Seguidores

Mostrando postagens com marcador promoções. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador promoções. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 30 de abril de 2013

Promoção: saiu a relação dos Soldados a serem promovidos à graduação de Cabo PM



FOTOPMO Comandante-Geral da Polícia Militar de Minas Gerais, Coronel Márcio Martins Sant’Ana, divulgou nesta segunda-feira, 29/04, o ato de promoção à graduação de Cabo, por tempo de serviço, os Soldados incluídos na PMMG no período de 01 a 30/04/2004.
A promoção de Soldado para Cabo e de Cabo a Sargento é uma conquista alcançada para a classe através da Lei Complementar 125, de dezembro de 2012, que o deputado Sargento Rodrigues acompanhou e participou ativamente junto ao Comando da PMMG e ao Governo do Estado.
Para o ano vigente (2013) e 2014, o tempo de efetivo serviço necessário para a promoção de soldado a cabo, será de nove anos. A partir de janeiro de 2015 cairá para oito anos.
O mesmo ocorre na convocação de Cabo para fazer o curso de Sargento. Em 2013 e 2014, serão necessários nove anos na graduação de Cabo, porém, a partir de janeiro de 2015, o tempo exigido para a promoção, também será de oito anos na graduação de Cabo.
Ao todo, são 1272 Soldados promovidos.
Os efeitos da promoção retroagem às respectivas datas informadas no ato disponível abaixo, que será publicado no próximo Boletim Geral da Polícia Militar (BGPM).

Fonte: sargentorodrigues.com.br

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Projeto sobre promoções na PM e BM chega à Assembleia até a 1ª quinzena de novembro


O deputado Sargento Rodrigues voltou a tratar do anteprojeto de lei das promoções com Comandante-geral da Polícia Militar, Coronel Márcio Martins Sant’Ana. A conversa nesta quarta-feira (24/10) foi por telefone e Rodrigues reforçou a necessidade de se fazer alterações em alguns pontos determinantes da proposta.
No último encontro, em 28 de setembro, eles estiveram reunidos por cerca de três horas. Naquela oportunidade, discutiram sobre vários pontos que poderiam ser aperfeiçoados. Dentre eles, a progressão na carreira dos cabos e soldados. O deputado solicitou ao comandante empenho para que viabilizasse alteração na lei de forma a permitir que isso ocorra no menor tempo possível.
Hoje, as promoções por tempo de serviço dos soldados e cabos ocorrem aos 10 anos na graduação. “Sugeri ao Coronel Sant’ana que elas possam acontecer em no máximo 7 ou 8 anos. Assim, garantiremos em lei que todo soldado que ingresse na Corporação possa chegar a 2º Sargento ainda na ativa”, ponderou o deputado.
Outra alteração defendida por Rodrigues é que a PM e o BM corrijam uma falha ocorrida na transição do modelo anterior, que vigorou por 38 anos, para a Lei Complementar 95/07, nas promoções das turmas pelo critério de antiguidade. Isso ocorreu com aqueles que permaneceram na graduação ou no posto por um período acima do previsto no modelo atual.
Atualmente, a promoção por antiguidade de 3º para 2º sargento deve ocorrer em no mínimo cinco e no máximo sete anos. Acontece que, quando a LC 95 entrou em vigor, já havia militares com mais tempo do que o limite na graduação e as duas promoções ocorridas no ano de 2007 não foram suficientes para resolver a questão. Fato é que deveriam ter ocorrido tantas quanto necessárias nos anos seguintes, até “zerar” o gargalo. Continue lendo no Blog Amigos de Caserna

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Desabafo de um 2º SGT sobre as promoções dos Sub Tenentes

Caro companheiro. 

Sabendo da sua luta e de quem vc é, e tendo em vista a nova proposta de alteração da lei de promoção, veja a possibilidade de lutar/pleitear por mudança para a promoção a subten, pois do jeito que está, foi mantido o prazo de 19 anos para a turma começar a concorrer a promoção. No meu entendimento esse prazo deveria cair para 17 ou 18 anos, pois muitos de nós sargentos antigos estamos sendo prejudicados pois demoramos a ser promovidos e do jeito que está muitos não terão a possibilidade de ir a sub ten na ativa. 

