Seguidores

Mostrando postagens com marcador prisco preso. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador prisco preso. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Prisco tem prisão revogada e deverá cumprir série de exigências judiciais


Solto, Prisco deverá cumprir série de exigências judiciais
O vereador Marco Prisco (PSDB) teve um pedido de revogação de prisão aceito no fim da tarde desta sexta-feira (30). Mas segundo a assessoria de comunicação da Seção Judiciária da Bahia, o juiz substituto Fábio Roque da Silva Araújo definiu uma série de exigências para a sua soltura. Teria sido estabelecido o pagamento de fiança de 30 salários mínimos, o recolhimento domiciliar noturno e nos fins de semana, a proibição de se ausentar da comarca (Salvador) sem autorização judicial, o comparecimento mensal à Justiça para informar as atividades, proibição de frequentar quarteis ou outros estabelecimentos militares – o que inclui as associações  –, o afastamento da diretoria de qualquer associação militar, proibição de manter contato com os diretores das instituições e o uso de monitoramento eletrônico. Prisco foi preso em abril, a pedido do Ministério Público Federal na Bahia (MPF-BA), dois dias após o fim da paralisação deste ano da PM no estado. O vereador é suspeito por “crimes políticos graves” referentes ao movimento paredista realizado em 2012, chefiado por ele. De acordo com o advogado Fábio Britto, que integra a equipe de defensores do legislador, o parecer favorável à libertação foi baseado no entendimento de que “a ordem pública já foi restabelecida” na Bahia. A decisão é da 1ª instância da Justiça Federal e não se relaciona com o habeas corpus impetrado no Supremo Tribunal Federal (STF).

www.bahianoticias.com.br

Comento: Como pode o MPF decidir por onde deve ou não andar um vereador eleito? Isso é um absurdo!!! Uma aberração jurídica...esse promotor tem que ser denunciado.

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Na "democracia" brasileira é normal prender sem acusação, prender quem faz greve, prender trabalhadores




Esta é a democracia do PT. Manter preso um vereador e líder da greve da PM Bahia, sem que se tenha contra ele NENHUMA, repito, NENHUMA ACUSAÇÃO DE CRIME. Ele está preso para garantir a segurança da COPA 2014. Fé, força e luta Prisco, você representa o sentimentos da maioria dos policiais e bombeiros do Brasil, diuturnamente explorados por esse governo.

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Ministro pede que junta médica do STF avalie saúde de Prisco

A pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski determinou que uma junta médica da Corte avalie o estado de saúde do vereador de Salvador Marco Prisco (PSDB), que desde o dia 18 está preso no Presídio da Papuda, em Brasília. O encaminhamento feito por Janot responde à solicitação de prisão domiciliar feito pela defesa do edil. Prisco, líder das três últimas greves da Polícia Militar baiana, teve atendimento médico na última quarta-feira (9), por suspeita de infarto, e desde então está internado no Hospital Regional da Asa Norte. Dois médicos do STF terão 48 horas para fazer um relatório clínico sobre o quadro de saúde do tucano.

Agência Brasil. 

domingo, 11 de maio de 2014

Diretora pede a juiz que Prisco deixe Papuda, diz assessoria


Diretora pede a juiz que Prisco deixe Papuda, diz assessoria
A assessoria de imprensa de Salvador Marco Prisco (PSDB), em nota encaminhada à imprensa neste domingo (11), diz que a diretora do Sistema Penitenciário Federal, em Brasília, Diana Calazans Mann, indeferiu a permanência do vereador de Salvador no Presídio da Papuda. De acordo com o comunicado, ela oficiou o juiz federal Antônio Oswaldo Scarpa, da 17ª Vara Federal, que indeferiu relaxamento de prisão do tucano, sobre a impossibilidade de manutenção do acusado de crimes contra a segurança nacional na unidade. Segundo a comunicação de Prisco, ele não preencheria os requisitos legais para ser mantido na Papuda. O documento, encaminhado pela assessoria, aponta que "a situação fática retratada no pedido de inclusão não comprova existência de nenhum dos referidos quesitos. o preso em questão não é membro de organização criminosa, não está submetido à RDD, não praticou de crimes violentos ou mediante grave ameaça, nem tampouco foi incluído no sistema prisional do estado da Bahia, não havendo que se falar em fuga ou risco à integridade física no érgastulo de origem". Na avaliação de Fábio Brito, coordenador da Aspra, entidade militar liderada por Prisco, "juridicamente não resta dúvidas" de que o vereador não deve retornar à unidade federal. "Ele continua debilitado, na UTI, perdeu 15 quilos e está depressivo. Se recusa a comer ou a beber. Sem falar que os problemas gástricos dele só pioraram", opinou. Marco Prisco é acusado de liderar a greve da PM em 2012, que durou 12 dias e ocupou a Assembleia Legislativa baiana.

Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ Bahia Notícias

domingo, 4 de maio de 2014

Líder militar e vereador da Bahia, poderá morrer na cadeia. Quem vai responder?

PRISCO É AMEAÇADO E SOFRE INFARTO NA CADEIA

IMG-20140503-WA0015

O vereador e coordenador-geral da Aspra (Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares no Estado da Bahia), Marco Prisco, enfartou após tentativa frustrada de fuga de internos do presídio federal da Papuda, em Brasília, no início da noite deste sábado (3). Segundo informações da Aspra, Prisco foi ameaçado de morte pelos internos que o acusaram de ser "informante" e sentiu fortes dores no peito.

Segundo a Aspra, após os agentes federais conseguirem impedir a fuga, os presos acusaram Prisco, por ser representante de policiais militares, de ter contado aos federais sobre a fuga.  
De acordo com o advogado Leonardo Mascarenhas, o vereador foi socorrido para a UPA (Unidade de Pronto-Atendimento), São Sebastião, mas a médica plantonista informou ao advogado que a unidade não tinha condições de atendê-lo de forma adequada por se tratar de um caso de infarto. Prisco foi transferido para o HRAN (Hospital Regional da Asa Norte).
Prisão
Prisco foi preso no dia 18 de abril, a pedido do MPF-BA (Ministério Público Federal da Bahia). O pedido de prisão preventiva ajuizado pelo MPF foi concedido pela Justiça Federal em 15 e a prisão foi realizada pela PF (Polícia Federal), com o auxílio da PRF (Polícia Rodoviária Federal) e Aeronáutica em um resort em Costa do Sauípe, no Litoral Norte.  
O MPF justificou a prisão do líder do movimento grevista dizendo que ele responde a ação penal por crimes previstos na Lei de Segurança Nacional, em processo que está em curso na 17ª Vara Federal da Seção Judiciária da Bahia. De acordo com o órgão, "mesmo denunciado pela prática de crimes contra a segurança nacional, continuou ostensivamente a instigar o uso da violência e da desordem e a liderar movimentos grevistas expressamente proibidos pela Constituição Federal, não só no Estado da Bahia, como em outras unidades da federação, apostando na política do terror".  
No dia 23, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Ricardo Lewandowski, negou o pedido de habeas-corpus da defesa do vereador.


quinta-feira, 1 de maio de 2014

DIA DO "TRABALHADOR": PRISCO PRESO É UM ESTUPRO CONSTITUCIONAL


 Mais uma vez aquele que representa a "democracia", a liberdade, o direito do trabalhador à greve, a cidadania como profissão e juramento, aliás, única em que se jura a própria vida para se garantir a vida do próximo, que são os policiais, bombeiros e militares das Forças Armadas. Mais uma vez, esta categoria que deveria ser valorizada em países que têm a cidadania já consolidada, (não é o caso do Brasil). A distorção aceita pela grande mídia, que além de omitir, criminaliza o ativismo político nas polícias, como se tivéssemos realmente alguma "santidade", sacerdócio, desumanidade talvez; para aceitar tantos estupros constitucionais como foi a prisão do militar e, também vereador Marco Prisco da PM Bahia.

 Eles esquerdistas, que tanto criticam, as vezes com alguma razão a ditadura militar brasileira, onde era comum a chamada "prisão para averiguação", sem qualquer fundamentação ou embasamento jurídico prévio; agora eles fazem exatamente a mesma coisa com o Prisco. E mais, ainda o jogam no meio das feras, preso numa penitenciária de segurança máxima, paradoxalmente onde alguns mensaleiros, reconhecidamente criminosos pelo STF, na famosa Ação Penal 470, onde se desviou milhões do erário, para garantir as votações favoráveis no Congresso. 

