Seguidores

Mostrando postagens com marcador desvio de verba. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador desvio de verba. Mostrar todas as postagens

sábado, 9 de fevereiro de 2013

PADRE MILITAR que desviava dinheiro da IGREJA foi condenado.


padre cheregato condenado
   Segundo denúncia do Ministério Público Militar, além de ignorar procedimentos de registro dos valores, o capelão creditava em sua conta pessoal o dinheiro que recebia dos fiéis. A perícia contábil constatou, no período de 1997 a 2005, que o padre movimentou, em sua conta corrente, cerca de R$ 300 mil provenientes de dízimos e celebração de eventos como casamentos, batizados e doações da comunidade. O padre confirmou em juízo que deixou de registrar em livro, centenas de casamentos entre outras cerimônias religiosas.
 
Segundo artigo da Associação cearense do Ministério Público, o padre declarou que sentia a necessidade de um tratamento psiquiátrico, após serem apreendidas em sua resideência fotografias de jovens em poses eróticas ou se masturbando, alguns usavam fardamento da aeronáutica.
Segundo o STM José Severino Cheregato será penalizado em 3 anos de reclusão.
A defesa do acusado afirmou que o padre não cometeu o crime de peculato, pois os valores não eram bens da Aeronáutica e portanto não pertenciam à União, mas à Igreja Católica e que o capelão poderia dar o destino que quisesse às doações recebidas, inclusive arcar com seus custos pessoais.
capela militar aeronautica fortaleza   O advogado declarou que os valores apontados como sendo de origem ilícita, R$ 106 mil foram destinados a reformas e os outros R$ 200 mil eram provenientes do recebimento de doações e trabalhos externos realizados pelo religioso durante oito anos, o que daria uma renda média de R$ 2.400 reais por mês.  Em sede de preliminar, a defesa suscitou a incompetência da Justiça Militar para julgar o feito, sob o argumento de que os valores não eram bens públicos.  E no mérito pediu a reforma do acórdão.
Ao analisar a preliminar, o ministro relator Olympio Pereira da Silva Junior negou o pedido, assim como negou outra preliminar suscitada pelo Ministério Público Militar, com o argumento que o recurso tinha sido interposto fora do prazo.
No mérito dos embargos infringentes, o ministro negou provimento, afirmando que, mesmo sendo as doações dinheiro privado, o capelão estava na condição de militar e tinha o dever de zelar e dar boa destinação aos valores e não se apropriar, como fez. “Trata-se de desvio de bens que estavam sob a guarda da Aeronáutica e, portanto, da Administração Militar”, argumentou. Por maioria, os demais ministros da Corte acompanharam o voto do relator e mantiveram a condenação.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

SENADOR AÉCIO NEVES É ACUSADO DE DESVIAR R$ 4,3 BILHÕES. PARABÉNS PRA QUEM VOTOU NELE...

A Promotoria de Justiça da Saúde entrou com uma ação civil pública por ato deimprobidade administrativa contra o ex-governador de Minas Gerais e senador eleito Aécio Neves e a ex-contadora geral do estado, Maria da Conceição Barros.Na ação é questionado o destino de R$ 3,5 bilhões que teriam sido declarados nalei orçamentária como dinheiro repassado à Companhia de Saneamento de MinasGerais (Copasa) para investimentos em obras de saneamento básico. De acordo com a promotora Joseli Ramos Pontes, o repasse do dinheiro não foi comprovado.

Sob a grave acusação de desvio de R$ 4,3 bilhões do orçamento do Estado de Minas Gerais e que deveriam ser aplicados na saúde pública, a administração Aécio Neves/Antônio Anastasia (PSDB) – respectivamente ex e atual governador mineiro – terá que explicar à Justiça Estadual qual o destino da bilionária quantia que supostamente teria sido investida em saneamento básico pela Copasa entre 2003 a 2009.CONTINUE LENDO>>>>>>

BLOG DA RENATA

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Policial cita irmão do novo ministro Aldo Rebelo em suposto esquema de corrupção no Esporte




Foram mais de oito horas de depoimento do policial militar João Dias Ferreira, para a Polícia Federal na semana passada. Um dos nomes citados pelo delator de suposto esquema de corrupção na pasta do Esporte é o irmão do novo ministro Aldo Rebelo – o vice-presidente do PCdoB no Distrito Federal, Apolinário Rebelo.


