Seguidores

sábado, 13 de junho de 2015

MG: Deputada Federal rebola gostoso...

Clique e assista "Tudo pelo voto"

Como todo deputado de primeiro mandato, a deputada Brunny, do PTC de Minas Gerais e famosa pelo gabinete pintado de roxo (leia mais aqui), volta e meia tem dúvidas sobre o funcionamento da Câmara e sobre como exercer o mandato. Normal.
Fora do Congresso, porém, Brunny dá show de desenvoltura. Em novembro do ano passado, semanas após ser eleita deputada federal, ela foi a um baile funk em Governador Valadares, sua cidade, e, de sainha azul, quebrou todas para mostrar toda a sua habilidade na arte de Valesca Popozuda.
Por Lauro Jardim/veja.abril.com.br

Greve 97 completa 18 anos de libertação da escravidão militar


Clique e leia no blog do Cabo Fernando

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Senado aprova projeto que torna crime hediondo o homicídio de policiais

  O agravamento da pena previsto no texto alcança o crime praticado contra o cônjuge, companheiro ou parente até 3º grau do agente público de segurança, quando o ilícito for motivado pela ligação familiar. Em todos esses casos, a pena será de reclusão de 12 a 30 anos.

 O assassinato de policiais civis, militares, rodoviários e federais, além de integrantes das Forças Armadas, da Força Nacional de Segurança e do Sistema Prisional, seja no exercício da função ou em decorrência do cargo ocupado, agora será considerado crime hediondo e qualificado. É o que determina o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 19/2015, aprovado pelo Plenário do Senado na tarde desta quinta-feira (11). O texto já havia sido aprovado na Câmara dos Deputados no final de março e agora segue para sanção.

  Do deputado federal Leonardo Picciani (PMDB-RJ), o projeto altera o Código Penal (Decreto-Lei 2.848/1940) e a Lei dos Crimes Hediondos (8.072/1990) para qualificar o delito. O agravamento da pena previsto no texto alcança o crime praticado contra o cônjuge, companheiro ou parente até 3º grau do agente público de segurança, quando o ilícito for motivado pela ligação familiar. Em todos esses casos, a pena será de reclusão de 12 a 30 anos. Hoje, a pena de homicídio simples varia de seis a 20 anos de prisão. O projeto estabelece também que a lesão corporal cometida contra agentes de segurança em serviço, e seus parentes, será aumentada de um a dois terços.

  A proposta tramitou em regime de urgência no Senado – o que permite o projeto avançar etapas e prazos. Por isso, o relator da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), senador Alvaro Dias (PSDB-PR), adiantou seu voto favorável ainda na quarta-feira, no Plenário.

  O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), destacou que o projeto é fruto de um acordo no Senado e classificou a matéria como um avanço para a segurança pública do país. Segundo Renan, a proposta não vai resolver por completo a questão da violência, mas representa um “passo importante”. Ele acrescentou que a segurança pública pede ações profundas como a repactuação das responsabilidades e a definição de fontes permanentes para o setor.

  “Há uma cobrança muito forte da sociedade. O Parlamento há anos estava devendo avanços sobre esse assunto”, afirmou Renan. 


