Seguidores

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Delegado dá voz de prisão a coronel da PM e três militares de SC

Um delegado de Laguna, no Sul de Santa Catarina, deu voz de prisão a um coronel da Polícia Militar de Santa Catarina e a três militares da corporação após a detenção de um suspeito na manhã de terça-feira (24).
Segundo o delegado Leandro Loreto, quatros policiais chegaram na delegacia com um homem algemado e três deles teriam agredido o detido. O suspeito havia furtado dois frascos de repelente em um mercado.
"Ele estava no chão, algemado e o chutaram. Perguntei quem tinha batido e um deles me disse que se eu estava com pena, podia levar para casa", afirma Loreto.
Três policiais receberam voz de prisão por abuso de autoridade e um deles por desacato. Segundo Loreto, um dos militares chegou a prestar depoimento, mas o coronel, comandante da corporação em Laguna, foi até a delegacia buscar os policiais.
"De tarde, o coronel voltou com os quatro policiais [um deles é testemunha] e pediu uma cópia do documento. Eu não entreguei, pois somente advogado tem direito. Ele pegou o depoimento que estava sobre a mesa, amassou, fez uma bolinha de papel e botou no bolso", detalha o delegado.
O coronel recebeu voz de prisão por desacato, supressão de documento e desobediência. A soma dos três crimes é inafiançável, segundo o delegado. "Ele simplesmente virou as costas e saiu levando a tropa dele. Qualquer pessoa que não tivesse a força bélica que ele tem seria presa", afirma Loreto.
Segundo o delegado, ele não os prendeu para garantir a integridade dos policiais civis. "Eu os adverti que não usaria a força para prendê-los. Eles estavam em maior número e mais fortemente armados e eu não colocaria meus policiais em confronto", defende o delegado.
Suspeito furtou repelentes
O homem detido por furtar dois frascos de repelente foi liberado e deve responder um termo circunstanciado. De acordo com a Delegacia de Laguna, ele já tinha passagens por pequenos furtos.Continue lendo no G1

POR QUE SERÁ QUE O SITE DO FIES NÃO FUNCIONA?


É muita coincidência para um governo que foi condenado pelo Mensalão, que está envolvido no escândalo da Petrobras; que até hoje não conseguiu esclarecer a morte do ex-prefeito Celso Daniel, que ameaçou entregar todo o esquema de corrupção na prefeitura de São Bernardo do Campo - SP. Não é estrando que o site do FIES apresente tantos problemas, justamente quando o governo federal fez cortes na Educação e já admitiu que gastou mais do que tinha? Será que tudo isso não seria proposital, uma forma de culpar o sistema de informática, quando na verdade é a falta de verba que estaria por trás do site inoperante?

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Policiais mortos: Será que vão mudar as leis quando começarem a matar os políticos?

           Final de semana de mais e mais ataques aos policiais do Brasil. Um tenente de Minas sofreu atentado, sendo o autor preso logo em seguida. Na madrugada de sábado um promotor de justiça foi alvejado por vários tiros, na cidade de Monte Carmelo - MG, e pai e filho também foram presos. No Rio foram quatro policiais baleados e quatro assassinados. (Clique e leia no Jornal Extra). Infelizmente esses fatos não são isolados; ao contrário fazem parte da rotina. E fazer parte da rotina significa aceitar as matanças, a caçada aos trabalhadores da segurança, da justiça, enfim, dos poderes constituídos, como sendo algo "normal", quando nunca poderia receber tal aceitação.

          A lógica do Estados é meramente capitalista, e matar um policial em alguns casos tem menos importância do que apurar um acidente de viatura. Comparem o tempo de apuração entre um acidente de viatura e a morte de um policial; imaginando que ambos ocorreram no mesmo dia?! Repor um policial morto é o mesmo de comprar uma viatura nova para substituir aquela usada? Não, decididamente o policial morto "dá prejuízo", pensão, seguro, dependentes...ao passo que comprar uma viatura superfaturada dá lucro em alguns casos. Pagar pela manutenção mais cara das peças, é mais vantajoso, e em parte tem o apoio velado da imprensa como no caso do secretário de segurança do Estado do Rio José Mariano Beltrame, que foi denunciado pelo Ministério Público daquela cidade, por improbidade administrativa, justamente por ter, em tese, assinado contratos onde o valor da manutenção das viaturas é superior ao valor das mesmas. (Clique aqui e leia a notícia no R7)

                 A resposta é óbvia: será que os governantes estão realmente preocupados com a vida de seus cidadãos? Se eles não conseguem proteger seus funcionários, quem acreditaria que eles poderiam proteger a sociedade civil honesta? Então como falar em Direitos Humanos? Policial de serviço é um ser jurídico desprovido de humanidade? Em que monstro jurídico ele se transforma?