Acredito que com as mudanças m,uitos foram beneficiados com o acesso ao CHO mas a Coporação não pode menosprezar os que opitaram em não fazer o CHO devendo valorizá-los acertando esse erro que vem desde o passado e possibilitando que o Sgt tenho acesso ao quadro de sub ten em tempo hábil. 

Por certo, estipular o prazo de 24 anos para que todos da turma sejam promoidos a sub foi um avenço, mas a hora de melhorar a lei é agora, e ter o prazo de 19 anos para acesso ao quadro de sub ainda é muito... 

Att 

2º SGT DE GOVERNADOR VALADARES

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Ao Sr COMANDANTE GERAL DA PMMG E LIDERANÇAS: SUGESTÕES PARA AS PROMOÇÕES NA PMMG

     Ainda bem que as propostas até aqui apresentadas, esperamos que sejam de fato propostas, e que não tenha nada definido. Todos hão de reconhecer que de fato os SOLDADOS, CABOS e TERCEIROS SARGENTOS foram preteridos neste rascunho sobre as promoções. Imaginamos que a dificuldade em colocar SOLDADOS E CABOS no texto, seja pelo fato de estarem na base da pirâmide, e por uma questão orçamentária, onde o efetivo tem seu maior número para essas duas graduações, o governo não queira assumir qualquer compromisso que possa comprometer a folha de pagamento. Se for realmente isso, é até louvável, porém, o moral da tropa que é composto na sua maioria pelos SOLDADOS E CABOS, de fato poderá ficar abalada se não for corrigida esta distorção. Abaixo segue algumas sugestões para quem sabe, incluir esses Praças dentro do projeto:

     Assim como no Rio de Janeiro, o ideal que fosse proposto o INGRESSO ÚNICO NA PMMG, ou seja, extinção do CFO. O concurso para Oficial seria interno, para todos os bacharéis em Direito, e que tivessem no mínimo 3 anos de polícia;

     Reativar o CFC - CURSO DE FORMAÇÃO DE CABOS, onde o SOLDADO QUE TIVESSE CINCO ANOS DE POLÍCIA PODERIA FAZER O CONCURSO;
  
     Aqueles SOLDADOS que não quisessem fazer o concurso, ao final de 10 anos, assim como ocorre hoje, seria promovido automaticamente;

     Redução de 10 para 7 anos, o interstício de CABO para 3º SARGENTO;

     Redução de 5 para 3 anos, o interstício de 3º SARGENTO para 2º SARGENTO; 

     Se não valorizarmos a base, estaremos incentivando esses jovens, na sua maioria com formação superior, a continuarem a buscar outras carreiras, inibindo aqueles que almejem uma trajetória, uma carreira na corporação, o que a médio e longo prazo, poderá comprometer o caixa do nosso IPSM, ou seja a previdência de TODOS.

      Espero ter contribuído, não sei das finanças no governo, portanto não imaginei as propostas em cima de números, fiz em cima da isonomia, valorização e reconhecimento de que TODOS merecem progressão na carreira. Que os senhores aproveitam algo da ideia, que está aberta para críticas ou novas complementações.

           ANASTÁCIO - BLOG NO Q.A.P
       

terça-feira, 14 de agosto de 2012

LEI DE PROMOÇÃO DISCRIMINA CABOS E SOLDADOS E PODE GERAR UMA CRISE NA PM


CABOS E SOLDADOS PODEM FAZER GREVE BRANCA.


A TROPA DIZ NÃO!!!!!!!!!!

LEI DE PROMOÇÃO DEIXOU DE FORA CABOS E SOLDADOS!!!
EM ALGUNS ESTADOS O PERÍODO DE PROMOÇÃO É DE APENAS SEIS ANOS!!

CABOS E SOLDADOS REAGEM CONTRA ESSA PROPOSTA. 

NÃO VAMOS ACEITAR QUE OS CABOS E SOLDADOS SEJAM DISCRIMINADOS.

O BENEFÍCIO QUE DEVERIA SER PARA TODOS, DEIXA DE FORA A BASE DA TROPA. 

