Seguidores

Mostrando postagens com marcador PMBA. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador PMBA. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Após liminar, blitz do IPVA é suspensa; veículos não poderão ser apreendidos


Após liminar, blitz do IPVA é suspensa; veículos não poderão ser apreendidos
Por decisão liminar emitida nesta sexta-feira (12), as blitze de IPVA, realizadas pela Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, em parceria com o Detran-BA, estão suspensas em todo o estado. A sentença foi proferida pela juíza Maria Verônica Ramiro, da 11ª Vara da Fazenda Pública, em uma ação civil pública movida em novembro de 2013 pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Seção Bahia. A partir de agora, o governo do Estado não poderá apreender os veículos dos contribuintes que não pagaram o IPVA. Em caso de descumprimento, foi estabelecida uma multa de R$ 50 mil por blitz realizada. Na decisão, a juíza afirma “apreender veículo na via pública por débito de IPVA, é o mesmo que expulsar, sem qualquer prévio procedimento, o contribuinte de seu lar em caso de inadimplemento do IPTU”. A OAB-BA propôs a ação por iniciativa do conselheiro Domingo Arjones. O Conselho Pleno da entidade encaminhou a questão para a Comissão de Direito Tributário, que elaborou um parecer no qual apontava as irregularidades das operações. Por ser procurador do Estado, o presidente da OAB-BA, Luiz Viana Queiroz,declarou-se impedido de analisar o caso e transferiu ao vice-presidente, Fabrício Oliveira. Após debates, o conselho pleno chegou a conclusão de que “o procedimento de blitz e apreensão do veículo em situação de inadimplência configura exercício ilegal do poder de polícia da Administração Pública” e aprovou a aprovação de uma ação judicial. A OAB ainda acredita que deve ser oferecido ao proprietário do veículo discutir a cobrança sem “ser privado dos seus direitos de propriedade”.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Bahia: Soldado PM comete suicídio e deixa carta responsabilizando Governo e Comando

 Carta deixada pelo jovem

Soldado Jefferson Amaral

O Soldado da PM Jefferson Amaral, que trabalhava na 1ª Companhia do 15º Batalhão na cidade de Itabuna, cometeu suicídio na tarde de terça-feira (27) no bairro Fátima. O Soldado que segundo informações era perseguido na Cavalaria, Companhia onde trabalhou antes de pedir transferência para a 1ª Companhia, não teria sido polpado de perseguições na sua nova unidade. 

Em uma emocionante carta deixada pelo Soldado, essas informações passadas pelos amigos podem ser confirmadas. O policial deixa o que tem para a sua namorada, única pessoa que conseguiu compreendê-lo e tentou ajudar. Jefferson desabafou contra os pais, contra os comandantes do 15º BPM Itabuna, que aliás é apelidado em toda a Bahia como "Péssimo Quinto" pela fama que os comandantes tem de perseguir os comandados e por fim culpou os políticos de modo em geral, dando destaque ao Governador Jaques Wagner (PT).

Talvez essa carta escrita em um momento trágico da vida desse jovem possa trazer à tona uma série de discussões, como a necessidade de desmilitarizar a PM e por fim de uma vez a esse regime castrense retrógrado, o tratamento que a classe política tem dado ao nossos policiais, mais especialmente ainda o tratamento humilhante e degradante a que alguns comandantes submetem os seus comandados.

Infelizmente esse jovem suicidou, ele poderia ter tido um ataque de fúria ou um surto psicótico como ocorre em países como os EUA e ter atentado contra a vida desses que o maltrataram e depois cometer suicídio. Isso graças a Deus não aconteceu, o que demonstra que o jovem não queria vingança, apenas respeito. Por por isso ele deixa essa carta denunciando tais fatos.

quarta-feira, 7 de maio de 2014

STF determina que Estado da Bahia reincorpore a gratificação da habilitação PM


Joaquim-Barbosa-em-sessão-de-recursos-do-mensalão
Ministro JOAQUIM BARBOSA, presidente do Supremo Tribunal Federal, negou seguimento a recurso extraordinário interposto pelo Estado da Bahia e manteve condenação favorável aos policiais militares baianos.