DEBATE SOBRE COTAS RACIAIS

Clique e assista o debate sobre cotas raciais no Canal Livre

terça-feira, 9 de junho de 2015

A MÃO INVISÍVEL DO BNDES NA AMÉRICA LATINA

image description

Por Brio Watchdog

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) está na boca do povo, mesmo que pouca gente saiba muito sobre ele. Nos protestos pelas ruas do Brasil, no Congresso Nacional, na selva amazônica do Peru ou nas terras baixas da Bolívia, em Buenos Aires ou nas reuniões das maiores empresas nacionais e estrangeiras, o dinheiro que sai dos cofres de um dos mais importantes financiadores do mundo está na pauta. Todos querem saber o que acontece com as verbas do contribuinte brasileiro usadas para bancar projetos em outros países. 
Para jogar luz no assunto, BRIO convidou 17 profissionais — entre repórteres, fotógrafos, infografistas e cineastas — na Argentina, Bolívia, Equador, Panamá, Peru e Venezuela, países nos quais foi possível levantar documentos e dados de interesse público, em meio a uma cultura de sigilo. Engenheiros, advogados, diplomatas, economistas, cientistas políticos, antropólogos, entre outros, foram convidados para analisar os dados. Uma equipe de filmagens viajou mais de 9.000 quilômetros para registrar o trabalho dos jornalistas e especialistas.
Nas próximas páginas, as descobertas são relatadas em seis capítulos, um para cada país. Primeira constatação. Alguns dos projetos com financiamento do BNDES seguem primeiro critérios políticos, mas não levam em conta estudos sobre custos, impactos sociais e ambientais. Na definição de um documento do Itamaraty obtido por BRIO por meio da Lei de Acesso à Informação: "Conviria revisar cuidadosamente os parâmetros para a aprovação dos financiamentos".Continue lendo no portal Brio

Pior do que matar policiais é nos matar na desunião...

Clique e assista o vídeo no facebook.com

COPA 2014 – Divulgado o escândalo que todo mundo suspeitava...

'"Se as pessoas soubessem o que aconteceu na Copa do Mundo de 2014, ficariam enojadas!". Thiago Silva

Suposto Escândalo de fraude da copa abala o Mundo, em uma recente matéria feita por um jornalista chamado Gunther Schweitzer, da Central Globo de Jornalismo, parte de um dôcie veio a mídia, a qual mostra e afirma que  o Brasil teria vendido a copa a fifa.
Talvez, isso explique a razão do jogador Thiago Silva ter declarado a seguinte frase:
'"Se as pessoas soubessem o que aconteceu na Copa do Mundo de 2014, ficariam enojadas!".
Todos os anti-nazistas ficaram chocados e tristes por assistir a maneira como o Brasil perdeu a Copa. Não deveriam.
O que está exposto abaixo é a notícia em primeira mão que está sendo investigada por rádios e jornais de todo o Brasil e alguns estrangeiros, mais especificamente Wall Street Journal of Americas e a VEJA e deve sair na mídia em breve, assim que as provas forem colhidas e confirmarem os fatos.
Fato comprovado:
O Brasil VENDEU a copa do mundo para a Fifa. Os jogadores titulares brasileiros foram avisados, às 08:00 do dia 4 de Julho (dia do jogo de quartas de final), em uma reunião envolvendo o Sr. José Maria Marin (na única vez que o presidente da CBF compareceu a uma preleção da seleção), o Técnico Luis Felipe Scolari, o Sr. Carlos Alberto Parreira, supervisor da seleção, e o Sr. Ronald Rhovald, representante da patrocinadora Nike. Os jogadores reservas permaneceram em isolamento, em seus quartos ou no lobby do hotel. Continue lendo na Folha Baiana

Candidatos recebem voz de prisão em prova da PM

Um concurso interno da Polícia Militar para formação de sargentos terminou com mais de 200 recebendo voz de prisão, na tarde do último domingo. A prova foi feita no Estádio Olímpico João Havelange (Nilton Santos), o Engenhão, no Engenho de Dentro. Os candidatos eram de cidades do interior do Rio. Segundo policiais, que não quiseram se identificar, alguns dos participantes esperavam sob sol forte para o início da prova na ala sul do estádio e se recusaram a fazê-la, porque começaram a passar mal. Houve discussões e eles receberam voz de prisão.

— Ficamos de 10h da manhã até as 13h esperando para começar a prova. Eu saí de casa à 1h30m da manhã e não recebemos nem almoço — reclamou um dos policiais.
Divulgado em grupos de policiais nas redes sociais, um vídeo mostra um candidato passando mal enquanto esperava para a prova:

sábado, 6 de junho de 2015

Proibição de revistas íntimas causa insegurança em agentes de presídios

  A decisão da Justiça do dia 3 de junho em proibir revistas íntimas de visitantes na penitenciária de Itirapina (SP) desagradou os sindicatos dos agentes e funcionários do sistema prisional. Para eles, a medida coloca em risco a segurança nas penitenciárias. A assessoria de imprensa do Palácio dos Bandeirantes informou que as visitas estão mantidas no sábado (6) e que na segunda-feira (8) a Procuradoria Geral do Estado decide se vai recorrer da decisão.
  
