Seguidores

Mostrando postagens com marcador suicídio militar. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador suicídio militar. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

"Olhe ao seu lado", campanha de prevenção ao suicídio de policiais



AO SEU LADO PODE HAVER UM POLICIAL,UM FAMILIAR QUE PRECISE DE AJUDA...NÃO SE OMITA.O VÍDEO É ANTIGO,MAS A MENSAGEM CONTINUA SENDO ATUAL PARA TODOS OS CORAÇÕES. COMPARTILHE! DIVULGUE! NOSSA VIDA:BEM MAIOR!


(ID ATUAL: 97*108849 19.7832.3423 19.993.171905 19 3029.2221) 

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Exército israelense divulga que a cada 15 dias um soldado se suicida


Dados foram revelados depois que um blogueiro denunciou uma divergência entre números divulgados e relatórios


OperaMundi

A cada 15 dias um soldado israelense se suicida em média, segundo dados divulgados pelas Forças de Defesa do país, devido as denúncias de um blogueiro anônimo que haviam sido censuradas, informa nesta quinta-feira (27/12) a imprensa local.

Os dados, referentes aos últimos 10 anos, mostraram que 237 israelenses tiraram a vida durante o serviço militar obrigatório ou a carreira profissional no Exército.

A taxa média de suicídios foi diminuindo das 39 anuais, entre 1991 e 1993, para 33 entre 2000 e 2002, para ficar em 23, entre 2009 e 2011. O Exército atribui a queda a uma maior ajuda psicológica e a uma política mais restritiva de acesso às armas para soldados fora do serviço.

Os dados foram revelados depois que um blogueiro, identificado apenas como Ishton, denunciou uma divergência entre o número de baixas que se faz pública a cada ano e o relatório mais detalhado que oferecia o Ministério da Defesa em um site.

Ishton foi convocado para uma reunião com investigadores militares e ameaçado. A imprensa foi proibida de publicar o material, segundo diversas denúncias na Internet.


Fonte: Blog Notícias Militares

segunda-feira, 25 de junho de 2012

PM PE: SOLDADO SE MATA DENTRO DE QUARTEL

PMPE: OUTRO SUICÍDIO!

Uma soldado identificada até agora apenas como Andrea se matou dentro do quartel em Goiana, na Zona da Mata Norte do Estado. O caso aconteceu na tarde desta segunda-feira (25). A policial, que é da Paraíba, mas trabalhava no 2º Batalhão de Polícia Militar de Nazaré da Mata, tinha apenas dois anos de serviço.

No mês passado, outro caso de suicídio envolvendo policiais chocou o Estado. O tenente-coronel Marinaldo Lima, responsável pelo comando do 13º Batalhão da PM de Pernambuco, tirou a própria vida com um tiro na cabeça no prédio da Secretaria de Planejamento do Governo do Estado. O local é usado pelos comandantes da PM e os secretários para reuniões do Pacto pela Vida e iniciativas da gestão Eduardo Campos. Na época, a Secretaria de Defesa Social (SDS) afirmou que o tenente estava endividado.


PERGUNTAS QUE NÃO QUEREM CALAR: 
1. ATÉ QUANDO? 
2. SERÁ MERA COINCIDÊNCIA? 
3. QUAIS AS VERDADEIRAS CAUSAS DESSAS TRAGÉDIAS RECORRENTES?
4. O QUE ESTAMOS FAZENDO PARA QUE FATOS DESABONADORES COMO ESTES NÃO MAIS OCORRAM?
Fonte: Blog do Sargento Ricardo