Ferreira, responsável por colocar o ex-chefe do ministério Orlando Silva na berlinda, afirmou que foi Apolinário quem indicou Fredo Ebling como “responsável pela arrecadação” do dinheiro furtado da suposta organização.


Apolinário nega as acusações do policial militar e disse que não tem poder para fazer indicações na Esplanada. Ele ainda afirmou que pretende entrar na Justiça contra Ferreira.


Aldo Rebelo foi confirmado nessa quinta (27) como o substituto no Esporte depois de Orlando Silva ter pedido demissão. O ex-ministro apareceu em denúncias de desvio de verba envolvendo ONGs conveniadas com o governo publicadas na revista Veja.

Folha de S. Paulo 

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Entidades sem fins lucrativos receberam R$ 23 bilhões do governo federal entre 2004 e 2010 (por isso não sobra pra pec 300, saúde, educação...)


O volume concedido pelo governo federal às ONGs aumentam a cada ano. Entre 2004 e 2010, caíram R$ 23,3 bilhões dos cofres públicos nas contas de entidades sem fins lucrativos – um aumento de 180% nos repasses desse período. As informações são do jornal O Globo.

A Controladoria-Geral da União (CGU) aponta que em 2011 a quantidade de verba endereçada a essas entidades deve cair. Com base na média mensal, a estimativa para este ano é de R$ 4,1 milhões. O órgão alerta que no rol de entidades sem fins lucrativos também podem aparecer fundações de apoio a universidades e partidos.

Desde 2006, a entidade que mais recebeu dinheiro é a Fundação Butantan, que fabrica vacinas e imunizantes muito utilizados nas campanhas do governo. A Fundação de Seguridade Social (Geap), a Fundação Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPDQ), a Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Sincrotron e a Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto também figuram no topo da lista.
A verba pública endereçada ao Fundo Partidário também é vultosa. Os gastos previstos para 2011 são de R$ 265,3 milhões. Segundo dados da CGU, o PT e o PMDB – maiores bancadas da Câmara - foram as legendas que mais receberam dinheiro no ano passado – R$ 28,3 milhões e R$ 27,4 milhões respectivamente. O critério para distribuir os recursos entre as siglas é o número de deputados federais.

Ainda que algumas iniciativas sejam efetivamente desenvolvidas, o repasse a entidades sem fins lucrativos também é uma janela para desvio de dinheiro público. No último final de semana, a revista Veja publicou acusações em que o ministro do Esporte, Orlando Silva, é acusado de receber verba irregular em esquema de corrupção envolvendo ONGs e projetos para incluir jovens na prática esportiva. A pasta do Esporte está entre os cinco órgãos do governo federal que mais repassam dinheiro a instituições privadas sem fins lucrativos, com quase R$ 82 milhões pagos até o meio de agosto de 2011.

domingo, 16 de outubro de 2011

Conheça o Soldado com poder de General acusa Ministro do Esporte, ameaça governador do DF, deputados e senadores



  



Por Mino Pedrosa
http://www.quidnovi.com.br


O soldado João Dias, envolvido em vários escândalos que estão abalando as estruturas do Governo do Distrito Federal, resolveu disparar sua metralhadora , virou um general quatro estrelas e derrubou o Ministro do Esportes Orlando Silva, que será substituído em poucos dias, provavelmente pelo cacique do PC do B, Aldo Rebelo.

Aldo Rebelo, Orlando Silva e as revelações do soldado João Dias
O soldado general está dando ” voz de prisão” a grandes patentes da política Federal e do DF. Após denuncia da Revista Eletrônica Quidnovi da existência de um aparelho repressor no coração da Capital Federal , na Península dos Ministros, as estruturas do poder  estão cada vez mais abaladas. O soldado João Dias era freqüentador assíduo da “casa da maldade” e durante sua estada no Lago Sul, bairro nobre de Brasília, engordou seu dossiê contra os poderosos aliados Agnelo Queiroz e Tadeu Filipelli, bem como o secretário de Governo número 1, Paulo Tadeu. Todo o staff do governador Agnelo está sob a mira do soldado.
Paulo Tadeu, Agnelo e Filipelli (abraço de afogado)
João Dias Ferreira é um dos protagonistas do volumoso processo que tramita na Justiça Federal que já tem pedido de prisão para o soldado apadrinhado por tubarões da política. Apesar da baixa patente, o soldado atua na Esplanada dos Ministérios como um general quatro estrelas e começa a mandar recados aos ex- “padrinhos”. Antes de cair nas mãos da Justiça, João Dias abre a boca no rotadecolisaoagnada.blogspot.com e denuncia ministros, o governador Agnelo, o vice Filipelli, deputados e senadores. O soldado promete derrubar as mais altas patentes do país, antes que seus superiores, na hierarquia militar lhe coloquem a mordaça. João Dias está com a prisão decretada, mas conta com habeas corpus para ainda fazer revelações bombásticas. O soldado, com extensa folha corrida, agora teme por sua vida. Sabe que uma das formas de se manter vivo é botando a boca no trombone.

