Seguidores

Mostrando postagens com marcador procon. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador procon. Mostrar todas as postagens

domingo, 11 de março de 2012

Procon multa McDonald’s em mais de R$ 3 milhões

McDonald's recebe multa de R$ 3,192 milhões pela prática de venda de alimentos com brinquedos, no conjunto conhecido com McLanche Feliz
A Fundação Procon de São Paulo multou o McDonald’s, rede de lanchonetes de comida rápida (fast food), em R$ 3,192 milhões pela prática de venda de alimentos com brinquedos, no conjunto conhecido com McLanche Feliz.
A multa partiu de denúncia do Projeto Criança e Consumo, do Instituto Alana, organização não governamental (ONG) que trata de consumo infantil. A denúncia, segundo o Procon, foi feita em 2010.
A ONG argumenta que a associação entre a venda de alimentos e brinquedos “cria uma lógica de consumo prejudicial e incentiva a formação de valores distorcidos, bem como a formação de hábitos alimentares prejudiciais à saúde”.
A estratégia da rede de fast food é juntar ao lanche um brinde com personagens conhecidos pelo público infantil. De acordo com o Procon, desde a denúncia, em 2010, mais de 18 campanhas dirigidas a crianças foram feitas pelo McDonald’s. Na atual, os brindes são personagens do filme O Gato de Botas.
O McDonald’s ainda pode recorrer da multa. Em nota, a assessoria de imprensa da multinacional informou que a empresa não comenta processos em andamento, mas “ respeita rigorosamente as diretrizes legais na comunicação com seus públicos”. O grupo argumenta ainda que segue um “rigoroso” código de autorregulamentação publicitária, além de compromissos voluntários de normas de conduta na comunicação.
“Quanto ao McLanche Feliz, a rede esclarece que os brinquedos podem ser adquiridos separadamente, ou seja, desvinculados da compra dos produtos. Portanto, a empresa tem convicção de respeitar todas as normas da legislação vigente tanto em relação à comunicação como em relação a práticas comerciais”, diz a nota.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Peugeot novo com defeito vira pesadelo para consumidor


O comerciante Wagner Fernandes, de 45 anos, viu seu sonho se transformar num pesadelo, que já dura três anos. Em outubro de 2008, ele pagou R$ 51 mil em um Peugeot Passion 207, ano 2008 e modelo 2009. A felicidade em adquirir o primeiro veículo zero quilômetro durou poucas semanas: “O carro deu quatro panes elétricas em pouco tempo. Procurei a concessionária Bordeaux, que fica no Bairro Estoril, e ela não resolveu o problema. O carro está parado na garagem desde 2008”, lamentou.

A dor de cabeça do comerciante começou poucos dias depois da compra do veículo. A concessionária, de acordo com ele, atribuiu o defeito ao DVD que o comerciante havia comprado numa loja. “Porém, após a terceira pane, a empresa retirou e colocou o aparelho. E, quando ele já havia sido retirado do carro, ocorreu a quarta pane. Portanto, houve defeito sem o DVD instalado.” Wagner tentou, sem sucesso, resolver o problema amigavelmente na concessionária, sem sucesso.

O caso foi parar na Justiça. Na última audiência, há três semanas, segundo Wagner Fernandes, a representante da montadora lhe ofereceu R$ 28 mil pelo veículo. “É um desaforo. Quero o valor que paguei de volta”, esbravejou o comerciante, que decidiu tornar seu pesadelo público. Wagner imprimiu 20 mil panfletos relatando seu problema e criou uma página internet (www.problemao.com.br) com a mesma finalidade. E mais: alugou um reboque para transportar seu veículo pelas ruas de BH. O comerciante chegou a fazer manifestações próximas à concessionária, que divulgou nota de esclarecimento, assinada pelo diretor de Pós-vendas, Rogério González.


Paulo Henrique Lobato - Estado de Minas


Continue lendo no Estado de Minas:>>>>>