A ação, ajuizada e acompanhada pelo CENAJUR, visa a reincorporação da gratificação de habilitação PM, que foi extinta pela Lei Estadual n. 7.145/1997. O Poder Judiciário, com essa decisão, reafirma que os policiais militares baianos que ingressaram na PM antes da vigência da Lei Estadual n. 7.145/1997 fazem jus a receber a gratificação, em virtude do direito adquirido.
O processo é acompanhado pela equipe de advogados dos PROCESSOS COLETIVOS, do CENAJUR, com coordenação de Dra. FERNANDA PASCHOAL.
Abaixo parte da decisão publicada no Diário de Justiça do dia 28/04/2014:
RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 720.424
REGISTRADO: MINISTRO PRESIDENTE JOAQUIM BARBOSA
RECTE.(S): ESTADO DA BAHIA
PROC.(A/S)(ES): PROCURADOR-GERAL DO ESTADO DA BAHIA
RECDO.(A/S): XXXXXXXXXXX E OUTRO(A/S)
ADV.(A/S): FABIANO SAMARTIN FERNANDES


DECISÃO: Dada a ausência de aplicação da sistemática da repercussão geral pelo Tribunal de origem quando da inadmissão do recurso extraordinário, torno sem efeito a decisão de fls. 307-308. Esta Corte, no julgamento do ARE 685.053-RG (rel. min. Presidente – TEMA 605), concluiu pela ausência de repercussão geral da questão versada no recurso extraordinário a que se vincula o presente agravo. Do exposto, nos termos dos arts. 543-A, § 5º, do Código de Processo Civil, e 327,caput, do RISTF (na redação dada pela Emenda Regimental 21/2007), nego seguimento ao agravo. Publique-se. Brasília, 22 de abril de 2014. Ministro JOAQUIM BARBOSA Presidente.

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Bahia: Justiça obriga Estado a pagar gratificação aos militares que dirigem

fórum ruy barbosa

Justiça determina que Estado cumpra, imediatamente, obrigação de fazer em ação vitoriosa sobre a implantação da gratificação de habilitação PM nos salários de 09 policiais.
A Juíza da 7ª Vara da Fazenda Pública de Salvador, diante da notícia de descumprimento da decisão, determinou a intimação pessoal do Estado da Bahia para que, no prazo de 05 dias reimplante a habilitação PM no contracheque de 09 policiais militares. Após esse prazo, inexistindo a referida comprovação, determinou a Justiça que sejam extraídas cópia do processo, que deverá ser encaminhada ao Ministério Público para apuração de ato de improbidade, bem como de crime de desobediência.
A ação é acompanhada pela equipe de COLETIVOS, do CENAJUR, com coordenação de Dra. FERNANDA PASCHOAL. Abaixo inteiro teor da decisão publicada no DJe de 22/04/2014:
JUÍZO DE DIREITO DA 7ª VARA DA FAZENDA PÚBLICA
Processo n. 0089878-XX.2011.8.05.0001 – Embargos a execução
EMBARGANTE: Estado da Bahia
EMBARGADO: XXXXXX
ADVOGADO: FABIANO SAMARTIN FERNANDES
DECISÃO: Vistos etc. A parte autora noticia o descumprimento da obrigação de fazer determinada na sentença por parte do réu (fls. 52 e 53). Compulsando os autos vê-se que o Estado da Bahia foi regularmente intimado para cumprir, no prazo de 30 (trinta) dias, a sentença de fls. 64/69, que determinou a reincorporação da Gratificação de Habilitação Policial Militar aos vencimentos dos Autores, nos mesmos percentuais que percebiam quando da edição da Lei nº 7.145/97, sob pena de multa diária de R$ 1.000,00 (mil reais) em caso de descumprimento, limitada a R$ 100.000,00 (cem mil reais), sem prejuízo da configuração de crime de desobediência, conforme decisão de fl. 215 e mandado de fl. 216. o executado ofereceu embargos à execução, arguindo ausência de intimação pessoal da decisão que inadmitiu o recurso extraordinário interposto, o que causaria a nulidade da intimação e a consequente ausência de trânsito em julgado da decisão, o que a torna inexequível. Combateu, também, os cálculos apresentados pelo exequente. Os embargos foram parcialmente acolhidos no que concerne aos cálculos apresentados, contudo a arguição de nulidade da intimação foi afastada, tendo sido reconhecido o trânsito em julgado do acórdão, que manteve a sentença de fls. 64 a 69. O executado apresentou apelação, que foi recebida em seu regular efeito, qual seja, apenas o devolutivo, conforme disposição do art. 520, § V do CPC. Ante o exposto, diante da notícia de descumprimento da decisão, intime-se pessoalmente o Estado da Bahia para que, no prazo de 5 (cinco) dias, cumpra a sentença de fls. 64 a 69, bem como acoste o comprovante do devido cumprimento aos autos. Decorrido o prazo, inexistindo a referida comprovação, determino que sejam extraídas cópias da sentença, despacho de citação (fl. 215), do mandado devidamente cumprido (fl. 126) e da petição formulada pela parte credora noticiando o descumprimento, que devem ser encaminhadas ao Ministério Público para apuração de ato de improbidade, bem como de crime de desobediência, sem prejuízo da incidência das atreintes já estipuladas. Após, encaminhem-se os autos ao Tribunal de Justiça da Bahia, para apreciação da apelação interposta nos autos dos Embargos à Execução. Publique-se. Cumpra-se. Salvador(BA), 15 de abril de 2014. Patricia Cerqueira de Oliveira Juíza de Direito.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Policiais militares decretam greve por tempo indeterminado na Bahia


