Seguidores

Mostrando postagens com marcador correios. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador correios. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Militante dos CORREIOS é demitido por motivos políticos em Uberlândia, isso é ditadura


Sem nenhuma explicação, o companheiro recebeu o comunicado de sua demissão
A perseguição política nos Correios não tem limite. Essa semana, o companheiro Antônio Fernando da Silva, OTT lotado no CTCE Uberlândia, recebeu da empresa um documento comunicando sua demissão por justa causa.

O companheiro, que é filiado e militante declarado da corrente de oposição nacional Ecetistas em Luta/PCO, sequer recebeu uma satisfação sobre os motivos da demissão, nem mesmos desculpas esfarrapadas. O silencia da empresa é simples: trata-se de mais um caso de perseguição política.

O companheiro atuava dentro do setor e na região do Triângulo Mineiro por meio de denúncias setoriais e da distribuição de boletins aos trabalhadores. Recentemente, o companheiro havia colocado um boletim da Fentect no quadro de avisos. Tudo indica que esse tenha sido um dos motivos para a demissão.

Essa é a prática do governo do PT para os trabalhadores. Aqueles que discordam de sua política de exploração da categoria, são esmagados. Esse é o resultado da política do PT que dá espaço para chefes fazerem o que bem entender nos setores, enquanto procura esmagar o movimento dos trabalhadores.

A demissão do companheiro é ainda mais grave. A direção da empresa está se preparando para as eleições no sindicato, que vão acontecer no ano que vem. É uma tentativa de esmagar a oposição que está sendo organizada na base, para favorecer o pelego Mendes, que domina o sindicato há décadas, sem nem realizar eleições.

Vamos fazer uma intensa campanha de denúncia contra a demissão do companheiro e contra a perseguição política da empresa.

A corrente Ecetistas em Luta está tomando as medidas jurídicas cabíveis contra a ditadura da ECT. Mas principalmente, vamos mobilizar os trabalhadores contra essa ditadura.

- Readmissão imediata do companheiro Fernando
- Não à perseguição política!
- Abaixo a ditadura do governo do PT nos Correios!


Comentário nosso: Conheço esse líder, grande lutador pelas causas dos Correios, inclusive organizou a primeira greve dos Correios em Uberlândia-MG. Justamente por ser combativo, não se curvar as manobras ardilosas da direção e muito menos a ditadura dos partidos, é que foi demitido injustamente. Como diz o ditado: "ninguém bate em cachorro morto". Geralmente as administrações só atacam aqueles que são lúcidos, que falam a verdade e principalmente aqueles que conscientizam a classe. Por isso são perseguidos, vítimas de assédio moral, tem seus direitos desrespeitados...mas, a justiça está aí para todos. O meu amigo Fernando com certeza já está buscando os seus direitos. Abraço e força! Morreremos lutando!!!!

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Funcionários dos Correios em Minas continuam em greve mesmo após determinação do TST


Funcionários dos Correios em Minas Gerais decidiram continuar com a greve que já dura quase um mês, apesar da ordem do TST (Tribunal Superior do Trabalho) que determina a volta da categoria ao trabalho a partir desta quinta-feira. A continuidade do movimento em Minas foi confirmada no fim da tarde desta quarta-feira pelo Sindicato dos Trabalhadores Empresa Correios e Telégrafos (Sintect) da capital. 
O secretário-geral do sindicato, Robson Silva, disse que os funcionários vão se reunir em assembleia amanhã às 14h para decidir se mantêm a greve. Grevistas de outros estados também farão assembleias para decidir se voltam ao trabalho. Eles vão colocar em pauta a proposta apresentada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) que foi aceita pela estatal, mas rejeitada pelos trabalhadores.

A volta dos funcionários ao trabalho foi determinada pelo TST nessa terça-feira. No julgamento do dissídio coletivo pela Seção Especializada em Dissídios Coletivos (SDC), os ministros autorizaram a empresa a descontar no salário dos grevistas o equivalente a sete dias de greve e os demais 21 dias de paralisação devem ser compensados com trabalho extra nos fins de semana. No caso de descumprimento da determinação, a multa diária estabelecida foi R$ 50 mil. 

