Seguidores

Mostrando postagens com marcador segurança copa 2014. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador segurança copa 2014. Mostrar todas as postagens

domingo, 25 de maio de 2014

Vídeo: Bandidos ameaçam a PM em São Gonçalo - RJ (welcome...)

CAIO BARBOSA
Rio - Um grupo de jovens criminosos da favela da Coruja, em São Gonçalo, enviou ao O DIA neste sábado um vídeo fazendo ameaças à Polícia Militar. Um dos bandidos, que se apresentou como FP da Coruja e seria o líder do grupo, disse não temer a ação dos policiais.

Outro criminoso, também armado, disse que a Polícia Militar será recebida à bala se fizer algum tipo de operação na comunidade.

"Se tentar entrar na favela a bala vai comer mesmo. Vai morrer polícia, vai morrer bandido e o crime não vai parar porque, se morrer nós (sic), vai entrar outro. Aqui é tudo cria da comunidade", avisou. Os criminosos do vídeo aparentam ser menores de idade.


quarta-feira, 12 de março de 2014

Policiais Militares trabalham de chinelo por falta de coturno (e os alienados falando em Copa...)

A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do RN – ACSPMRN, vem a público fazer mais uma denúncia do descaso do Governo do Estado com os policiais militares de nosso Estado, dessa vez o desrespeito se dá pelo fato de que a mais de três anos não são fornecidos coturnos aos militares estaduais.
Esse absurdo vem ocasionando situações que seriam inusitadas, se não fossem humilhantes, como é o caso dos policiais militares que estão trabalhando nos presídios fardados e de CHINELOS, uma vez que não foram “pagos” os coturnos para que esses profissionais pudessem trabalhar com seus uniformes completos.
E que não surjam oficiais que critiquem a atitude dos policiais que decidiram trabalharem de chinelos, pois, com esse salário miserável e sem perspectiva de promoção, não se pode cobrar dos militares estaduais que eles comprometam o salário, que mal dar para bancar a alimentação de sua família, para comprar coturno que é OBRIGAÇÃO do Estado.
É deprimente a que ponto chegou o desrespeito aos policiais militares de nosso Estado, o que nos remete a fazermos a seguinte reflexão: A QUE PONTO CHEGAMOS?

POLICIAIS ATACADOS NO RIO (WELCOME TO COPA)

CLIQUE E ASSISTA NO JORNAL NACIONAL
Vi isso ontem no jornal nacional...é pracaba...ainda bem que eles tiveram a ombridade de mostrar...mas, se o PM surtasse...eu ali atiraria por legítima defesa...aí...já viu...Direitos dos Manos na certa...o problema já não é só a letargia do Estado...mas, a visão cultural distorcida do estado democrático, do que é liberdade...estamos longe disso...o caldo já entornou...Sinceramente, depois dessa postagem, nós que criticamos muito os governos devemos parar e refletir: Isso é o governo ou é povo? Amigos...dizer o quê? Escrever o quê? "Apertem os cintos...o piloto sumiu"...

terça-feira, 11 de março de 2014

Exército poderá ser auxiliar das forças auxiliares e auxiliar dele mesmo...

 Com a falência do programa de contenção da violência no Rio de Janeiro, conhecido como Unidade de Polícia Pacificadora - UPP, onde nos últimos dias vários policiais cariocas vem sendo executados, provando que não existe pacificação nessas favelas, e que portanto o programa é meramente fisiológico, o governo do estado resolveu reagir, e já cogita o retorno das Forças Armadas no apoio a Polícia Militar, dentro da estratégia de ocupação dessas áreas.

 O detalhe é que constitucionalmente as polícias militares sempre foram forças auxiliares das Forças Armadas, mas, num total equívoco jurídico, executivo e operacional, o Exército mais uma vez será convocado para ser auxiliar dele mesmo, força auxiliar das forças auxiliares. Ainda mais em ano eleitoral, tamanho desgaste com as mortes dos policiais, devem ser evitadas para garantir a eleição do candidato da situação.

