Seguidores

Mostrando postagens com marcador eleições 2014. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador eleições 2014. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

O Brasil está de luto, não há o que comemorar


           Ao contrário do que a maioria comemora, entendo que o Brasil vive um dia de luto com a vitória da ex-terrorista de Dilma Rousseff. Infelizmente o nível de informação e discernimento não chegou a patamares suficientes para gerar a tão sonhada alternância de poder. Muitos, especialmente alguns estados beneficiados com o Bolsa Família, ainda pensam e agem de acordo com os interesses imediatos.

          Mesmo depois de vários escândalos de corrupção, de condenações de ministros e políticos ligados ao partido dos trabalhadores (chega a ser piada esse nome...), vimos que o povo votou na releição demonstrando que a corrupção além de cultural, é por isso mesmo, algo totalmente "normal" e que deve ser aceito por todos, em troca de penduricalhos e mimos eleitoreiros. O PT não tinha, não tem e não terá um plano de governo, um projeto de nação. Aliás, sequer apresentou um programa de governo no período eleitoral, talvez apostando justamente na ignorância política da maioria do seu eleitorado.

             O Brasil vai continuar vivendo em cima do acaso, do improviso e da bagunça generalizada, que logicamente é o terreno fértil para os corruptos, para os puxa-sacos e obviamente serve como cabide de emprego para os incompetentes. Todos querem mamar nas tetas do Estado. Lembrando o ministro do trabalho Carlos Lupi, que recebia salário sem nunca comparecer ao trabalho, e que por isso foi demitido por Dilma, depois de ser denunciado pela imprensa.

          O PT apesar de ter a maioria há 12 anos no Congresso, infelizmente faz exatamente aquilo que acusa os seus opositores de fazerem. Ou seja, o PT e seus aliados, servem as elites, sejam elas da corrupção, do atraso, que não têm interesse nenhum nas reformas que os brasileiros que votaram em Aécio almejam. É sabido que muitos dos que apoiaram Dilma no presente e Lula no passado, como Sarney, Collor, Renan Calheiros, Maluf, respondem a vários processos criminais por corrupção. Como esses apoiadores apoiarão as mudanças? Seria o mesmo que acreditar que as lombrigas apoiariam o paciente a tomar vermífugo. 

           Objetivamente os dias não serão bons e muito menos de esperança como comemoram os "vencedores". Num país eminentemente agrícola, a seca elevará o preço dos alimentos, aliado ao aumento da gasolina, da energia elétrica, também por falta de alternativas na captação de energias. Todos esses fatores somados com certeza trarão de volta a inflação, que diante de um governo corrupto e completamente desorganizado, sem metas, sem planejamento, sem pesquisa e com mais da metade das obras do PAC - Programa de Aceleração do Crescimento, paradas, seja por incompetência, seja por denuncia de superfaturamento, a visão do futuro podemos ver no passado, quando na época do governo Sarney, além da inflação, até falta de alimentos vimos nas gôndolas dos supermercados.

               Diante desse quadro real e consequente, desejamos que a oposição ressuscite, e vá às ruas, cobre do governo medidas emergenciais e de planejamento a médio e longo prazo, ou continuaremos eternamente sendo o país do futuro.

                 O mais ridículo dessa presidente é passar a campanha inteira jogando regiões umas contra as outras, apostar na visão míope de pobres contra os ricos, héteros versus homossexuais, como no caso da Luciana Genro do PSOL, que a todo momento tentou criar um clima de animosidade e agora que ganharam as eleições vem como o discurso de união. A única possibilidade de unificar o país será o governo tomar medidas drásticas já agora nos dois primeiros meses pós reeleição para que comecem a surtir efeito já no início de 2015. Do contrário serão mais quatro anos de mentiras, corrupção, promessas, bolsas, e gente mamando gostoso enquanto a maioria vai continuar morrendo nas filas de hospitais...ou pela violência...O Brasil está de luto!

sábado, 4 de outubro de 2014

O Brasil está ficando vermelho...

           O Brasil está ficando vermelho. Para os que são contra o status quo, estamos vermelhos de raiva, vergonha, medo. Vermelho no sangue derramado nos mais de 50 mil homicídios por ano. Vermelho de impotência ao ver tanta corrupção e não se poder fazer nada, absolutamente nada. Vermelho de ouvir dizer que vivemos numa democracia, onde pressupõe a liberdade de expressão, mas, quando tentamos exercê-la lá vem as "patrulhas ideológicas", como aquelas do clássico livro e filme 1984. O pior é que eles usam o mesmo conceito falacioso do "Big Brother", ou seja, de que fazem o "bem" para o povo, e que por isso são uma espécie; uma não, a única salvação, "o grande irmão".

