domingo, 20 de abril de 2014

VERDADES SOBRE A GREVE DA PMBA

Peço que por favor leiam até o fim...


Quando começou os trabalhos de Estudo para Modernização da PMBA, todos tinham a certeza que a ASPRA iria tumultuar para que nada fosse produzido de fato, ledo engano, mesmo com algumas limitações e dificuldades a UNIÃO e o RESPEITO entre as associações mais o Dep Capitão Tadeu começou a surgir uma PMBA moderna projetada para fazer a diferença fato que empolgou a todos e o melhor UNIU em torno de um ÚNICO PROJETO OFICIAIS E PRAÇAS.APPM, ABSSO, ASPRA, AOAPM, FORÇA INVICTA, OBCI e 2 DE JULHO fizeram algo nunca visto na história da PMBA, e aos poucos essa de quanto pior melhor deu lugar de QUANTO MAIS MODERNA TODOS GANHAM. Mesmo assim o SISTEMA tinha a certeza que PRISCO iria provocar uma greve, e foi nessa linha que caminhou e baseou o relatório que substanciou a sua prisão.
Quando encerramos os trabalhos tínhamos convicção que nossa missão tinha se cumprido, quando veio a ducha de água fria por parte do GOVERNO com a apresentação das minutas, aí o desespero em TODOS foi, o que falar aos policiais baianos, como explicar 9 meses de espera e nada, e o pior uma retirada sem nenhuma vergonha de nossos direitos. Foi aí que vimos em PRISCO a preocupação, pois por algum motivo que pouco importa agora ele NÃO QUERIA greve.Foram dias de angústia até a Assembleia, sabíamos que naquele momento era inevitável uma greve, os policiais por ódio desse Governo não aceitavam outro caminho se não a paralisação, Prisco atrasou em quase 3 horas pois tentava de todo custo algo real por parte do Governo QUE NÃO VEIO, todos nós já sabíamos que a pressão nele para NÃO GREVE era grande. Ele tentou mudar o pensamento de quase 12 mil PMs revoltados, além de ser vaiado foi engolido pelos gritos de greve.



A partir dai as lideranças de TODAS ASSOCIAÇÕES mais o Dep Capitão Tadeu começaram uma via cruzes com o GOVERNO que INTENCIONALMENTE dificultou ao máximo o diálogo e a negociação, e paralelo a isso fizeram um relatório detonando a vida e a conduta de Prisco.Ao fim do movimento, que de fato o empenho de Prisco ( mesmo sendo estranhado por todos) foi imprescindível para que fosse aceito pelos presentes foi o que mais foi comentado entre TODAS LIDERANÇAS DO MOVIMENTO.



Desmontado toda logística, TODOS buscaram o descanso com seus familiares, foi quando veio mais um ato IRRESPONSÁVEL que foi a PRISÃO de Prisco, e sendo da forma que foi REVOLTOU ainda mais aqueles que sabiam que tinham sido induzidos acabar a greve e estavam sendo mais uma vez TRAÍDOS pelo SISTEMA, e a reação de forma explosiva foi PARAR TODAS ATIVIDADES FICANDO TODOS ARMADOS E CONCENTRADOS. As lideranças que conseguiram se comunicar e conhece muito bem a categoria perguntava "E AGORA?". Foi quando de forma CORAJOSA e TALVEZ SEM PENSAR NAS CONSEQUÊNCIAS PESSOAIS o Capitão Tadeu pede que a TROPA AQUARTELE, sabíamos que 100% do EFETIVO já tinha cruzado os braços para o serviço e queriam partir para VIOLÊNCIA. AS LIDERANÇAS neste momento não tinham condições de assumir e nem controlar mais nada, estávamos sem LOGÍSTICA NENHUMA, nem mesmo o Deputado tinha meios, usou a imprensa ate onde pode, pois sabemos que o SISTEMA manda e tentou a todo custo ESCONDER a verdade da população. Mesmo fora da Capital em viagem com sua família, o Cap Tadeu começou buscar contatos, lembrando que era um FERIADÃO, onde AUTORIDADES e LIDERANÇAS estavam viajando, além de buscar informações e aliados para que de alguma forma a vida de Prisco fosse preservada e que as demais ASSOCIAÇÕES E SEUS DIRIGENTES também não fossem alcançados.



Infelizmente, esse momento está sendo usado contra o Deputado Capitão Tadeu e do Vereador Soldado Prisco, pessoas que mesmo com diferenças e arranhões buscaram unir esforços para mudar a SEGURANÇA PÚBLICA e ter uma PMBA MODERNA, pena que a manipulação do SISTEMA através das mídias escondem nesse momento as VERDADES.