Em relação às cláusulas financeiras, os ministros determinaram que sejam cumpridos os pontos do acordo firmado na primeira audiência de conciliação entre as partes, que prevê o aumento real de R$ 80 a partir de 1º de outubro e reajuste linear do salário e dos benefícios de 6,87% retroativo a 1º de agosto.

Os Correios instauraram o dissídio coletivo no TST no fim de setembro, depois da falta de acordo entre a empresa e os trabalhadores sobre os termos do acordo coletivo. Foram realizadas duas audiências de conciliação mediada pelo TST e uma reunião com o ministro relator. Na primeira audiência, as duas partes chegaram a um consenso, mas a proposta foi rejeitada pelos 35 sindicatos da categoria. Nos outros dois encontros, não foi possível chegar a um acordo, por isso, a questão foi julgada pela SDC.
A última greve dos Correios ocorreu em 2009, e durou 12 dias. A maior greve foi em 1994, quando os trabalhadores ficaram parados por 32 dias, e a questão também foi decidida pelo TST.


em.com.br

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Manifestações bloqueiam vias no Centro de SP


Funcionários dos Correios e os bancários de uniram nas manifestações por aumento salarial.


No mesmo horário, outras 200 pessoas protestavam junto com funcionários dos Correios no Vale do Anhangabaú. De acordo com a PM, as duas manifestações eram pacíficas. Até as 16h45, não havia informações sobre o destino das passeatas.

Duas manifestações bloqueavam vias da região central de São Paulo na tarde desta sexta-feira (30). Segundo a Polícia Militar, por volta das 16h30, cerca de 200 pessoas participavam do protesto dos bancários na esquina da Rua Líbero Badaró com a Avenida São João.

São Paulo é um dos estados com maior adesão dos funcionários dos Correios em greve. Os serviços Sedex 10, Sedex Hoje e Disque-Coleta, que têm prazo para entrega, estão suspensos por tempo indeterminado.
A categoria reivindica aumento real de R$ 400, piso salarial de R$ 1.635 (hoje é de R$ 806), vale-alimentação de R$ 30 por dia e vale-cesta de R$ 200.
De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), a Rua Líbero Badaró teve de ser totalmente interditada.
Os bancários decidiram entrar em greve em todo o país na terça (27) por tempo indeterminado. A decisão foi tomada após assembleias dos sindicatos da categoria realizadas em todo o país. A paralisação atinge bancos públicos e privados. O objetivo do movimento é pressionar a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) a retomar as negociações e a melhorar a proposta de aumento real de salários da categoria, cuja data-base para renovação da convenção coletiva de trabalho é 1º de setembro.
G1/SP

sábado, 17 de setembro de 2011

Diga Não, a privatização dos Correios




ALUGA-SE
música de Raul Seixas

A solução pro nosso povo


Eu vou dá


Negócio bom assim


Ninguém nunca viu


Tá tudo pronto aqui


É só vim pegar


A solução é alugar o Brasil!...


Nós não vamo paga nada


Nós não vamo paga nada


É tudo free!


Tá na hora agora é free


Vamo embora


Dá lugar pros gringo entrar


Esse imóvel tá prá alugar


Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!...


Os estrangeiros


Eu sei que eles vão gostar


Tem o Atlântico


Tem vista pro mar


A Amazônia


É o jardim do quintal


E o dólar dele


Paga o nosso mingau...


Nós não vamo paga nada


Nós não vamo paga nada


É tudo free!


Tá na hora agora é free


Vamo embora


Dá lugar pros gringo entrar


Pois esse imóvel está prá alugar


Alugar! Ei!


-Grande Solução!...


Nós não vamo paga nada


Nós não vamo paga nada


Agora é free!


Tá na hora é tudo free


Vamo embora


Dá lugar pros outro entrar


Pois esse imóvel tá prá alugar


Ah! Ah! Ah! Ah!


Nós não vamo paga nada


Nós não vamo paga nada


Agora é free!


Tá na hora é tudo free


Vamo embora


Dá lugar pros gringos entrar


Pois esse imóvel


Está prá alugar...


Está Prá Alugar Meu Deus!


