Seguidores

Mostrando postagens com marcador upp. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador upp. Mostrar todas as postagens

domingo, 2 de fevereiro de 2014

RIO: Mais dois policiais são assassinados na favela "pacificada" (welcome)



Dois policiais militares (um homem e uma mulher) da UPP do Parque Proletário foram baleados, na tarde deste domingo, durante um intenso confronto entre homens armados com fuzis e os militares, próximo a Praça do Cruzeiro. Os dois foram levados para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha, mas a soldado não resistiu. O outro PM continua internado. A mulher foi atingida no abdômen e o homem, na perna. Ainda segundo moradores, homens do Batalhão de Choque (BPChoque) e do Batalhão de Operações Especiais (Bope) estão no local reforçando o policiamento. Um moradorador flagrou o momento em que policiais militares da unidade, por volta de 15h30, chegam a uma localidade conhecida como Praça São Lucas para socorrer os colegas. Eles estacionam a viatura e atiram para o alto. Logo depois, colocam os dois PMs feridos no banco de trás do carro e saem correndo.

SIGA EM PAZ, SOLDADO ALDA RAFAEL CASTILHO 

PMERJ DE LUTO


O  PM Marcelo Gilliard  que foi baleado na perna no ataque a UPP do Parque Proletário também não resistiu aos ferimentos.

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Cai a máscara do "RIO PACIFICADO"


A Polícia Militar realiza uma grande operação no Morro do Cajueiro, em Madureira, Subúrbio do Rio, na manhã desta quarta-feira (8). A ação é realizada após integrantes de uma facção terem invadido a comunidade na noite de terça (7). Na ocasião, dois policiais militares foram baleados.
Uma mulher solicitou socorro aos policiais após ter sido atingida por uma possível bala perdida na mão durante a entrada dos agentes na comunidade. Não há informações sobre seu estado de saúde. Continue lendo no G1

terça-feira, 12 de novembro de 2013

PMs ficam feridos em acidente com van de UPP



Rio - Pelo menos três policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro do Andaraí ficaram feridos numa colisão entre uma van da PM e um veículo de passeio, no início da manhã desta terça-feira, no Maracanã, Zona Norte do Rio. Pelo menos um deles está em estado grave. Todos foram levados inicialmente para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro.


Segundo o professor de inglês Risovaldo José Moreira, de 76 anos, ele seguia pela Rua Professor Eurico Rabelo quando seu Focus preto, placa LUP-8705, foi atingido em cheio pela van da UPP do Andaraí, placa LQF-5718, no cruzamento com a Rua Manoel de Abreu, pouco antes das 6h30. Com o impacto da colisão, o carro dele foi arrastado por cerca de 50 metros. A van acabou batendo violentamente contra um poste, que ficou pendurado na fiação. A frente dos dois veículos ficaram totalmente destruídas. A perícia ainda era aguardada no local, por volta das 9h25.

"Eles vinham desembestados, em alta velocidade e acabaram me atingindo. Sempre fui e sou cuidadoso no trânsito. É a primeira vez que sofro um acidente em todos esses anos de habilitado", contou Risovaldo. O professor seguia para o Méier, na Zona Norte, onde daria aula no Colégio Hélio Alonso. Depois do trabalho ele seguiria para o Hospital Evangélico, na Tijuca, onde sua mulher está internada. O motorista sentia um incômodo no peito, mas aguardava a chegada do seguro para seguir para o hospital. Continue lendo no jornal O DIA

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Marido de policial militar é decapitado no Rio (pacificado...)


Marido de policial militar é decapitado em Realengo, na Zona Oeste do Rio


Cabeça foi deixada em mochila frente ao imóvel na Rua Laura Dias, em Realengo (Foto: Reprodução / TV Globo)
Um homem foi brutalmente assassinado na madrugada desta terça-feira (29) em Realengo, na Zona Oeste do Rio. Segundo policiais militares, João Rodrigo Silva Santos, de 35 anos, foi decapitado e sua cabeça deixada na porta da casa da esposa dele, PM que trabalha na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Mangueira, na Zona Norte.