Permaneço firme na minha posição e luta ao lado DO DEPUTADO CAPITÃO TADEU por JUSTIÇA SOCIAL que é um dos MANDAMENTOS e base do CRIADOR DO UNIVERSO. Espero mesmo que o nosso Governador que conhece muito bem o que estou falando se disperte a tempo de Honrar as suas raízes e alegrar o coração do DEUS dos seus antepassados.



Evaldo Silva - Subten da PMBA


extraído do facebook

sábado, 19 de abril de 2014

Bahia: Situação só será normalizada quando o vereador Marco Prisco for solto.


O deputado estadual Capitão Tadeu confirmou que os policiais militares retomaram sim, o movimento de greve, em forma de aquartelamento, e que um efetivo de apenas 30% dos policiais militares vão pras ruas, em toda a Bahia, a partir de amanhã, 18. Tadeu afirmou que a situação só será normalizada quando o vereador Marco Prisco for solto. Sobre as questões judiciais que envolvem a soltura de Prisco o deputado explicou: “Sou advogado, e sei que não depende do Supremo Tribunal Federal, pois o juiz pode revogar a decisão. Já entrei em contado com a jurista aposentada Eliana Calmon e ela vai fazer os contatos e o intermédio com os juízes competentes,” falou Tadeu.O deputado informou ainda que não há previsão de realização de assembléia da categoria para os próximos dias.

Após prisão de Marco Prisco, associação sugere mobilização nacional em defesa do líder militar

Assessoria de Imprensa da AMEP



A Associação dos Militares Estaduais da Paraíba (AMEP) recebeu com repúdio e
 indignação a informação de que o vereador e líder dos militares estaduais da 
Bahia, Marco Prisco, foi preso na tarde desta sexta-feira (18), após conseguir,
 com muita luta e coragem, importantes conquistas para os policiais daquele 
estado.

As informações publicadas em portais de notícia da Bahia informam que a prisão
 de Prisco é referente à greve que ele liderou no início de 2012, mas estranha
mente veio ser efetuada logo agora, depois que ele liderou um novo movimento.

Na avaliação do presidente da AMEP, cabo Sérgio Rafael, nenhuma das
 duas manifestações deveria ser motivo para prender Prisco. “Quem já viu
 professor ser preso no Brasil por causa de greves? Quem já viu médico ser 
preso no Brasil por causa de greve? 

Por que, então, um policial militar tem que ser preso quando faz a mesma 
coisa que tantos outros cidadãos brasileiros? 

Que espécie de justiça é essa? 

Que tipo de democracia é essa?”, protestou Sérgio.

Ele disse que as associações militares de todo o Brasil devem se unir e
 pressionar para que essa prisão de Marco Prisco seja revogada, sob pena
 de as polícias de todo o país fazerem o mesmo que os guerreiros militares
 baianos acabaram de promover naquele estado.

“Prisco está sofrendo perseguição por ter tido a coragem de enfrentar um
 sistema corrupto que não tem compromisso nenhum com a segurança pública. 

Nós, policiais e bombeiros militares do Brasil, não podemos nos acovardar
 diante dessa retaliação covarde e mesquinha. Vamos nos unir e mostrar a força
 que nós temos!”, disse Sérgio Rafael.

A AMEP já está programando uma Assembleia Geral com os militares da Paraíba,
 para tratar de reivindicações que também ainda não tiveram resposta por parte
 do governo. 

“Vamos ouvir a tropa e fazer exatamente o que ela decidir”, concluiu Sérgio 
Rafael.

CORONEL RAMALHO (EX-CMT 32° BPM) É PRÉ-CANDIDATO A DEPUTADO FEDERAL


Agora é oficial: o ex - comandante do 32° BPM de Uberlândia, Coronel Ramalho, transferido para Ipatinga, onde foi eleito vice prefeito de lá, declarou que é pré - candidato a deputado federal pelo PRB. Torcemos por ele, para que tenha o mesmo sucesso na política que teve como comandante. Com certeza a política precisa de pessoas honradas, que tenham deus no coração.

O que está por trás da prisão ilegal de Prisco, líder da PM Bahia?

