Seguidores

Mostrando postagens com marcador estatistica policial morto. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador estatistica policial morto. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Brasil tem um policial morto a cada 32 horas (no país da Copa...)


Um policial é assassinado a cada 32 horas no país, revela levantamento feito pela Folha nas secretarias estaduais de Segurança Pública.


De acordo com esses dados oficiais, ao menos 229 policiais civis e militares foram mortos neste ano no Brasil, sendo que a maioria deles, 183 (79%), estava de folga.

O número pode ser ainda maior, uma vez que Rio de Janeiro e Distrito Federal não discriminam as causas das mortes de policiais fora do horário de expediente. O Maranhão não enviou dados.

São Paulo acumula quase a metade das ocorrências, com 98 policiais mortos, sendo 88 PMs. E só 5 deles estavam trabalhando. O Estado concentra 31% do efetivo de policiais civis e militares do país, mas responde por 43% das mortes desses profissionais em 2012.
Pará e Bahia aparecem empatados em segundo, cada um com 16 policiais mortos.
Para Camila Dias, do Núcleo de Estudos da Violência da USP, o número é elevado. "Apenas para comparação, no ano de 2010 foram assassinados 56 policiais nos EUA."

Segundo ela, a função desempenhada pelos policiais está relacionada ao alto número de mortes, mas em São Paulo há uma ação orquestrada de grupos criminosos, que leva ao confronto direto com a Polícia Militar.

Os PMs foram as principais vítimas, no Brasil e em São Paulo: 201, ante 28 civis. CONTINUAM LENDO NA FOLHA.UO..COM.BR


Estatística de Policiais Mortos e Baleados em 2012

Chegamos ao final do mês de outubro e o ano de 2012 contabiliza 118 policiais baleados no Estado do Rio de Janeiro. Destes, 9 eram policiais civis, 107 eram PMs, 1 era PFem e 1 era agente da Polícia Federal – sendo que 9 eram reformados, 1 era aspirante a oficial, 1 era oficial, 42 deles estavam de serviço e 60 morreram. (Só no RIO...em São Paulo já são 84 policiais mortos, principalmente no horário de folga).

4 de Janeiro: 2 PCs baleados
Lotados, respectivamente, no Posto Regional de Polícia Técnico-Científica (PRPTC) de Angra dos Reis e no Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) de Campo Grande, os inspetores Paulo Sérgio Martins Castelo Branco, 34 anos, e Thiago Pedro da Silva, 30, foram baleados por traficantes da facção criminosa Comando Vermelho (CV) que controlam a venda de drogas no Morro do Chapadão, em Costa Barros, na Zona Norte do Rio. Os dois policiais, que não haviam dado saída no rádio e nem estavam em missão oficial, ocupavam um Renault Logan descaracterizado quando foram surpreendidos pelos criminosos, na Rua Projetada A, onde ficaram encurralados por cerca de três horas. Após intenso tiroteio, os inspetores foram resgatados por policiais militares. Enquanto Paulo Sérgio foi atingido de raspão nas costas, Thiago – conhecido como Thiagão – foi baleado com um tiro de fuzil no braço esquerdo. Os dois foram encaminhados para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, também na Zona Norte do Rio, onde o segundo – que tem uma filha recém-nascida – permanece em cirurgia. Ele corre risco de morte.

12 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 12º BPM (Niterói), um policial que não teve a patente e nem o nome divulgados foi baleado na mão durante confronto com criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas no Morro do Viradouro, em Santa Rosa, na Zona Sul de Niterói. O trânsito na Rua Mário Viana e na Estrada da Garganta – que ligam a Zona Sul à Região de Pendotiba – chegou a ser interditado durante o tiroteio. Viaturas também foram atingidas.

12 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no Centro de Manutenção de Material (CMM), o cabo Francisco José dos Santos Poiava, 33 anos, morreu ao reagir a um assalto no Centro de Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. O PM possuía uma barraquinha de cachorro quente, na Estrada do Mendanha, próximo ao West Shopping, onde foi surpreendido por um homem armado. O criminoso efetuou vários disparos contra o PM e dois tiros atingiram a cabeça do cabo, que ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Rocha Faria, no mesmo bairro, mas não resistiu. O bandido fugiu levando a arma do PM.

13 de Janeiro: 1 PM baleado
Um policial militar reformado, que não teve o nome e nem a patente divulgados, foi baleado ao reagir a um assalto, no bairro da Piedade, na Zona Norte do Rio. O PM passava pela Rua Goiás em seu Vectra quando foi rendido por dois homens. Quando a dupla anunciou o assalto, o PM sacou a arma, mas foi baleado pelos bandidos, que fugiram em seu veículo.

19 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado na Banda Música do 12º BPM (Niterói), o terceiro sargento Elir de Freitas da Silva, 45 anos, foi assassinado com seis tiros de pistola pelas costas quando passava de moto na Rua Nova de Azevedo, no bairro de Neves, em São Gonçalo. A carteira dele estava ao lado do corpo. A Polícia investiga se ele foi morto ao ter a identidade descoberta ou ao reagir a uma tentativa de assalto. CONTINUE LENDO NO BLOG PAUTA DO DIA