BAHIA
Decisão foi tomada em assembleia realizada no Wet'n Wild, na tarde desta terça-feira (15). Atualizado em 15/04/2014 19:36:29

Os policiais e bombeiros militares da Bahia decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. A decisão foi tomada em assembleia realizada no Wet'n Wild, na tarde desta terça-feira (15). A categoria rejeitou as propostas apresentadas pelo Governo do Estado de reestruturação e modernização da Polícia Militar.


A categoria, que reúne pelo menos 34 mil homens na ativa no estado, reivindica melhoria salarial, mudanças na política remunerativa, plano de carreira, acesso único ao quadro de oficiais, um Código de Ética, aposentadoria com 25 anos de serviço para a Polícia Feminina, aumento do efetivo, bacharelado em Direito para os oficiais, além de elevação de toda a tropa para o nível superior entre 2014 e 2018.
O governo tem até 180 dias antes do início do período eleitoral para remeter ao Legislativo qualquer projeto que provoque alterações salariais de servidores.
A assembleia desta terça-feira contou com as diversas associações da categoria, como a Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), a Associação de Praças da Polícia Militar do Estado da Bahia (APPM-BA) e a Associação dos Oficiais da Polícia Militar da Bahia (Força Invicta).
O coordenador-geral da Aspra, Marco Prisco, já havia afirmado que as propostas sugeridas pelo Governo não agradavam. "As propostas que o Governo ofereceu para a gente não contemplam a categoria", disse.
Na segunda-feira (14), representantes das associações de policiais e bombeiros militares participaram de reunião com o secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa, e o comandante-geral da PM, coronel Alfredo Castro. O secretário garantiu rever alguns pontos apresentados aos policiais. Entre os itens propostos para revisão estão o código de ética, o plano de carreira e a promoção na corporação.
“Na quinta-feira passada, apresentamos a proposta do governo e desde aquele momento havíamos falado para todos que estávamos colocando aquilo para apreciação. Eles trouxeram uma análise do material. São propostas que vamos analisar e que estamos dispostos a revisar”, afirmou o secretário.
12 dias de greve
Em janeiro de 2012, os policiais militares e os bombeiros da Bahia realizaram uma greve que durou 12 dias. Cerca de 3 mil policiais ocuparam a Assembleia Legislativa, no Centro Administrativa da Bahia (CAB), durante a paralisação.


Policiais ocuparam a Assembleia Legislativa na greve de 2012 (Foto: Evandro Veiga/Arquivo CORREIO)
Os policiais reivindicavam o cumprimento da lei 7.145 de 1997, com pagamento imediato da GAP V, incorporação da GAP V ao soldo, regulamentação do pagamento de auxílio acidente, periculosidade e insalubridade, cumprimento da lei da anistia e a criação do código de ética, além da criação de uma comissão para discutir um plano de carreira para a categoria.


