Seguidores

Mostrando postagens com marcador independência. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador independência. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Tem culpa, eu? Só um Militar pode nos salvar!

           

Artigo no Alerta Total – http://www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão

Tem inteira razão o sábio alterego do jornalista Alfredo Ribeiro, o espertíssimo Tutty Vasquez. O poder de mobilização da Internet pode sair desmoralizado se fracassarem as marchas contra a corrupção convocadas para o feriado de quarta-feira que vem. Viva 7 de Setembro – data em que comemoramos a “Independência do Brasil” (coisa que parece cada dia mais longe de ocorrer, graças aos avanços do Poder Globalitário, ao qual os colonizados tupiniquins se submetem, por ignorância, conivência ou conveniência).


A “situação” posa de autosuficiente. Parece dona de si. Mas isto é pura aparência. No fundo, teme qualquer oposição. Há muito tempo, no entanto, a turma podre do poder só respira aliviada por falta de oposição real. Por isso, fica a expectativa para 7 de setembro. Se as marchas (não militares) derem certo... Levarem muita gente consciente às ruas das grandes capitais... Começa o medinho da situação... Que já acena com covardias, tipo “controle social dos meios de comunicação de massa” ou hediondas coisas parecidas, travestidas de “legalidade” legislada pelo espírito autoritário.

A tradicional parada militar de 7 de setembro está confirmada. Aliás, em parada, desde que saíram pela porta dos fundos do Palácio do Planalto, em 1985, nossos militares se tornaram especialistas. Andam tão parados que não param de levar pancada daqueles que sabem que o Brasil precisa de Fraquezas Armadas para que tudo (o esquema de exploração globalirário) fique sempre como dantes no quartel do Abrantes. Só quem pode nos salvar é o mítico marechal oriental (a quem presto uma homenagem no buraco mais embaixo deste texto). Porque os nossos militares, na guerra assimétrica de que são vítimas, até parecem se esquecer do velho lema da infantaria: “Alvo Parado é Alvo Abatido”.

Entenderam a parada? É dura! Os manifestantes setesetembrinos precisam entender. É simples. Manifestações contra a corrupção podem não mobilizar tanta gente quanto se espera. Até porque a corrupção é conseqüência. Não é o verdadeiro foco de luta dos patriotas. O que precisamos, para hontem, é formular um Projeto Democrático de Nação para o Brasil. Até hoje, ninguém fez este dever de casa. Nem a turma dita de direita. Nem a turma dita de centro. Muito menos a autoproclamada esquerda. E, pior ainda, as patotinhas transideológicas que sempre se deram bem, agindo como rêmoras em nossas históricas ditas-duras.

Temos de romper com essa maldição histórica. Não podemos ser, como há 511 anos, uma rica colônia de exploração mantida artificialmente na miséria por poderes globalitários que fazem o que querem conosco. Temos de criar uma mentalidade que valorize a Educação, a Produção, Empreendedorismo individual e o senso de respeito à Lei. Aliás, tal legalidade passa por uma profunda reinvenção democrática da Justiça – que precisa existir, na prática, e não na atual ficção burocrática, geradora de injustiças, impunidades e violências (inclusive contra membros do próprio Judiciário).

O Brasil precisa se tornar um País Capitalista de verdade, e não um Estado de pretenso Bem Estar Social, que atrapalha a produtividade das pessoas ou incentiva os velhos vícios da escravidão. Temos de romper com o modelo de servidão ao banqueirismo nacional e transnacional. Banco não tem de existir para rolar a eterna dívida do desperdício gerado pela máquina estatal sem transparência e à serviço do crime organizado. Banco é para lucrar e crescer com o desenvolvimento – e não com os juros estratosféricos que penalizam o trabalho produtivo. Aliás, renda gerada por mera especulação sempre acaba produzindo crise, em algum momento. Agora, por exemplo... 

O Brasil precisa ser reinventado. Precisamos de Patriotismo (consciência do amor ao País), Educação (base intelectual e emocional sólidas para que a individualidade possa agir no Bem Comum) e Segurança do Direito, através do exercício da razão pública. Eis o tripé para uma base política que nos fará cumprir, com Justiça, os Objetivos Nacionais Permanentes: Democracia, Paz Social, Progresso, Soberania, Integração Nacional e Integridade do Patrimônio Nacional. São justamente estes ONPs que os algozes internos e externos do Brasil (corruptos, petralhas e seus parceiros no governo do crime organizado) querem inviabilizar, em ação permanente. 

A Verdade dói! O Marechal que homenageio logo abaixo sabe disto! Por isso, não podemos perder tempo falando mal da petralhada e seus sócios corruptos – como é mal costume aqui neste site Alerta Total e alhures. Tem culpa, eu? Claro que sim. O buraco é muito mais embaixo. Botemos logo o dedão na ferida. Temos de partir para a Ação Política. E tal processo tem várias etapas até chegarmos à “refundação” do Brasil. De imediato, precisamos de uma união consciente e consistente daqueles que defendem o espírito de “Brasil Acima de Tudo”, com o Bem sempre superando os obstáculos impostos pelo Mal.

Podemos até rir de piadas do tipo “Zé Dirceu, guerreiro, do povo brasileiro!”. Até porque o cara está mais para Dirceu Borboleta... Mas lembremos: Pimenta dos petralhas no olho da gente NÃO é refresco. Os inimigos do Brasil e seus serviçais bem remunerados parecem sempre mais rápidos que nós. Não podemos, simplesmente, agir em função deles. Quem corre atrás chega sempre em segundo. Temos de pautá-los. Politicamente falando. Daí a importância de se discutir, formular, propagar e defender um Projeto de Nação para o Brasil.

Precisamos ser ágeis. Não adianta reagir. É preciso agir Quem reclama já perdeu. E de goleada. Protestar é bom. Mas não resolve. Precisamos agir. Mais depressa! Foco na Solução! O problema está no Poder, apodrecendo com o País. E promete ficar mais tempo ainda cumprindo a maligna missão. Temos de neutralizá-los e superá-los com Inteligência. A solução é o Projeto de Nação para o Brasil. O resto é conversa do Boi Tatá... 

A Semana da Pátria está começando. Os militares trabalharão como sempre e como nunca nos festejos cívicos? E o civismo? Perde para o cinismo. Mas também para a burrice ou para a omissão. No fundo, os brasileiros e brasileiras (royalties para o imortal que nos mata de vergonha), precisam é de um único Militar com capacidade de ação. E o cara tem honra de Samurai. O nome dele? Marechal Massarikonoku.

Se o Marechal Massarikonoku (também conhecido pela sigla MM...) agir, talvez a inércia se quebre, a coisa mude e ninguém vai mais ficar se fazendo a pergunta idiota: “Tem culpa, eu?”. Manda ver, MM...

PS – Pergunta idiota feita pelo Óbvio Ululante: Que seminário os servidores da Infraero iam fazer na Disney (acabaram obrigados a cancelar a viagem paga com dinheiro público), se aqui no Brasil já temos tanto a aprender com os políticos Patetas, os Irmãos Metralha e Petralha, os Tios Patinhas gananciosos e um bando de Patos mais otários que o Donald? 

Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.


© Jorge Serrão 2006-2011. Edição do Blog Alerta Total de 4 de Setembro de 2011.