 Enquanto isso as mazelas sociais continuam nos morros, a falta de efetivo é evidente e o Código Penal é de 1940; sem falar nos baixos salários, na falta de estrutura, com dois policiais "patrulhando" comunidades com cem, duzentos mil moradores, trabalhando em gaiolas de ferro e o governador fazendo campanha em cima do bolo todo decorado...porém, os problemas começas a desabrochar...

sábado, 1 de março de 2014

Cabeça de policial morto vale 5 mil no Rio de Janeiro (imagina a de um turista?!)

Denúncia alerta para ataques à DPO do Caramujo e duas delegacias de Niterói. Registro da Ouvidoria da Polícia também aponta que será pago R$ 5 mil por cada PM morto pelos traficantes


Denúncia alerta para ataques à DPO do Caramujo e duas delegacias de Niterói. Registro da Ouvidoria da Polícia também aponta que será pago R$ 5 mil por cada PM morto pelos traficantes
Felipe Freire
Documento da Ouvidoria da Polícia circula nas redes sociais e denuncia ataque ao DPO do Caramujo e às delegacias da região
Foto:  Reprodução Internet
Rio – O crescimento da violência no município de Niterói ganhou mais um capítulo de terror. Circula nas redes sociais um documento que alerta para um suposto ataque de traficantes do Complexo do Caramujo ao Destacamento de Policiamento Ostensivo da comunidade e às 77ª e 78ª DP (Icaraí e Fonseca, respectivamente), em Niterói, na Região Metropolitana. As mensagens com o ofício da Ouvidoria da Polícia começaram a ser compartilhadas nesta sexta-feira por diversos moradores da cidade.
Segundo a denúncia anônima, o ataque está sendo orquestrado em represália às mortes que ocorreram na última quarta-feira, quando criminosos foram surpreendidos por uma ação planejada da Polícia Civil no Largo da Batalha e cinco foram mortos. Ainda segundo o documento, dois dos mortos teriam envolvimento no assassinato do sargento Joilson da Silva Gomes, 40 anos, executado a caminho de casa no último domingo com pelo menos 50 tiros.
Rica em detalhes, a denúncia ainda aponta que a ação começaria nesta quinta-feira com a participação de pelo menos 20 traficantes do Caramujo, sob o comando de Ti-Neném, fortemente armados com fuzis, metralhadoras e granadas. Os bandidos teriam o auxílio de cinco motos com placas cobertas e três carros. Outro ponto mostra a ousadia dos criminosos: o pagamento de R$ 5 mil por cada policial militar morto durante o ataque. Continue lendo no blog do Ricardo Gama
O Dia

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Sem viatura há 15 dias, policiais ficam impossibilitados de realizarem os trabalhos

Policias que se reservam para manter a segurança no município de Monte Alegre
 
A Policia Militar do município de Monte Alegre de Sergipe está impossibilitada de realizar o trabalho de ronda ostensiva e outras atividades no território urbano e rural.

De acordo com Cabo Geovanio, já somam-se 15 dias que a delegacia da cidade está sem viatura. Tudo isso porque o único veículo foi para a revisão, mas até agora não foi liberado.

Geovanio relatou que uma motocicleta foi roubada a 200 metros do CISP da cidade (Centro Integrado de Segurança Pública), mas a ação da polícia não aconteceu justamente porque não tinha uma VTR sequer disponível.

Se esse problema se perdurar, a população ficará a mercê dos criminosos, que agem sempre na falha do sistema policial. Já não basta o contingente pequeno do município que dispõe apenas de dois policias por dia, agora a situação se complica com a falta da única viatura.

Welder Ban
 
Fonte: Portal http://www.soudesergipe.com.br

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Policiais de São Paulo protestam com outdoor: "PM QUE PEDE SOCORRO À POPULAÇÃO"


Outdoor colocado no litoral paulista, altura do kilômetro 30, no qual pede melhores salários aos policiais militares de São Paulo. "AGORA É A PM QUE PEDE SOCORRO À POPULAÇÃO"!