                 Paralelamente o capitalismo vive como um parasitário e sobrevive das desgraças ao vender seguros, planos funerários, serviços privados de segurança etc. Enquanto não mudarmos as leis, reformarmos o Código Penal, de Processo Penal, reformar o ECA - Estatuto da Criança e Adolescente; enquanto não se diminuir as benesses para os presos em detrimento do cidadão de bem que trabalha e paga uma das maiores cargas tributárias do mundo; enquanto a sociedade não se sentir ameaçada pelas mortes dos policiais antevendo que amanhã poderá ser ele, o cidadão ou a próxima vítima de bala perdida ou encontrada; estaremos fadados às cenas de horror, num filme que parece não ter fim.  Policial morto vale menos que uma viatura amassada? Será que só mudarão as leis quando começarem a matar os políticos?


(obs: abaixo, arte extraída do jornal Extra, edição de 23/02/15, cujo o balanço, repito, feito apenas em relação ao Rio de Janeiro)











sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Quem é pior: ministro da justiça ou o ditador que patrocinou a Beija - Flor?

      O Brasil e seu patriotismo pirata com sua cultura sui generis, onde há décadas governos dos mais diversos vieses político ideológicos. Se é que podemos dizer que nesse país alguém é movido por essa ou aquela corrente doutrinária. Somos decididamente uma nação de acasos. Vários exemplos podem demonstrar essa maneira paradoxal de gerir o Estado ou do cidadão cobrar dos governantes posturas éticas ou constitucionais. O último carnaval do Rio de Janeiro é o modelo clássico de como somos casualistas. A escola de samba que sagrou-se campeã do carnaval 2015, foi patrocinada por um ditador da Guiné Equatorial; governo reconhecidamente corrupto. Porém qual das escolas de samba conseguem colocar o "bloco na rua" sem a ajuda da contravenção oriunda do jogo do bicho, dos jogos de azar, máquinas caça-níquel e cassinos clandestinos?

     Parte da imprensa e as redes sociais se manifestam ferozes contra a origem do mecenas da escola de samba Beija - Flor, mas, será que já se esqueceram dos grandes banqueiros de bicho? Será que se esqueceram das disputas por pontos com execuções sumárias e cinematográficas nas ruas do Rio de Janeiro? Qual a diferença da origem desse patrocínio ao dinheiro oferecido por um ditador africano, ou se fosse o Osama Bin Laden ou algum mafioso russo?

     Longe de defender tais ou quais exemplos de contravenção ou crime organizado. Mas, a polêmica não deveria nascer no enredo das escolas de samba, mas, sim no paradoxo que é ver um juiz ou a justiça ser pressionada por políticos, como no caso da operação lava jato, onde alguns advogados teriam se reunido com o ministro da justiça Eduardo Cardoso, visando frear as investigações ou no mínimo causar constrangimento para aqueles que participam daquela investigação. 

     Qual o país que nós queremos, o da contravenção mecenas das escolas de samba, onde todo mundo sabe mas, finge não saber, ou o Brasil que vive a maior crise de corrupção da sua história e muitos fingem que o ministro da justiça queria apenas tomar um cafezinho com os advogados dos réus na operação lava jato? Temos Estados dentro de Estados, submundos dentro de culturas ditas artísticas, mas, que na verdade servem para lavar dinheiro tanto como no mega esquema de corrupção da Petrobras, também batizado de "petrolão".

     Será que ninguém sabe que o Estado não garante saúde, educação e segurança? Então porque acreditar que o governo iria bancar o carnaval? Será que ninguém sabia que os jogo do bicho é que banca a maior festa brasileira?O que é mais grave, um ditador corrupto patrocinando escolas de samba ou o ministro da justiça tentando constranger a justiça para que os corruptos escapem impunes? 

