Seguidores

Mostrando postagens com marcador passe-livre. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador passe-livre. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 18 de julho de 2013

6ª Manifestação pela Redução da Tarifa de Ônibus de Uberlândia #VEM PRA RUA!!!


E a cidade não pára! A luta cresce.


Convidamos a população de Uberlândia a se somar nesta 6ª Manifestação pela Redução da Tarifa de Ônibus de Uberlândia que acontecerá na quinta-feira (18/07/2013) às 17h na Praça Tubal Vilela (Centro).


Para conhecer a Carta Aberta da População de Uberlândia, tirada em Assembleia Popular, que contém toda a plataforma de reivindicações (a nível municipal, estadual e federal), acesse: http://goo.gl/i2yzV

Para conhecer a Carta Aberta da Assembleia Popular de Uberlândia à Sociedade, documento este que contém esclarecimentos e posicionamentos acerca dos últimos acontecimentos da cidade, acesse: http://goo.gl/apR7l

Reafirmemos claramente nossas pautas de reivindicação, nas ruas, em diálogo com a população. 

A RESISTÊNCIA CONTINUA!

sexta-feira, 5 de julho de 2013

5ª Manifestação pela Redução da Tarifa de Ônibus de Uberlândia VEM PRA RUA!!!


E a cidade não pára! A luta cresce.

Convidados a população de Uberlândia a se somar nesta 5ª Manifestação pela Redução da Tarifa de Ônibus de Uberlândia que acontecerá na terça-feira (09/07/2013) às 12h na Praça Sérgio Pacheco. Orientamos que as pessoas se reúnam nas proximidades do Viaduto Edson Garcia Nunes.

Para conhecer a Carta Aberta da População de Uberlândia, tirada em Assembleia Popular, que contém toda a plataforma de reivindicações (a nível municipal, estadual e federal), acesse: http://goo.gl/i2yzV


Para conhecer a Carta Aberta da Assembleia Popular de Uberlândia à Sociedade, documento este que contém esclarecimentos e posicionamentos acerca dos últimos acontecimentos da cidade, acesse: http://goo.gl/apR7l

Reafirmemos claramente nossas pautas de reivindicação, nas ruas, em diálogo com a população.

A RESISTÊNCIA CONTINUA!


Acesse o link do evento no Facebook

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Maldição da PEC 300: É por isso que não acabaram com o militarismo...


        
      É por isso que os políticos não acabaram e nunca vão acabar com o militarismo, eles precisam dessa força, desse braço armado para frear o povo, conter os ímpetos, defender a casta política. Políticos na sua maioria vagabundos, corruptos, omissos, e que apesar de eleitos pelo povo e para trabalhar para o povo, ao contrário lutam por perpetuar os seus benefícios e conluios. Por décadas e mais décadas, esses corruptos se perpetuam no poder por culpa também de parte do povo, que vendem os seus votos. É por isso que nós militares somos tão reprimidos...

        Diante dessa lambança toda, só resta chamar quem? O Batman não, a polícia militar! Classe desprovida dos direitos da maioria dos próprios trabalhadores, que não tem moradia descente, que não recebem periculosidade, não tem direito a filiação partidária, que não tem um fundo nacional de segurança, não tem o piso nacional, a tão sonhada PEC 300. Mesmo sendo achincalhada por parte da grande mídia, incompreendida por muitos, mas, sempre é necessária e lembrada nos momentos mais difíceis da sociedade brasileira.

        É por isso que o PT gastou rios de dinheiro com a propaganda sobre o desarmamento, já pensou essa população armada?

        Precisamos nos enxergar cidadãos, lutarmos por defender os civis, que se fizerem respeitar, e buscarmos as nossas aspirações. Temos que nos unir em buscar da nação! Os inimigos estão no Congresso,  e não nas ruas...pensem nisso!!!

Chamado à Polícia - #oGIGANTEacordou, "abaixem as armas, levantem as bandeiras"...

Passe Livre: 54 cidades já confirmaram protestos

Cerca de 2 mil brasileiros que vivem em Dublin foram às ruas em apoio aos protestos contra o aumento das tarifas dos transportes coletivos no Brasil (REGIS CORVO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO)
Novos protestos estão marcados para hoje e clima de tensão deve continuar


Após os confrontos da semana passada, manifestantes voltam às ruas nesta segunda em São Paulo e preparam passeatas em 54 cidades. Movimento ganha apoio no exterior.