A cabeça da vítima foi deixada dentro de uma mochila em frente ao número 19 da Rua Laura Dias, onde o casal residia, por volta das 6h. Não há informações sobre as motivações do crime.
As primeiras informações coletadas por agentes do 14º BPM (Bangu) dão conta que traficantes das favelas Minha Deusa, Vila Vintém ou Curral podem ter cometido o crime. A Polícia Militar procura os responsáveis.
Policiais da Divisão de Homicídios (DH) foram para o local para realizar perícia.

domingo, 6 de outubro de 2013

Policial da UPP da Cidade de Deus, no Rio, é morto a tiros em serviço

O policial Anderson Dias Brazuna, de 34 anos, foi morto a tiros enquanto fazia uma ronda na Avenida Miguel Salazar Mendes de Moraes, na Cidade de Deus, Zona Oeste do Rio, na noite deste domingo (6). 
Soldado, que trabalhava na UPP da comunidade, averiguava denúncia de carro roubado. (Foto: Ari Peixoto/TV Globo)Segundo depoimentos, o soldado, que trabalhava na UPP da comunidade, averiguava uma denúncia de um carro roubado. Três pessoas que estavam no automóvel seriam detidas, mas uma delas fugiu. A ação policial provocou a reação de cerca de 50 pessoas que estavam numa festa próxima do local aonde ocorreu a abordagem e houve confusão. Durante a discussão, dois homens passaram numa moto e efetuaram os disparos.
O agente foi baleado no peito e, apesar de ter sido socorrido, morreu antes de dar entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da comunidade. Um dos suspeitos também foi baleado e levado ao local.

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Tiroteio entre policiais de UPP e traficantes deixa um morto no Rio (pacificado...)


Uma pessoa morreu e duas ficaram feridas na noite desta quinta-feira após um confronto entre policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio, e traficantes da comunidade. Segundo informações da rádio CBN, tudo começou durante um tumulto entre os policiais e moradores. Na confusão, uma garota de 10 anos teria se ferido com uma bomba de efeito moral e dois PMs atingidos por pedras atiradas pelos moradores. Menos de uma hora depois, teve início um tiroteio na região da UPP.
Durante o confronto, um homem de 21 anos, que comia um cachorro-quente perto de local, foi atingido na cabeça e morreu na hora. Além dele, o morador Ivan Martins dos Santos Filho foi atingido por um tiro no abdômen e um adolescente de 13 anos foi alvejado na perna. Moradores da comunidade alegam que foram agredidos pelos PMs e que soldados da UPP teriam negado socorro após a confusão.  
Por meio de nota, a Polícia Militar informou que policiais da UPP foram atacados por bandidos após um tumulto causado por moradores. Durante o ataque, ainda segundo a PM, criminosos dispararam tiros contra a unidade. Após a morte de um morador, houve mais confrontos  e policiais reagiram com gás de pimenta, bombas de efeito moral e balas de borracha. Homens do Batalhão de Choque foram acionados para dar apoio.
 Portal Terra/Jornal do Brasil

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Vídeo esclarecedor: As UPPs são utopias eleitoreiras de Cabral


fonte: youtube.com/mauricioalexandrecorrea

Comentário nosso: Esse vídeo foi feito bem antes das criações das UPPs, porém, o ex-secretário de segurança do Rio, Hélio Luz demonstra claramente a engrenagem da violência carioca, que UPP nenhuma será capaz de acabar, sem que interfira no social. O conceito de UPP é míope, pois só vê um lado da moeda, e não é com repressão que se atingirá a paz social. UPP é mentira eleitoreira...pois a PM do Rio além de não ter efetivo, paga mal aos seus soldados e não combate efetivamente  as mazelas sociais. Isso tudo é um teatro pra Copa de 2014 e Olimpíadas 2016...

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Ex-comandante de UPP do São Carlos é preso acusado de receber propina do tráfico

Um soldado que já foi lotado na Unidade de Polícia Pacificadora também foi preso na Operação Boca Aberta, além de nove suspeitos de tráfico

POR Gabriela Moreira

Rio -  O ex-comandante da UPP do Morro do São Carlos, capitão Adjaldo Luiz Piedade, e um ex-soldado da unidade foram presos nesta quinta-feira na Operação Boca Aberta, desencadeada pela Polícia Federal (PF) e Subsecretaria de Inteligência do Estado. Outras nove pessoas acusadas de envolmento com tráfico de drogas também foram presas. 

Segundo as investigações, os policiais receberiam propina do traficante Sandro Luiz de Paula Amorim, o Peixe, preso pouco antes da ocupação da Favela da Rocinha, para facilitar a venda de entorpecentes na comunidade. Ainda segundo as investigações, os PMs recebiam R$ 15 mil por mês dos criminosos.
Os federais ainda tentam cumprir mais oito mandados de prisão. Na mesma operação, os irmãos Douglas e Alex Moura Matos, de 25 e 26 anos, moradores do São Carlos, no Estácio, foram presos em casa na manhã desta quinta, em Bangu, na Zona Oeste. 