Eu estava lá, não foi ninguém que me contou. Todos os policiais, bombeiros e servidores públicos que foram presos até  02 de agosto de 2013, por reivindicar salários, participar de atos públicos, ou que tenham sofrido prisão em função desses, foram anistiado conforme documento acima e link oficial LEI 12848. Na verdade o que o governo teme é que o movimento baiano se alastre por todo o Brasil. Em plena Copa do Mundo seria vergonha internacional, e mais, em ano de eleição ficaria mais evidente a falta de autoridade do governo. Governo aliás que sempre se mostrou não se preocupar com os trabalhadores da segurança pública, seja quando não vota a reforma do Código Penal que é anterior a 2ª Guerra Mundial, desde 1940. O Estado brasileiro também não tem um Fundo Nacional da Segurança Pública; não tem lei que regulamente o uso de algemas, coisa tão primária. Ou seja o governo do "Partido dos Trabalhadores" está contra os trabalhadores da segurança pública. E mais, em 2012 fizeram um teatro danado quando a mesma polícia baiana estava de greve, forjaram inclusive um tal mandado que teria autorizado escutas telefônicas aos líderes e deputados envolvidos naquele movimento. Até o momento não apareceu o mandado. Militares presos em Bangu I tiveram suas cabeças raspadas e tratados como criminosos, justamente por acreditar que viviam na democracia do Partido dos Trabalhadores. Agora me vem outra mentira, quando a presidente Dilma concede expressamente a Anistia Criminal até 2013 e o Ministério Público Federal ignora e manda prender o líder e vereador da PM Bahia, Marcos Prisco. Em quem devemos acreditar? Qual será a postura da categoria? É tudo tão bem orquestrado que chegaram a dizer que Prisco teria conversado, mesmo depois de preso no presídio de segurança máxima; de que não era para os policiais retomarem o movimento. Isso seria o mesmo que acreditar no papai noel, ou nas promessas de campanha do "Partido dos Trabalhadores"...a atitude que os brasileiros esperam do dito partido...é que votem imediatamente o segundo turno do piso nacional dos policiais e bombeiros, a chamada PEC 300. Para isso eles leram o projeto, mas, para ler as cláusulas abusivas da refinaria de Pasadena não conseguiram ler...

sexta-feira, 18 de abril de 2014

MILITARES DA BAHIA VOLTAM A GREVE DEPOIS DA PRISÃO ILEGAL DE PRISCO

Por conta da prisão do vereador Prisco (PSDB) na tarde desta sexta-feira (18), o deputado estadual Capitão Tadeu (PSB) convocou os Policiais Militares da Bahia a retomarem a greve em entrevista na Rádio Sociedade. Para o socialista, a prisão do líder do movimento grevista foi uma traição do governo Wagner e ele próprio decidiu assumir a liderança convocando todo os policiais a pararem as atividades. Circula também um comunicado de policiais com a mesma conclamação.
 




Leia íntegra de alguns comunicados:

Urgência solicitando a paralisação dos PM’s. Leia íntegra dos comunicados:
Moção de Repúdio ao governo pela traição aos Policiais Militares.  Após P risco ter feito um acordo com o governo para o final da greve, mesmo contrariando parte da tropa , o governo trai a boa vontade dos policiais militares e manda prender Prisco um dia após o acordo que pôs fim à greve, caracterizando um ato de traição do governo contra os policiais militares. Dessa forma ,neste momento, por exigência dos policiais militares, saiu da condição de moderador e assumo a liderança do movimento. Dessa forma ,  conclamo toda a tropa para suspender as atividades imediatamente até que o governo providencie a soltura de Prisco. Ssa , 18/4/2014. Cap Tadeu.


Líder da greve da polícia baiana, Marco Prisco é preso pela PF (mesmo anistiado...)

Marco Prisco é preso pela PF nesta sexta-feiraO vereador Marco Prisco (PSDB), líder da greve da PM na Bahia, foi preso a pedido do Ministério Público Federal na Bahia (MPF-BA), nesta sexta-feira (18). O mandado de prisão foi expedido na terça (15), no primeiro dia da paralisação. A prisão foi realizada pela Polícia Federal em um resort em Costa de Sauípe, onde Prisco se encontrava. O pedido foi feito na segunda-feira (14), dentro da ação penal movida pelo MPF em abril de 2013 , que denunciou sete pessoas entre vereadores, soldados e cabos da PM por diversos crimes, a maioria deles contra a segurança nacional, praticados durante o movimento paredista de 2012. A intenção do pedido de prisão preventiva foi de garantir a ordem pública. De acordo com o MPF, o vereador é processado por crime político grave e qualquer recurso contra sua prisão só poderá ser ajuizado no Supremo Tribunal Federal. A prisão será cumprida inicialmente em presídio federal localizado fora do estado da Bahia.
Veja o mandado de prisão (confira maior):