É PRECISO OLHAR PARA TODOS.
VAMOS NOS REBELAR CONTRA MAIS ESSA INJUSTIÇA. 
Nota do Cabo Júlio: Ontem a reunião das entidades e dos parlamentares com o Comando foi tensa, eu sai da reunião na metade, por que acho que algumas atitudes do Comando estão exacerbando sua competência. O Comando quer mudar o Código de Ética (que é uma lei, e só uma lei pode modificar outra lei) através de resolução. Querem voltar o cabresto contra nossos direitos duramente conquistados. O Militar é cidadão e querem nos tirar este direito. Agora esta proposta maluca que deixa os cabos e soldados de fora da diminuição do tempo de promoção. Todo mundo terá o tempo de promoção reduzido, porque Cb e SD não? isso não é discriminar a base da PM e BM? E vocês não sabem o que estava sendo programado, aumentar o tempo de interstício de ida a reserva após a promoção de 1 para 2 anos. É sempre assim, aquilo que parece bondade vem com uma maldade escondida. A nossa previdência própria se resolve com o governo cumprindo sua obrigação patronal, que não é cumprida e ninguém fala nada.
Duas coisas me irritam profundamente:
1) Coronel fazer discurso de "impacto na folha", de "aumento de despesa". Isso é problema do governo que a cada dia aumenta sua arrecadação. A Lei orçamentária do Governo de Minas prevê aumento de arrecadação de 11, 5% no orçamento do ano que vem.
2)  São os falsos assessores do Comandante Geral que com a gente falam uma coisa e na frente dele querem puxar-lhe o saco.
Reitero o meu mais profundo respeito pessoal ao Coronel Santana e ao Coronel Brito, mas estão muito mal assessorados.

O que devemos fazer:
1) Demonstrar internamente a insatisfação quanto a proposta discriminatória, por que por enquanto é só uma proposta inicial.
2) Se ainda assim o Comando insistir e enviar o Projeto de Lei a Assembléia Legislativa eu vou ao Governador mostrar que essa proposta pode gerar uma crise na PM e BM.
3) Se ainda assim insistirem vamos lotar a galeria da Assembléia Legislativa e mostrar aos deputados a nossa insatisfação e mostrar a eles que se aprovada assim a crise sera instalada.
4) Temos lá o Deputado Sargento Rodrigues, que é nosso representante para propor emendas para modificar o texto. 

EU NÃO PARTICIPO DE MAIS NENHUMA REUNIÃO COM O COMANDO, NÃO VOU COMPACTUAR COM ESSA DISCRIMINAÇÃO.

SE A DISCRIMINAÇÃO CONTINUAR VAMOS REAGIR. CB E SD PREPAREM-SE! 
Fonte: Blog Oficial do Cabo Júlio

LEI DE PROMOÇÃO DEIXOU DE FORA CABOS E SOLDADOS


LEI DE PROMOÇÃO DISCRIMINA CABOS E SOLDADOS.


Nota do Cabo JúlioOntem a reunião das entidades e dos parlamentares com o Comando foi tensa, eu sai da reunião na metade, por que acho que algumas atitudes  do Comando estão exacerbando sua competência. O Comando quer mudar o Código de Ética (que é uma lei, e só uma lei pode modificar outra lei) através de resolução. Querem voltar o cabresto contra nossos direitos duramente conquistado. O Militar é cidadão e querem nos tirar este direito. Agora esta proposta maluca que deixa os cabos e soldados de fora da diminuição do tempo de promoção. Todo mundo terá o tempo de promoção reduzido, porque Cb e SD não? isso não é discriminar a base da PM e BM? E vocês não sabem o que estava sendo programado, aumentar o tempo de interstício de ida a reserva após a promoção de 1 para 2 anos. É sempre assim, aquilo que parece bondade vem com uma maldade escondida. A nossa previdência própria se resolve com o governo cumprindo sua obrigação patronal, que não é cumprida e ninguém fala nada.

