Seguidores

Mostrando postagens com marcador pmpa. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador pmpa. Mostrar todas as postagens

sábado, 5 de abril de 2014

Greve dos Policiais Militares discutem em Batalhão do Pará


Soldados da Polícia Militar do Pará em greve porque o governo do Estado concedeu aumento só para os oficiais discutem com coronel que queria que eles fossem para ruas mesmo eles estando em em greve! Os PMs disseram ao coronel que eles só querem saber de estatísticas e subir(ascender) em cima dos ombros das praças crescer na corporação! 


sábado, 18 de janeiro de 2014

Policiais são mortos ao tentar recuperar uma bicicleta em Belém


Beco do Relógio Belém (Foto: Ary Souza/O Liberal)
As polícias Civil e Militar estão fazendo diligências ininterruptas desde a noite da última sexta-feira (17), pelos assassinos de dois cabos da Polícia Militar. O crime ocorreu por volta das 23h no "Beco do Relógio", na avenida Roberto Camelier, no bairro da Cremação, em Belém.

De acordo com a delegada Maria Lúcia Santos, da Divisão de Homicídios da Polícia Civil, os policiais militares estavam à paisana e foram até o local para resgatar a bicicleta do filho de um deles, que teria sido roubada. “Eles foram surpreendidos, com certeza. As armas deles foram furtadas”, afirma a delegada.
Os cabos Max Marcos Miranda Almeira, 41 anos e Wellington Robson Mendes Gonçalves, 36, foram alvejados dentro do beco e morreram no local. A área em que as vítimas estavam é considerada “vermelha”.
A polícia tem informações de que seriam três os autores dos disparos e já tem pistas sobre os assassinos, mas prefere não divulgar para não atrapalhar as investigações.
Os corpos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML). Eles vão ser necropsiados na manhã deste sábado (18) e devem ser liberados ao meio dia.

segunda-feira, 25 de março de 2013

PMs têm prisão decretada por incitar greve no Pará



A Justiça Militar expediu mandado de prisão contra nove policiais militares do Pará que estariam incentivando a categoria a entrar em greve através de postagens nas redes sociais. As buscas pelo grupo estão sendo realizadas pelo Comando Geral da Polícia Militar, nesta sexta-feira (22). As prisões foram solicitadas pela Corregedoria da PM.
De acordo com o promotor de Justiça Militar Armando Brasil, a conduta dos agentes se enquadra no artigo 152 do Código Penal Militar, que caracteriza “conspiração para crime de motim”. “Os policiais vinham postando mensagens que incitavam a greve da categoria, que poderia paralisar a qualquer momento”, afirma Brasil.
 Redes sociais
Perfis foram criados nas redes sociais para promover a ação grevista dos PMs. Diversas mensagens postadas convocam a categoria para a paralisação e levantavam pautas de reivindicação. Nos comentários, alguns usuários que se identificavam como oficiais da PM demonstravam apoio à causa.
Segundo o promotor, os policiais que tiveram a prisão decretada estariam incitando tumulto nos quartéis, em decorrências do aumento de 9% dado pelo governo estadual, que foi considerado baixo pelo movimento grevista. O governo do Pará informou que o salário dos PMs no estado é o quarto maior do Brasil, e que nos últimos anos a categoria teve aumentos com ganhos reais.
De acordo com o promotor, os policiais presos serão encaminhados para o Centro de Recuperação Especial Coronel Anastácio das Neves, em Santa Izabel, nordeste do Pará.
G1 Pará

Comento: O engraçado é que os militares não devem ser trabalhadores...devem ser extraterrenos, ou algum tipo moderno de escravo. Vários outros juristas já se pronunciaram sobre o direito de greve dos policiais militares, que é legítimo. A proibição se restringe as Forças Armadas. Existe um projeto, (dentre vários outros que estão esquecidos no Congresso), que regulamento o direito de greve para os serviços essenciais, no qual está incluso o da segurança pública. Então, de acordo com o princípio do direito, na dúvida pró réu, não há que se falar em punição para algo que se quer foi cometido. E mesmo que assim o fosse, não haveria crime, sem lei que anteriormente o definisse. Qual o ato de violência que foi cometido? O parâmetro que esse promotor usou para enquadrar os policiais militares, é o Código Penal Militar, para aplicação exclusiva nas Forças Armadas. E de pensar que tem membros da justiça brasileira que reclamam de seus altos salários, muitos até chegam a paralisar suas atividades. É muito ruim para a "democracia" brasileira, quando as redes sociais são monitoradas, censuradas, e quando os direitos do trabalhador da segurança pública são violados. Isso é o Brasil...