Nós não vamo paga nada!


Nós não vamo paga nada!


É tudo free!


Vamo embora!

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Trabalhadores dos Correios decidem entrar em greve a partir desta quarta-feira


Trabalhadores estão adoecendo nos setores, com o excesso de serviço e com um salário miserável há dois anos sem aumento, a cúpula da ECT está enchendo os bolsos com o dinheiro da empresa

Enquanto a direção da ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) propõe um miserável reajuste de 6,87% para os trabalhadores, a cúpula da direção da empresa, as chefias e gerentes com nível superior chegam a ganhar, apenas no salário base, mais de 15 vezes o que um carteiro, atendente ou OTT, que juntos representam mais de 70% do quadro de funcionários.

Apenas no quesito “remuneração singular”, um diretor regional, suponhamos, da DR/SPM (Diretoria Regional de São Paulo Metropolitana) ganha R$16.462,84. A “remuneração singular” nada mais é do que uma gratificação ganha pelos cargos de confiança nos Correios, ou seja, cargos ocupados por indicações políticas. Esta remuneração foi criada diretamente com a função de engordar os salários das chefias.

O diretor regional da DR/SPM ganha, por mês, além dessa “remuneração singular”, R$ 2.524,82 de função, mais o seu salário. A folha de pagamento facilmente ultrapassa os R$ 20 mil por mês.



Quanto maior o cargo, maiores são os ganhos com funções e remunerações diversas, ou seja, é uma verdadeira farra das chefias.

Essa é a realidade nos Correios. A esmagadora maioria dos trabalhadores, que leva a empresa nas costas, é obrigada a trabalhar por um salário que mal dá para sobreviver. Enquanto as chefias estão nadando em dinheiro, o salário base de um carteiro, OTT e atendente comercial é de R$ 807,29 contra um salário base de R$12.812,34 para um funcionário de nível superior.

A situação é, na realidade, ainda mais dispare. Sem contar que a maioria dos cargos de chefia na empresa são escolhas políticas, ou seja, um grande esquema para distribuir o dinheiro da empresa para apadrinhados políticos. Não é à toa que a briga entre PT e PMDB pelos cargos no governo esteja a todo vapor dentro dos Correios. A mudança no Estatuto da ECT, que prevê que pessoas de fora dos Correios possam ser indicadas para ocupar cargos de chefia na empresa, é parte de uma investida do PT para diminuir o domínio do PMDB na empresa.



A direção da ECT e o governo alegam que é impossível pagar mais do que os 6,87%, depois de dois anos sem reajuste e com o aumento visível da quantidade de carga que os trabalhadores têm que dar conta.

Dos últimos anos para cá, a empresa apenas cresceu seus lucros. Nesse primeiro semestre, os Correios apresentaram R$ 500 milhões de lucro líquido, o que significa que até o final do ano o lucro deve ultrapassar R$ 1 bilhão.

E para onde vai esse dinheiro todo? Para as mãos dos corruptos que dominam a cúpula da empresa, para os capitalistas que enchem os bolsos com as franquias e todos os esquemas de privatização dentro da ECT. E são justamente esses os maiores interessados em privatizar os Correios para colocar de vez as mãos no dinheiro gerado pelo trabalhador, que está se matando nos setores para dar conta do excesso de serviço e da falta de funcionários.



Está mais do que provado que a direção da ECT não quer abrir mão da boquinha bilionária que representa os Correios. Por isso, não adianta conversa, os patrões não vão ceder se os trabalhadores não os colocarem na parede. Por isso, para o próximo dia 14, é o momento da greve geral unitária da categoria, por 74% de aumento. A luta e a mobilização enérgica dos trabalhadores são a única linguagem que os patrões entendem.

- Greve geral contra a privatização da ECT, por 74% de reajuste e pela imediata contratação dos concursados;

- Ato em Brasília, dia 20 de setembro, contra a privatização;

- Não à privatização dos Correios;

- Fim do excesso de serviço, fim do trabalho nos finais de semana;

- Não à retirada do convênio médico da categoria.

fonte: Anando/PCO-Partido da Causa Operária
foto: ODIA