Comentário: Se as lideranças e o governo ainda estão na fase do diálogo, por quê então não se reduzir o tempo de 10 para 5 anos para os Soldados e Cabos? Por quê não se criar o ingresso via Carreira Única, onde todos deveriam entrar como Soldados?


segunda-feira, 23 de abril de 2012

Que os governos confiem menos nos policiais



No Brasil, os presidentes, governadores e prefeitos, tão logo assumem seus mandatos, exoneram centenas de funcionários e nomeiam quantidade semelhante, seus “companheiros”. Isto ocorre porque existe a figura do “cargo de confiança”, aquelas funções que o chefe do executivo dispõe para “dar sua cara” ao novo governo. A ideia é que o projeto de governo seja implementado por pessoas que, segundo o entendimento do candidato eleito, são capazes de desenvolver o trabalho adequado em cada área.

Mas as coisas nem sempre se dão do modo previsto: geralmente, nem há projeto para o governo, nem as nomeações são feitas pensando em outra coisa que não o “pagamento” àqueles que contribuíram com a eleição – financiadores, cabos eleitorais, amigos etc. Assim, entre o governante e seus nomeados estabelece-se uma relação de interesse quase privado, onde o primeiro anseia a manutenção e aumento do seu poder e o segundo a manutenção do seu cargo e salário, que também são poder.

As polícias são organizações públicas que possuem missões específicas, técnicas, no interior de um sistema de aplicação da lei onde se insere a Justiça e o Ministério Público, por exemplo. Embora as circunstâncias e as instâncias de atuação sejam distintas, não é demais perceber razões para que estas organizações estejam a salvo de intervenções políticas de ocasião, que podem ser danosas ao papel social que as instituições exercem.

Daí porque a contratação dos funcionários exige seleção, formação e carreiras específicas, que independem da vontade de quem está no poder, pois este não pode dispor da prestação de serviços públicos que visam o cumprimento da lei da forma que bem (ou mal) entende.

O problema é que as polícias militares e civis brasileiras estão repletas de cargos de confiança. Embora esses cargos sejam ocupados por policiais, principalmente oficiais e delegados, mantém-se a lógica do jogo de interesses. Principalmente quando se trata de certos cargos, disputas internas são instaladas nas polícias, onde demonstrações diretas ou indiretas de lealdade ao governo são indispensáveis para alcançar a nomeação para certas funções.

O limite para as agradabilidades é o limite do interesse pelo cargo, pelo aumento proporcional nos vencimentos, pela posição política alcançada. É claro que em todos os escalões governamentais a dignidade é possível, a honestidade existe, a retidão aparece. Mas esta é uma lógica que, em instituições com a importância social das polícias, permite trocar o interesse público pela ambição privada. Quanto mais os policiais dependerem da “confiança” do governo, piores as polícias serão na implementação dos seus objetivos. Mais distantes estarão do ideal de organização pública.


PS: Tirinha originalmente publicada no blog “Trágico e Cômico”.

Autor: Danillo Ferreira - Tenente da Polícia Militar da Bahia, associado ao Fórum Brasileiro de Segurança Pública e graduando em Filosofia pela UEFS-BA. | Contato: abordagempolicial@gmail.com

sábado, 7 de abril de 2012

Deputado denuncia venda de promoções na Polícia Militar.

Cem mil reais. Esse seria o preço cobrado por uma promoção para coronel na Polícia Militar em meados de 2010, segundo denúncia do deputado estadual Major Junio Alves de Araújo (major da reserva), do PRB, em entrevista no fim da noite de ontem ao POPULAR.

“Em 2010 circulou um dossiê sobre esse assunto, com nomes dos coronéis que compraram suas promoções. Não posso afirmar que foi o Cachoeira que pagou pelas promoções, sei que algumas foram pagas pelos próprios beneficiados”, disse o militar.

O deputado afirmou que as propinas que garantiam as promoções eram pagas ao ex-comandante-geral da corporação, coronel Carlos Antônio Elias. “No comando dele, noticiou-se bastante que existia até mesmo uma tabela de preços para promoções. Quem tinha interesse eram oficiais da alta cúpula que pagavam até R$ 100 mil para o coronel Carlos Antônio Elias”, denunciou.