Durante a greve, a Força Nacional de Segurança Pública e o Exército reforçaram o policiamento em Salvador. Os agentes foram distribuídos em locais de maior circulação de pessoas, como estações de transbordo, hospitais, e Terminal Rodoviário.



Abaixo matéria extraída do G1- Bahia
Pontos de divergência

Entenda alguns itens citados pelo presidente da Associação de Praças da Polícia Militar da Bahia (APPM-BA), Agnaldo Sousa, e qual o posicionamento do governo:

Plano de carreira
APPM-BA - Segundo a associação, tanto o soldado quanto o oficial têm que ter um tempo máximo nos postos de graduação. A categoria pede que seja definido um plano de carreira. "Um soldado leva hoje 25 anos sem ter uma promoção. Nós achamos isso vergonhoso. Queremos que seja definido um tempo para que ele seja promovido", diz Agnaldo.

Governo - A proposta do governo é que, após oito anos, o soldado passe a ser cabo e, depois de mais seis anos e meio, ele ascenda a 1º sargento. Hoje, um soldado passa 20 anos como soldado, sem ascenção. Depois, ele passa a ser sargento e se aposenta.
Isonomia Salarial

APPM-BA - A categoria pede isonomia entre as polícias militares e civil. "Hoje, um tenente-coronel que tem 30 anos de serviço ganha menos que um delegado, que está no início de carreira. Queremos que isso seja equiparado", relata Agnaldo.

Governo - O Estado se compromete em criar um grupo de trabalho para rever todo o sistema de remuneração da Polícia Militar. Nesse quesito, entram gratificação, adicionais, entre outras remunerações agregadas.
Código de Ética

APPM-BA - Segundo a associação, a PM não tem um código de ética. "Temos uma legislação da Polícia Militar, que está obsoleta, com coisas que estão lá há mais de 40 anos. Queremos a implantação desse código de ética", revela Agnaldo.

Governo - Um código de ética foi apresentado e as associações questionam alguns pontos. Assim, o governo está disposto a reavaliar as questões que não estão satisfazendo a categoria.

quarta-feira, 5 de março de 2014

Denuncia: Oficiais da polícia da Bahia teriam negado socorro a soldado com princípio de AVC

ABSURDO! MAJOR E TENENTE SE NEGAM A SOCORRER UM SOLDADO À BEIRA DE UM AVC NO CARNAVAL DE SALVADOR




Mais uma grave denúncia chega a nossa redação de maus tratos aos praças da PM no carnaval de Salvador, dessa vez, a atitude de um Major e uma Tenente beira o absurdo da irresponsabilidade com a vida humana.
O Sd PM lima da Base Comunitária de Segurança do Monte Cristo na Cidade de itabuna-Ba após ser medicado por três vezes no posto de saúde da Piedade com Pressão arterial de 22 x 17, vale lembrar que ele teve que deslocar-se todas as vezes sozinho e na troca de plantão do posto médico foi liberado com um relatório que dizia para ter repouso total.
Ele ficou jogado em uma viatura por mais uma hora quase desacordado tendo que deslocar para a vila militar. O Major Edson e a Tenente Rosa não deixaram q a viatura o levasse. Sendo indagado por colegas do policial doente, o Major teria dito que que não era problema dele que chamassem o SAMU.
Os colegas fizeram uma ‘vaquinha’ e pagaram um táxi para levar o colega. Ao saber que os policiais ligaram para o Soldado Prisco Coordenador da ASPRA e que ele se deslocava para o local, eles ordenaram que outra viatura interceptasse o táxi e retirasse o colega para conduzi-lo ao seu destino. Tudo foi registrado em vídeos, os policiais estão indignados com o tratamento dado a eles esse ano em salvador e prometem lotar a assembléia no dia 21 próximo.
Comento: É por essas e outras que o militarismo tem que acabar, urgente!!! Se fosse um marginal teria que ser socorrido, senão os defensores dos Direitos Humanos estariam em cima...mas, subordinado...isso é humano?