A maior cidade brasileira pode parar. Depois de uma semana de protestos contra o aumento das tarifas de ônibus e metrô na capital paulista, que começaram nas redes sociais e ganharam as ruas de todo o Brasil, principalmente depois da ação violenta da Polícia Militar contra o protesto na quinta-feira, uma nova manifestação está marcada para hoje, no Centro de São Paulo. Quase 150 mil pessoas já confirmaram presença na página convocatória do ato postada pelo Movimento Passe Livre (MPL) no Facebook .
 O mote mais uma vez é o preço e a qualidade do serviço público, mas as passeatas estão sendo engrossadas pelos movimentos dos atingidos pela Copa, servidores públicos em greve por melhores salários e por minorias em busca de direitos iguais. Brasileiros que moram fora também aderiram ao coro e fizeram ontem passeatas na Alemanha, Irlanda, Canadá e Estados Unidos em apoio aos movimentos nacionais. Uma escalada de manifestações deve ocorrer em pelo menos 54 municípios de 17 estados, entre eles Belo Horizonte, e em cidades de 11 países.
 Para evitar repetição das cenas de confronto da PM com os manifestantes, que foram exibidas mundo afora via redes sociais, a Secretaria de Segurança do Estado de São Paulo convocou os líderes do MPL para uma conversa logo pela manhã, antes do início da caminhada, cuja concentração está marcada para as 17h, no Largo da Batata, em Pinheiros, Região Central da capital paulista. Continue lendo no Estado de Minas

Protestos pelo Passe Livre, chegam a Minas Gerais e fecham BR-040, em Ribeirão das Neves

Moradores de Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, interditaram, na manhã desta segunda-feira (17), a BR-040 em um protesto pela melhoria no transporte público da cidade. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os manifestantes colocaram fogo em pneus e entulho.

A rodovia estava fechada no sentido capital, no km 516, na altura do bairro Liberdade. Bombeiros estiveram no local para limpar a pista.

Até as 8h, cerca de 100 pessoas estavam presentes na reivindicação e o congestionamento no local atingia 14 km, conforme cálculo feito pela PRF. A pista foi liberada neste horário, após negociação feita com os manifestantes.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

“Meu primeiro pensamento foi a segurança da população” (versão do PM ferido em São Paulo)

"Eu entendo a manifestação, mas usar de violência é errado"
Vignoli mostra o ferimento que resultou em cinco pontos na cabeça