 O sentimento é de revolta, como um trabalhador brasileiro, um político, repito, vereador eleito, pode dizer que vive num país democrático?! Provavelmente Prisco deva ser libertado após a Copa. Gostaríamos muito que os pseudo-defensores das liberdades saíssem do armário agora, fossem às ruas, denunciassem o fato nas cortes internacionais de Direitos Humanos, colocassem toda a cidadania para fora, do peito e das fronteiras, para que o mundo saiba que não somos uma nação que apenas produz e come bananas...Libertem o Prisco já!!! Mantê-lo preso é a confirmação do Estado de Exceção, é o Estado "amarrando a vítima para que seja estuprada constitucionalmente", sob o pretexto descabido de que uma, de que apenas uma pessoa está causando revolta num estado inteiro, por lutar por melhores salários. Isso além de não corresponder aos fatos, é um crime sem precedentes na história brasileira, na dita democracia, que por essas atitudes, deve ser questionada se de fato é realmente democrática...

sábado, 19 de abril de 2014

Bahia: Situação só será normalizada quando o vereador Marco Prisco for solto.


O deputado estadual Capitão Tadeu confirmou que os policiais militares retomaram sim, o movimento de greve, em forma de aquartelamento, e que um efetivo de apenas 30% dos policiais militares vão pras ruas, em toda a Bahia, a partir de amanhã, 18. Tadeu afirmou que a situação só será normalizada quando o vereador Marco Prisco for solto. Sobre as questões judiciais que envolvem a soltura de Prisco o deputado explicou: “Sou advogado, e sei que não depende do Supremo Tribunal Federal, pois o juiz pode revogar a decisão. Já entrei em contado com a jurista aposentada Eliana Calmon e ela vai fazer os contatos e o intermédio com os juízes competentes,” falou Tadeu.O deputado informou ainda que não há previsão de realização de assembléia da categoria para os próximos dias.

sexta-feira, 18 de abril de 2014

MILITARES DA BAHIA VOLTAM A GREVE DEPOIS DA PRISÃO ILEGAL DE PRISCO

Por conta da prisão do vereador Prisco (PSDB) na tarde desta sexta-feira (18), o deputado estadual Capitão Tadeu (PSB) convocou os Policiais Militares da Bahia a retomarem a greve em entrevista na Rádio Sociedade. Para o socialista, a prisão do líder do movimento grevista foi uma traição do governo Wagner e ele próprio decidiu assumir a liderança convocando todo os policiais a pararem as atividades. Circula também um comunicado de policiais com a mesma conclamação.
 




Leia íntegra de alguns comunicados:

Urgência solicitando a paralisação dos PM’s. Leia íntegra dos comunicados:
Moção de Repúdio ao governo pela traição aos Policiais Militares.  Após P risco ter feito um acordo com o governo para o final da greve, mesmo contrariando parte da tropa , o governo trai a boa vontade dos policiais militares e manda prender Prisco um dia após o acordo que pôs fim à greve, caracterizando um ato de traição do governo contra os policiais militares. Dessa forma ,neste momento, por exigência dos policiais militares, saiu da condição de moderador e assumo a liderança do movimento. Dessa forma ,  conclamo toda a tropa para suspender as atividades imediatamente até que o governo providencie a soltura de Prisco. Ssa , 18/4/2014. Cap Tadeu.


Líder da greve da polícia baiana, Marco Prisco é preso pela PF (mesmo anistiado...)

Marco Prisco é preso pela PF nesta sexta-feiraO vereador Marco Prisco (PSDB), líder da greve da PM na Bahia, foi preso a pedido do Ministério Público Federal na Bahia (MPF-BA), nesta sexta-feira (18). O mandado de prisão foi expedido na terça (15), no primeiro dia da paralisação. A prisão foi realizada pela Polícia Federal em um resort em Costa de Sauípe, onde Prisco se encontrava. O pedido foi feito na segunda-feira (14), dentro da ação penal movida pelo MPF em abril de 2013 , que denunciou sete pessoas entre vereadores, soldados e cabos da PM por diversos crimes, a maioria deles contra a segurança nacional, praticados durante o movimento paredista de 2012. A intenção do pedido de prisão preventiva foi de garantir a ordem pública. De acordo com o MPF, o vereador é processado por crime político grave e qualquer recurso contra sua prisão só poderá ser ajuizado no Supremo Tribunal Federal. A prisão será cumprida inicialmente em presídio federal localizado fora do estado da Bahia.
Veja o mandado de prisão (confira maior):