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Major dança no lançamento da Operação Carnaval: "Temos que humanizar a polícia"


O major Estrela surpreendeu todos os colegas, durante o lançamento da Operação Carnaval 2014 da Polícia Militar, ao ser convidado pela cantora e apresentadora Carla Cristina para subir ao palco e danças Lepo Lepo.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

VIATURAS POLICIAIS INCENDIADAS NA BAHIA (uma das sedes da Copa...welcome)


Duas viaturas da Polícia Civil foram queimadas na madrugada desta quinta-feira (13) em Jandaíra, no norte da Bahia. Em entrevista ao Bahia Notícias, o prefeito Roberto Leite (PMDB) atribuiu a ação a bandidos e disse que a cidade não conta com sequer um policial militar há dois anos. De acordo com o gestor, a segurança é feita pela companhia do município de Rio Real, com a ronda de uma viatura “de vez em quando”. “Fica até oito, dez dias sem passar viatura. Eles vêm, dão uma volta e vão embora”, denunciou. Segundo o peemedebista, outros municípios da região também são monitorados pela unidade de Rio Real, como Olindina, Crisópolis, Acajutiba, Itapicuru e Aporá. O prefeito afirmou que o responsável pelo registro dos boletins de ocorrência em Jandaíra é um funcionário da prefeitura. “Estamos em um situação de caos, aqui na fronteira com Sergipe. Na escala da companhia de Rio Real, consta como se nós tivéssemos dois policiais”, relatou. Roberto Leite disse que a situação já foi exposta ao governo estadual diversas vezes, inclusive de forma direta ao comandante-geral da Polícia Militar baiana, o coronel Alfredo Castro. “Quando ele esteve aqui em Rio Real, eu disse que não tínhamos um policial há dois anos. Ele chamou um capitão, que eu não lembro o nome, e passou a situação”, declarou. 

por Rodrigo Aguiar/bahianoticias.com.br

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Bandido é baleado por policial militar à paisana na Bahia – Cenas fortes


Após uma tentativa de assalto, bandido é baleado por um policial militar à paisana em troca de tiros na cidade de Itabuna, na Bahia. O assaltante não resistiu aos ferimentos e morreu. A ação do bandido foi contra uma mulher grávida que estava em uma loja de celulares, o esposo da vítima, um policial, reagiu e trocou tiros com o assaltante.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

PMs comem pão puro na Lavagem do Bonfim - Bahia


O 'sanduíche' abaixo parece apetitoso? Pois esse pão puro foi o lanche oferecido aos policiais militares que trabalharam na Lavagem do Bonfim, nesta quinta-feira (16). A denúncia partiu de um leitor do Bocão News. A assessoria da PM foi procurada, mas nenhum dos telefones foi atendido. 
bocaonews.com.br

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Salvador: Policiais proíbem exibição de documentário sobre morte de garoto por PMs


Policiais Militares impediram a exibição do documentárioMenino Joel (assista no final da matéria) no Nordeste de Amaralina, comunidade de Salvador, capital baiana.  Segundo denúncia publicada no blog da AMNA(Associação de Moradores do Nordeste de Amaralina), membros da associação foram coagidos por PM’s para que não exibissem o filme.
Segundo a denúncia publicada no blog, policiais fortemente armados ameaçaram membros da associação e impediram a exibição do filme alegando que o mesmo incitava a população contra os policiais.
“Policiais fortemente armados ameaçaram com truculência os jovens, alegando que os vídeos incitavam a população contra os policiais. Os jovens ainda tentaram negociar se propondo a passar outro video-documentário mas os policiais impediram ameaçando de arma em riste e alegando a operação Copa do Mundo como motivo para não deixar os jovens exibirem o vídeo”, diz o texto.
O documentário, que seria exibido por meio do projeto Cine Maloca, trata da morte do garoto Joel da Conceição Castro, de 10 anos, durante uma operação policial na comunidade em 2010. O garoto foi atingido por uma bala perdida em casa enquanto se preparava para dormir. Segundo relatos de moradores do Nordeste de Amaralina, policiais militares vinham de outra parte da comunidade atirando a esmo quando Joel foi baleado na cabeça. O caso ganhou maior repercussão na imprensa por Joel ter sido o garoto propaganda de um vídeo publicitário do governo estadual da Bahia.
A investigação da morte apurou ainda que os policiais negaram socorro ao garoto. Os nove PM’s envolvidos no crime foram afastados das suas funções nas ruas, mas o processo contra eles ainda não passou das audiências de instrução .
Em junho deste ano, um primo de Joel foi morto durante outra operação policial na comunidade. De acordo com familiares, Carlos Alberto Conceição Júnior trabalhava em um hotel e, na sua folga, teria saído de casa para encontrar com amigos quando foi morto durante a abordagem policial. Já a PM, em nota, defende que uma viatura fazia ronda no local quando foi recebida a tiros por oito homens, entre eles Carlos Alberto. A morte gerou protestos dos moradores do Nordeste de Amaralina. A família de Joel e Carlos Alberto diz estar sofrendo ameaças sem que as autoridades tomem qualquer providência.
No texto divulgado no site da AMNA, a associação diz que vai continuar com a exibição de filmes através do projeto Cine Maloca e que irá entrar “com uma representação junto ao Ministério Público e a Defensoria Pública do Estado no sentido de assegurar o direito democrático de livre expressão”. A nota pede ainda que defensores dos direitos humanos enviem cartas ao Comando da Policia Militar da Bahia e ao governador Jaques Wagner (PT) divulgando o documentário proibido.
Em nota, a Polícia Militar da Bahia afirmou que vai apurar os motivos da exibição do documentário ter sido impedida e colocou  a Ouvidoria da PM à disposição da comunidade.
“A Polícia Militar, enquanto instituição mantenedora da ordem, da Lei e do estado democrático de direito, garante a liberdade de expressão, ao tempo em que irá apurar os motivos pelos quais teria sido impedida a exibição do documentário Menino Joel no último sábado (3), no Nordeste de Amaralina.