Na noite de terça-feira (11), durante uma manifestação pela diminuição da tarifa de ônibus e metrôs na região central da Capital, um policial militar fazia a guarda do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), na Praça Doutor João Mendes, quando passou pelo que considera “uma das situações mais difíceis de sua carreira”.
Wanderlei Paulo Vignoli entrou na Polícia Militar do Estado de São Paulo, nos anos 90, com um ideal: proteger a população, garantindo os direitos de todos. Com 42 anos de idade, sendo 20 deles dedicados à população paulista, o soldado viu seu lema ser colocado em prática durante o protesto de ontem.
“Meu trabalho é garantir a segurança não só dos funcionários do prédio, mas também das pessoas que trabalham ou passam pelas proximidades, além do próprio patrimônio”, conta.
E era o que fazia quando, por volta das 19 horas, viu um jovem tentar escalar uma das paredes para pichar. Na tentativa de impedi-lo, o PM foi subitamente cercado por vários manifestantes, que passaram a agredi-lo com pedras e pedaços de pau.
“Do nada, surgiram milhares de pessoas e, enquanto eu tentava impedir uma pichação, fui alvejado por várias pedradas na cabeça. Fiquei um pouco zonzo e caí, e um jornalista [Giba Bergamim Jr., do jornal Folha de SP] que viu a ação tentou impedir as pessoas”, relata o policial, lembrando do momento em que pelo menos 10 pessoas atiram objetos ou o agrediam.
Natural de Santo Anastácio, cidade quase 600 quilômetros distante do ocorrido, Vignoli disse nunca ter enfrentado nada parecido. “Casos diários como furtos e roubos nós estamos acostumados, mas é a primeira vez que passo por algo assim”.
Disciplina e rigor
Ainda cercado pelos manifestantes, o policial pegou sua arma e apontou para cima, gritando para se afastarem. “Em nenhum momento pensei em atirar contra eles. Minha obrigação, antes de tudo, é com a vida e a segurança da população”, falou Vignoli.
Mesmo em desvantagem e pondo sua própria segurança em risco, o soldado manteve o controle. Segundo Vignoli, isso só foi possível graças às instruções da PM. “Recebemos treinamentos constantes na polícia, onde aprendemos a usar a arma só em último caso. Além do mais, mesmo entre os manifestantes, há quem não queria brigar, além de haver vítimas ali no meio”, relata.
Ao ser questionado se, em tese, poderia ter atirado em legítima defesa, o policial completa: “Eu pensei primeiro nas pessoas que estavam ali, e não em mim. Temos que evitar os crimes protegendo a população. Sempre que possível, devemos reter o agressor sem o uso da arma”, relata.
De acordo com Vignoli, ele ficou menos de dois minutos nessa situação, até que outros policiais do patrulhamento do Tribunal o ajudaram. O soldado foi levado à Assistência Médica Ambulatorial (AMA), na região da Sé, e encaminhado ao Hospital da Polícia Militar, onde permaneceu internado com traumatismo craniano.
"Eu também uso metrô e ônibus"
Para o soldado, a manifestação é plausível, mas não seus métodos. "A manifestação é algo previsto e permitido na Constituição Brasileira. Eu entendo o porquê das passeatas, mas não a violência delas", explicou.
Vignoli usa metrô para ir e voltar do trabalho. A gratuidade da passagem é garantida apenas quando ele está de farda, em serviço. Nos momentos de folga, o policial paga a passagem normalmente. "Se vou sair, eu pego ônibus, pego metrô, pego trem. E pago a passagem como qualquer cidadão", disse.
Presos em flagrante
Após a ação, por volta das 19h30, os outros policiais conseguiram identificar e deter o editor E.D.S., de 26 anos, e o artista D.S.F., 20, como alguns dos agressores. Os suspeitos continuavam atirando pedras nos PMs e tentavam pichar a parede do TJ.
Os homens foram conduzidos ao 1º Distrito Policial (Sé) e autuados, em flagrante, por lesão corporal, dano qualificado e desacato. Como a fiança, arbitrada em três mil reais, não foi paga, os suspeitos permaneceram presos.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

O POVO BRASILEIRO ESTÁ SE CANSANDO DE SER TÃO MALTRATADO...

O povo acordou, o povo decidiu, ou revogam os aumentos, ou paramos o Brasil!!!

Não vamos dizer que chegou a hora, POIS A HORA É ESTA! Então, vamos para a 4° batalha no 4° ato contra o aumento das passagens no RJ? No 1° fomos cerca de 200 pessoas, no 2° fomos mais de 1000 pessoas, e agora no 3°, fomos mais de 2.000 pessoas (mais não espere ver isso nas televisões, afinal, elas não irão querer incentivar o povo como em Goiânia, e Porto Alegre) Vale relembrar que a mídia, e o governo, querem deturpar o sentido real das manifestações rechaçando-as como badernas, e vandalismo, mais não mostram que em todas as manifestações hoje, o confronto inicial parte através das Tropas de Choque, o cidadão (mesmo que nesta constituição falida, e falsa.) tem seu DIREITO ASSEGURADO no artigo V, para manifestar seu pensamento, expressar sua opinião, e manifestar-se! Outra questão é que a mídia de massa, e os governantes viram as costas, é que, a indignação popular e a revolta, é por ter que pagar por um serviço de que não se existe nele a relação custo-benefício, ou falando popularmente, um serviço que é um LIXO, literalmente! Ônibus velhos, com seus itens de segurança vencidos, colocando a vida das pessoas em risco, bairros que imperam a concessão mafiosa da relação governo municipal-empresas de ônibus, nos quais se existem apenas UMA linha de ônibus, empresas de ônibus obrigando seus motoristas a fazerem dupla função, colocando em risco a SUA vida, os obrigando a baterem cotas de passageiros a serem carregados, sim, é o termo que eles usam, CARREGADOS! Pois para eles, não somos mais do que isso, gado! E o cidadão? Pagando caro por isso, PAGANDO MUITO CARO por isso, por isso a luta é de todos, pais, mães, e filhos! Pois TODA a nossa família, usa ESTE transporte que aí está, vamos triplicar o número de manifestantes no 4° ato? Vamos mostrar para eles, que é O POVO que está nas ruas? E não baderneiros e nem vândalos ? E sim, O POVO?! Divulguem, compartilhem, e o mais importante, compareçam!!

