Seguidores

Mostrando postagens com marcador informação. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador informação. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

"O Conhecimento Pode Matar"


Por *Júnior Silva

O conhecimento pode matar. Embora essa seja uma afirmação forte, existe outra que também traz um desconforto: tentar levar conhecimento aos outros pode levar a morte. A história é testemunha disso através de vários personagens que tentaram realizar a socialização do conhecimento.

O que existe em comum entre Jesus Cristo, Sócrates e Che Guevara? E o que essa pergunta tem haver com o tema deste texto? A resposta é bem objetiva e responde as duas perguntas ao mesmo tempo: todos os três morreram por causa do conhecimento, ou melhor, por querer socializar o conhecimento.

Primeiro foi Sócrates, defendendo a ideia de que o conhecimento é uma produção da humanidade, e que não é possível produzir um conhecimento próprio sem o diálogo com o conhecimento de outro. Por isso foi perseguido e morto pelos poderosos e conservadores da cidade de Atenas, que queriam monopolizar o conhecimento para a manutenção de seus privilégios.

Depois veio Jesus Cristo, que não levou apenas pão para quem tinha fome e devolveu a visão ao cego, mas ele alimentou o espírito das pessoas com informação, e o cego que não enxergava viu que o que o imobilizava era a ignorância diante da tirania e autoritarismo dos poderosos. O resultado disso é a história mais antiga da humanidade: ele foi crucificado ao lado de criminosos, e suas palavras foram transformadas em mera autoajuda semanal repetida nos cultos e celebrações religiosas.

Por último, Che Guevara, que além de liderar o povo cubano na luta contra um governo desumano e explorador percebeu que era necessária outra arma para manter uma revolução: o conhecimento e a informação do povo. Por isso ajudou Fiedel Castro, de quem foi companheiro na Revolução Cubana, a realizar um grande mutirão de alfabetização no país. Eles estabeleceram que cada pessoa alfabetizada iria se tornar responsável pela alfabetização de três ou quatro pessoas. Conseguiram acabar com o analfabetismo no país em quatro anos, o que faz Cuba ser hoje um dos países com maior índice de desenvolvimento intelectual do povo e referência em educação no mundo. Continue lendo no blog Sarcasmico:>>>>>>>>>