Seguidores

Mostrando postagens com marcador tragédia Nova Friburgo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador tragédia Nova Friburgo. Mostrar todas as postagens

sábado, 24 de março de 2012

População de Nova Friburgo revoltada com ambulâncias do SAMU paradas

Quatro ambulâncias paradas há 8 meses no quartel dos Bombeiros; acima reparem no círculo amarelo, o cartaz com o aviso "Lacrado - 20/07/2011"
Quatro ambulâncias paradas há 8 meses no quartel dos Bombeiros; acima reparem no círculo amarelo, o cartaz com o aviso "Lacrado - 20/07/2011"

É revoltante. O governo federal enviou ambulâncias novas do SAMU. Mas repararam o que está acontecendo em Nova Friburgo? Quatro ambulâncias novas estão paradas no pátio do quartel dos Bombeiros da cidade, com um papel colado dizendo que estão lacradas desde 20 de julho de 2011. Dizem que estão paradas porque não há pessoal para trabalhar nas ambulâncias. Já são oito meses. O povo de Nova Friburgo merece mais respeito. Isso é descaso, omissão. O pior é que há relatos de várias ambulâncias paradas nos quartéis do Corpo de Bombeiros no interior. Com a palavra o coronel Sérgio Simões.

Em tempo: Será que essas ambulâncias paradas estão no pacote que o comandante dos Bombeiros, o coronel Simões fechou com a Rufolo para limpeza e desinfecção por R$ 483 mil. Mostrei isso aqui no blog na quarta-feira.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Mídia brasileira fala do tsunami do Japão e esquece das tragédias do Morro do Bumba e de Nova Friburgo


Parte da grande mídia brasileira mostra reportagens do Japão, após um ano do tsunami que quase limpou a cidade do mapa, o que é muito justo. Porém, ninguém mais fala das tragédias do Morro do Bumba ou de Nova Friburgo, onde morreu muita gente, não tiveram verba quase nenhuma, e as poucas que foram, acabaram desviadas pelos prefeitos e vereadores. A mídia sempre desaparece...ela parece vampiro...só quer o sangue do momento...depois some, não acompanha os desdobramentos...e ainda vem me falar do Japão...ACORDA BRASIL!!!

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

"Nos sentimos despreparados", diz bombeiro de Nova Friburgo (RJ) com casa interditada há um ano

Exatos 12 meses após a tragédia em quase 500 pessoas morreram, em 12 de janeiro de 2011, o município de Nova Friburgo (RJ), na região serrana fluminense, ainda coleciona esqueletos de construções destruídas, obras inacabadas e relatos de gente que perdeu amigos, parentes, vizinhos e bens materiais.
Um dos exemplos de quem sofreu com essas perdas é justamente quem atuou de perto no resgaste das vítimas: desde a data fatídica, o bombeiro Alfredo Marques Werly, 43, está com a casa interditada, não conseguiu o aluguel social de R$ 500 mensais e é taxativo em admitir que se sente “impotente” se uma eventual situação de risco se repetir.

Com formação técnica em segurança, o sargento conversou com a reportagem doUOL na sede do Corpo de Bombeiros de Nova Friburgo, onde placas homenageiam os três oficiais que morreram em serviço quando buscavam por soterrados no centro da cidade, há um ano. Um desses bombeiros mortos era primo do sargento.

“Lembro que ouvi um estrondo, de madrugada, e só deu tempo de tirar minha mãe, meu irmão e de nos protegermos em um posto de combustível próximo. Tirei dois vizinhos ainda vivos, por meio de uma trilha e no escuro, e ainda vi um dos meus carros ‘voando’”, conta, ao lado do veículo que sobrou. Uma das laterais do veículo está toda amassada e tem vidros quebrados. “Ainda não sobrou dinheiro para arrumar”, afirma Continue lendo no UOL:>>>>>>>>>>

Janaina Garcia
Do UOL, em Nova Friburgo (RJ) .

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Deu no JN: era tudo mentira da Dilma


 Muita mentira e muito marketing naquele 13 de janeiro de 2011... 
"Houve no Brasil um absoluto desleixo em relação à população de baixa renda, que como não tinha onde morar foi morar em fundo de vale, beira de rio, beira de córrego e encosta de morro".

"Moradia em área de risco é a regra, não a exceção"

"E aí vou defender o presidente Lula e nós, Serginho, pois nós fizemos uma parceria. Fizemos o PAC em parceria com governos estaduais e prefeituras"

"Vamos fazer com que a reconstrução seja também um momento de prevenção. Agora temos de resgatar as pessoas, temos de reestruturar as condições de vida nas regiões atingidas"

”Nós vamos atender os desabrigados, os 5 mil, com algumas medidas. Uma delas é o aluguel social, a outra, estamos antecipando o Bolsa Família e o benefício da prestação continuada. Essa é uma ação específica para esse momento”

As frases acima foram proferidas por Dilma Rousseff, atualmente em férias, no dia 13 de janeiro de 2011, em visita as áreas atingidas pelas cheias no Rio de Janeiro. Abaixo, matéria de hoje no Jornal Nacional, provando que o povo daquele estado foi vítima de um amontoado de mentiras oficiais. Nenhum tostão foi liberado. Nada foi feito. E agora, Dilma?Continue lendo no Blog Coturno Noturno:>>>>>>> 