sábado, 9 de junho de 2012

Militares americanos registram quase um suicídio por dia em 2012

WASHINGTON - O número de suicídios de soldados americanos está crescendo e 2012 já tem a marca de praticamente um caso por dia (foram 154 suicídios entre oficiais ativos nos primeiros 155 dias do ano). A marca causou surpresas, já que em 2010 e 2011 a taxa havia se estabilizado.
O número de militares que se suicidaram este ano é maior que o de soldados americanos mortos em ação no Afeganistão nos anos inteiros de 2008 e 2009, de acordo com estatísticas do Pentágono obtidas pela agência Associated Press.
A quantidade de suicídios reflete o aumento das demandas provenientes das guerras do Iraque e do Afeganistão. Os militares também têm lidado com o aumento de casos de abuso sexual, abuso de álcool, violência doméstica e outros comportamentos problemáticos.
Entretanto, as razões para o aumento ainda não foram completamente compreendidas. Entre as explicações, estudos apontam para à exposição nos combates, o estresse pós-traumático, o uso incorreto de remédios prescritos e problemas financeiros pessoais. Dados militares sugerem que os soldados com várias incursões de combate correm risco maior de suicídio, apesar de uma parcela considerável de suicidas serem soldados que nunca foram lutar.
A guerra do Afeganistão tem previsão de acabar em breve, com a retirada total das tropas prevista para 2014. Contudo, 2012 tem registrado números recordes de soldados sendo mortos por afegãos e escândalos envolvendo problemas de conduta dos americanos.
Até 3 de junho deste ano, 154 soldados da ativa se mataram, em comparação a 130 do mesmo período do ano passado - um aumento de 18%. O Pentágono previa uma média de 136,2 suicídios para este intervalo de tempo com base nos números de 2001 a 2011. A quantidade de suicídios entre janeiro e maio é ainda 16% maior que a marca de 2009, que registrou a maior incidência anual de casos até agora.
General fez pouco caso do problema em texto na internet
Apesar de campanhas para que os militares busquem ajuda para problemas mentais, muitos ainda acreditam que procurar auxílio é um sinal de fraqueza e, assim, uma ameaça para uma possível promoção.
Stephen Xenakis, um brigadeiro reformado do Exército que ainda trabalha como psiquiatra, afirma que os suicídios refletem o nível de tensão da saída americana do Afeganistão enquanto a violência continua no país.
- É, de forma geral, um sinal do estresse a que o Exército tem sido submetido durante esses dez anos de guerra. Já vimos que esses sinais se manifestam de forma ainda mais dramática quando o combate parece diminuir e o Exército está voltando para sua guarnição - explica Xenakis, ressaltando que lhe preocupa o fato de muitos veteranos não entender a natureza do problema do suicídio.
Um exemplo disso foi o episódio em que um general do Exército disse aos soldados que consideravam o suicídio para "agir como adultos". O major-general Dana Pittard, comandante da Primeira Divisão Blindada escreveu um polêmico texto em seu blog e, mesmo depois da repercussão, não pediu desculpas.
"Agora cheguei à conclusão de que o suicídio é um ato absolutamente egoísta. Eu estou pessoalmente cheio de soldados que escolhem tirar suas próprias vidas para que outros possam limpar sua bagunça. Seja um adulto, aja como um adulto e lide com os problemas de sua vida como o resto de nós", postou Pittard. Ele também aconselhou os soldados a procurar ajuda.
As declarações causaram uma repreensão pública do Exército, que tem o maior número de suicídios das Forças Armadas, que chamou as posições do major-general de "claramente erradas". Na semana passada, o chefe do Estado Maior Conjunto, general Martin Dempsey, afirmou discordar de Pittard "nos mais fortes termos possíveis".
Para combater o fenômeno do suicídio, as Forças Armadas lançaram serviços telefônicos, colocaram mais especialistas em saúde mental nos campos de batalha, aumentaram o treinamento para lidar com o estresse e investiram mais em pesquisas sobre os riscos da saúde mental, entre outras medidas.
Agência Globo (Yahoo Notícias)/montedo.com

terça-feira, 5 de junho de 2012

SGT PM E POLICIAL CIVIL SÃO ENCONTRADOS MORTOS


Suspeita é de que crime em Monte Belo do Sul teve motivação passional


O final de um relacionamento amoroso é a hipótese investigada pela Polícia Civil para explicar as mortes do sargento da Brigada Militar (BM) Sérgio Luis de Campos Chagas, 35 anos, e da inspetora Varinia Bedina, 31 anos, ontem em Monte Belo do Sul, na Serra. Os corpos foram encontrados em uma sala da casa ocupada pelas duas corporações no centro do município de cerca de 3 mil habitantes.

Por volta das 13h30min, uma sequência de estampidos apavorou moradores da cidade. Em um primeiro momento, quem seguia para o trabalho pelas calçadas da Rua João Salvador, no Centro, pensou que se tratava de um assalto a banco. Foi o caso de um agricultor de 42 anos que naquele instante deixava a mulher no serviço, perto da praça central, e dali levaria a filha para o colégio.

– Escutei um tiro de pistola atrás do outro. Mandei minha mulher entrar logo onde ela trabalha. Mas quando passava de carro pela frente da Brigada Militar e da Polícia Civil, percebi que o barulho vinha lá de dentro. Fui embora ligeiro, levando minha filha – conta o produtor rural, que prefere não ser identificado.

