Seguidores

Mostrando postagens com marcador youtube. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador youtube. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 5 de março de 2013

Procuradoria da Câmara vai monitorar vídeos na internet contra parlamentares


Encarregada de defender a imagem da Casa e dos deputados federais, a Procuradoria da Câmara quer controlar a internet para tirar do ar vídeos e comentários que desagradam aos parlamentares. O órgão jurídico da Câmara recebe pelo menos duas reclamações por mês sobre textos de blogs e vídeos postados em sites, que são considerados ofensivos ou caluniosos contra os deputados. Foram cerca de 30 reclamações desde janeiro de 2012, de acordo com a assessoria da Câmara. A maior parte é relativa a conteúdo publicado no portal Blogger e no site de vídeos Youtube, duas das maiores marcas pertencentes ao Google.


“Uma coisa é a boa informação, outra coisa é a informação incorreta. Ninguém pode publicar algo ofensivo, errado, inverídico. Quando isso acontece, temos que levar a questão à frente e, lamentavelmente, muitas vezes chegar aos tribunais”, afirma o novo procurador-geral da Câmara, o deputado Cláudio Cajado (DEM-BA), há uma semana no cargo. Ele garante que tentará uma aproximação cordial com a empresa, para evitar desgastes para ambos os lados. “Tentarei manter um relacionamento cortês, seja com o Google ou com qualquer outro meio de comunicação”, afirma.

Fontes: Correio Brasiliense/Portal UAI

Comentário nosso: Essa iniciativa é legítima, menos até do que  vigilância do cidadão comum. A grande maioria dos políticos, tinha era que criar vergonha na cara e parar de fazer tanta lama num local seco como o Congresso. Eles fazem coisas que até deus duvida, absolvem políticos filmados pegando propina, votam secreto para que a sociedade não descubra quem votou no que, elegem políticos denunciados pr corrupção para presidente do senado...é isso que eles têm que se preocupar...e não com o youtube. As imagens são construídas através de seus atos...e não pelo youtube.

sábado, 10 de março de 2012

Google diz que Ecad não pode cobrar taxa de blogs que incorporam vídeos do Youtube em suas páginas

Uma reviravolta no caso da possível taxação do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad) sobre os blogs que utilizam vídeos hospedados no site do Google fez com que a empresa emitisse um comunicado informando o Ecad não pode cobrar taxa alguma. Em nota divulgada nesta sexta-feira (9), o Google disse que o acordo assinado entre a empresa e o Ecad “não permite nem endossa o ECAD a cobrar de terceiros por vídeos inseridos do YouTube”. Antes, na quarta-feira (7), o órgão havia afirmado que tem embasamento legal para fazer a cobrança. Veja o post completo no blog do Youtube Brasil.


Fonte: O TEMPO