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Enquanto muitos ainda estão desabrigados, prefeito de Friburgo é afastado por corrupção

A Justiça Federal do Rio afastou temporariamente, nesta segunda-feira (7), o prefeito de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, Demerval Barboza Moreira Neto e o secretário de governo José Ricardo Carvalho de Lima. Eles são acusados pelo Ministério Público Federal de improbidade administrativa, desvio de recursos públicos, entre outras ilegalidades. A Justiça informou que eles podem recorrer da decisão.
Nova Friburgo foi uma das cidades mais afetadas pelas chuvas de janeiro, que mataram mais de 900 pessoas no estado.


Em ação ajuizada pelo MPF, Demerval e os outros réus são acusados de pagamento por serviços não executados, superfaturamento, e fraude na contratação de uma empresa de serviço de imunização.



A Justiça Federal explicou que o juiz Eduardo Francisco de Souza determinou, em 4 de novembro, que Demerval e os demais réus fiquem afastados durante o período necessário para as investigações e produção de provas do Ministério Público Federal.

O secretário de Comunicação Davi Massena informou que o presidente da câmara de vereadores Sérgio Xavier assumiu a prefeitura pela manhã. No entanto, segundo o secretário, o novo prefeito não soube afirmar por quanto tempo vai ficar no cargo.
O prefeito afastado negou as acusações e disse que vai recorrer da decisão. O secretário de governo afastado, José Ricardo de Lima, informou que ainda não foi notificado.


Bloqueio de bens
A decisão do magistrado também determinou o bloqueio de bens de Demerval e José Ricardo, além do secretário de Educação e de dois empresários da região, que teriam sido favorecidos de maneira ilegal. A decisão ordena ainda a quebra de sigilo bancário e de gastos com cartão de crédito de todos os acusados. O MPF identificou que quase R$ 400 mil foram sacados em espécie pelos dois empresários.

De acordo com o Ministério Público Federal, as ilegalidades praticadas por Demerval Barboza Moreira Neto e os demais réus resultaram em um prejuízo de R$ 318 mil ao patrimônio público. A verba utilizada de maneira indevida foi repassada ao município pela União, após a catástrofe provocada pela chuva.
Segundo a Justiça Federal, “a permanência do prefeito e do secretário no cargo representam grave risco ao trabalho da Justiça, pois as provas obtidas pela Procuradoria da República mostram que ambos estavam forjando e manipulando os processos administrativos e documentos relacionados aos contratos, mesmo depois da busca e apreensão judicial realizada em julho deste ano”.
G1 RJ

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Por desvios, CGU bloqueia verbas para reconstruir Nova Friburgo


A Controladoria-Geral da União (CGU) informou nesta segunda-feira ter encontrado irregularidades no repasse de recursos do governo federal ao município de Nova Friburgo, no Rio de Janeiro, atingido por fortes chuvas no início do ano. O órgão de controle governamental já havia detectado fraudes em recursos para cidades afetadas por enchentes e deslizamento de terras também em Teresópolis (RJ). Diante das irregularidades, a CGU decidiu bloquear os recursos a que Nova Friburgo teria direito. A prefeitura terá 30 dias para se defender.

A CGU não informou o montante de recursos federais que podem ter sido desviados, mas destacou que, entre outras irregularidades, há inconsistências na comprovação de serviços prestados por duas construtoras - a Vital Engenharia Ambiental S/A e a Terrapleno Terraplanagem Construção Ltda. Nesse caso, avalia o governo, não foi possível garantir que os serviços pagos foram realmente executados.

Também entre as irregularidades, a pasta coordenada pelo ministro do Controle e da Transparência, Jorge Hage, registra que a prefeitura de Nova Friburgo é apontada como a responsável por transferir, sem justificativa plausível, R$ 291 mil em recursos emergenciais para uma conta bancária da própria administração municipal. Outros R$ 400 mil foram sacados em espécie e de forma suspeita para o pagamento de prestadores de serviços.

Na lista de possíveis fraudes, a CGU ressalta ainda indícios de fraude no processo de contratação, sem licitação, da empresa Cheinara Dedetilar de Imunização, que faria serviços de desinsetização, desratização e descupinização em escolas públicas e postos de saúde. A própria empresa não reconheceu ter assinado uma das cotações de preço inseridas no processo.

Tragédia na região serrana

As fortes chuvas que atingiram a região serrana do Rio de Janeiro nos dias 11 e 12 de janeiro de 2011 provocaram enchentes, deslizamentos de terra e mataram oficialmente 905 pessoas. Mais de 300 foram consideradas desaparecidas. As cidades mais atingidas pelos temporais foram Teresópolis, Nova Friburgo, Petrópolis, Sumidouro e São José do Vale do Rio Preto. De acordo com o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), chuvas com tal intensidade ¿ algumas estações registraram quase 300 mm de precipitação em 24 horas - têm probabilidade de acontecer apenas a cada 350 anos.

Fonte: Terra/blog Povo do Rio de Janeiro