             Para os que defendem essa água barrenta, aquela mesma das enchentes, ou vivem reféns das propagandas milionárias, ou recebem os benefícios e temem pela extinção destes, ou pior ainda, se locupletam com os "rios vermelhos da corrupção", ou as vezes nem tanto; já que todos os regimes precisam dos idiotas úteis que irão receber para defender a "cor do rio".

            Ainda pensamos de maneira maniqueísta, como pensava Gabriel Garcia Marques, os vermelhos e os azuis, numa guerra sem fim pelo poder. Hoje, todos somos vermelhos, por opção ou revolta de ver a esperança ser a máscara do medo de um povo que não acredita no governo que não faz para pagar suas dívidas, que não faz para deputar seus quadros, que incha a administração pública com quase 40 ministérios, que não produzem nenhum trabalho relevante. É isso que nos deixa vermelhos...

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Candidatos Militares que merecem ser eleitos

Rio de Janeiro p/ Vice Governador Major Márcio Garcia 

Paraíba p/ Governador

Minas Gerais p/ Deputado Estadual

Minas Gerais p/ Deputado Estadual

Minas Gerais p/ Deputado Federal

Minas Gerais p/ Deputado Federal

Minas Gerais p/ Deputado Federal

Espírito Santo p/ Deputado Federal

São Paulo p/ Deputado Estadual

São Paulo p/ Deputado Federal

 Rio de Janeiro p/ Deputado Federal

 Rio de Janeiro p/ Deputado Federal

 Distrito Federal p/ Deputado Distrital


Candidato Garotinho do Rio assina Carta Compromisso de pagar a PEC 300


quinta-feira, 14 de agosto de 2014

E agora Marina, vai assumir?



E agora Marina? Qual será a sua postura diante do acaso, do destino, das estrelas? Será que Marina será capaz de influenciar e buscar parte dos votos nulos e brancos, e beliscar votos de Aécio e Dilma? Será que ainda há tempo de Marina crescer nas pesquisas e buscar um segundo turno? 


   Pela experiência arriscaria Marina Silva encabeçando a chapa, tendo como candidato a vice presidente o deputado federal  Roberto Freire do PPS; que aliás, já foi inclusive candidato a presidência da república na campanha de 1989. 

Qualquer outra opção que não seja essa seria inocência política, ao desperdiçar o capital políticos de ambos os possíveis nomes acima.

  Sinceramente, seria muito interessante que o quadro tivesse uma reviravolta, ainda que fosse apenas nas pesquisas, já que politicamente mudaria muito pouco, esse novo "frescor" eleitoral com as eventuais candidaturas de Marina Silva e Roberto Freire. Vamos aguardar... 

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Motivos para segurança pública não votar na candidata do "país do futuro"

   Não existe candidato perfeito. Até porque sabemos que a perfeição não é humana, e por conseguinte não teremos candidatos perfeitos. Mas, se imaginarmos que nada pode durar eternamente, seja bom ou ruim, e aqui falamos de um governo que passou a sua existência inteira criticando os outros partidos até o dia em que chegou ao poder, fez e faz aquilo tudo que criticava nos outros e continua arrotando com pose de paladino da honestidade, mesmo com as sucessivas denuncias de corrupção em seu governo. Imaginem um partido que se dizia de esquerda, "puro" nas suas concepções e práticas eleitorais, que acusou Sarney, Color, ACM, Paulo Maluf, de serem corruptos e qual não foi a surpresa para que todos esses apoiem o governo "honesto" do PT. Qual a legitimidade que qualquer governo teria, qual a autonomia para fazer as mudanças quando nas entranhas do poder, estão as amarras do atraso, da mentira e corrupção?!

   Se falarmos especificamente da Segurança Pública aí o desastre é maior ainda. A falta das reformas aparecem como um câncer em crescente desenvolvimento; quando vemos o Código Penal vigente, desde 1940, o Código de Processo Penal com excesso de recursos, o que gera a sensação de impunidade, a falta de uma política nacional de segurança, de um fundo nacional de segurança, de um piso nacional para os trabalhadores da segurança. Infelizmente o Brasil é o país do jeitinho e do acaso, onde as coisas acontecem porque foi tema de novela, ou passou na propaganda.