A operação começou nesta quarta com a invasão da PF no Morro dos Dezoito, em Água Santa, na Zona Norte. Foram apreendidos 330 quilos de maconha, 107 frascos de lança-perfume e carregadores e munição para fuzil. Traficantes que atuavam no São Carlos e Rocinha tentavam se esconder na favela. Continue lendo no ODIA:>>>>>>>>>>>

Blog Notícias Policiais

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Policial é acusado de matar comerciante em briga no RJ

O policial militar Allan Coelho Monteiro, que trabalha na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da comunidade da Formiga, na zona norte do Rio de Janeiro, é acusado de matar o comerciante Rafael Antonio Cesar Dias Pereira, na madrugada de ontem, durante uma briga de trânsito na Rodovia Washington Luiz.
A Corregedoria da Polícia Militar (PM) informou na manhã de hoje que já obteve junto ao plantão judiciário, às 3h da madrugada, o mandado de prisão preventiva do policial militar.
O corregedor da PM, coronel Waldyr Soares Filho, informou que o policial ainda não foi preso, mas seus familiares já disseram que ele se apresentará na tarde de hoje. "A corregedoria agiu proativamente e obteve o mandado porque o caso é muito grave", disse o corregedor.
Por Solange Spigliatti | Agência Estado 

G1

sábado, 5 de novembro de 2011

Bandidos atacam policiais da UPP da Mangueira

Um grupo de criminosos armados atacou policiais militares lotados na recém-inaugurada Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Mangueira. O incidente ocorreu na madrugada deste sábado. Na ação, um traficante acabou preso.
De acordo com informações da Polícia Militar, os bandidos tentavam fugir do Morro do Tuiti, em São Cristóvão, dentro de um carro roubado. O local faz parte da área da nova UPP e estava ocupado pelo Batalhão de Operações Especiais desde junho.
Ao se depararem com uma viatura da PM, na Rua São Luís Gonzaga, eles dispararam contra os agentes, que revidaram. Houve uma perseguição e um traficante acabou sendo baleado e, posteriormente, preso. Um policial também acabou ferido e foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HGPM), no Estácio. Era o primeiro plantão do agente na UPP.
JBonline

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Policial de UPP é presa com armas frias e documentos falsos


A mesma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) onde foi descoberto um esquema de pagamento de mesadas do tráfico para policiais militares está, desde domingo, mergulhada em outro escândalo. A policial Dayana Moreira Lemos, 26 anos, que integrava a equipe da UPP do Fallet-Fogueteiro, foi presa com duas armas com numeração raspada e está sendo acusada também de falsificação de documentos.

Dayana foi presa por policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da PM no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Os policiais tinham deixado a favela da Mangueirinha - um dos locais para onde fugiram traficantes que escaparam do Complexo do Alemão. Por volta das 23h30, os policiais abordaram um carro onde estavam Dayana e o homem identificado como Ricardo Moreira da Costa, 22 anos, companheiro da policial. Ao revistar o carro, um dos policiais do Bope encontrou uma pistola Taurus, calibre 380, registrada em nome da policial, e dois revólveres caliber 38 com numeração raspada. No veículo havia ainda uma série de objetos que levantam suspeitas: um par de algemas, uma touca ninja, carimbos com CRM de médicos e documentos para dispensa médica supostamente falsificados.

No registro do auto de prisão em flagrante consta que os dois acusados tentaram agredir os policiais do Bope. Dayana chegou a se identificar como policial, sem apresentar documentação. “Ela e o marido chegaram à delegacia muito alterados. Estavam visivelmente bêbados, agressivos", afirmou a delegada-adjunta Fernanda Fernandes, da 62ªDP (Imbariê), onde o caso foi registrado.

A prisão de Dayana é um mais um baque em uma unidade ainda abalada pela prisão de seus comandantes, afastados e presos ao longo de uma investigação sobre facilitação para traficantes, recebimento de mesada e "vista grossa" para as ações do tráfico. É também um banho de água fria em um dos pilares das UPPs, formadas por policiais recém-saídos da academia. Dayana integrava uma das novas turmas, de quem se espera menos vulnerabilidade à corrupção e aos ganhos fáceis oferecidos pelas quadrilhas.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Entrevista: Comandante do Bope fala sobre UPPs, corrupção, COE, Copa de 2014 e terrorismo



Em entrevista, o Comandante do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Coronel Rene Alonso, fala sobre a condução de incursões em favelas não-pacificadas e para instalação de Unidades de Polícia Pacificadora (UPP); corrupção; a mudança da Unidade para o Complexo de Favelas da Maré, para compor o Centro de Operações Especiais (COE); Copa de 2014, terrosrismo e novas tecnologias que serão usadas pela tropa.