Poucos minutos depois, a origem dos disparos atraía dezenas de curiosos para os arredores da casa onde funcionam as duas repartições e o Conselho Tutelar. Dois PMs correram para a sede policial, que estava fechada, o que não é comum. Após arrombar uma janela dos fundos, um policial militar encontrou um cenário assustador. Na sala da Polícia Civil, os corpos dos dois policiais – ele, comandante da BM na cidade. Perto das pernas do PM havia uma pistola .40. Sobre uma mesa estava outra pistola do mesmo calibre.

A dupla de PMs logo acionou colegas de farda, policiais civis e peritos. Quando o grupo de servidores chegou à sede das repartições, uma especulação sobre a tragédia já corria pelas ruas de Monte Belo do Sul: o sargento teria matado a inspetora, com quem manteria um relacionamento amoroso, e se suicidado.Continue lendo no Blog Mazelas Policiais

foto: ZERO HORA, 05 de junho de 2012 | N° 17091.

sábado, 2 de junho de 2012

Tragédia em Sete Lagoas - MG: Soldado mata ex-namorada e depois se mata

Um soldado da Polícia Militar (PM), inconformado com o fim de um relacionamento, matou a ex-namorada a tiros, na cidade de Sete Lagoas, Região Central de Minas Gerais.


O crime aconteceu nesta sexta-feira (1º), no bairro Montreal e o militar utilizou uma pistola da corporação durante a ação.

A jovem de 21 anos estava em casa quando o ex-namorado chegou e disparou diversar vezes contra ela.

Segundo a Polícia Militar, depois de atirar na mulher, o soldado se matou.

A polícia não quis informar detalhes do fato.



Erivelton Rodrigues
Redação P10

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Policial militar tira a própria vida atirando contra a cabeça


O policial militar lotado no 3º Batalhão de Polícia Militar de Patos, Reginaldo Félix Cavalcante, 45 anos, tirou a sua própria vida atirando contra a cabeça no final da tarde desta quinta-feira (31), por volta das 17h30. Ao lado do corpo, num edifício localizado na Rua Padre Anchieta bairro Santo Antônio, em Patos, foi encontrada uma pistola ponto 40, de uso da Polícia Militar.
A polícia acredita que de fato o policial cometeu suicídio. Uma segunda pessoa que estava no apartamento, ainda não identificada, foi levada para o Hospital Regional de Patos em estado de choque ao presenciar a tragédia.

Reginaldo tinha mais de 24 anos de Polícia Militar e era considerado um policial exemplar pelos colegas que estão perplexos.

Policiais militares foram rapidamente ao local do ocorrido tão logo receberam a notícia juntamente com o comandante do Comando Regional da PM em Patos, Coronel José de Almeida Rosas que lamentou o fato.

Peritos da Polícia Científica de Patos estiveram também no local para realizar os levantamentos de praxe.
Os motivos que teriam levado Reginaldo a cometer tal ato ainda é mistério.

A polícia não informou se foi encontrada alguma carta que possa ajudar na explicação desta tragédia para Polícia Militar.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Superior Tribunal de Justiça decidiu: suicídio não premeditado é coberto por seguro como morte acidental

DECISÃO Sucidio não premeditado é coberto por seguro como morte acidental O suicídio, reconhecido pela seguradora como não premeditado, é coberto como morte acidental e não natural. A decisão é da Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que rejeitou entendimento da seguradora, que julgava dever indenização por morte natural. O valor da indenização por morte natural era metade do valor a ser pago em caso de morte acidental. A seguradora pagou administrativamente, sem intervenção da Justiça, o valor da cobertura pela morte natural. A beneficiária do seguro de vida então buscou a complementação da indenização na via judicial. A sentença negou a pretensão, mas o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) concedeu a diferença de indenização. Daí o recurso da Companhia de Seguros do Estado de São Paulo (Cosesp) ao STJ. Para a seguradora, o fato de ter pago a garantia básica não acarretaria dever de indenizar, em face da apólice e dos limites legais e contratuais ao risco. Natureza acidental O ministro Luis Felipe Salomão, relator do recurso, afastou o caráter natural da morte por suicídio. Segundo o ministro, a morte natural decorre de processo esperado e previsível, que não é objeto de trabalho nem de intervenção humana, isto é, que decorre normalmente da ordem regular das coisas. Já a morte acidental, afirmou o relator, atrai a ideia de eventualidade, do que refoge à natureza do ser. “Nessa linha de intelecção, forçoso concluir que o suicídio não pode ser encartado como espécie de morte natural, uma vez que configura a provocação ou o desencadeamento do fenômeno mortal fora de condições mórbidas eficientes, ou seja, advém de comportamento humano inesperado e contrário à ordem natural das coisas”, concluiu. Com esse entendimento, o relator manteve a decisão local quanto ao valor devido pelo sinistro. O ministro alterou apenas a data de início da incidência de juros pela mora contratual. Conforme a jurisprudência do STJ, os juros devem contar a partir da citação e não do pagamento parcial da indenização. Premeditação O ministro descartou também a análise da existência ou não de premeditação do suicídio. Como a seguradora pagou administrativamente pelo sinistro, tendo-o como indenizável, reconheceu indiretamente a ausência de premeditação. “A presunção é sempre no sentido de que houve a boa-fé do segurado, de modo que o planejamento do ato suicida, configurando evidente má-fé, porquanto tendente a perpetrar fraude contra o seguro, deve ser comprovado, o que não ocorreu no caso, tendo o juízo singular dessumido tal situação tão somente das alegações da própria autora, ora recorrida, sem qualquer prova do fato pela recorrente”, afirmou o relator.