O soldado, hoje foco principal dos holofotes da política no Planalto Central, transita no poder desde a gestão de Agnelo Queiroz como Ministro dos Esportes. João Dias, esportista, lutador de artes marciais, um campeão de Kung-Fu, de família humilde da cidade satélite de Sobradinho, deslumbrou-se com a vida palaciana.
Através de várias ONGs , movimentava muito dinheiro em operações para o então ministro dos Esportes Agnelo Queiroz, fazendo o caixa para a campanha do Governador do DF em 2010. Ali, como também revelou a Revista Quidnovi, começou o que a Justiça Federal batizou de Operação Kung-Fu, e posteriormente chamada de Operação Shaolin, recheada com assassinatos, desvio de verba pública, orgias sexuais envolvendo menores e muita corrupção.
O lutador de Kung Fu é praticamente o representante do governador do Distrito Federal Agnelo Queiroz, no quartel general da QL 12, conjunto 4, casa 2, na Península dos Ministros. De posse das arapongagens, João Dias nomeia , cria cargos, remaneja comandos no GDF e mesmo, sem o poder da caneta, faz com que o governador e o vice-Tadeu Filipelli, assinem embaixo de suas decisões.
Aparelho repressor monitorando autoridades: delegado Celso Ferro
Foi no episódio do “Sudoeste Caboclo”, revelado mais uma vez  pelo Quidnovi, que o soldado raso, com status de general ficou conhecido do público. Todas as lentes do Governo, da Justiça, e da população se viraram para o rapaz, morador da periferia do Plano Piloto, em mansão cinematográfica , adquirida com o dinheiro público, com carros importados na garagem.
A mansão do soldado
Agora, João Dias já percebeu as manobras do Poder. Sabe que corre risco de vida. E, como soldado, quer morrer na batalha, atirando. Todos os dias, tem revelado em seu blog bombas que espalham o terror na Esplanada dos Ministérios e na Praça do Buriti.
O primeiro alvo foi o ministro dos Esportes Orlando Silva, que chegou da viagem a Europa, onde se apresentou timidamente em todas as entrevistas.  Espremido de um lado pela FIFA, e visivelmente abandonado pela presidente Dilma Housseff, Orlando estava desconfortável toda vez que falava a imprensa e chegou em casa com péssimas notícias. João Dias derrubou o ministro dos Esportes fazendo uma bagunça no PC do B, denunciando militantes do Partido, entre eles Lene, assessora de Orlando Silva no ME, e o marido Julio Cesar, também do ministério, acusados de fazerem caixa para o partido e para o ministro.
Tudo isto não é novidade para a presidente Dilma Housseff que recebe diariamente relatórios da ABIN com informações sobre o processo da Operação Shaolin. Diante desta situação, Aldo Rabelo, procurado por Dilma, foi obrigado a abandonar Orlando e retomar as rédeas do Ministério dos Esportes, que é o único no Governo Dilma, nas mãos do PC do B. Aldo precisa manter o espaço de seu partido e nas próximas horas deve ser decidido quem ocupara a pasta vedete  internacional do Governo Dilma  pelo menos até 2016. Ao que tudo indica, será o próprio Aldo Rebelo que ficará à frente do Ministério, uma vez que seu ex-correligionário, Agnelo Queiroz, e Orlando Silva, tiveram desempenhos que, com certeza vão manchar a história do PC do B.
Enquanto isso, o Palácio do Buriti também estremece. O Ministério Público mais uma vez acompanha pa


sso a passo, dia a dia o governo Agnelo/Filipelli . O Plano Piloto vai passar por turbulências mais uma vez. A população, atenta, mostra que não assiste calada os desmandos do Governo.
Agnelo Queiroz vem de longo tempo sob a mira do Ministério Público e parece que desta vez , a apenas 10 meses no Governo, não conseguirá sair do mar de atoleiro de corrupção que se alastra há mais de 10 anos no DF. Agnelo está refém das ações do passado e das nomeações que fez em seu Governo. A saída é desqualificar o soldado João Dias. Mas o rapaz está muito bem municiado para a luta com o Poder.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Investigação revela rombo de R$ 15 milhões no Exército