  Os agentes das penitenciárias relatam apreensão por conta da medida. “Não há nenhuma ferramenta que impeça armas de plástico de entrarem, explosivos plásticos, dinamite”, comentou o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários de São Paulo (Sindasp), Daniel Grandolfo.

O medo surgiu após uma liminar que proíbe que os visitantes passem por revistas consideradas humilhantes. O pedido foi feito pela defensoria pública, que considera a prática um atentado aos direitos humanos. “A Defensoria fez uma visita à P2 de Itirapina no fim de semana e constatou um padrão de violação dos direitos humanos da dignidade sexual das visitantes dos presos”, falou o defensor público Vinícius Leite. Continue lendo no G1


Empresários são acusados de trazer cocaína das Farcs para o Brasil


   Legião Urbana a sempre atual em Conexão Amazônica...
  Autoridades detectam a participação de uma organização criminosa formada por empresários brasileiros para transporte de drogas. O grupo é acusado de transportar cocaína das Farcs (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) para a Venezuela e para Honduras.

  A rota passou a incluir o Brasil em 2013 e um novo caminho começava a ser vislumbrado. Os traficantes pretendiam incluir o traslado do Suriname para Guiné Bissau, no continente africano.

  O esquema foi descoberto a partir de mensagens telefônicas interceptadas pela Polícia Federal. segundo relatório do delegado Rodrigo levin, da Delegacia de Repressão a Entorpecentes da Superintendência da Polícia Federal, em SP, os empresários Ronald Roland e Manoel Meleiro Gonsalez viajaram para Bogotá em maio de 2013 e permaneceram lá por três dias.

O contato dos empresários seria o traficante Euder Jaramillo Perdomo. Os brasileiros começaram a se aprofundar no assunto ao detectar que o grupo começou a fazer uso de aeronaves brasileiras para transportar o entorpecente.

sexta-feira, 5 de junho de 2015

JEOVÁ É O MEU ADVOGADO! MAIS UMA VITÓRIA!

Clique aqui e entenda o caso!!!

NUMERAÇÃO ÚNICA: 0434080-96.2012.8.13.0702
1ª FAZENDA PÚBLICAATIVO


Classe: Procedimento Ordinário     
Assunto: ADMINISTRATIVO E OUTRAS MATÉRIAS DE PÚBLICO > Responsabilidade da Administração > Indenização por Dano Moral
CS: -


Autor: WASHINGTON OLIMPIO MARTINS
Réu : ESTADO DE MINAS GERAIS e outros.


Última(s) Movimentação(ões):
JULGADO IMPROCEDENTE O PEDIDO  JUIZ(A) TITULAR 23796   28/05/2015
CONCLUSOS PARA JULGAMENTO  JUIZ(A) TITULAR 23796   28/05/2015
AUDIÊNCIA INSTRUÇÃO/JULGAMENTO REALIZADA  JUIZ(A) TITULAR 23796   28/05/2015

terça-feira, 2 de junho de 2015

Câmara aprova autorização para Executivo utilizar polícias e bombeiros do DF

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou proposta que autoriza o governo federal, por meio de ato do Presidente da República, a utilizar as polícias Civil e Militar e o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal em caso de vigência de estado de defesa, estado de sítio ou de intervenção no Distrito Federal (DF). O ato deverá indicar as subordinações temporárias para fins operacionais.
Foi aprovado o substitutivo do relator, deputado Ronaldo Fonseca (Pros-DF), para o Projeto de Lei 4275/93, do Poder Executivo. O texto regulamenta dispositivo constitucional referente à utilização das forças de segurança do DF. A proposta foi aprovada conclusivamente e segue para análise do Senado, a menos que haja recurso aprovado para que seja analisada pelo Plenário.
Autonomia do DF
O relator decidiu aproveitar parcialmente parecer aprovado em 1994 pela extinta Comissão de Defesa Nacional. Fonseca, no entanto, modificou o projeto original e o substitutivo para assegurar que o DF mantenha sua autonomia político-administrativa sobre esses órgãos de segurança.