fonte: Blog do Adeilton9599 

terça-feira, 22 de maio de 2012

Quem cuida da mente do policial?

A famosa citação do poeta romano Juvenal “Mens sana in corpore sano” (uma mente sã num corpo são), tem dado margem a uma série de interpretações, vulgarizadas, inclusive, pelo seu uso repetido. O entendimento mais comum é o de que devemos viver de tal forma que haja um equilíbrio entre a mente e o corpo, caso contrário, as mazelas que esta sofrer, serão expressas através de doenças psicossomáticas às mais variadas.

No mundo das tecnologias de informação e da globalização, a sociedade humana tem alcançado altos índices de desenvolvimento dos aspectos científicos, da nanotecnologia, do domínio do espaço cósmico, da biociência e da ciência médica, entre outros parâmetros de evolução. No entanto, no que diz respeito à autoconsciencia, ao conhecimento da mente e de seus intrincados mecanismos, ainda estamos tropeçando nos primeiros passos. A mente humana e seus variados aspectos continua tal qual caixa de pandora, guardando segredos que despertam interesses e temores ao mesmo tempo.

Neste viés, as chamadas doenças da alma, tal qual o estresse, a depressão, a esquizofrenia e os transtornos mais diversos da psiquê humana, têm sido considerados o mal de nosso século, acometendo milhares de pessoas, ceifando vidas amarguradas e solitárias. No momento histórico em que o homem domina as ferrametas de comunicação, assistimos, intrigados, o desenvolvimentos de patologias da solidão e da falta de diálogo.

É neste contexto que, alguns profissionais, pela natureza e especificidades da atividade que exercem, vivenciam a influência mais danosa do modelo sociocultural vigente, sofrendo uma série de pressões que podem levar desde a desequilibros emocionais pontuais até os extremos das enfermidades psicológicas.


O fato de ser policial, representante legítimo do poder do Estado, numa sociedade chafurdada na violência e na criminalidade, já é, por si só, gerador de pressões. Junte-se a isso, alguma outras caracterísiticas de nossa profissão, tais como o fato de, em frações de segundos, ter que decidir se aperta ou não o gatilho de uma arma, assumindo as consequências diversas dessa atitude; a vivência de uma relação hierárquica de poder, muitas vezes conturbada e dissonante com o ideal; o ter que acompanhar situações envolvendo estupros, mortes violentas, acidentes fatais, visualizando cenas deprimentes ou participando de resgates de corpos humanos, entre tantas outras atividades, que podem levar o cidadão policial a sofrer os danos psicológicos dessas pressões.

Por vezes, temos notícias trágicas de policiais que cometem suicídio ou que estão passando transtornos diversos, desde sintomas de depressão, até situações mais graves, onde há a necessidade de intervenções psiquiátricas, uso contínuo de substâncias químicas e outros tratamentos, chegando mesmo a internações compulsórias, em estados mais avançados.

Embora não conheça pesquisas que possam balizar com números estatísticos as afirmações aqui elencadas, parece-nos que tem sido crescente o índice de policiais acometidos das enfermidades da mente, e que, por falta de atenção e estrutura de nossas Corporações, são meramente encaminhados para as Juntas Médicas de Saúde, que, apenas avaliam e concedem o afastamento do profissional, no entanto, sem nenhum acompanhamento, sem buscar o seu histórico, a sua condição familiar… Afastado do serviço, muitas vezes os sintomas da doença tendem a piorar, e o profissional que servia à sociedade “mesmo com o risco da prória vida”, passa à situação de “abandonado à própria sorte”.