‎Fala ainda do investimento de R$ 250 milhões no COE e aumento da tropa de 400 homens, para algo em torno de 700 a 800 soldados, a partir desta mudança.

O vídeo é uma produção do pesquisador Andrew Fishman, doRio Radar, em parceria com Cecília Olliveira, jornalista e editora deste Blog.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Soldado da UPP do Turano é preso furtando roda de carro

Um morador da comunidade do Turano, na Tijuca, Zona Norte do Rio, chamou policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) ao flagrar um homem furtando as rodas do seu veículo. A surpresa veio ao constatar que o acusado, preso em flagrante, era um soldado da própria UPP. O incidente ocorreu na última terça-feira.
De acordo com a assessoria da PM, além do inquérito criminal, o policial também responderá administrativamente e poderá ser excluído da corporação.

Na 6ª DP (Cidade Nova), o policial disse que havia pago R$ 100 pelas rodas a um homem que se apresentou como dono do carro, mas não soube dizer seu nome. Ele foi liberado após pagar uma fiança de um salário mínimo (R$ 545).
 
Extra.globo.com
foto: André Teixeira

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

UPPs: só este ano, 254 policiais já deixaram batalhões e foram para as favelas

Só em 2011, a Polícia Militar já transferiu para as UPPs 254 policiais — a maioria cabos e sargentos —, que deixaram os tradicionais batalhões de área para atuar no projeto que é a vitrine da segurança pública do estado. O levantamento, feito pelo EXTRA a partir dos boletins internos da corporação deste ano, mostra que os policiais que trabalham nas favelas pacificadas já não são apenas praças recém-formados.

Um dos policiais transferidos para a UPP do Fallet-Fogueteiro e Coroa no mesmo período foi o sargento Rinaldo do Desterro dos Santos, suspeito de ser o operador do esquema que recolhia R$ 53 mil mensais de bandidos para autorizar o tráfico nas favelas. Antes, o sargento estava lotado no Batalhão de Choque.

A ideia de colocar recrutas nas UPPs é um dos pilares do processo de pacificação. Em março deste ano, num seminário em São Paulo, o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, já havia ressaltado a importância de empregar policiais recém-formados, que estariam “sem vícios”.

Nos primeiros meses do ano, quando foram criadas as UPPs dos bairros de Santa Teresa, Rio Comprido e Catumbi, a transferência teve seu auge. Só em 22 de fevereiro, uma leva de 21 policiais deixou os batalhões de Choque e de Polícia Rodoviária, além de unidades da Zona Norte e da Baixada, e foi para a UPP do Escondidinho e Prazeres, onde estão lotados 179 PMs.

Procurado, o Comando de Polícia Pacificadora (CPP) afirmou, em nota, que o uso de policiais mais experientes é necessário para supervisionar os recrutas. Em outras tarefas, os mais antigos também seriam importantes, como o caso do sargento da Cidade de Deus que dá aulas de futebol para crianças da comunidade.

Segundo Silvia Ramos, coordenadora do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (Cesec), é fundamental que os policiais empregados nas UPPs continuem sendo prioritariamente recrutas. Silvia concorda que os mais antigos são importantes para auxiliar e orientar os novatos, mas ressalta a necessidade de a seleção ser rigorosa:

— O exemplo do caso de corrupção da Coroa mostra que houve uma mistura entre um policial da antiga, que levou com muita rapidez um conjunto muito grande de jovens policiais a entrar no esquema de corrupção.

Na terça-feira, o EXTRA mostrou que 159 policiais de UPPs estão oferecendo em um site na internet seus postos de trabalho, pedindo para deixar as unidades, o que significa deixar para trás uma gratificação de R$ 500.
 
Guilherme Amado
Jornal Extra.globo.com 

sábado, 6 de agosto de 2011

Rio compra 1.000 armas com defeito para policiais de UPPs

A Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro comprou cerca de mil carabinas para serem distribuídas aos policiais que trabalham nas novas UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora). Entretanto, as armas apresentaram defeito.

Enquanto esse armamento não vai para a tropa, os policiais trabalham com pistolas e armas não letais. Policiais reclamam que as armas fornecidas a eles são velhas e dizem se sentir inseguros, porque os criminosos usam fuzis e granadas.

Por Evelyn Moraes e Carolina Farias

Fonte: R7