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

PM MG lança novos Batalhões e coloca policiais nas ruas


A Polícia Militar apresentou três novos batalhões da corporação que já vão iniciar as operações. Eles fazem parte do conjunto de ações para reforçar a segurança pública anunciado pelo governador Antonio Anastasia. Ao todo, 800 militares, incluindo oficiais da inteligência da Polícia Militar e da administração, vão integrar os dois batalhões denominados Metrópole. Eles vão atuar na prevenção e repressão nas ruas, realizando um mapeamento das áreas de maior necessidade da atuação policial. Além disso, outros 163 alunos do curso de formação de oficiais vão atuar no Batalhão Acadêmico. Eles realizarão a parte prática do curso no exercício da atividade policial de forma preventiva, atuando em conjunto com os batalhões Metrópole.

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Presidente DILMA é "amada" pelo povo, quanta "popularidade"...foda-se a copa!!!


MALDIÇÃO DA PEC 300!!! APESAR DELA SE ESQUECER DA SEGURANÇA PÚBLICA E DO PISO NACIONAL DESSES PROFISISONAIS...NÓS É QUE AINDA A MANTEMOS NO PODER...Protestos dos brasileiros na inauguração do estádio ARENA AMAZONAS, onde nem futebol existe...será mais um elefante branco...maldidos!!!

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Tenente desabafa após bombeiros serem assaltados: 'Nojo deste país'

Bombeiro falou sobre o assalto durante o incêndio (Foto: Reprodução/Facebook)
Vários bombeiros que participaram das operações para apagar as chamas do incêndio na comunidade México 70, no bairro Vila Margarida, em São Vicente, no litoral de São Paulo, foram assaltados, durante o trabalho, por criminosos que estavam no local. Após a ação, um tenente da corporação fez um forte desabafo pelas redes sociais.
"Eu achava que tinha visto muita coisa inacreditável. Mas assaltarem uma viatura do Corpo de Bombeiros, a metros de distância do local da ocorrência, colocando duas armas no peito do bombeiro enquanto ele reabastecia a viatura com água para dar continuidade ao combate a um incêndio gigantesco que ocorria naquele mesmo bairro? Na boa? Nojo deste país! Não aconteceu nada de mais grave com o bombeiro. A nós resta dar continuidade a nosso trabalho, pois ainda existem pessoas as quais devemos ajudar", publicou o tenente no Facebook.
De acordo com informações passadas pelos bombeiros de São Vicente, os profissionais tiveram relógios, carteiras e celulares roubados. O caso ocorreu quando a viatura passava pela Avenida Nações Unidas. Segundo informações da polícia, ninguém havia sido preso até às 7h desta quarta-feira (12).
Incêndio
Mais de 80 barracos foram destruídos após um incêndio na comunidade do México 70, no bairro Vila Margarida, em São Vicente, no litoral de São Paulo. As chamas foram extinguidas pelos bombeiros às 17h45 desta terça-feira (11). Em meio à fumaça e as chamas algumas pessoas acabaram se desentendendo e policiais militares dispersaram a multidão com bombas de efeito moral e balas de borracha.

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Viaturas ficam sem manutenção