A PM coloca à disposição da comunidade do Nordeste de Amaralina a sua Ouvidoria, através do 0800 284 0011 e do site www.pm.ba.gov.br.”, diz a nota. 

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Vídeo mostra policiais militares sendo humilhados durante curso



Comento: Não precisa ter pós doutorado para saber que essa humilhação será descontada em alguém...em quem será? No homem engravatado, perfumado, que fala bem, ou no pobre, desdentado, andarilho talvez? Não adianta falar em Direitos Humanos para esses homens e mulheres, que durante o curso de formação conheceram justamente o oposto. Com certeza a sociedade é quem paga, seja com impostos, seja com a vida. Louvo a imprensa que teve a coragem de mostrar essa triste realidade, ao invés de só mostrar as consequências, é importante mostrar a causa, essas são as causas dos muitos abusos e erros policiais.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

PMs convocados para ato público pedindo solução para morte de PMs

Dois dos quatro candidatos da polícia militar que passaram mal na segunda-feira (16) durante um Teste de Habilidade Específica (THE), no quartel do Batalhão de Polícia de Choque, em Lauro de Freitas, na região metropolitana de Salvador, morreram.

Na tentativa de buscar uma resposta imediata em relação aos fatos ocorridos desde a última segunda-feira, a Aspra convoca toda a tropa e seus familiares, trajando camisa preta, para um ato público que deixará a praça municipal, em frente a Câmara Municipal ds Salvador, amanhã, às 14 horas, com destino ao Ministério Público Estadual onde entregarão um documento solicitando ações imediatas.

"Não vamos tolerar este tipo de tratamento. Estes crimes não podem ficar impunes!", reclamou o coordenador-geral da Aspra, o soldado Prisco.

Entenda o caso

O curso realizado avaliou a aptidão de 67 policiais militares candidatos a participarem do Curso de Operações Policiais Especais (COPES). Durante uma das provas, na corrida de 10km, quatro candidatos, que pertencem a 81° CIPE (Companhia Independente de policiamento Especializado do Cerrado), apresentaram sintomas de náusea.

Os PMs foram atendidos pela coordenação e pelas equipes médicas de plantão e encaminhados para o Hospital Menandro de Farias. Dos quatro candidatos, apenas um PM conseguiu concluir a prova dois morreram.

