Seguidores

Mostrando postagens com marcador estado de greve. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador estado de greve. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Policiais Federais paralisam atividades por 48 horas e fazem protesto em Belo Horizonte


Mula simboliza, no ato, pequenos traficantes presos pela PF (Sinpef-MG/Divulgação)

Agentes, escrivães e papiloscopistas da Polícia Federal (PF) em Minas Gerais paralisaram as atividades nesta terça-feira e permanecerão de braços cruzados também na quarta (26). Nesta manhã (25), os trabalhadores realizaram um protesto em frente ao prédio da superintendência da categoria, no Bairro Gutierrez, Região Oeste de Belo Horizonte. 

A mobilização é realizada pelos policiais federais em todo o país. Os servidores reivindicam reestruturação da carreira e reajuste salarial, o que não ocorre há sete anos. 

De acordo com o Sindicato dos Policiais Federais do Estado de Minas Gerais (Sinpef-MG), o atendimento para serviços essenciais, como emissão de passaportes, estão mantidos. Investigações e procedimentos administrativos estarão suspensos durante a paralisação.
Os servidores da PF estão em estado de greve desde o dia 5 de fevereiro.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

BRASIL ESTÁ PRÓXIMO DE UMA GREVE GERAL?

   Policiais Federais, Rodoviários Federais, Professores e Técnicos Administrativos Federais, Justiça e vários outros setores estão parando gradativamente, e o paradoxo é que este governo teve o seu alicerce nas greves, no embate constante com os governos desde a época da ditadura, já nos idos de 1978. Agora no poder, pode provar um pouco do seu "veneno", e o pior, se mostra mais radical em alguns casos, do que muitos governos tidos como de direita ou com "posição geográfica" diferente que a do PT, o partido dos trabalhadores. Eita saudade quando esta sigla, de fato representava o sindicalismo e os trabalhadores sem qualquer tipo de organização similar.

   Hoje vivemos um grande momento, de sofrimento é claro, mas, por outro lado muitos daqueles que defendiam cegamente as diretrizes do PT, com certeza nas próximas eleições terão uma posição mais isenta, mais sensata, portanto, menos apaixonada.

   Parabéns as categorias que resistem à altura da arrogância do governo, como os professores federais, que há quase três meses medem força com a ditadora DILMA ROUSSEFF. Feliz destas categorias, que ainda não tiveram seus celulares ilegalmente grampeados, como os policiais e bombeiros do Rio e da Bahia, numa das maiores mentiras que essa república já viu, onde muitos se lembram, jogaram a população desinformada contra a categoria, tudo pela transmissão da festa alienante: o carnaval.

     Deus ilumine os "guerreiros" federais em greve, que poderão trazer por tabela, o aumento para às Forças Armadas, refém do regulamento, da Carta Magna, que proíbe veementemente qualquer tipo de manifestação, que por conta do revanchismo do governo, ao longo dos anos, vive uma das maiores defasagens salariais de sua história.

      Aqueles que um dia preconizavam a greve, e o povo acreditando que isso seria por um ideal, outros acusando-os de "radicais", hoje pode ver que os líderes grevistas de outrora se corromperam, e por ter muito dinheiro fácil, obviamente não precisa fazer mais greves, já estão, conseguiram chegar no poder. Enquanto aqueles que eram conservadores, agora sentem os efeitos nefastos, não só pela corrupção escancarada, como o quando são radicais, aqueles que um dia foram grevistas.

     O que está faltando para uma greve geral?

      Anastácio - Blog No Q.A.P

terça-feira, 24 de julho de 2012

Greve dos caminhoneiros dia 25 de Julho

Um movimento nacional dos caminhoneiros, onde a categoria fará uma paralisação no dia 25 deste mês. Vários motoristas de todo país estão se manifestando em apoio à categoria, que, juntamente a paralisação nacional, objetiva chamar a atenção para os baixos custos do frete, cartão frete, altos valores dos pedágios e a carga tributária. Além disso, a categoria também quer chamar a atenção para a nova lei que regulamenta a profissão de motorista.


Problemas reclamados

De acordo com o Movimento União Brasil Caminhoneiro (MUBC) o valor do frete na maioria dos casos não cobre nem os custos de manutenção dos veículos. Esse baixo valor do frete é referente a uma alteração na legislação, feita pela Agência Nacional de Transportes Terrestres ANTT, que ocasionou diminuição nos valores a serem estabelecidos pelos contratantes e, para não perder o frete, faz com que motoristas aceitem os baixos valores oferecidos.

Outro ponto reclamado pela paralisação é a questão do “cartão frete”, que, a partir da resolução 3.658 da ANTT, estabelece que cooperados ou agregados de cooperativas somente poderão prestar serviços exclusivos para as cooperativas que estiverem vinculados. Impossibilitando a venda de fretes, comprometendo as atividades dos profissionais autônomos da área.

Referente às cargas horárias, horários de trabalho e quilometragens máximas existe o problema de não haver postos preparados para receber esses profissionais, nos momentos que a lei obriga que eles fiquem parados.

O MUBC pede que todos os motoristas parem suas atividades no dia 24, que é dia de São Cristóvão padroeiro dos motoristas. Independente de onde estiverem os envolvidos na paralisação, todos devem ficar parados até a solução das questões.

Exigências

São oito as exigências que, de acordo com o MUBC, devem ser providenciadas de imediato:
- Revogação da Resolução nº 3056/09 de 13 de março de 2009 e suas alterações;
- Revogação da Nota Técnica nº02 de 05 de março de 2011;
- Revogação da Resolução nº 358/11;
- Cancelamento de todos os RNTRC realizados;
- Revisão de todos os Postos Credenciados para continuar operando o RNTRC;
- Criação de serviço de conferencia e fiscalização permanente dos RNTRC realizados;
- Elaboração de novas regras e normas, rigorosamente e acordo com as legislações pertinentes, em substituição às Resoluções nº 3056/09 e 3658/11;
- Prorrogação da vigência da Lei nº12619 por 365 dias.


Por Ilân Gavin/Blog do Caminhoneiro

terça-feira, 17 de julho de 2012

Policiais civis de Pernambuco declaram estado de greve. E aí Minas?

ebe508e6d4039254ef1134ac19fa7c82.jpg

A categoria reinvindica melhorias de condição de trabalho, pagamento de adicional noturno, vale refeição e reajuste salarial
Foto: JC Imagem

Mais uma categoria profissional declara estado de greve no Estado: os policiais civis fizeram o anúncio na tarde desta terça-feira (17), em assembleia realizada na sede do Sinpol, que fica no bairro de Santo Amaro, no Centro do Recife. Cerca de 500 policiais civis que compareceram ao local se manifestaram a favor da paralisação. A partir da 0h da segunda-feira (23), os policiais entram em greve por tempo indeterminado.

A categoria reivindica melhorias de condição de trabalho, pagamento de adicional noturno, vale refeição e reajuste salarial, entre outras melhorias. Cerca de 6 mil policiais atuam no Estado.