Há um mês, a frota de viaturas da Polícia Militar (PM) está sem cobertura para reparos e manutenção. É que em janeiro passado se encerrou o contrato que o governo de Minas mantinha, desde 2005, com a empresa Júlio Simões, responsável pela manutenção dos veículos.
Uma fonte da PM ouvida pela reportagem relata que, com isso, em alguns casos, o patrulhamento é feito a pé. Moradores também reclamam da falta de veículos ou do sucateamento dos que restaram. É o caso dos bairros São Luiz e Bandeirantes, na Pampulha. Segundo a Associação Pro-Civitas, que representa os dois bairros, apenas duas viaturas têm feito o patrulhamento.
Antes do encerramento do último contrato, assinado em 2011, o Estado pagava, em média, R$ 3,5 mil por mês por veículo que passava pela manutenção, segundo a Associação dos Praças Policiais e Bombeiros de Minas Gerais (Aspra). O acordo ainda previa o fornecimento de mil veículos a um custo total de R$ 35,4 milhões.
Apesar de a empresa afirmar que os veículos fornecidos não pararam de circular com o vencimento do contrato, pois foram incorporados à frota de 9.000 viaturas de Minas, muitos estão parados nas oficinas da empresa, já que, até o último dia 22, o grupo ainda recebeu carros que estavam nas ruas e sofreram danos. No entanto, antes que a Júlio Simões pudesse concluir a manutenção, o governo mineiro decidiu não renovar o contrato. A assessoria do grupo não soube informar o número de carros que até agora não foram liberados.
A reportagem procurou a 17º Companhia da PM, responsável pela região, mas o comandante não foi encontrado. Para o sociólogo Robson Sávio, especialista em segurança pública, só a presença ostensiva da polícia desestimula a prática de crimes. “Estudos mostram que a baixa vigilância é o principal fato para os roubos. Não adianta anunciar que está comprando viaturas novas se elas não estão nas ruas”, destacou o especialista.
Saiba mais
Flagrantes.  Reportagem publicada por O TEMPO em janeiro mostrou que viaturas deixam de fazer o policiamento para ficar paradas nas delegacias por cerca de sete horas para registrar um flagrante. Isso acontece também na delegacia do Detran.
Demora.  A espera ocorre porque a Central de Flagrantes concentra todos os flagrantes de seis regionais da capital. 

Resposta. Na época, o chefe da Polícia Civil, Cylton Brandão, afirmou que está sendo feito um estudo para minimizar o tempo de espera. O levantamento deve ser concluído neste mês.
Abordagem
Ameaça. A equipe de O TEMPO foi abordada por militares do 5º Batalhão, enquanto fazia a foto de viaturas no pátio. O fotógrafo e o motorista da equipe ficaram retidos no batalhão por 20 minutos. 
Sem combustível para rodar, carros ficam parados em pátio

A falta de combustível para as viaturas fazerem o policiamento na capital foi outra denúncia recebida por O TEMPO. Haveria uma espécie de racionamento para as viaturas que seriam recolhidas quando ultrapassam a cota mensal disponível por batalhão.

Fontes ouvidas pela reportagem informaram que as cotas não seriam suficientes. Em Santa Luiza, na região metropolitana, por exemplo, as viaturas só podem rodar 30 km por turno de oito horas.
Ontem, após denúncias, a reportagem esteve no 5° Batalhão de Polícia Militar, na Gameleira, região Oeste, e constatou a presença de 300 viaturas paradas, muitas sem placas.

A assessoria da PM afirma que são carros que foram comprados e estão sendo transformados em viaturas. De acordo com o major Gilmar Luciano, a presença dos carros no local é normal. Porém, segundo ele, a informação sobre a quantidade exata de carros, quando eles chegaram e como serão utilizados, só será repassada na próxima segunda-feira.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Policiais federais aprovam greve e farão protesto em todo o Brasil nesta sexta-feira

Servidores da Polícia Federal promoverão "algemaço" nas sedes da corporação em diversos Estados em protesto

Os sindicatos que representam agentes, escrivães e papiloscopistas da Polícia Federal de pelo menos 23 Estados e do DF (Distrito Federal) decidiram entrar em estado de greve. Uma paralisação nacional foi marcada para o próximo dia 11 e, nesta sexta-feira (07), diversos sindicatos farão manifestações em seus Estados.