    Deixar o Partido dos Trabalhadores se enraizar no poder, seria o mesmo que deixar as raposas dentro do galinheiro, mesmo sabendo que as galinhas somem a cada dia. Falta saúde, falta segurança, falta vergonha na cara do povo brasileiro que tem que mostrar o lado em que está.

      A opção de votar no senador Aécio Neves não é porque ele é um espetáculo de candidato, tem aliás, mutas ressalvas; contudo manter o projeto de poder da ex-guerrilheira Dilma Rousseff e seus asseclas, significa perpetuar o atraso, a mentira, impunidade e a concepção eterna de que o Brasil "é o país do futuro", quando queremos um país do presente. O discurso do PT é tão cara de pau, que fala sem no menor constrangimento que as mudanças só virão daqui há 30, 40 anos...um conto de fadas na verdade. Se Aécio não fizer "nada", já terá feito muito ao renovar a esperança de um povo sofrido, humilhado e tão judiado nesses últimos anos. E quem sabe as tais reformas na previdência, política, justiça, segurança, educação. Se metade, ao menos duas dessas reformas acontecerem, paralelo ao projeto de bolsa - família, por exemplo, quem sabe não começaremos a ver o país do futuro no presente? Nesse momento votar nulo ou em branco não irá mudar o quadro, e sim, aceitar as coisas como estão: estagnadas, a volta da inflação, crescimento pífio, obras superfaturadas e fraturadas, desabamentos, e escândalos, desvios, promessas...

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Candidato Bombeiro Militar a Vice-Governador do Rio, lidera as pesquisas

Prezados leitores, o Jornal Extra publicou uma reportagem citando declaração do candidato ao cargo de vice-governador, Major BM Marcio Garcia, que provocou vibração nos Bombeiros Militares, eles que foram oprimidos pelo governo Cabral-Pezão e pelo comando geral...

A luta dos Bombeiros Militares por melhores salários e por adequadas condições de trabalho, iniciada em 2007, foi reprimida duramente pelo governo Cabral-Pezão através do Comando do Corpo de Bombeiros, inclusive com a prática de ilegalidades.
Como esquecer as transferências?
Como esquecer as exclusões rápidas?
Como esquecer o sofrimento das famílias, as dificuldades enfrentadas com a falta de salários?
Como esquecer a prisão de 439 Bombeiros?
Como esquecer a prisão ilegal de Bombeiros e Policiais Militares na penitenciaria Bangu 1?
Como aceitar heróis jogados em solitárias construídas para abrigar os piores criminosos do Rio de Janeiro.
Apesar de tudo isso, os Bombeiros não querem vingança, os Bombeiros querem justiça?

Não se preocupem... 

Marcio Garcia defenderá os interesses do funcionalismo, isso é certo
A seguir a notícia:

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Governador de Minas: “Nós precisamos avançar na segurança”



Transmitido ao vivo em 10/02/2014
No centro do Roda Viva desta segunda-feira, o governador do Estado de Minas Gerais, Antônio Anastasia, vai falar sobre as mudanças no cenário político nacional.

TV CULTURA/programa RODA VIVA

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Aécio Neves desconversou a vida inteira, agora nos chama para "conversar"



Comento: Ele passou oito anos enrolando os professores, amordaçando a imprensa, gastando milhões com campanhas publicitárias para vender aquilo que nunca foi feito. Ou seja, Aécio Neves passou oito anos desconversando com Minas Gerais, estado que diz amar tanto, tanto, tanto e mora no Rio de Janeiro, e agora ataca com esse mote hilário, onde ele chama o povo a conversar; coisa que ele se negou a vida inteira.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

"É um crime privatizar a PETROBRAS e o Pré-Sal", dizia Dilma...



Leia no G1, Campo de Lira do Pré Sal, foi leiloado.


Quem não tem caráter? Quem é mentiroso? Quem é demagogo? Quem acredita nessa mulher? Quem é reacionário? É um crime privatizar a PETROBRAS, é um crime votar nessa senhora...e ainda tem alguns românticos, ingênuos...que acreditam e enxergam a política de maneira maniqueísta de direita e esquerda; que representam apenas os lados dos bolsos dos políticos brasileiros...

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Porque a PEC 300 não é aprovada...