É urgente pensarmos neste assunto, se quisermos um policial mais preparado para enfrentar as pressões e dilemas de uma profissão tão complexa como complexa é a mente humana.

Além de apoiar e acompanhar o policial que esteja acometido de qualquer enfermidade da alma, é preciso que as Corporações contratem profissionais gabaritados para uma consultoria e, após um levantamento minucioso das situações, proponham ferramentas, debates, oficinas, que tenham por foco a provenção e a promoção da saúde mental de cada policial, a fim de que possamos, parodiando o poeta, ter um policial são em uma Corporação sã.


Autor: Jose Carlos Vaz - é Capitão da PMBA, poeta, especialista em Comunicação Social com Ênfase em Ouvidoria (UNEB – 2006) e Especialista em Polícia Comunitária (UNISUL - Santa Catarina - 2009). Contato: vazpoeta@gmail.com

quarta-feira, 11 de abril de 2012

MAIS UM SUICÍDIO NA PM...QUANTOS MORRERÃO PARA MUDAR O SISTEMA?

SOLDADO GUERREIRO SE SUICIDA POR NÃO SUPORTAR A PRESSÃO DE SUPERIORES QUE PENSAM QUE SÃO SUPERIORES, MAS NA REALIDADE SÃO INFERIORES

ACABA DE SUICIDAR-SE O POLICIAL MILITAR MARCOS PAULO NIXDOR REIS, RE: 97159-6. O SD.PM N.REIS, como era conhecido, TINHA 30 ANOS E ESTAVA PASSANDO POR PROBLEMAS PESSOAIS ENTRE ELES, UM ABORRECIMENTO HOJE,POR TER CHEGADO 10 MINUTOS ATRASADO AO... SERVIÇO E TER SIDO COMUNICADO. ELE SERVIA NA 3 CIA DO 8BPM/I E MORAVA EM NOVA ODESSA,MOTIVO PELO QUAL, SE ATRASOU.

DEIXO AQUI MINHA INDIGNAÇÃO,MINHA DOR E A MINHA GANA DE ACABAR COM ESTE MALDITO REGULAMENTO DO 'RD QUERO". QUANTAS VIDAS TEREMOS QUE PERDER PRA QUE A SOCIEDADE SE COMOVA E ENTENDA QUE OS POLICIAIS SÃO HUMANOS? QUE DEUS CONFORTE A VIDA DOS FAMILIARES DESSE MENINO SOLDADO...QUE DEUS TENHA MISERICORDIA DOS APLICADORES DESSE SISTEMA PODRE E RIDÍCULO.CALARAM A BOCA DELE, MAIS A MINHA,NÃO!

ADRIANA BORGO
Presidente da Com dos Direitos Humanos dos Policiais de São Paulo

Editorial do Blog do Cabo Fernando: Por acaso alguém já leu em algum meio de comunicação um suicidio de oficial superior? Claro que não, pelo menos eu nunca vi. E porque nós nunca vimos? Porque eles não sofre a pressão que nós praças e oficiais subalternos sofremos, porque a maioria dos oficiais superiores ficam atras de uma mesa só arquitetando o que fazer para deixar nós do andar debaixo em um andar mais abaixo ainda. Dificilmente nós tomamos conhecimento de um oficial superior respondendo IPM por haver matado um bandido numa troca de tiro em uma ocorrencia de destaque, mas também eles nunca estão na linha de frente (com raras excessões), vamos nós do andar debaixo primeiro e por isso sempre somos nós os processados, enquanto eles nos processam e nos coloca na rua por termos defendido a nossa vida e a vida de quem sequer conhecemos. Por isso esse suicidio acima não foi o primeiro e nem será o último que vamos ver, vários outros colegas praças ou oficiais subordinados tombarão pelas mãos de bandidos ou por suas próprias mãos enquanto esse sistema errônio do militarismo, que dão tudo e superpoderes para aqueles que estão no andar de cima e praticamente nada para nós do andar debaixo. Estamos aguardando um salvador da pátria para nos tirar deste inferno astral. O blog do Cabo Fernando da os pesames aos familiares desse soldado guerreiro que é mais uma vítima da ignorância humana.

Fonte: Blog do Cabo Fernando 

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Militar britânica se enforca após bullying por ter acusado colegas de estupro

BBC Brasil

A mãe de uma militar britânica que se suicidou em outubro passado disse à BBC que sua filha se matou depois de ter sofrido bullying por acusar dois colegas de estupro. 