Procurado pelo POPULAR no início da noite de ontem, o coronel Carlos Antônio Elias disse que o dossiê citado foi objeto de sindicância e inquérito e que a Justiça concluiu que as promoções ocorreram dentro de legalidade. “Durante o meu comando foram mais de 9 mil promoções. De soldados a coronéis foram beneficiados com elas”, disse. Continue lendo no Blog do Major Araújo

Fonte: Blog da Renata

domingo, 11 de março de 2012

Aprovada promoção por tempo de serviço para PM e BM de Rondônia


Projeto da Sesdec junto ao comando das corporações beneficia servidores com promoções

A Assembléia Legislativa aprovou o projeto que cria critério de promoção por tempo de serviço para oficiais e praças militares. A matéria visa o planejamento da carreira dos militares da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Rondônia, de modo a obter um fluxo regular e equilibrado da carreira para os Oficiais e Praças das Corporações.

A promoção pelo critério de tempo de serviço é um anseio de policiais e bombeiros que já completaram todos requisitos para promoção, muitos deles há mais de dez anos.

Conforme mensagem enviada pelo governo do Estado aos deputados estaduais, os militares continuam no exercício de suas funções, cumprindo seus compromissos, afirmando a sua aceitação consciente das obrigações e dos deveres da função.
O critério de promoção por tempo de serviço é adotado também pelas polícias militares dos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Amapá.

O projeto de lei visa à inovação no que se refere aos requisitos para promoção, vez que traz diversos critérios para a avaliação de concessão de benefício, não bastando apenas o tempo de serviço, mas também um tempo mínimo de contribuição previdenciária, o interstício exigido no posto e graduação previstos em lei e regulamento de promoção.

Assim, propõe-se que, que sejam promovidos todos os policiais militares que estão frequentando o curso de adaptação de oficiais administrativos, e que não alcançaram o número de vagas fixadas para transferi-los temporariamente para o quadro especial da PM, até que surja a vaga.

Para o governo, o projeto atende reivindicações dos servidores militares, além de assegurar um fluxo constante e rítmico ao longo de toda a escala hierárquica, evitando o desestímulo profissional causado pela longa permanência nos postos ou graduações inferiores.

“Com esta aprovação vemos mais uma vez o compromisso dos deputados estaduais comprometidos com a valorização dos servidores das forças públicas de segurança”, comenta o secretário de Segurança, Defesa e Cidadania, Marcelo Nascimento Bessa.

Fonte: Rondônia Dinâmica

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

PMs de Minas serão promovidos por Ato de Bravura

Caro integrante da PMMG, 
Os membros das Comissões de Promoção de Oficiais (CPO) e de Promoção de Praças (CPP) reuniram-se, em 10/01/2012, para fins de avaliação do mérito da ação praticada pela Gu PM integrada pelo Tenente Gustavo Martins Ribeiro de Carvalho e pelos Soldados Sheyla Cristina da Silva, Marcelo Silva dos Reis e Samuel dos Santos Freitas, todos do 34º BPM. 


Em síntese, no início da madrugada do dia 02/01/2012, durante as fortes chuvas, a referida guarnição atuou no salvamento de várias pessoas numa ocorrência de desabamento de um edifício de dois blocos, com 16 apartamentos, localizado à rua Passa Quatro, bairro Alto Caiçara, em Belo Horizonte. 



Após a apuração dos fatos em processo administrativo próprio, concluiu-se que os militares participaram diretamente da ação, de forma consciente e voluntária, com risco de morte real, agindo de forma rápida e inteligente, o que garantiu o êxito da ação e possibilitou salvar a vida de muitos moradores, atuando sob condições adversas de extremo risco, de forma ágil e ainda que sem dispor naquele momento da possibilidade de aguardar a chegada de uma intervenção especializada. A atuação dos militares teve repercussão altamente positiva no âmbito da PMMG e principalmente junto à comunidade. 



Ficou devidamente comprovado que a referida ação amoldou-se aos requisitos legais que caracterizam o direito à promoção por ato de bravura. Desse modo, ambas as Comissões decidiram pelo cabimento desse direito a todos os integrantes da guarnição. Os respectivos atos de promoção estarão sendo publicados nos próximos dias. 

Além de aquiescer a iniciativa do Comando, o Excelentíssimo Senhor Governador do Estado receberá, na próxima semana, os integrantes da guarnição para cumprimentá-los pessoalmente. 



