Seguidores

Mostrando postagens com marcador pericia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador pericia. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

SINDPOL defende autonomia da Pericia em Minas.



O Presidente do Sindpol Denilson Martins falou sobre a posição do Sindpol em relação a autonomia da Pericia Criminal em Minas.


No Estado a Perícia ainda é subordinada a Polícia Civil e os Peritos buscam a plena autonomia. Veja a entrevista do Presidente Denilson ao Blog do Experidao.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Divulgado laudo sobre prédio que abriga a perícia em Uberlândia


Instalações antigas e com vários problemas (Foto: Reprodução TV Integração)Instalações antigas e com vários problemas
(Foto: Reprodução TV Integração)
O laudo sobre a estrutura do prédio que abriga a perícia da Polícia Civil em Uberlândia ficou pronto nesta quinta-feira (10) e será encaminhado para o presidente da Comissão de Segurança Pública, o deputado João Leite, nesta sexta-feira.
Segundo Daltro Catani, superintendente regional de Saúde, os três técnicos que fizeram a avaliação do prédio constataram que a parte hidráulica e elétrica já estão antigas e com vários problemas, inclusive a parte elétrica traz riscos de incêndio. O prédio também tem rachaduras na laje, que comprometem as pessoas que trabalham no local.
E em Uberlândia, na recepção do prédio é possível notar a falta de estrutura para as perícias. Na parede o interruptor, sem proteção, o teste de balística é realizado em pés de pimenta. Já o laboratório toxicológico foi improvisado em um dos cômodos da casa.No laudo parcial da Vigilância Sanitária de Minas Gerais, que saiu em outubro, constam as péssimas condições de trabalho enfrentadas pelos peritos em Minas Gerais. O estudo foi feito a pedido de uma comissão da Assembleia Legislativa.
Produtos químicos, como ácidos e solventes manipulados por peritos, não são descartados em um encanamento adaptado, vão normalmente na rede de água e esgoto residencial. Problemas também foram constatados na tubulação, que serve para a passagem de gases fora da sala. Sem filtragem adequada, tudo passa para o ambiente interno sem nenhum tratamento. Por falta de espaço, os arquivos e laudos de testes ficam no chão.
G1 Triângulo Mineiro

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Polícia Civil ganha maleta com modernos equipamentos e materiais de perícia

FOTO: CARLOS ALBERTO/SECOM MG

Investimento na aquisição dos equipamentos foi de R$ 2,5 milhõesA Superintendência de Polícia Técnico-Cientifica (SPTC) da Polícia Civil apresentou, nesta quarta-feira (5), uma das 150 maletas com modernos equipamentos e materiais de perícias que serão distribuídas para todo o Estado, a partir da demanda dos departamentos. As maletas – que foram adquiridas a partir de um convênio com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), do Ministério da Justiça – serão distribuídas até o final de outubro.

O investimento na aquisição dos equipamentos foi de R$ 2,5 milhões e a Polícia Civil está investindo outros R$ 3 milhões somente em equipamentos para a realização de perícia criminal no Estado.

As 150 maletas contêm 42 itens, entre eles, máquina fotográfica, netbook, reagentes de sangue e drogas, trenas eletrônicas, GPS, luvas, óculos especiais, material para coleta de impressões digitais e para isolamento de área. Com os novos equipamentos, peritos criminais de todo o Estado terão à disposição um kit com o material necessário para detectar e coletar vestígios como sangue, saliva, fio de cabelo ou impressões digitais.

MÁBILA SOARES

Siga em: twitter.com/OTEMPOonline
Sgt Wellington - Colaborador
Blog da Renata

terça-feira, 4 de outubro de 2011

População de BH reprova atuação da Polícia Civil, diz pesquisa

Pesquisa realizada pela Associação de Delegados de Polícia de Minas Gerais mostrou que a população está insatisfeita com a apuração e combate de crimes por parte dos órgãos públicos

Uma pesquisa realizada pela Associação de Delegados de Polícia de Minas Gerais (Adepolc-MG) mostrou que a população de Belo Horizonte não se sente segura. Foram ouvidas 460 pessoas de diferentes classes sociais, nos dias 3 e 4 de setembro, que opinaram sobre o trabalho da Polícia Civil no combate à criminalidade. Os dados serão usados pela associação para mostrar que a polícia precisa de investimentos para dar segurança à população.



A maioria dos entrevistados avaliou negativamente o trabalho da corporação nas investigações e combate a homicídios e latrocínios. Quase 80% das pessoas ouvidas avaliaram como regular, ruim ou muito ruim o trabalho dos órgãos. Moradores da região central e de favelas foram os que mais reclamaram da atuação da polícia nas investigações de crimes.



Em relação aos outros delitos, como assaltos, roubos, furtos de veículos, perturbação da paz e sossego público, crimes contra o meio ambiente e roubo de cargas, a atuação da polícia foi reprovada por 35% da população.


Os entrevistados disseram  que a pior atuação da polícia está relacionada a crimes de perturbação pública, seguidos pelos delitos de roubo, assalto, furto, e arrombamento e furtos de veículos.

Mulheres inseguras


A apuração e o combate a agressões contra as mulheres foram avaliados com pessimismo. Mais de 57% dos entrevistados acham que o trabalho neste sentido está ruim ou muito ruim. As mulheres mostraram insegurança na pesquisa. Mais de 80% desaprovaram o trabalho de combate e apuração dos crimes.


De acordo com a assessoria da Adepol-MG, a pesquisa foi feita para mostrar que a polícia mineira precisa de investimentos para aumentar a qualidade dos serviços prestados. Os dados foram encaminhados para a chefia da Polícia Civil e serão usados na produção do Projeto de Lei Orgânica da corporação. A matéria prevê melhorias nos cargos policiais, nas condições de trabalho e no salário. O projeto ainda está em fase de discussão.


em.com.br
Estado de Minas