 

Morre segundo soldado que passou mal em teste físico para curso da PM

soldado  Manoel dos Reis Freitas Júnior (Foto: Ruan Melo/G1)Morreu na noite desta quarta-feira (18), no Hospital do Aeroporto, em Salvador, o segundo soldado da Polícia Militar que passou mal no Teste de Habilidade Específica (THE), para o Curso de Operações Policiais Especiais (Copes).
Ele estava com estado de saúde considerado gravíssimo e precisava de bolsas de sangue. O militar sofreu falência de órgãos como o fígado e do rim.
Em nota, a PM lamentou a fatalidade. O corpo dele foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML). Ainda não há informações sobre o sepultamento do soldado, que tinha 29 anos e atuava no 12º BPM, em Camaçari.
Um tenente está internado no Hospital São Rafael, com saúde grave, e também precisa de sangue. Segundo a Aspra, ele está inconsciente. Um outro soldado está no Hospital do Aeroporto e não corre risco de morte, informa a assessoria de comunicação da PM. Ele deve receber alta na quinta-feira (19), aponta a PM.
Um quarto soldado, Manoel Reis Freitas, 34 anos, morreu. A avaliação física foi realizada no quartel do Batalhão de Polícia de Choque, em Lauro de Freitas, com participação de 67 policiais.
Ainda não há informações sobre o que teria causado o mal-estar dos participantes. A PM informa que aguarda conclusão do inquérito que apura as causas do mal-estar dos quatro policiais.
O Copes é um curso destinado a capacitar policiais às atividades de operações especiais de alto risco. Segundo a Polícia Militar, "todo candidato se inscreve voluntariamente e é obrigado por força de edital a realizar uma bateria de exames médicos de ordem laboratorial e cardíacos, e ainda apresentar atestado médico indicando estar apto para a realização de testes de esforço físico".
Família lamenta

"Nós não entendemos o que aconteceu, queremos saber o que houve. Ele estava em plena forma física, não tinha problemas de saúde, não bebia, não fumava. Como um homem vai morrer em uma corrida de 10 km?", afirmou o irmão do soldado morto, Toni Moreno. "Ele era um menino instruído. Era um sonho dele entrar para o batalhão, mas o sonho dele foi acabado", lamenta a tia Maria das Neves.

O soldado chegou a terminar o teste, que consistia em uma corrida de 10 km, mas apresentou sintomas como náuseas e foi levado para o Hospital Menandro de Farias. Ele foi transferido para o Hospital Aeroporto, onde morreu na noite de terça-feira (17). Nesta quarta-feira (18), familiares foram até o Instituto Médico Legal (IML) liberar o corpo do soldado. Ele será sepultado na quinta-feira (19), às 10h, na cidade de Valença, Baixo Sul do estado.
"Meu irmão teve convulsão e chegou no hospital já respirando com a ajuda de aparelhos. No hospital fizeram teste toxicológico e não deu nada. É muito estranho", afirma Toni Moreno. A PM informou que o soldado que morreu "apresentou quadro de insuficiência renal, sendo acometido de uma parada cardíaca".
Manoel deixa filha e esposa. Ele era lotado da 4ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) - Macaúbas. "Em Macaúbas, todo mundo do batalhão estava feliz por ele. Era importante para o batalhão que alguém de lá estivesse fazendo o teste. Era uma honra", acredita a tia Maria das Neves.
Os familiares contam ainda que Freitas tinha nível superior e sonhava entrar para o batalhão. "Nós sabemos do risco dele morrer por causa de tiros, mas morrer por causa de uma corrida de 10 km nós não entendemos. Ele estava muito contente, feliz por ter passado nas outras fases do teste. Ele queria crescer dentro da polícia", afirma Toni Moreno.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Polícia Federal prende coronel

Polícia Federal prende coronel da PM em Feira de Santana
A operação da Polícia Federal (PF) deflagrada nesta quinta-feira (28) de combate a golpes no programa federal de desarmamento em Feira de Santana, centro norte do estado, prendeu três pessoas, entre elas, o coronel da Polícia Militar Martinho, e os irmãos Clóvis Nunes e Carlos Nunes. Martinho foi comandante do 1º Batalhão da Polícia Militar do município. Batizada de “Vulcano”, a ação cumpre 12 mandados: quatro de prisão temporária e oito de busca e apreensão e condução coercitiva (para cumprimento de pena). Carlos Nunes foi preso em Fortaleza (CE) e está sendo trazido para a delegacia Federal de Feira de Santana. Já o coronel Martinho foi preso por porte ilegal de arma. De acordo com a PF, durante a revista na casa do coronel da PM, a polícia encontrou um rifle 44 sem documentação. Os irmãos Nunes são responsáveis pela ONG Casa da Paz, que arrecadavam armas pelo programa de desarmamento do governo federal.  Ainda segunda a PF, os irmãos mantinham um esquema em que fabricavam armas artesanais, depois repassadas à ONG. Em troca, eles receberiam a taxa indenizatória. Além disso, os irmãos falsificavam recibos e recebiam outros valores. De acordo com o delegado Val Gular, responsável pela operação, o esquema envolve a PM e várias ONGs da cidade e o prejuízo aos cofres público é de cerca de R$ 1 milhão. 