Filme Em nome da razão (holocausto brasileiro)

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Acaba a greve da Polícia Militar da Bahia

PMs comemoram fim da greve na Bahia (Foto: Maiana Belo/G1)
LEIA MAIS NO G1 BAHIA

"Maria UPP" teria feito sexo com policiais em serviço


Em entrevista à Rede Record, a mulher de um policial afirmou que sabe que a Maria UPP costuma frequentar as bases da polícia na Cidade de Deus e no Complexo do Alemão. A morena não recebe para ter as relações sexuais nas UPPs, mas ganha dinheiro para pagar o táxi de volta para casa. A Coordenadoria de Polícia Pacificadora apura quem são os envolvidos nas orgias.

Vídeo: GREVE DA POLÍCIA NA BAHIA: 21 MORTES E SAQUES AOS COMÉRCIOS


Maldição da PEC 300: Mais um estado vai parar atividades policiais, agora Rio Grande do Norte


PM's decidem paralisar atividades dia 22
Acampados há mais de uma semana em frente a Governadoria, os policiais e bombeiros militares do RN decidiram por paralisar as atividades a partir da próxima terça-feira, 22.

Cansados de esperar uma atitude do Governo e do descaso enfrentado diariamente, os militares estaduais resolveram confeccionar uma pauta de reivindicações, incluindo, além da Lei de Promoção de Praças, assuntos relevantes como:
* o pagamento dos níveis do subsídio e das férias;
* implantação de um auxílio alimentação – vez que muitos PM’s estão passando mal com as quentinhas fornecidas;
* fornecimentos de equipamentos adequados – muitos PM’s são flagrados empurrando viaturas e com coletes em péssimas condições;
* reajuste de 15% no subsídio – no acordo feito entre a categoria em 2011, até o ano de 2014 os Soldados estariam com o subsídio inicial de R$ 3,4 mil, tendo reuniões anuais para fixar o reajuste. Atualmente, os Soldados recebem R$ 2,2 mil;
* Convocação dos 824 candidatos aprovados na segunda fase do último concurso realizado pela PM – atualmente a Polícia Militar do RN tem um déficit de mais de 4 mil policiais.
Entre outras reivindicações, a principal pauta segue a Lei de Promoção de Praças, a qual irá garantir a perspectiva de ascensão do policial e bombeiro militar. Atualmente, muitos militares vão para a reserva remunerada (aposentadoria) ainda como Soldados, o que vem gerando insatisfação entre a categoria.
Comento: É uma pena que o governo federal trate a segurança pública com tamanho desprezo, como se o Brasil vivesse um estado de paz. Como ficará a segurança pública na Copa 2014, com o povo querendo ir às ruas se manifestar e as polícias militares em greve? Dizem que o Exército irá substituí-las, mas, o efetivo do Exército representa 1/4 do efetivo total das polícias do Brasil. Então, como diria o personagem mexicano Chapolim Colorado: "quem poderá nos salvar?".

19 mortes são registradas em 24 horas de greve policial em Salvador e região (welcome)

Leia no G1 Bahia

Justiça decreta ilegalidade da greve PM Bahia, leia mais no G1

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Absurdo!! Vereador Militar sendo agredido dentro do quartel do Rio


Vejam que embaraçados os chefes ficam...


Vejam só que curioso, o Cel Simões através do corregedor interno , determina que os agentes da B2 impeçam a todo custo a entrada do vereador Bombeiro Marcio Garcia nas unidades do CBMERJ; tudo na sugestão, pois ninguém apresenta nada por escrito ou registra a autoria da determinação. Mas, quando eles próprios e que estão de frente, não cumprem a própria determinação e dizem: - porque que você não se identificou?


É aquela velha história: Façam o que eu mando, mais eu mesmo, não faço. 



OS CHEFES NÃO MUDAM; A HISTÓRIA É SEMPRE A MESMA. O PIOR É QUE POR MIGALHAS, MUITOS BOMBEIROS SE SUJEITAM A TUDO. LAMENTÁVEL...

Isso porque falam que a ditadura acabou, portanto vivemos na "democradura"...

terça-feira, 15 de abril de 2014

Policiais militares decretam greve por tempo indeterminado na Bahia


BAHIA
Decisão foi tomada em assembleia realizada no Wet'n Wild, na tarde desta terça-feira (15). Atualizado em 15/04/2014 19:36:29

Os policiais e bombeiros militares da Bahia decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. A decisão foi tomada em assembleia realizada no Wet'n Wild, na tarde desta terça-feira (15). A categoria rejeitou as propostas apresentadas pelo Governo do Estado de reestruturação e modernização da Polícia Militar.


