Seguidores

Mostrando postagens com marcador policial assassinado. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador policial assassinado. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Delegado é executado em Santos

Delegado foi morto a tiros em Santos (Foto: Reprodução/Facebook)Um delegado foi assassinado a tiros na noite deste domingo (16) no bairro Gonzaga, em Santos, no litoral de São Paulo. Segundo a Polícia Militar, Gilvan Marcílio de Freitas Júnior, que atuava emCubatão (SP), foi alvejado na esquina das Ruas Pernambuco e República Argentina, por volta das 22h, quando dois homens a pé se aproximaram e efetuaram os disparos. De acordo com a polícia, a dupla fugiu em um táxi. Continue lendo no G1

quinta-feira, 7 de março de 2013

Cabo da Polícia Militar é assassinado por assaltante em posto de combustível em Betim


A polícia está à procura do autor dos disparos que mataram um cabo do 33º Batalhão da Polícia Militar (PM) na noite de quarta-feira em um posto de combustíveis do Bairro Jardim das Alterosas, em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com o major Emerson Gomes, subcomandante do batalhão, o cabo Ednaldo Muniz Barbosa, de 40 anos, estava a caminho do trabalho, por volta das 20h30, quando parou no posto que fica na Rua Campos de Ourique para abastecer o veículo.

Na frente, estava um carro com pelo menos três ocupantes, sendo um homem, uma mulher e uma criança. Quando o militar desembarcou para abrir a portinhola do carro para a entrada de combustível, ele ouviu o homem anunciar o assalto ao frentista. “Como policial militar, deparando com a situação, ele abordou o cidadão, como policial. Ele estava à paisana, não estava fardado. Ele sacou a arma, fez a abordagem e, o cidadão, de momento, revidou com um tiro. Houve uma pequena troca de tiros”, explica o major.

Segundo ele, o cabo Ednaldo foi atingido por três disparos. O criminoso fugiu em seguida. A PM foi acionada e o policial foi socorrido em uma viatura para o Hospital Regional de Betim. A caminho do bloco cirúrgico, ele morreu. O militar estava na corporação há 20 anos e era casado. 

Com a ajuda de reforços do Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam), do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) e da Companhia de Missões Especiais (Cia Mesp) da região, foram feitas várias buscas, mas o assaltante não foi preso. Ainda de acordo com o major, era a segunda vez que o criminoso assaltava o posto de combustíveis, sendo que o primeiro crime aconteceu em 13 de fevereiro deste ano.


Cristiane Silva/Portal UAI

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

MG: Policial Civil é assassinado


O policial civil José Geraldo da Silva, de 59 anos, foi assassinado e uma mulher que estava com ele, cujo nome não foi revelado, foi encontrada nua com suspeita de ter sido estuprada. O corpo do policial e da mulher ferida só foram localizados na tarde deste domingo (24), dentro de um sítio no bairro Cruzeiro do Sul, em Betim, na região Metropolitana de Belo Horizonte.

De acordo com a Polícia Militar (PM), o dono do sítio foi até a propriedade e quando chegou ao local deparou com o homem morto próximo da piscina.

Ao entrar no imóvel, avistou uma mulher nua e completamente embriagada. Ela foi levada para o Hospital Sarah Kubitschek, em Belo Horizonte. Os militares acreditam que ela tenha sido violentada sexualmente pelo assassino do policial.

Ainda segundo os policiais, uma testemunha disse que o casal tomava cerveja em um bar, na noite de sábado, quando um homem juntou-se a eles. Após beberem, os três se deslocaram em direção ao sítio.

Após matar o policial e agredir a mulher, o suspeito fugiu. Ele já foi identificado e viaturas da polícia fazem rastreamento neste momento para tentar localizá-lo e prendê-lo. A polícia acredita que outras pessoas possam ter participado do homicídio.

Fonte: Blog do Cabo Fernando

domingo, 9 de setembro de 2012

Cadete da PM é encontrado morto a tiros dentro da mala do próprio carro, no RIO


Um cadete, aluno da Escola de Formação de Oficiais da PM, foi encontrado morto dentro da mala de seu carro, um Fox preto, na Vila Emil, em Mesquita, na Baixada Fluminense. De acordo com o 20º BPM (Mesquita), ele estava no terceiro ano do curso e se formaria em breve. O nome do aluno não foi divulgado.

O corpo foi encontrado às 10h deste sábado. Estava na mala do veículo e apresentava diversas perfurações por tiros nas pernas e na cabeça. O carro foi abandonado, durante a madrugada na Rua Professor Samuel de Souza Maciel, na altura do número 35, exatamente ao lado da sede do batalhão de polícia local.

Ainda não se sabe o que poderia ter motivado o crime e não há indícios de que a execução tenha sido feita no local onde o carro foi abandonado. O caso foi registrado na 53ª DP (Mesquita).


terça-feira, 3 de julho de 2012

Policial corrupto morre durante pagamento de propina

Houve troca de tiros na ação
Dois homens estavam na região da Rodovia Ayrton Senna, São Paulo, quando policiais passaram pelo local e suspeitaram da dupla, que estava ali para um esquema de pagamento de propina à policiais corruptos. Os suspeitos foram presos e os policiais tomaram o lugar deles na ação.
Assim que houve o encontro dos policiais disfarçados com os colegas corruptos, houve troca de tiros e um deles acabou morto. O segundo acusado foi baleado na cabeça e está internado em estado grave. Um terceiro policial foi preso.
Por Ronaldo Pedrosa/UIPI

quinta-feira, 29 de março de 2012

A necessidade de equipamentos não letais no serviço policial

Homem enfurecido mata policiais a facadas


Quando se fala em serviço policial, imagina-se quase sempre o clássico confronto “Polícia x Bandido”. Sem dúvidas, essa é a função que exercemos mais lembrada pela população. A ponto, inclusive, de algumas pessoas acharem que tal empreitada seja o nosso único labor. No entanto, engana-se quem acredita que nossa única missão seja prender criminosos. Polícia deve ser sinônimo de ordem social, por isso boa parte das chamadas de emergência não são necessariamente para prender ladrões. Mas sim para resolver pequenos distúrbios, crises familiares, perturbações de sossego, entre tantas outras situações em que a comunidade – sem saber exatamente a quem recorrer – solicita a presença da polícia.

Claro que em grande parte dessas situações o uso letal da força, ou seja, a utilização de armas de fogo seria – teoricamente – caracterizada como excesso. É justificável balear um homem de posse de uma faca ou qualquer outra arma branca que ameace sua ex-companheira ou terceiros? É igualmente inadmissível que o policial tenha que escolher entre morrer ou matar em possível confronto, nesse último caso talvez sendo execrado como despreparado ou assassino, podendo até ser responsabilizado criminalmente. Não à toa, o bordão amplamente difundido entre policiais “melhor ser julgado por sete do que carregado por seis” é levado a risca. Responder pelo excesso é certamente melhor que pagar com a vida pela hesitação. O vídeo abaixo ilustra bem a complexidade do serviço.

Apesar de portarem até fuzil (AK-47) e bastões, não existiam outros armamentos menos letais. Talvez inibidos pela equipe de tevê eles se furtaram de agir energicamente, sendo obrigados – tardiamente – a disparar contra o agressor. Toda essa tragédia poderia ser evitada com a simples utilização de uma pistola teaser, que dispara descargas elétricas incapacitando temporariamente o alvo. Continue lendo no BLOG CALIBRE RESTRITO