“A previsão do § 4º do artigo 32 da Constituição permite que a União modifique o comando de operações policiais e do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal apenas em situações consideradas anormais, sem, portanto, a interferência na composição, nomeação e em qualquer assunto relacionado à esfera distrital dessas corporações”, explicou o relator.
Pelo texto aprovado, a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros Militar e a Polícia Civil continuarão subordinados ao governador do Distrito Federal, a quem caberá:
- dispor sobre a criação e extinção de unidades, cargos e funções em comissão dessas corporações; além de 
- nomear, dispensar, exonerar, demitir, aposentar e destituir seus servidores.

O relator retirou do texto, por exemplo, o dispositivo que submetia ao ministro da Justiça ou ao ministro do Exército a nomeação de cargos da polícia civil e militar e do corpo de bombeiro militar do DF.
“Acreditamos que o dispositivo fere a autonomia do Distrito Federal, pois a União passaria a restringir ações do governo na tomada de decisões sobre a composição de seus quadros e sobre a montagem de sua estrutura”, ressaltou Fonseca.
Legislação concorrente
O texto aprovado, entretanto, permite que a União e o Distrito Federal legislem concorrentemente sobre organização, garantias, direitos e deveres dos integrantes da Polícia Civil do Distrito Federal.

Por fim, a proposta determina ainda que os órgãos de segurança do DF serão fiscalizados pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal, sem prejuízo da fiscalização feita pelo Tribunal de Contas da União, quando se tratar da aplicação de recursos entregues pela União por meio do Fundo Constitucional do Distrito Federal.


Íntegra da proposta:

Reportagem – Murilo Souza
Edição – Newton Araújo

Dep. Federal Cabo Daciolo convoca militares das Forças Armadas para irem às ruas


Clique e continue lendo no portal sociedademilitar.com.br

segunda-feira, 1 de junho de 2015

AS DIFERENÇAS SOCIAIS E A SEGREGAÇÃO QUE PERDURAM NA PM PAULISTA


Quem se lembra das aulas de história no ensino fundamental? Das fazendas de café e cana?
Da novela “ESCRAVA ISAURA”, dos filmes “AMISTAD”, e “12 ANOS DE ESCRAVIDÃO”?
As personagens são muito distintas entre si, não restando dúvidas quanto ao posicionamento SOCIAL de uns e outros.
O SENHOR DE ENGENHO (Coronel) – Soberano, incontestável, seu único esforço é dar as ordens, por mais absurdas que sejam, por menos sentido que façam, sem se preocupar com os resultados e nem com a quantidade de escravos que tenham que morrer para que sejam cumpridas. Escravos não fazem falta. Substituem-se por outros;

A FAMÍLIA DO SENHOR DE ENGENHO (Oficiais Superiores) – Não têm o poder financeiro nem a autoridade soberana do senhor de engenho, mas sabem que vão chegar lá um dia, então não precisam ter sentimento algum com relação aos seus inferiores, pois naturalmente, INDEPENDENTE DE SUA INTELIGÊNCIA OU SEUS MÉRITOS, pela evolução natural da história, um dia serão senhores de engenho;

OS MERCADORES (Oficiais Subalternos) – Sonham em fazer todas as vontades dos senhores de engenho e de seus comensais e aderentes, de modo que consigam sua independência e emancipação, CUIDANDO DOS ESCRAVOS ALHEIOS e preparando-se para terem seus próprios escravos. Estes são perigosos, pois no afã de agradarem aos senhores de engenho, podem PRENDER OU MATAR UM ESCRAVO UNICAMENTE PORQUE ELE CRITICOU UM DELES, ou sua tirania, ou ainda, pensou com autonomia sobre qualquer assunto. Comem na casa grande, junto com os senhores de engenho e seus familiares;

OS CAPATAZES (Sub Tenentes) - Estes, via de regra, em fim de carreira, já foram escravos, capitães do mato, encarregados de setor e hoje administram a senzala. Normalmente ocupam uma sala nos fundos da casa grande, com entrada pela senzala, longe dos olhos do senhor do engenho. Sua função é cuidar para que os relatórios do trabalho escravo estejam sempre satisfatórios ao SENHOR DO ENGENHO e seus comensais. Comem na cozinha, as sobras da refeição principal;