Os resultados alcançados pela ação da guarnição demonstram, de forma inequívoca, o compromisso de proteção social que orienta as ações dos valorosos integrantes da Polícia Militar, em todo o Estado. 



Parabéns a todos os militares que têm atuado com extremo profissionalismo durante as fortes chuvas em Minas Gerais; sintam-se homenageados através da promoção por ato de bravura dos policiais-militares mencionados, por tão bem representarem a nossa Instituição. 


Renato, Cel PM 

Comandante-Geral 


quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

PM RJ: Redução nos tempos de promoção e Soldados podem chegar a Sub-Tenente em 25 anos de serviço

O governador Sérgio Cabral assinou decreto reduzindo os tempos para a promoção dos praças e suboficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. A medida vai beneficiar de imediato 17.829 militares das duas corporações que poderão antecipar suas promoções em até cinco anos. A partir de agora, um soldado poderá chegar a subtenente em 25 anos. Antes, esse prazo era de 30 anos. O decreto está publicado na edição do Diário Oficial desta quarta-feira, 11 de janeiro.Continue lendo no Jornal do Brasil:>>>>>>>>>>>>>
Jornal ODIA

Arte: O Dia
Arte: O Dia
Com a mudança, um soldado poderá chegar a subtenente em 25 anos — a exigência anterior era de 30 anos. Os soldados que forem elevados a cabo receberão 19,4% de reajuste, por exemplo. Segundo a Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão (Seplag) , o aumento vai incidir também sobre triênios e gratificações. A mudança na progressão dos militares vai representar adicional de R$ 75,5 milhões por ano no orçamento do Estado do Rio.
Para adquirir direito ao benefício, militares têm que ter, no mínimo, comportamento “bom”. O novo soldo será proporcional aos 20 dias trabalhados neste mês — ou seja, do dia 11 em diante, vale o novo patamar. Caberá à corporação instituir o procedimento para regulamentar a elevação do posto do militar — segundo critérios individuais de merecimento, vida funcional e outros parâmetros.


A Seplag explicou, em nota, que, na prática, o tempo máximo de serviço efetivo prestado para que um soldado seja promovido a cabo passará de oito para seis anos; cabo para 3º sargento, será de 15 para 12 anos; 3º sargento para 2º sargento, de 20 para 16 anos; 2º sargento para 1º sargento, de 25 para 20 anos; e 1º sargento para subtenente, de 30 para 25 anos. 

Concurso interno
O comandante-geral dos Bombeiros, Sérgio Simões, determinou ontem a composição de um grupo de trabalho para rever o intervalo da promoção por mérito, conquistada nos concursos internos.

Mais incentivos

Segundo Simões, aqueles que “lograrem êxito nos concursos internos terão ampla perspectiva de ascensão ao oficialato”. O comandante informou que há outras iniciativas em andamento.

Outros benefícios

Para o comandante geral da PM, coronel Erir Ribeiro Costa Filho, a medida é importante para os militares porque implica também na conquista de outros benefícios. 

Cursos a distância

O coronel informou ainda que a PM inicia a partir de março o curso de confirmação de divisas para cerca de 10 mil cabos. Em junho, será o de aperfeiçoamento de sargentos, para 4 mil 2º sargentos.
Comentário do blog: Essa iniciativa do governador Sérgio Cabral é "belíssima"...mas, por quê não veio antes? Por quê não ouviu os Bombeiros cariocas até hoje? Por quê o anuncio dessas medidas coincidem com a possível paralisação da PM dia 10/02/12? Colegas da PM do RIO, não caiam nessa armadilha do CABRAL, mantenham-se unidos, principalmente com os Bombeiros, e usem os frutos dessa manifestação no dia 10/12, para reivindicar outros benefícios, tais como o aumento real, escalonado até 2014, (não o 1% por mês), regulamentação da jornada de trabalho em 40 horas, criação do Códico de Ética. O governador quer desmobilizar a tropa...pensem nisso...vejam como a gente é forte: apenas o burburinho na internet sobre a manifestação no dia 10/02 e o governador começou a ceder. É a força dos blogs. Mas, temos que sair do mundo virtual para o real.