Entre os 25 oficiais investigados está o general Enzo Peri, comandante da Força
Investigação iniciada pela Procuradoria-Geral da República em 15 de agosto já identificou um rombo nos cofres públicos que pode passar de R$ 15 milhões entre 2003 e 2009. O esquema, que envolve a cúpula do Exército, teria desviado valores por meio de licitações fraudadas, superfaturamentos e pagamentos duplicados. As informações são da "Carta Capital" deste fim de semana.                                                                                           Suspeito. General Enzo Peri (esq.) foi citado na representação que deu origem às investigações. foto:An^tônio Cruz/ABR.
Na representação que deu início aos trabalhos, o Ministério Público Militar solicitava investigação "em desfavor" do comandante do Exército, general Enzo Martins Peri. Segundo a revista, o escândalo pode ser "o mais ruidoso da Força em seus 363 anos de história". O inquérito, porém, estaria parado.

Além do comandante, são investigados 24 oficiais de várias patentes - incluindo sete generais e oito coronéis. Os valores foram calculados pelo Tribunal de Contas da União.
Mas o rombo, especula a publicação, pode ser ainda maior. Um dos envolvidos - o major Washington Luiz de Paula, acusado de montar a rede de empresas fantasmas - tem uma fortuna que surpreendeu os investigadores.
O militar, que tem renda bruta mensal de cerca de R$ 12 mil, teria um patrimônio de até R$ 10 milhões em imóveis, incluindo um apartamento estimado em R$ 880 mil, na avenida Atlântica, em Copacabana, bairro nobre do Rio.
Ele teria ainda duas casas na Barra da Tijuca, avaliadas em R$ 2,9 milhões cada. Em nome do sogro dele, que recebe aposentaria de R$ 650, estaria registrado um apartamento de R$ 2,8 milhões na mesma região. O inquérito revela ainda que o major movimentou mais de R$ 1 milhão em sua conta em apenas um ano.
Os generais têm foro privilegiado e só podem ser julgados pelo Superior Tribunal Militar (STM) - até hoje, só um general foi condenado, mas, depois, foi absolvido no Supremo Tribunal Federal (STF).
No início da investigação, o Centro de Comunicação do Exército divulgou nota afirmando que "não cabe à Força nem aos militares citados emitir qualquer posicionamento sobre o assunto".
OTEMPO/blog da Renata

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Ministro vive novo escândalo, e pode ser o quinto a ser demitido