A categoria, que reúne pelo menos 34 mil homens na ativa no estado, reivindica melhoria salarial, mudanças na política remunerativa, plano de carreira, acesso único ao quadro de oficiais, um Código de Ética, aposentadoria com 25 anos de serviço para a Polícia Feminina, aumento do efetivo, bacharelado em Direito para os oficiais, além de elevação de toda a tropa para o nível superior entre 2014 e 2018.
O governo tem até 180 dias antes do início do período eleitoral para remeter ao Legislativo qualquer projeto que provoque alterações salariais de servidores.
A assembleia desta terça-feira contou com as diversas associações da categoria, como a Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), a Associação de Praças da Polícia Militar do Estado da Bahia (APPM-BA) e a Associação dos Oficiais da Polícia Militar da Bahia (Força Invicta).
O coordenador-geral da Aspra, Marco Prisco, já havia afirmado que as propostas sugeridas pelo Governo não agradavam. "As propostas que o Governo ofereceu para a gente não contemplam a categoria", disse.
Na segunda-feira (14), representantes das associações de policiais e bombeiros militares participaram de reunião com o secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa, e o comandante-geral da PM, coronel Alfredo Castro. O secretário garantiu rever alguns pontos apresentados aos policiais. Entre os itens propostos para revisão estão o código de ética, o plano de carreira e a promoção na corporação.
“Na quinta-feira passada, apresentamos a proposta do governo e desde aquele momento havíamos falado para todos que estávamos colocando aquilo para apreciação. Eles trouxeram uma análise do material. São propostas que vamos analisar e que estamos dispostos a revisar”, afirmou o secretário.
12 dias de greve
Em janeiro de 2012, os policiais militares e os bombeiros da Bahia realizaram uma greve que durou 12 dias. Cerca de 3 mil policiais ocuparam a Assembleia Legislativa, no Centro Administrativa da Bahia (CAB), durante a paralisação.


Policiais ocuparam a Assembleia Legislativa na greve de 2012 (Foto: Evandro Veiga/Arquivo CORREIO)
Os policiais reivindicavam o cumprimento da lei 7.145 de 1997, com pagamento imediato da GAP V, incorporação da GAP V ao soldo, regulamentação do pagamento de auxílio acidente, periculosidade e insalubridade, cumprimento da lei da anistia e a criação do código de ética, além da criação de uma comissão para discutir um plano de carreira para a categoria.


Durante a greve, a Força Nacional de Segurança Pública e o Exército reforçaram o policiamento em Salvador. Os agentes foram distribuídos em locais de maior circulação de pessoas, como estações de transbordo, hospitais, e Terminal Rodoviário.



Abaixo matéria extraída do G1- Bahia
Pontos de divergência

Entenda alguns itens citados pelo presidente da Associação de Praças da Polícia Militar da Bahia (APPM-BA), Agnaldo Sousa, e qual o posicionamento do governo:

Plano de carreira
APPM-BA - Segundo a associação, tanto o soldado quanto o oficial têm que ter um tempo máximo nos postos de graduação. A categoria pede que seja definido um plano de carreira. "Um soldado leva hoje 25 anos sem ter uma promoção. Nós achamos isso vergonhoso. Queremos que seja definido um tempo para que ele seja promovido", diz Agnaldo.

Governo - A proposta do governo é que, após oito anos, o soldado passe a ser cabo e, depois de mais seis anos e meio, ele ascenda a 1º sargento. Hoje, um soldado passa 20 anos como soldado, sem ascenção. Depois, ele passa a ser sargento e se aposenta.
Isonomia Salarial

APPM-BA - A categoria pede isonomia entre as polícias militares e civil. "Hoje, um tenente-coronel que tem 30 anos de serviço ganha menos que um delegado, que está no início de carreira. Queremos que isso seja equiparado", relata Agnaldo.

Governo - O Estado se compromete em criar um grupo de trabalho para rever todo o sistema de remuneração da Polícia Militar. Nesse quesito, entram gratificação, adicionais, entre outras remunerações agregadas.
Código de Ética

APPM-BA - Segundo a associação, a PM não tem um código de ética. "Temos uma legislação da Polícia Militar, que está obsoleta, com coisas que estão lá há mais de 40 anos. Queremos a implantação desse código de ética", revela Agnaldo.

Governo - Um código de ética foi apresentado e as associações questionam alguns pontos. Assim, o governo está disposto a reavaliar as questões que não estão satisfazendo a categoria.