Seguidores

Mostrando postagens com marcador guarda portuária. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador guarda portuária. Mostrar todas as postagens

domingo, 17 de junho de 2012

Auditores da Receita cruzam os braços nesta segunda



Os auditores da Receita Federal do Brasil cruzam os braços por tempo indeterminado a partir desta segunda-feira (18), em todo o País. No Porto de Santos, litoral paulista, a determinação é não movimentar processos e nem liberar cargas e créditos tributários. A informação é do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita (Sindifisco).

“Nós, auditores fiscais da Receita Federal do Brasil, estamos conscientes de que a greve é necessária. Se tivermos que arrastar a paralisação por meses, isso vai acontecer”,  avisou, por meio de nota, o presidente do Sindifisco Nacional, Pedro Delarue.

Em Santos, a estimativa é de que 1,3 mil contêineres fiquem represados por dia, com a paralisação das atividades dos cerca de 230 profissionais que atuam na Alfândega e na Delegacia da Receita Federal.


A mobilização foi aprovada em assembleia nos dias 12 e 13 deste mês. E seguirá o mesmo padrão das paralisações feitas anteriormente para advertir o Governo Federal, quando foram liberados apenas produtos considerados emergenciais como perecíveis, medicamentos e consumo de bordo.

A categoria avisa que só volta ao trabalho após o Governo apresentar uma proposta concreta de reajuste salarial. A última negociação ocorreu em 2008 e nada foi negociado até agora. “Quando o Governo apresentar uma sinalização real, com números, as conversações serão retomadas”, explica o Sindifisco. Eles pedem ainda melhores condições de trabalho.

O presidente do Sindifisco, Pedro Delarue deve ir a Santos na quarta-feira (20) para fazer uma avaliação do movimento durante uma assembleia da categoria.

Campanha conjuntaA mobilização deve ser reforçada por mais servidores públicos que estão em campanha salarial como auditores do Trabalho,  Advogados da União, Delegados da Polícia Federal e funcionários do Banco Central, de acordo com o sindicato.

Eles marcaram uma manifestação para o dia 28, em frente ao Ministério do Planejamento, para cobrar uma posição do Governo.

Fonte: Portogente