O ministro do Turismo, Pedro Novais (PMDB-MA), entrou mais uma vez na linha de tiro e deve ter seus gastos como parlamentar investigados pela Procuradoria da República no Distrito Federal.
Nova polêmica. Ex-secretária de Novais na Câmara hoje trabalha com ele no ministério  - Ed Ferreira/AE-23/8/2011
Ed Ferreira/AE-23/8/2011
Nova polêmica. Ex-secretária de Novais na Câmara hoje trabalha com ele no ministério
Ex-secretária de Novais na Câmara dos Deputados, a goiana Doralice Bento Sousa trabalha, desde maio, como recepcionista da pasta. Contratada pela empresa Visão Administração e Construção, que tem um contrato de R$ 1,5 milhão anuais para fornecer mão de obra terceirizada ao Turismo, ela dá expediente no anexo do Ministério, que funciona em três andares do Shopping ID, em Brasília.
Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, em janeiro, quando Novais se licenciou do mandato para assumir o Ministério, Dora foi demitida da função de secretária parlamentar. Em nota da assessoria, o ministro afirmou que ela era lotada no seu gabinete de deputado até dezembro de 2010. Seu trabalho era dar "apoio administrativo ao deputado e aos outros funcionários", afirmou. Desde maio, acrescenta o texto, ela "é funcionária de empresa terceirizada que presta serviços ao Ministério do Turismo". O jornal também afirmou que Doralice, trabalhava como governanta na casa de Novais, sendo paga com o dinheiro da Câmara.
Improbidade. Ontem, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou que poderão ser investigadas as suspeitas e que o episódio, por se tratar de suposto caso de improbidade, não é protegido pelo foro privilegiado. "Eu vi apenas a notícia divulgada na imprensa, mas isso vai se somar a toda aquela série de procedimentos que já se encontram no Ministério Público", afirmou.
A ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, cobrou explicações. "A reação da presidente tem sido o mesmo: que preste esclarecimentos."
Desempregada e em dificuldades, Dora, ainda segundo a assessoria, distribuiu seu currículo em várias empresas terceirizadas e foi contratada pela Visão quando surgiu a oportunidade. O dono da empresa, José Raimundo Oliveira Silva, negou ter sofrido pressão para contratá-la.
"Não houve interferência direta ou indireta do ministro", garantiu. Especializada em selecionar mão de obra terceirizada, a Visão tem contrato com o Ministério do Turismo desde 2009, quando Novais não era ministro. Pelo contrato, obtido em licitação por pregão presencial, a empresa fornece mais de 40 empregados ao Ministério, entre recepcionistas, garçons e contínuos. O contrato é hoje o maior da empresa, que também fornece pessoal para a Procuradoria Regional da República, a Fundação Nacional da Saúde (Funasa) e a Fundação Nacional da Arte (Funarte).
A ficha funcional de Doralice mostra que ela cumpre jornada de seis horas corridas - das 7h30 às 13h30 - por um salário de R$ 956 mensais. O encarregado geral da empresa, Jean Pierre Vieira Mendes, assegura que ela é funcionária exemplar e até agora não faltou um dia ao serviço. Ontem, porém, ela pediu dispensa alegando ter ficado abalada com a denúncia. Ela negou que tenha recebido dinheiro público para trabalhar como doméstica do deputado.
PARA LEMBRAR
Dias antes da posse como ministro, o Estado revelou que Pedro Novais, então deputado federal, indicado pela presidente para o Turismo, pediu ressarcimento de R$ 2.156 à Câmara por despesas em um motel de São Luís (MA). Novais incluiu a nota fiscal na prestação de contas da verba indenizatória. No mês passado, o ministro teve seu nome envolvido em nova polêmica. O secretário executivo do ministério, Frederico Costa, foi preso durante a Operação Voucher, da PF, suspeito de liberação irregular de verbas públicas para a ONG Ibrasi. Costa pediu demissão. 
Vannildo Mendes / BRASÍLIA - O Estado de S.Paulo
Nota do blog: Vocês lembram daquele velhinho simpático, que foi flagrado pagando motel com verba de gabinete? Então, na verdade ele devia estar "estagiando", pois, logo em seguida foi nomeado Ministro do Turismo. Pois é o mesmo...novamente denunciado. 

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Dilma acusa Lula de desviar mais de R$ 70 bilhões da CPMF

De 2003 a 2007, nos 5 anos em que o Lula administrou a CPMF, o tributo arrecadou mais de R$ 70 bilhões. Ontem Dilma Rousseff declarou:

Por que o povo brasileiro tem essa bronca da CPMF? Porque o dinheiro não foi para a Saúde, foi para fazer outras coisas, disseram que era para a Saúde e não foi. Não sou a favor daquela CPMF por conta que ela foi desviada.

Uma coisa é certa: se Lula não tivesse desviado o dinheiro da CPMF para pagar a sua reeleição e a eleição da Dilma, entre outras coisas, a Saúde no Brasil seria muito melhor. Afinal de contas, R$ 70 bilhões pagam 300 milhões de cirurgias de apêndice e 400 milhões de cirurgias de hérnia, além de pagarem a construção de 17.500 UPAs. Se o dinheiro tivesse sido aplicado e não desviado pelos governos petistas, milhares de brasileiros e brasileiras não teriam morrido nas filas do SUS por falta de atendimento.

blog Coturno Noturno

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Como a China trata ladrão de dinheiro público

Li Hua, ex-presidente da China Mobile (Empresa estatal de telecomunicações) na região de Sichuan, região sudoeste da China, foi condenado à morte – a pena pode ser comutada por cadeia perpétua – pelo Tribunal Popular da cidade de Panzhihua, informou a agência Xinhua nesta quarta-feira. Esta sentença, que habitualmente é trocada por cadeia perpétua se o acusado tiver bom comportamento nos dois anos seguintes, condena Li por aceitar subornos no valor de 16,48 milhões de iuanes (US$ 2,58 milhões) e tráfico de influência. O fato de o acusado ter se entregado e devolvido o dinheiro procedente dos subornos não serviu como atenuante.

Esta condenação se soma às do ex-subdiretor-geral da companhia, Zhang Chunjiang, e do também diretor Shi Wanzhong, condenados nos mesmos termos este ano (AFP).

Ivan Santos

Jornalista
CorreiodeUberlandia.com.br