A filha de Alexandra Barritt's, a soldado de Infantaria Anne-Marie Ellement, 30 anos, foi encontrada enforcada em Bulford Camp, em Wiltshire, Inglaterra. 

Alexandra afirma que ela foi estuprada por dois homens, mas procuradores militares não acataram a denúncia. 

O Ministério da Defesa afirma que vai investigar as acusações. Um porta-voz disse: "À luz das alegações que emergiram... a Policia Real Militar está examinando se as ações tomadas estavam de acordo com os padrões e valores das Forças Armadas. Antes da morte, a oficial Ellement recebeu apoio do Exército, o que continuou ocorrendo até sua morte. O Exército tem tolerância zero com bullying e assédio moral junto a seu pessoal". 

Alexandra, porém, disse que a filha foi abandonada. "O caso do estupro foi o que começou tudo e deveria ser reaberto. Ela me escreveu dizendo estar vivendo um inferno. Quero ver justiça para Anne-Marie porque não houve justiça antes. Ela me disse que estava deprimida, cansada do Exército e que queria sair", disse. 

'Quase ninguém fala comigo' 

O sonho de Anne-Marie era se tornar soldado e seguir a carreira de seus pai e avô no Exército, afirmou a mãe da militar. Continue lendo no Blog Notícias Militares

sexta-feira, 23 de março de 2012

Luto pela morte de três PMs em Uberaba

 
Ontem à noite na cidade de Frutal o Cb. PM Marco Túlio suicidou-se e não se sabe ainda o motivo, sabe-se que ele estava ao telefone com a namorada quando ela ouvido o disparo da arma, e a mesma acionou o socorro para Marco Túlio, com a chegada do resgate ele já se encontrava sem vida.

O corpo será velado no cemitério São João Batista o sepultamento será amanha dia 24 com horário a confirmar.
Faleceu ontem a noite de causas naturais o Sgt Orlando Borges Afonso, o corpo esta sendo velado na funerária Pagliario, o sepultamento será as 14h00min hora de hoje dia 23 no cemitério São João Batista.

E ontem foi sepultado o Cb. PM Vidal que foi vitima de acidente de transito no ultimo dia 15, ele ficou internado no hospital de clinicas ate o dia 22 e não resistindo aos ferimentos veio a óbito.
Que Deus Pai ilumine a alma destes irmãos e conforte os seus familiares.



sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Mais um suicídio de PM em Minas Gerais

        Foi encontrado no município de Canápolis o corpo do Soldado Alyson, que foi lotado na 171ªCia PM/32°BPM, na qual trabalhou por quase mais de uma década. O militar estava afastado por problemas psicológicos e psiquiátricos e já estava afastado do serviço operacional. Segundo informações extra-oficiais o corpo foi encontrado enforcado. A ocorrência estaria transcorrendo e por esse motivo não temos ainda o número do REDS.´
   
       JESUS disse: "quem nunca pecou que atire a primeira pedra". Muitos de nós prejulgamos esse ou aquele que vez por outra apresenta algum problema, seja em nível pessoal ou profissional. O suicídio do Sd Walison é a prova de que aqueles que o prejulgaram estavam errados. Ele de fato estava doente. Agora é torcer para que a família não fique desamparada e que todos os direitos sejam garantidos aos seus dependentes.

            Pude trabalhar por algum tempo com esse militar, que depois ficou longo período afastado, e só posso dizer que era um bom profissional enquanto tinha saúde. Depois dos problemas que passou, de fato não poderia ter o mesmo desempenho.
   
            Ainda não temos informação sobre o velório e nem o local do sepultamento. 
        
            A família as nossas mais sinceras condolências.