"Brasil voltou a ser piada no mundo todo" Arnaldo Jabor

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Governador do Rio atrasa pagamento de RAS e policiais saem do programa


A insatisfação com o atraso no pagamento da gratificação do Regime Adicional de Serviço (RAS) de dezembro, que já dura cerca de um mês, está levando policiais militares a desmarcar as horas extras que já haviam programado. A revolta fica clara no formulário de justificativa de exclusão da escala (abaixo). Um PM não economizou na ironia: “Nem relógio trabalha de graça!”. Outro destacou a “falta de compromisso de pagamento” e disse que a tropa está deixando de gozar folgas para reforçar o policiamento.

A demora no depósito gerou muita polêmica nas redes sociais. Sobrou até para o governador Luiz Fernando Pezão. Ao anunciar, na semana passada, em seu perfil no Facebook, que o RAS seria pago, foi contestado por uma internauta, que disse ter ligado para a Secretaria estadual de Fazenda e para a PM e recebido a informação de que o dinheiro ainda não tinha sido liberado.

A PM havia prometido que o dinheiro sairia na semana passada, o que não aconteceu. Na última sexta-feira, outra promessa: a Secretaria de Fazenda informou ter liberado a verba para depositar o bônus e que o dinheiro estará nas contas dos PMs na próxima terça-feira. Leia mais no jornal Extra>>>

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Até quando as mães dos policiais vão chorar?

Até quando iremos ao velório dos policiais e profissionais da segurança pública? Até quando a nossa indiferença está viva e nossa revolta morta? Não quero fazer poema, nem sensacionalismo. Mas, o que está faltando para que nós da segurança pública tomemos uma atitude diante de tanto descaso para com a classe de trabalhadores que garantem todos os políticos no poder e por conseguinte o sistema político vigente, apelidado por muitos como democracia? Mais triste do que o sangue que derrame nos combates de guerra nas capitais do Brasil, é o sangue praticamente coalhado nos corações de quem tem o poder de decidir e daqueles que elegeram estes que decidem...até quando??

sábado, 31 de janeiro de 2015

"Conheceis a verdade e a verdade vos libertará", João 8:32

            Muitos devem ter achado estrando, um blog que fala de direitos militares, política, movimentos sociais, falando em religião? Como assim?! Meus caros até Madona, a grande cantora americana, mesmo vivendo num ambiente complemente hostil, usa da sua arte para professar aquilo que acredita. Por isso, confesso que estou cansado de falar ou publicar as mesmas coisas, corrupção, má gestão da coisa pública, injustiças policiais, falta de respeito do governo com o cidadão e tudo aquilo que vocês puderam ler durante esses pouco mais de seis anos alimentando este blog. 

           É sabido que o fim do sistema está próximo, e não o fim do mundo como alguns pregam. Está provado que o ser humano não foi capaz de gerir ou comandar governos. Se não quiserem acreditar nesta máxima por meio teológico vamos para a ciência. O que explicaria a falta de água, o superaquecimento? Não quero impor nada aos senhores, mas, assim como aquilo que é bom devemos dividir com nossos filhos, irmãos, pai e mãe, tenho o dever de usar esse modesto canal de comunicação para dizer que JEOVÁ virá salvar aqueles que acreditam no seu poder. Segue o link para maiores informações para aqueles que buscar a VERDADE, sem nada em troca, dinheiro; não é pirâmide de rede, não precisa comprar ou vender nada. O que JEOVÁ quer de cada um de nós é que retribua o amor que ele nos dá. No link vocês poderão ter mais informações e esclarecer as eventuais dúvidas www.jw.org/pt.

           Um abraço e que toda honra e glória seja para JEOVÁ  

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Carta despedida ex-soldado Leandro Montandon pediu baixa 32°BPM Uberlândia - MG

Olá nobres amigas, amigos e colegas.

