma situação de distúrbio de massa, não deem conta, as Forças Armadas sejam chamadas, mas não para uso de força letal", afirmou. 
Comento: É uma sucessão de piadas de mau gosto. O Exército brasileiro mal tem efetivo para cuidar das fronteiras, mal tem comida para ser vir no rancho, mal tem equipamentos para treinar seu efetivo, com um dos piores salários no funcionalismo público. Portanto essa notícia não passa uma das tantas bravatas de um governo completamente perdido diante dos eventos que assumiu patrocinar. Na verdade o governo teme os manifestantes e tenta mais uma vez usar a mídia para contê-los, tentando vencê-los na chamada guerra virtual via grande mídia.