O NEGRO DA CASA (Sargentos Da Administração) – Apesar de ser negro e escravo, odeia os outros escravos. Se considera um afortunado e despreza seus conterrâneos. Tudo o que faz é para agradar ao SENHOR DE ENGENHO E SEUS ADERENTES, e sempre que pode, providencia o SOFRIMENTO DE UM ESCRAVO, porque sabe que essa morbidez agrada aos brancos da casa. Acha divertido castigar aos escravos que “saem da linha”, para que sirvam de exemplo aos demais. Também come, na cozinha, os restos da refeição principal;

O CAPITÃO DO MATO (Sargentos de Rua) – São escravos, capturados a laço, comprados do mesmo navio negreiro que os demais escravos, mas não se conformam com sua condição de escravo e desprezam seus iguais. Lutam pela simpatia e reconhecimento dos senhores de engenho e para tal, SÃO EXTREMAMENTE CRUÉIS COM RELAÇÃO AOS DEMAIS ESCRAVOS. Estão sempre atentos e diligentes, para punir com rigor aos que fogem das normas da senzala, AOS QUE SE REVOLTAM COM A CONDIÇÃO ESCRAVA, aos que tentam fugir da segregação e humilhação, aos que acreditam que É POSSÍVEL TER SUA PRÓPRIA DIGNIDADE. Sua satisfação é receber um elogio dos brancos da casa, e para isso, lutam até mesmo entre si, para uma melhor posição na fazenda. Seus alojamentos são fora da senzala, onde passam a noite, e no dia seguinte, se misturam com os escravos, passando pelas mesmas agruras, mas, diferentes dos escravos comuns, comem na cozinha, junto com os capatazes e os negros da casa, as sobras da refeição dos brancos. Acreditam piamente que são diferenciados dos demais escravos, apesar de terem a mesma origem e saberem que nunca adentrarão à casa grande pela porta da frente;

O ESCRAVO (Cabos e Soldados) – ESTE É O RESPONSÁVEL PELO SUCESSO e pela produção da fazenda. Sem ele a fazenda não produziria e todos os outros teriam que trabalhar. Eles levam todo o trabalho nas costas. Plantam, ceifam, limpam, embalam, consertam, produzem, enfim, fazem com que toda a cadeia produtiva prospere. São fundamentais, mas não enxergam isso. Acreditam que nasceram para serem escravos, para agradarem aos seus senhores. São proibidos de pensarem individualmente. Comem lavagem nos cochos da senzala, dormem amontoados sobre feixes de feno, não têm assistência médica, não têm benefícios trabalhistas, nem liberdade de culto ou de opinião, são tratados a ferros e quando alguém se rebela, é punido exemplarmente pelos capitães do mato, que os chicoteiam em público, a fim de demonstrarem de que lado estão. 

Esta comparação é meramente subjetiva e busca levar à reflexão as diferentes categorias de profissionais que temos dentro da PMESP, onde há determinados setores que desfrutam de regalias, altos salários, pouco ou nenhum respeito pelo material humano de que dispõem, muitos auxiliares e nenhuma responsabilidade pelos maus resultados da empresa, enquanto há profissionais que se desdobram em cuidados para manterem funcionando a grande engrenagem da sensação de segurança pública necessária à população, abdicando de suas famílias, seu sono, seus sonhos, mas que não acham dignos de respeito do público interno. 
Se nós operários, não mudarmos nosso conceito a respeito da cidadania inerente à nossa condição humana, nunca nos respeitaremos como passíveis de todos os direitos que têm nossos coronéis.

SOMOS TODOS FUNCIONÁRIOS DE UMA MESMA EMPRESA, TODOS MUITO IMPORTANTES PARA SEU SUCESSO, DE FORMA IGUALITÁRIA E COM A MESMA RESPONSABILIDADE SOBRE O SEU SUCESSO OU O SEU FRACASSO.

NENHUM DE NÓS É ESCRAVO.

PENSEM A RESPEITO...

Marco Ferreira – APPMARESP.