Antes de mais nada, como mostra o gráfico abaixo, nos falta representação política. Sequer foram mencionados os raríssimos deputados ligados à Segurança Pública. Enquanto não tivermos representantes...seremos preteridos, esquecidos. Tem um ditado que diz: "Quem não é visto, não é lembrado"...



Poder econômico investe no Congresso e pode encolher bancada de trabalhadores

Diap alerta sobre movimentação de empresários, ruralistas, evangélicos e celebridades para ocupar cadeiras no Parlamento; e para o risco de bancada dos trabalhadores encolher


Brasília – Os próximos 12 meses são de observação e cautela por parte dos representantes dos trabalhadores no Legislativo.

Será necessearia uma forte articulação entre partidos e entidades diversas (como os sindicatos), com apoios aos parlamentares que representam os trabalhadores, para que o tamanho dessa bancada não fique cada vez menor na Câmara dos Deputados e no Senado.

As bancadas dos evangélicos e do empresariado se preparam para voltar renovadas e em número bem maior no pleito de 2014.

A partir de avaliações preliminares de um estudo que ainda está sendo elaborado, o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) estima que a Câmara nas próximas pode passara por uma renovação só vista anteriormente em 1990, da ordem de 61% dos seus componentes.

No caso do Senado, a renovação também acontecerá, mas não de forma tão expressiva – uma vez que é levado em conta o mandato de oito anos dos senadores.

Esse percentual de mudança da Câmara na próxima legislatura seria decorrente de vários fatores. Um deles é o fato de costumar ser de, em média, três a quatro legislaturas o período de mandatos consecutivos dos parlamentares – e muitos já estão concluindo este período.

Em segundo lugar, porque muitos dos deputados e senadores da atual legislatura que são mais empenhados em defender os trabalhadores foram justamente os que tiveram dificuldades de obter votos suficientes nas últimas eleições, ficando em suplências e assumindo suas vagas depois do afastamento de algum outro parlamentar.

Há, ainda, os deputados que tendem a realizar uma campanha difícil em 2014 e podem não mais voltar – uma vez que não obtiveram boa quantidade de votos nas últimas eleições.

Reforma política

Na avaliação do líder do PT no Senado, Wellington Dias (PI), o diagnóstico do Diap “só realça o quanto é importante uma reforma política e eleitoral no país”.

“Tivemos, nos últimos anos, uma tentativa de fazê-la, mas é difícil a população entender a diferença de uma reforma política, inclusive para que possam ser feitas as outras reformas. Temos um modelo que permite a compra de mandatos, especialmente para o legislativo”, critica o ex-governador do Piauí, com origem no movimento sindical bancário.

“Por conta disso não se valorizam os programas de cada legenda. Esse modelo é autofágico, do ponto de vista dos partidos. Um candidato do mesmo partido cria uma disputa violenta com o seu correligionário e precisa enfrentar, ainda por cima, a distorção do financiamento de empresas que escolhem os parlamentares que vão ajudar a eleger.” Continue lendo no site: viomundo.com.br

sábado, 5 de outubro de 2013

Quase 60 parlamentares trocaram de partido; veja a lista

Clique e confira no Congresso em Foco, as dezenas de parlamentares que trocaram de partido

Marina se filia ao PSB e sairá candidata a vice presidente do Brasil




A ex-senadora Marina Silva decidiu se filiar ao PSB e sair como candidata a vice na chapa do governador Eduardo Campos (PE). A decisão foi tomada após conversas iniciadas na noite de ontem e concluídas na manhã deste sábado (5).

Até então, Marina era, assim como Campos, virtual candidata à Presidência da República nas eleições de 2014.

Segundo a Folha apurou, Marina está discutindo com aliados a melhor maneira de explicar publicamente as razões pelas quais seria vice na chapa. Em 2010, ela concorreu à Presidência e foi o "fator surpresa" ao conseguir 19,6 milhões de votos e ficar em terceiro lugar.

Para ampliar a força do grupo contra a polarização PT-PSDB, o PPS está sendo chamado a integrar a coalizão. O partido foi uma das legendas que ofereceu abrigo a Marina após o veto da Justiça Eleitoral ao partido que ela tentou organizar, a Rede Sustentabilidade.
A união tem o objetivo de formar uma consistente terceira via na corrida ao Planalto, em contraposição à candidatura à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) e à postulação do oposicionista Aécio Neves (PSDB).

FÁBIO ZAMBELI
EDITOR-ADJUNTO DE PODER
NATUZA NERY
RANIER BRAGON
DE BRASÍLIA