Nesta data, por volta das 14:50 horas, na Rua 14, 455, Bairro Centro - Canápolis-MG, recebemos solicitação de terceiros que informava a morte por suicídio do nº 1236280, SD 1 CL ALYSSON COELHO DE FARIA, lotado na 171 Cia PM - 32º BPM. No local do fato havia uma casa abandonada e na varanda no fundo do imóvel, foi encontrado o corpo do militar pendurado por uma corda de aproximadamente 1/70 de comprimento, em volta do seu pescoço, aparentando ter sido vítima de auto-extermínio (suicídio). O corpo se encontrava levemente encostado num tanque ali existente com a cabeça inclinada para frente, língua projetada para fora, braços estendidos, pernas semi-flexionadas e ambas tocando o solo. Na oportunidade, foi encontrada uma mensagem escrita numa vigota do telhado da área de serviço com um pedaço de telha com os seguintes dizeres: “ENLFA, eu te amo/desculpa”. De acordo com informações de terceiros, nesta tarde, o militar teria se desentendido com seus familiares por ser dependente químico (crak) e por envolvimento com pessoas de conduta duvidosa. Ainda de acordo com versão da amásia, a bicicleta do Sd Alysson foi encontrada estacionada do lado de fora do imóvel, pertencente a seus parentes, o que lhe motivou adentror na residência a procura do "marido", quando deparou com o corpo do militar em óbito. Após o acontecimento, populares acionaram a PM para as providencias decorrentes. A perícia esteve no local e realizou seus trabalhos, liberando o corpo para a Funerária Fratari de Canápolis, que conduziu o féretro ao IML de Ituiutaba. Conforme familiares, os serviços póstumos ficarão sob os auspícios da funerária, situada na Rua 03, 404, Centro, Canápolis-MG. Até o encerramento desta msg, ficou definido que o corpo será sepultado nesta cidade em horário a ser confirmado. O Cmte do Pel PM acompanhou a ocorrência e prestou auxílio aos familiares.
IntranetPM

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Auto Exterminio de Militar da PMMG (mais um suicídio, até quando? Ninguém vai fazer nada?)

BO: 2011 - 1469019  - M.A.M, 31 ANOS - SOLDADO PM - Nº 144.064-3
FATO: O CORPO DO POLICIAL MILITAR LOTADO NA 7ª CIA PM IND/IGARAPÉ, FOI ENCONTRADO PELA ESPOSA E PELO SOGRO DELE, CAÍDO EM UM CORREDOR DO LADO EXTERNO DA RESIDÊNCIA E COM A ARMA NA MÃO ESQUERDA, JÁ EM RIGIDEZ
CADAVÉLICA, E COM UM FERIMENTO NA CABEÇA. A PERÍCIA CONSTATOU DUAS PERFURAÇÕES NA CABEÇA ENTRE ENTRADA E SAÍDA DA ESQUERDA PARA A DIREITA, E RECOLHEU NO LOCAL UMA PT. IMBEL, .40, DA CARGA DA PMMG, Nº EQ,xxxxxxxxx, E UM CARREGADOR COM 15 CARTUCHOS INTACTOS E 01 DEFLAGRADO. SEGUNDO INFORMAÇÕES DA ESPOSA O POLICIAL MILITAR ESTARIA BASTANTE APREENSIVO E PREOCUPADOContinue lendo no blog da Renata:>>>.>

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

SUICÍDIO ENTRE MILITARES DE MINAS GERAIS - QUANDO A DS VAI LEVAR Á SÉRIO TAL PROBLEMA?


Infelizmente o  tema suicídio nas instituições militares ainda é tabu,contudo, os problemas não são resolvidos através da negação da sua existência. Há militares e policiais sofrendo com perseguições, dívidas, alcoolismo, pressões, assédios de todas as modalidades vem enfrentar o estresse adicional das constantes críticas dos próprios pares que acham que estão “fazendo corpo mole”, essas instituições ainda adotam uma política de avestruz que enfia a cabeça na terra para não ver e poder continuar a fingir que não está acontecendo. Os psicólogos nas instituições deveriam ter um pouco mais de autonomia tanto para as questões de afastamento quanto para elaborar programas de prevenção. os policiais têm medo de represálias..por estarem freqüentando psicólogos ou psiquiatras. Somos uma sociedade doente. Mas não precisamos pagar com a vida por essas mazelas. Se você se sente mal, com qualquer coisa, isso é normal, todos temos problemas..procure um médico, e seja sincero nos seus atos, chore , grite, fale a verdade, se não se sente bem com um médico militar, então procure um do convênio. MAS SE AMEM, E SE CUIDEM, NINGUEM FARÁ ISSO POR VCS...Continue lendo no Blog da Renata:>>>>>>>>>>>>

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Soldado desaparecida em Passo Fundo é encontrada morta no RS


A soldado da Brigada Militar Luane Chaves Lemes, de 23 anos, foi encontrada morta na noite desta terça-feira (4) no Rio Grande do Sul. A jovem de Passo Fundo estava desaparecida desde o dia 19 de setembro. Para a Polícia Civil, a hipótese mais provável é a de suicídio.