Curta: Navalha na Carne

Link do evento: http://www.facebook.com/events/150033615181667/?ref=22

E não deixem de assinar a petição contra o aumento das passagens no RJ: http://paneladepressao.org.br/campaigns/244
Vi em algumas reportagens pessoas sendo entrevistadas e dizendo o seguinte "Bando de baderneiros estão quebrando tudo por causa de um aumento de 20 centavos"

Existe pessoas que não conseguem enxergar que estamos sendo feitos de otários há muito tempo, o governo quebra recorde atrás de recorde em arrecadação de impostos que daria para termos serviços de 1º mundo.

Mas não temos, não temos nem o básico do básico e ainda temos que pagar de novo se quisermos serviços de qualidade. ENTÃO NÃO É POR CAUSA DE 20, ISSO É SÓ 1 DOS MOTIVOS. E ENQUANTO A CORRUPÇÃO, SAÚDE, EDUCAÇÃO, VIOLÊNCIA E TANTOS OUTROS.

Via: AcordaMeuPovo
Fonte: facebook.com

Manifestações: protestos vão muito além de R$0,20

foto: marlene bergamo/folhapress
há uma tensão no ar e ela não parece ser causada apenas pelo recente aumento das tarifas de ônibus e metrô em são paulo.

vida está cara, as perspectivas de futuro cada vez mais distantes no horizonte, insegurança, baixos salários, trânsito, impostos e pouco retorno são alguns dos muitos ingredientes que estão fervendo no caldeirão.
um espetáculo do crescimento que ficou na promessa, passagens caras e tudo errado, são os componentes das manifestações que aconteceram nestas duas semanas.
junte-se a isso uma polícia que definitivamente não é a britânica e pronto, está feita a confusão.

o grupo passe livre organizou o protesto, foi para as ruas com faixas e palavras de ordem. tentou que a manifestação fosse pacífica mesmo obstruindo ruas e avenidas no meio do horário do rush, mesmo não havendo controle sobre quem entra ou não na marcha.

convenhamos, protestos são para fazer barulho e um protesto sobre transporte público não poderia acontecer em outro local se não por onde as pessoas transitam com suas centenas de milhares de carros particulares.

depois, há um mérito tremendo nisso tudo: nos acomodamos em assinar pela rede petições higienizadas sem nem mesmo saber em profundidade sobre do que se tratam. assinamos e damos como missão cumprida. essa garotada está fazendo o que todos deveríamos fazer: ir pra rua, reclamar da ordem estabelecida e, se há mesmo, uma demanda crescente por melhores serviços, moralização da política, melhoria do ensino, etc, nada mais natural que os protestos explodam.
lembrar que essa é a polícia que temos. obtusa, mal remunerada, mal treinada, parte pra cima dos baderneiros.

talvez, numa outra perspectiva, devessem se juntar ao coro e exigir pra si também,melhores condições de trabalho.
mas isso é outra história.

prefeito e governador estão em paris para tentar trazer a expo 2020 para são paulo.lindo.

lula e sérgio cabral, governador do rio, fizeram o mesmo com as olimpíadas e a copa e o que ganhamos?
estádios super faturados, atletas e infra-estrutura esquecidos. que tipo deinvestimento houve no que realmente era necessário?
parece que muito pouco e atletas sem patrocínio tentarão nossas parcas medalhas com o esforço próprio outra vez.

R$0,20 são muito pouco perto do que esses protestos estão deixando claro. existe uma insatisfação generalizada e ela está estampada nas ruas pelo tamanho das manifestações.

pais, professores, médicos, empresários deveriam se juntar ao coro dosdescontentes e ampliar a discussão, dizer em alto e bom tom “não, políticos, a coisa não está boa pra ninguém, não!”

políticos, aliás, têm usado o argumento de que 97% dos brasileiros apoiam a redução da maioridade penal para apressar o trâmite de leis que atendam esse desejo.

ora, se uma pesquisa apontasse um número alarmante de políticos consideradoscorruptos, esse trâmite para que todos fossem defenestrados aconteceria?
não, né?

pois então, os meninos estão fazendo a parte deles pacificamente.

a baderna é o retrato.
o quebra-quebra ninguém vai apoiar mas ele é a manifestação óbvia de um sentimento represado.
e tem a raiva.
e motivos pra raiva não faltam.