Penso nestas palavras a muito tempo, elaborei mentalmente diversos modelos desta despedida, refiz falas, já pensei em deixar relatos dos momentos ruins que vivi na esperança de poder de alguma forma evitar que outros também os vivam, já desisti de escrever qualquer coisa, e por fim, aqui estou agora iniciando este texto.
Dia 19/01/2015 será um dia que marcará eternamente minha vida. Foi o dia no qual tomei a iniciativa e procurar a P1 e fazer os procedimentos necessários ao meu pedido de baixa da PMMG.  Vocês, na ativa, não podem calcular o que representa caminhar pelo corredor do 32º BPM às vésperas de completar 7 anos como policial militar, todos vividos nas atividades da 171ª Cia PM, em direção ao ponto final de minha carreira militar.
Sempre fui um militar enquadrado, nunca fui comunicado disciplinarmente, estive até a derradeira data no conceito A. Trabalhei no operacional, no dia, na madrugada, na rodoviária, na intendência, na recepção, em apoio a outros órgãos, e por fim na Patrulha Solidária. Curiosamente esta última atividade a que mais formou uma imagem pública de minha atuação. Para alguns um desperdício de recurso humano, para outros uma atividade que representa a própria imagem que a PMMG deseja para si no futuro, solidária, próxima a população, carismática e diferente da imagem dura e antipática de um militar tradicional.
Vi com meu próprios olhos a dificuldade de se oferecer segurança pública, vivi também na pele a angústia do não reconhecimento da importância do policial, vi inúmeras vezes o quanto o serviço policial é importante para a promoção da paz e do bem social, mas vi também o quanto em muitos casos o militar se torna a fonte de inúmeros problemas.
Parto neste momento com um desejo profundo de iniciar uma nova vida, com novas perspectivas, provavelmente agora com um salário menor, mas com a esperança de mais vida. Com a garantia de meus finais de semana, de meus feriados, de meus horários e de mais paz.
Acredito que tudo em nossa vida tem um propósito. Cada situação, cada pessoa, cada benção e cada problema que vivemos carrega em si uma razão e um objetivo para ser vivido. Eu particularmente vivi nestes meus tempos finais como policial momentos muito difíceis  na corporação. Fui chamado de “chapeleiro”, fui citado em relatórios e sindicâncias, fui indicado para possíveis transferências de região, de Cia, trabalhei em escalas estranhas, tive colegas cumprindo ordens de visita na escola em que trabalho para levantamento de informações, enfim, fui o alvo da vez.
Ser o alvo da vez me ensinou muito e nesta despedida espero poder deixar algumas reflexões que possam servir de registros históricos de problemas que podem ser evitados e podem tornar a PMMG uma instituição melhor para aqueles que nela trabalham. A primeira delas direcionadas a todo militar que ocupar uma posição de comando. Saiba: você influencia a vida daqueles sob seu comando.
Pode parecer óbvio mas tenho certeza em dizer que muito poucos consideram a influencia que suas ações podem ter na vida do outro, subordinado. Ser um policial militar não significa viver um sacerdócio, um sacrifício de vida, ser policial é tão somente um trabalho e isso precisa ser bem entendido. Uma pessoa pode ser um policial militar em seu trabalho o que não exclui a chance de ser marido, mulher, filho, filha, pai, mãe, irmão, irmã, amigo, amiga, vizinho, vizinha, fiel, ateu, entre tantos outros que podemos ser nas mais diversas situações de nossa vida.
Alguns chefes não entendem que o que devem esperar de seu subordinado é simplesmente o seu trabalho e acabam por exigirem sua vida. Já vi quem ameaçasse transferência para aquele que não desejasse participar de festa da cia, vi mudanças de horário de trabalho excessivas, vi chuvas de procedimentos direcionados a militares específicos e eu - dizem - quase parei em outra REGIÃO por ter, inicialmente, ficado doente e licenciado das atividades policiais.