Agência Brasil
Policiais Federais em protesto por melhores condições

De acordo com a Federação Nacional dos Policiais Federais, estão em estado de greve os servidores dos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Roraima, Rondônia, Acre, Ceará, Alagoas, Pernambuco, Sergipe, Paraíba, Maranhão, Piauí e Rio Grande do Norte.
De acordo com o Alexandre Santana Sally, diretor da Fderação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) e presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Federal no Estado de São Paulo (Sindpolf-SP), o estado de greve indica que a categoria pode parar a qualquer momento. 
Assim como em diversos Estados, os agentes federais de São Paulo irão pendurar suas algemas em frente à Superintendência da Polícia Federal, nesta sexta-feira, às 12 horas, em manifestação contra a falta de apoio ao trabalho policial. 
A manifestação dá início ao calendário de ações aprovado nas assembleias serais dos sindicatos de todo o Brasil.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Policiais precisam de escolta para trabalhar no Alemão

45DP
Em 36 dias, 100 registros – cerca de apenas três por dia. Essa é a média de ocorrências registradas na 45ª DP – inaugurada no último dia 27 de dezembro na estação do teleférico que funciona no Itararé, no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio. De acordo com os policiais da unidade, moradores dizem que não podem procurar a distrital para registrar queixas relativas ao tráfico de drogas e nem mesmo crimes de grande potencial ofensivo. A maior parte dos casos denunciados são referentes à Lei Maria da Penha.
Após a sequência de ataques ocorridos no conjunto de favelas nos últimos dias, inclusive alvejando a delegacia, agentes da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) foram designados para fazer a segurança no local. Equipes da unidade de elite da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro estão permanecendo durante 24 horas em frente ao prédio.
carro alemao
“E não podemos sair e nem patrulhar, pois não querem que haja confronto e se nos depararmos com criminosos teremos que reagir”, revelou um dos policiais.
Em um dos ataques, antes da escolta da Core ser direcionada para a delegacia, uma bomba foi lançada dentro do prédio. Uma das janelas teve que ser trocada após ter o vidro estilhaçado por tiros. No último incidente, ocorrido na sexta-feira, dia 31 de janeiro, carros de policiais foram atingidos por coquetéis molotov.
carro alemao2“Para quê serve uma delegacia que não oferece condições de segurança para os policiais lotados nela e que não é procurada pela população? Somos policiais recém-formados que não tivemos orientação para usar fuzis e que dispomos apenas de pistolas para revidar ataques de fuzis e granadas”, desabafou um inspetor lotado na 45ª DP.
“Se policiais precisam de escolta policial para trabalhar, imagine então a nossa situação como anda. E ainda chamam isso de pacificação”, lamentou um aposentado de 52 anos que mora na região.

Torcedor é agredido por policiais militares em estádio

CLIQUE E ASSISTA NO SBT
O adolescente, de 17 anos, foi espancado por quatro policiais militares, depois de uma briga entre torcidas organizadas do Vila Nova, durante partida contra o Atlético Goianiense. A Corregedoria da PM investiga o caso e afirma que os envolvidos serão punidos. Os detalhes na reportagem de Rozaine Ferraz.

domingo, 2 de fevereiro de 2014

RIO: Mais dois policiais são assassinados na favela "pacificada" (welcome)



Dois policiais militares (um homem e uma mulher) da UPP do Parque Proletário foram baleados, na tarde deste domingo, durante um intenso confronto entre homens armados com fuzis e os militares, próximo a Praça do Cruzeiro. Os dois foram levados para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha, mas a soldado não resistiu. O outro PM continua internado. A mulher foi atingida no abdômen e o homem, na perna. Ainda segundo moradores, homens do Batalhão de Choque (BPChoque) e do Batalhão de Operações Especiais (Bope) estão no local reforçando o policiamento. Um moradorador flagrou o momento em que policiais militares da unidade, por volta de 15h30, chegam a uma localidade conhecida como Praça São Lucas para socorrer os colegas. Eles estacionam a viatura e atiram para o alto. Logo depois, colocam os dois PMs feridos no banco de trás do carro e saem correndo.

SIGA EM PAZ, SOLDADO ALDA RAFAEL CASTILHO 

PMERJ DE LUTO


O  PM Marcelo Gilliard  que foi baleado na perna no ataque a UPP do Parque Proletário também não resistiu aos ferimentos.