Em Banânia...país sulamericano...



facebook.com/Adelinha Cowan Em Banania, aquele país em que alguns intelectuais se comportam como prostitutas, e prostitutas, como intelectuais, o Ministério Público propõe mesas de negociação com grupos que promovem ações terroristas na cidade e que não representam ninguém.

PM FERIDO É PROTEGIDO POR MANIFESTANTES DO PASSE LIVRE, não podemos generalizar...

      Para os que tentam criminalizar os movimentos sociais e projetar uma cena de guerra entre a polícia (braço armado do Estado) e os cidadãos que buscam seus direitos, via protestos, ainda que alguns se excedam durante esses movimentos, é importante que saibamos que ambos lados são oprimidos, são trabalhadores, e o principal e óbvio: há humanidade entre eles. Por vezes um lado acusa o outro de agressão ou de revide. Uma cena é emblemática e mostra que a massa além de não ser burra, teve compaixão. O PM acuado, com a cabeça ferida, foi protegido pela maioria dos manifestantes, que se quisessem roubá-lo ou matá-lo, não teria obstáculo nenhum. Clique aqui e assista matéria e o vídeo do PM ferido sendo protegido pelos manifestantes do Passe Livre
  Se por um lado os manifestantes tiveram compaixão, por outro vemos o quanto houve falha no controle do tumulto.


Repercussão internacional, jornal El pais

Não podemos, repito, criminalizar os movimentos sociais. É claro que houve excesso, é claro que ninguém quer ver o seu patrimônio depredado, nem o seu direito de ir e vir impedido. Mas, na verdade sabemos que o único culpado por isso tudo é o Estado que não dá condições dignas de transporte (clique e assista o desrespeito do Estado), (clique e veja mais desrespeito), (mais desrespeito). Se o Estado não faz o papel dele que é fiscalizar as empresas, penalizá-las, cassar concessões pelos maus serviços prestados, e o Estado na maioria das vezes é promíscuo e cúmplice desse modelo falido, justamente porque não irá fiscalizar quem eventualmente lhe financiou as campanhas eleitorais. Daí temos esse modelo absurdo! Acho até que a população demorou demais para reagir diante de tamanho descaso por parte das autoridades constituídas. Somos pessoas que erram, portanto, macular toda a força policial é injusto assim como criminalizr todo o movimento social também é absurdo.N

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Ideia deste blogueiro Anastácio "Q.A.P", pode virar lei em Uberlândia

               
           O blogueiro Anastácio, gestor do Blog "No Q.A.P", em conversas com Agentes Penitenciários e Sócio-Educativos de Uberlândia,  acordou que seria importante se estes também fossem contemplados pelo convênio da prefeitura e as empresas de ônibus coletivos, em relação a gratuidade, o passe livre nos ônibus, que já é garantido aos Policiais e Bombeiros Militares, desde que os referidos estejam devidamente uniformizados. Além de garantir um benefício para esses outros trabalhadores, o projeto visa restaurar a sensação de segurança objetiva e subjetiva, já que muitos dos assaltantes de ônibus ou de pequenos furtos, sejam maiores ou menores infratores, ao adentrarem dentro dos ônibus e depararem com esses profissionais, além de reconhecidos, terão seus ímpetos contidos, garantindo a paz social para os munícipes de Uberlândia.

           Agradecemos o apoio dos vereadores Juliano Modesto e Marquinho do Megabox, os quais se mostraram sensíveis às demandas desses profissionais, bem como com a segurança pública em Uberlândia.

           Lembrando que não é a primeira vez que este blogueiro luta e consegue benefícios para a categoria. Em 2009, Anastácio enviou oficio para o deputado estadual Luiz Humberto Carneiro, então presidente da  Assembléia de Minas na época, e cobrou a confecção das carteiras funcionais para todo o Estado, para Agentes Penitenciários e Sócio-Educativos. O pedido foi prontamente atendido e toda a categoria hoje dispõe desse direito, que apesar de elementar, não estava sendo cumprido pelo governo.

             Blog do Anastácio - Construindo a nossa cidadania. 

    Clique na imagem para ampliá-la