Não exijam de seus subordinados mais que o trabalho, suspeitem daqueles que lhes dão mais do que seu trabalho pois terão nesta pessoa alguém com sérios problemas em sua vida pessoal. E temos tantos colegas assim. Se não há espaço para uma vida pessoal com qualidade não é de se admirar que tantos surtem, suicidem, adoeçam ou cometam desvios em algum momento. Os chefes que ignoram estes sinais de problemas vindouros são cúmplices destes problemas quando ocorrerem, reconheçam.
Adoeci, fui recomendado a não realizar esforço físico, me licenciei na PM tendo comparecido a escola no mesmo dia. Fui por isso questionado de tantas formas que confesso, tive dificuldades de argumentar. São tão óbvias as diferenças da natureza que cada atividade profissional possui e foram tão descabidas todas as consequências que tal licença gerou que ainda estou por entender tudo o que houve. E o mais curioso disso tudo, em pleno Yom Kippur. Em algumas tradições filosófico-religiosas o Yom Kippur, também chamado de Dia do Perdão, representa uma importante data sagrada e comemorativa. Curiosamente nesta data deram-se início todos os procedimentos que culminaram na minha decisão final de não integrar mais as fileiras desta corporação.
Tive um bom tempo de afastamento no qual pude me dedicar a atividades mais revigorantes, refleti muito e percebi que não posso colocar preço em minha dignidade, não posso vendê-la por salário. Obviamente nem todo chefe é problemático mas é certo que é considerado normal no ambiente militar que qualquer um tenha que “engolir sapos” periodicamente. Não me surpreende que as pesquisas apontem tamanha insatisfação pelo militarismo e tantos, especialmente em meio a tropa, são favoráveis a seu fim. Cada chefe incapaz de realizar uma mínima gestão de pessoas tem uma parcela considerável de responsabilidade no fim, cada dia mais possível, deste modelo de polícia militar ainda vivo.
Parto reconhecendo a possibilidade de um prejuízo financeiro mas com a certeza de que não me rendi ao autoritarismo despropositado. Saio com a cabeça erguida por saber que fiz o melhor enquanto pude e na torcida para que os colegas que ficam não sejam as próximas vítimas das intempéries emocionais de um chefe qualquer. Aprendi muito na instituição, especialmente que somos responsáveis por oferecer um tratamento digno e respeitoso, inclusive e principalmente a nós mesmos.
Aos amigos que deixo, meus sinceros votos de sucesso e felicidade. Torço para que sejam prósperos e que tenham seus caminhos livres de injustiças e perseguições. Me perdoem por partir sem despedir-me pessoalmente mas preferi a discrição na busca de uma tranquilidade maior no executar de meu pedido de baixa. Obrigado por tudo que me ensinaram e continuem honrando o modo como os vejo, heróis.
Aos demais outros... repensem seus papeis no mundo, na PM e na vida de todos em seu entorno. Semear discórdias, intolerâncias e ignorâncias não podem gerar frutos positivos. A solidão e o descrédito, é o mínimo que colherão. Triste este fim, e pode ser evitado.
Fiquem com Deus meus irmãos.
Um grande abraço a todos.
Saudações!
Comento: Um amigo pediu baixa da PMMG. Leandro Montandon era lotado em Uberlândia-MG, e tive a honra e o privilégio de trabalhar com ele. Formado em Ciências Sociais, atividade que também exerce nas horas de "descanso", tenho a certeza de que este cidadão tomou a decisão certa, apesar de ter ficado nas fileiras da PMMG por sete anos. Que deus lhe abençoe e lhe dê sabedoria nas próximas missões que virão, pois sei do seu potencial e da capacidade que terás de transpor os obstáculos que por ventura apareçam. Vc foi um GRAANNNDE parceiro!!! Segue abaixo a carta escrita pelo próprio Ex-Sd Montandon, e que nos serve de reflexão...Agora amigo...bata asas...