Segundo a delegada do caso, Daniela Mineto, o corpo foi encontrado em uma propriedade rural de Fontoura Xavier, a 100 km de Passo Fundo, por homens que inspecionavam um açude. A família já fez a identificação.
Luane Chaves Lemes, de 23 anos, está desaparecida há uma semana (Foto: Arquivo Pessoal)No local, a polícia encontrou a arma de fogo que ela portava ao sair de casa, um celular, o restante dos R$ 100 que ela havia sacado, um cartão do banco, a passagem de ônibus que usou para chegar ao local, e todos os pertences da soldado.
A arma tinha apenas um cartucho deflagrado, e o corpo, um tiro na cabeça. “Isso tudo nos trouxe a conclusão de que ela se suicidou”, afirma a delegada. O encerramento do inquérito deve ocorrer com a chegada dos exames da necropsia, que devem confirmar se esta foi a causa da morte.
Durante as investigações, segundo a delegada, a linha principal era a de suicídio. “Pelas mensagens que ela havia deixado para o namorado na noite anterior ao desaparecimento. Eram mensagens de despedida, dizia que ele, o namorado, nunca mais ele a veria. Que ia carregar esse peso com ele”, afirma a delegada.
De acordo com Mineto, com o rompimento do namoro, um relacionamento conturbado, o namorado começou a sair com amigos, e a soldado se sentiu ofendida. Ela não deixou mensagens de despedida para a família.
Nesta segunda, a polícia obteve imagens do circuito de segurança da rodoviária de Passo Fundo, que mostravam a soldado sozinha, comprando uma passagem de ônibus e seguindo em direção ao terminal de embarque. Ela gastou R$ 60 na passagem. O motorista do ônibus disse em depoimento que notou a falta de um dos passageiros após uma parada.
G1

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Efeitos danosos do assédio moral nas relações de trabalho



Pode-se entender o assédio moral como uma forma de violência de natureza psicológica, que atenta contra a dignidade psíquica do indivíduo, por meio de ações as mais diversas, compreendendo gestos, palavras e atitudes, que humilham, degradam e atingem reiteradamente a vítima, visando desestabilizá-la, isolá-la ou eliminá-la do local de trabalho.
No Brasil, a expressão mais difundida para o fenômeno é "assédio moral", sendo utilizados também, como dito, os termos "terrorismo psicológico" ou "psicoterror". Em países estrangeiros, há o uso de termos variados, a saber,bullyingmobbingharassment e ijime, terminologias que refletem diferenças de nacionalidade e de perspectiva cultural dos pesquisadores.
2.1.Conseqüências do mobbing para a saúde da vítima
O assédio moral no ambiente de trabalho causa sérios danos à saúde da vítima, tanto física como psíquica, com a manifestação de distúrbios psicossomáticos.
Os estudos realizados por Hirigoyen evidenciam exatamente isso. De início, os efeitos sentidos pela vítima são o estresse e a ansiedade, a depressão, distúrbios psicossomáticos, podendo chegar, nos casos extremos, ao estresse pós-traumático. [01]
O quadro a seguir, fruto de levantamento realizado por Margarida Maria Silveira Barreto, médica do trabalho e pesquisadora, com 2.072 trabalhadores, ilustra como homens e mulheres respondem ao assédio moral no ambiente de trabalho: [02]
Sintomas
Mulheres (%)
Homens (%)
Crises de choro
100
-
Dores generalizadas
80
80
Palpitações, tremores
80
40
Sentimento de inutilidade
72
40
Insônia ou sonolência excessiva
69,6
63,6
Depressão
60
70
Diminuição da libido
60
15
Sede de vingança
50
100
Aumento da pressão arterial
40
51,6
Dor de cabeça
40
33,2
Distúrbios digestivos
40
15
Tonturas
22,3
3,2
Idéia de suicídio
16,2
100
Falta de apetite
13,6
2,1
Falta de ar
10
30
Passa a beber
5
63
Tentativa de suicídio
-
18,3
Como se pode constatar, há diversos sintomas comuns a homens e mulheres, em maior ou menor proporção, sinalizando todos eles o sofrimento imposto à vítima de assédio moral.

Autor: Aloizio Apoliano Cardozo Filho

Procurador Federal desde dezembro de 2003, atualmente lotado e em exercício na Procuradoria-Geral Federal, em Brasília, órgão vinculado à Advocacia-Geral da União.Ex-servidor do Poder Judiciário do Estado do Ceará, de 1995 a 2003. Graduado em Direito pela Universidade Federal do Ceará.Pós-graduado em Direito e Processo do Trabalho.

fonte: jus.com.br
 arte: http://pactoseimpactos.blogspot.com:


Outro link interessante: Click aqui:>>>

Nota do blog: Pena que muitos estados não reconhecem algumas práticas abusivas como assédio moral ou sexual. Isso explica os índices cada vez maiores de suicídio dentro dos quartéis.