Seguidores

Mostrando postagens com marcador feira de armas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador feira de armas. Mostrar todas as postagens

sábado, 13 de abril de 2013

Ladrões tentam furtar armas na Feira de Defesa e Segurança, no Rio (mais uma vergonha internacional)


 “A eliminação da guerra é o nosso principal problema.” Hans Kelsen, jurista e filósofo austríacoRIO - O último dia da maior feira de armas do mundo, a Feira Internacional de Defesa e Segurança, que aconteceu do dia 9 até esta sexta-feira no Riocentro, foi marcado por um episódio inusitado, que causou mal estar. Dois homens ignoraram a presença de centenas de agentes de segurança de diferentes forças do Brasil e de 61 países, de 14 ministros de Defesa e de um aparato civil de segurança e tentaram furtar duas armas do estande dos Estados Unidos. Aproveitando uma aglomeração diante do estande, eles furtaram um fuzil calibre 556 (do tipo do M-16) e uma submetralhadora e já estavam a caminho da saída quando foram surpreendidos por agentes da Força Nacional.

Segundo uma fonte que presenciou toda a ação, os ladrões só foram descobertos graças a um segurança civil que deixou seu posto para buscar um copo d'água e percebeu um dos homens escondendo a submetralhadora numa sacola. Imediatamente, ele avisou a um grupo de policiais federais que conversavam próximos ao estande americano. O grupo passou a seguir a dupla e fez sinal para agentes da Força Nacional que estavam à frente dos ladrões. Eles foram abordados, presos e levados para a sala de segurança do evento.

O clima de constrangimento tomou conta de quem presenciou a prisão. Funcionários do estande dos Estados Unidos trataram de recolher as armas expostas e guardá-las. Os agentes envolvidos na ação impediram que fotógrafos amadores ou profissionais registrassem o momento da prisão e que fotografassem as armas. A dupla, segundo a fonte, permaneceu na sala de segurança até o fim da feira, às 17h. Depois, os dois, possivelmente, foram levados para a sede Polícia Federal, de acordo com a fonte, que não quis se identificar.

— Cruzei com os ladrões logo na chegada à feira, por volta das 10h. Depois, encontrei-os no Pavilhão 2. Eu estava perto do estande dos Estados Unidos, mas não vi absolutamente nada. Eles aproveitaram a aglomeração e agiram. O problema foi que as armas no estande americano não estavam presos a um cabo de aço, como as dos demais estandes. Elas estavam soltas. As pessoas pensam que ninguém teria a ideia de roubar num lugar cheio de policais e de expositores. Foram 63 delegações de 61 países, e 663 expositores de 40 países — comentou a testemunha.

Globo