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Dilma anunciou redução na conta de luz e descarta qualquer possibilidade de racionamento

Publicado em 23 de jan de 2013 https://www.youtube.com/watch?v=kNmJxnsAGG0
PRONUNCIAMENTOS - 23.01.13: A presidenta Dilma Rousseff afirmou na noite desta quarta-feira (23), em pronunciamento à nação, que, a partir desta quinta-feira (24), passará a vigorar a redução de 18% na tarifa de energia para os consumidores residenciais. Para o comércio e a indústria, a diminuição será de até 32%. O corte é ainda maior do que o anunciado pela presidenta em setembro de 2012: 16,2% para residências e até 28% para a indústria. Dilma também disse que o Brasil tem energia suficiente para o presente e para o futuro, "sem nenhum risco de racionamento ou qualquer tipo de estrangulamento, no curto, médio ou no longo prazo".

Comento: Como vocês viram, Dilma exercendo sua vidência, previu que o Brasil "não corria risco de racionamento ou qualquer tipo de estrangulamento", além de anunciar a redução na conta de energia elétrica. Puro blefe, pois, além de não reduzir a conta, ao contrário, ela aumentará os valores em até 40%.

Mas, o pior está por vir. Como todos que acompanham jornal sabem, o racionamento está por ser anunciado, é questão de tempo, justamente pela falta de água, redução na geração de energia. Agora imaginem um país tropical sem água? Como as indústrias de refrigerantes ou bebidas vão resistir a falta da matéria prima: água? Sem falar nos outros ramos de indústria; o que vai gerar um desemprego em proporções imprevisíveis. E agora PT, o partido que faz tudo, será que vão criar uma máquina que fabrica água? Não duvidem, desse pessoal podemos esperar tudo...eles se acham meio Midas, onde tocam vira ouro...o problema é que depois disso o ouro some...

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

"Os céus e a terra passarão, mas as minhas palavras jamais passarão"

Mateus 24

1 Jesus saiu do templo e, enquanto caminhava, seus discípulos aproximaram-se dele para lhe mostrar as construções do templo.
2 "Vocês estão vendo tudo isto?", perguntou ele. "Eu garanto que não ficará aqui pedra sobre pedra; serão todas derrubadas".
3 Tendo Jesus se assentado no monte das Oliveiras, os discípulos dirigiram-se a ele em particular e disseram: "Dize-nos, quando acontecerão essas coisas? E qual será o sinal da tua vinda e do fim dos tempos?"
4 Jesus respondeu: "Cuidado, que ninguém os engane.
5 Pois muitos virão em meu nome, dizendo: 'Eu sou o Cristo!' e enganarão a muitos.
6 Vocês ouvirão falar de guerras e rumores de guerras, mas não tenham medo. É necessário que tais coisas aconteçam, mas ainda não é o fim.
7 Nação se levantará contra nação, e reino contra reino. Haverá fomes e terremotos em vários lugares.
8 Tudo isso será o início das dores.
9 "Então eles os entregarão para serem perseguidos e condenados à morte, e vocês serão odiados por todas as nações por minha causa.
10 Naquele tempo, muitos ficarão escandalizados, trairão e odiarão uns aos outros,
11 e numerosos falsos profetas surgirão e enganarão a muitos.
12 Devido ao aumento da maldade, o amor de muitos esfriará,
13 mas aquele que perseverar até o fim será salvo.
14 E este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo como testemunho a todas as nações, e então virá o fim.
15 "Assim, quando vocês virem 'o sacrilégio terrível', do qual falou o profeta Daniel, no Lugar Santo - quem lê, entenda -
16 então, os que estiverem na Judeia fujam para os montes.
17 Quem estiver no telhado de sua casa não desça para tirar dela coisa alguma.
18 Quem estiver no campo não volte para pegar seu manto.
19 Como serão terríveis aqueles dias para as grávidas e para as que estiverem amamentando!
20 Orem para que a fuga de vocês não aconteça no inverno nem no sábado.
21 Porque haverá então grande tribulação, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem jamais haverá.
22 Se aqueles dias não fossem abreviados, ninguém sobreviveria; mas, por causa dos eleitos, aqueles dias serão abreviados.
23 Se, então, alguém disser: 'Vejam, aqui está o Cristo!' ou: 'Ali está ele!', não acreditem.
24 Pois aparecerão falsos cristos e falsos profetas que realizarão grandes sinais e maravilhas para, se possível, enganar até os eleitos.
25 Vejam que eu os avisei antecipadamente.
26 "Assim, se alguém disser: 'Ele está lá, no deserto!', não saiam; ou: 'Ali está ele, dentro da casa!', não acreditem.
27 Porque assim como o relâmpago sai do Oriente e se mostra no Ocidente, assim será a vinda do Filho do homem.
28 Onde houver um cadáver, aí se ajuntarão os abutres.
29 "Imediatamente após a tribulação daqueles dias
" 'o sol escurecerá,
e a lua não dará a sua luz;
as estrelas cairão do céu,
e os poderes celestes
serão abalados'.

30 "Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e todas as nações da terra se lamentarão e verão o Filho do homem vindo nas nuvens do céu com poder e grande glória.
31 E ele enviará os seus anjos com grande som de trombeta, e estes reunirão os seus eleitos dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus.
32 "Aprendam a lição da figueira: quando seus ramos se renovam e suas folhas começam a brotar, vocês sabem que o verão está próximo.
33 Assim também, quando virem todas estas coisas, saibam que ele está próximo, às portas.
34 Eu asseguro a vocês que não passará esta geração até que todas estas coisas aconteçam.
35 Os céus e a terra passarão, mas as minhas palavras jamais passarão.