Fonte: Bahia noticias/bizudepraca

quarta-feira, 12 de junho de 2013

BAHIA: PMs VOTARAM PELO INÍCIO DA “OPERAÇÃO TARTARUGA”





















Policiais Militares votaram, durante assembleia, na tarde desta terça-feira, no Ginásio dos Bancários, pelo início da “Operação Tartaruga” até que o Governo do Estado decrete o fim da escala de ciclo/período e regularize da gratuidade do transporte público para PMs de toda a Bahia.

“Os dois pedidos são direitos previstos em lei e devem ser acatados de imediato. A categoria decidiu que se não resolvido o problema até dia 18, os serviços serão executados de forma mais lenta durante a Copa das Confederações”, afirmou o vereador soldado Prisco, coordenador da Aspra.

Segundo o vereador, a legislação que regulamenta o trabalho da categoria prevê escalas de 40 horas semanais, que somadas não podem ultrapassar 160 mensais, no entanto os militares são forçados a cumprir 180, 200 e até 220 horas a cada 30 dias.

De acordo com o coordenador-geral da Aspra, a escala de ciclo/período é uma manobra do Governo do Estado para fazer com que PMs trabalhem mais que o previsto em lei sem pagar horas extras, durante a Copa das Confederações.

Os PMs também querem a regularização imediata do direito de gratuidade do transporte público. "Pelo menos dois mil continuam tirando dinheiro do bolso para ir trabalhar. Não vamos aceitar. Ambos são direitos previstos em lei", ressalta.


quarta-feira, 10 de abril de 2013

ASSEMBLEIA GERAL DO PMs e BMs da BAHIA DIA 11/04/2013, ÀS 15 HORAS, GINÁSIO DOS BANCÁRIOS, SALVADOR


Via torpedo Capitão Tadeu confirma presença na Assembleia Geral dos Policiais! 


Movimenta os quartéis de todo o Estado a expectativa dos policiais baianos para a 1ª ASSEMBLEIA GERAL de 2013 convocada pelo vereador de Salvador Soldado Marco Prisco que ocorrerá amanhã, dia 11/04, às 15 horas no Ginásio dos Bancários (SSA).

O deputado estadual Capitão Tadeu confirmou há pouco, presença via torpedo (celular).

Se o governador insistir em ignorar os verdadeiros anseios da PM, o bicho vai pegar!

Seis meses para avaliar uma pauta é sacanagem!

Vai bombar a Assembleia! Participe, mobilize-se!

Blog Bizú de Praça

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Capitão da PM é preso por tráfico de drogas

Na madrugada deste sábado, um policial foi preso sob acusação de tráfico de drogas.  Segundo fontes ligadas ao site, um capitão da Polícia Militar que foi autuado em flagrante com pacotes de cocaína.  

A prisão

Segundos relatos de policiais da Rondesp, durante ronda de rotina a guarnição parou em um bar em Lauro de Freitas e abordou algumas pessoas. Nesta ocasião, um homem se apresentou como policial e alegou que estava de passagem no local. Entretanto, em uma segundo momento, quando os policiais retornaram ao bar, um homem apontou para um veículo prata e afirmou que teria sofrido uma tentativa de assalto pelos ocupantes do veículo.

Quando os militares foram checar as informações, encontraram dois homens dentro do carro. Klecios Caros de Oliveira, capitão da 9ª Companhia Independente da Polícia Militar, e um homem identificado como Ronaldo Silva Costa. Com os dois, um tenente da Rondesp e sua guarnição encontraram algumas 
trouxas 
de cocaína.

O capitão negou que fazia uso de drogas e alegou que o flagrante teria sido uma falsa acusação. Mas, os dois foram autuados por tráfico de drogas e permanecem a disposição da Justiça.