Seguidores

Mostrando postagens com marcador segurança na Copa 2014. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador segurança na Copa 2014. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Policiais reclamam de estrutura para efetivo especial da Copa

As ruas de Belo Horizonte ganharam um reforço de policiais militares para garantir a segurança durante a Copa do Mundo. São 14 mil agentes de diversos batalhões (Copa, Metrópole, Choque e companhias). Desses, ao menos 500 vieram do interior para ficar 45 dias à disposição do evento. Mas, nos bastidores, eles reclamam de falta de estrutura para trabalhar, como alimentação ruim, alojamento improvisado e falta de higiene.
Para divulgar as queixas, os militares têm usado um blog que tem como colaboradores policiais militares e civis. “Choque no Mineirão sem água, banheiro e almoço. Estão querendo que a gente compre almoço aqui a R$ 12. Estamos desde 5h sem comer nada”, dizia umas das mensagens. Há ainda fotos das comidas que eles julgam ruins.
Em outra mensagem, um suposto militar desabafa: “Batalhão Metrópole em serviço, sem previsão de horário de almoço. Chamada às 9h sem previsão de liberação para um evento que começa às 13h e outro às 16h, sem previsão de descanso, alimentação e hidratação. Serviço desumano”.
O diretor de planejamento da Associação dos Praças, Policiais Militares e Bombeiros de Minas Gerais (Aspra-MG), Matscelo Tarley, disse ter recebido várias reclamações. Segundo a Aspra, os turnos normais são de oito horas, com descanso. Na Copa, eles estariam ficando 12 horas posicionados, equipados e armados.
Há ainda, conforme o coordenador de Direitos Humanos da Aspra-MG, Luiz Gonzaga, problemas no alojamento. Em um deles, cerca de mil policiais estariam dividindo cinco banheiros.
O outro lado. O chefe da sala de imprensa da PM, major Gilmar Luciano, defendeu que a comida atende à necessidade da atividade policial. “A empresa foi licitada para fornecer a alimentação com padrão de qualidade. É a mesma para todos, do soldado ao coronel. Nenhuma reclamação chegou até nós”.

Ainda segundo o major, há várias escalas de trabalho e revezamento para não sobrecarregar os militares. Sem informar o valor, ele explicou que os militares do interior recebem diárias para ficar na capital e não são obrigados a ficar nos alojamentos. “São alojamentos na academia de polícia com colchão e roupa de cama, mas não é um hotel cinco estrelas”, destacou Luciano. Continue lendo no Jornal O Tempo

sábado, 21 de junho de 2014

Rio: Policiais da Copa recebem queijo vencido, apelidado como "Mc PM Infeliz"


O kit lanche que está sendo distribuído para os policiais militares escalados para trabalhar no reforço do policiamento voltado à Copa do Mundo está causando revolta na tropa. Depois de receberem como alimentação a ração fria - composta por dois sucos em caixinha, um pacote de amendoim e dois de torrada -, eles agora denunciam que ganharam queijos mofados para comer.

"Nos dão queijo com fungos, amendoim vencido e suco quente e querem que aguentemos 15 horas ou mais em pé", desabafou um PM que estava sem almoço na segunda folga em apoio ao efetivo, de 9h às 22h da última quarta-feira.

Ontem, o policial estava trabalhando novamente, tendo entrado de serviço às 6h. "Até sair do batalhão e chegar em casa, já está na hora de voltar. Não temos descanso, não temos alimentação adequada. Somos de carne e osso. Não somos robôs", reclamou o policial militar.

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Lideranças policiais de treze Estados anunciam paralisação para quarta-feira

Por Pollyane Lima e Silva, na VEJA.com. Volto no post seguinte:

A paralisação nacional de policiais, convocada para a próxima quarta-feira, já tem a adesão de lideranças de metade dos Estados brasileiros. Até o início da tarde desta segunda, agentes de treze unidades da federação aceitaram a convocação feita pela Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol). São eles: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Amazonas, Pará, Alagoas, Paraíba, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, Rondônia e Bahia. “Distrito Federal e os demais Estados devem responder até terça-feira se vão também cruzar os braços. Não recebemos nenhuma resposta negativa ainda”, disse ao site de VEJA o presidente da Cobrapol, Jânio Bosco Gandra.
O movimento envolve policiais civis, federais e rodoviários – os militares são proibidos, pelos códigos militares, de fazer greve, apesar de haver algumas mobilizações isoladas. Gandra afirma que em alguns Estados podem ser mantidos de 30% a 70% dos agentes trabalhando. “Vai depender do nível de violência e da demanda de cada lugar”, explica. A medida, de acordo com ele, é para evitar que se repita em escala nacional o caos das ruas de Recife na semana passada, em razão da paralisação da Polícia Militar. “Já fizemos um pedido especial para que os movimentos pernambucano e baiano não envolvam a PM. Não podemos causar o resultado inverso, queremos que realmente melhore a segurança pública no país”, reforçou o presidente da Cobrapol.
O  objeto da paralisação é pressionar o governo federal a criar uma política de segurança pública que se preocupe também em melhorar as condições de trabalho da força policial. “Não existe uma gestão nacional nem investimento adequado. Nesse jogo de empurra, a população fica com a sensação de impunidade. Em alguns Estados, o índice de crimes solucionados não passa de 8%, é baixíssimo”, diz Gandra, acrescentando que não houve sequer treinamento adequado de policiais para a Copa do Mundo. “Esperamos que o governo reagisse, mas ele decidiu treinar só 300 agentes da Força Nacional. Esse número é insuficiente para dar conta de todas as sedes. A gente teme por isso. Pode ser um fiasco”.
Mobilizações
Em Brasília, os agentes farão uma passeata que pode terminar no Ministério da Justiça ou na Praça dos Três Poderes. No Rio, o grupo se encontra às 14h na Cidade da Polícia, Zona Norte da capital, e caminha até o bairro da Tijuca. “Às 19h, faremos uma assembleia para definir os rumos da categoria”, acrescenta Francisco Chao, presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Rio de Janeiro (Sindpol).
A categoria paulista programa uma passeata para o sábado, no Centro da capital. O acordo oferecido pelo governo estadual não foi aceito. “Nós pleiteamos uma restruturação de carreira que possa entrar em vigor em 2016, mas o governo nos oferece apenas ajuste salarial e não garante anistia aos grevistas. Por isso, a greve está mantida”, afirmou Alexandre Sally, presidente do sindicato de policiais civis federais do Estado de São Paulo.
Por Reinaldo Azevedo/veja.abril.com.br

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Na "democracia" brasileira é normal prender sem acusação, prender quem faz greve, prender trabalhadores




Esta é a democracia do PT. Manter preso um vereador e líder da greve da PM Bahia, sem que se tenha contra ele NENHUMA, repito, NENHUMA ACUSAÇÃO DE CRIME. Ele está preso para garantir a segurança da COPA 2014. Fé, força e luta Prisco, você representa o sentimentos da maioria dos policiais e bombeiros do Brasil, diuturnamente explorados por esse governo.

Polícia em alerta para ataques na abertura da Copa


As polícias militar e civil já preparam plano de prevenção
O serviço de inteligência da polícia de São Paulo tem informações de que facção criminosa organiza ataques simultâneos na capital e região metropolitana dia 12 de junho, abertura da Copa do Mundo FIFA. As polícias militar e civil já preparam plano de prevenção, contingência e contra-ataque. Insatisfeita com o bloqueio de bens através de um minucioso trabalho da PF, a facção quer vitrine internacional. A onda de assaltos à mão armada na cidade estaria levantando dinheiro para financiar o ‘salve geral’.

segunda-feira, 3 de março de 2014

Em greve, garis protestam na Central do Brasil e mandam prefeito "varrer sozinho" no Carnaval (welcome)


Osvaldo Praddo/Agência O Dia

Mais de 300 garis se reuniram na manhã desta segunda-feira (3), próximo à Central do Brasil, no centro do Rio, para protestar contra os baixos salários da categoria no município. Os manifestantes atacaram diretamente Eduardo Paes com gritos de “o prefeito vai varrer sozinho”, em referência à grande quantidade de lixo despejada nas ruas durante o Carnaval.
Em assembleia realizada pouco antes do protesto, cerca de 3.500 decidiram mantaer a greve, que já dura três dias. Alguns bairros da capital fluminense estão tomados de lixo, sobretudo, os locais por onde passaram os blocos no domingo (2) e o Sambódromo. A Comlurb (Companhia Municipal de Limpeza Urbana) conta com cerca de 15 mil garis.
Na Lapa, bairro boêmio da cidade, resíduos sólidos aglomeravam-se pelas calçadas, meios-fios e canteiros. O mau cheiro incomodava as pessoas que passavam pelas ruas. Durante a manhã, um grupo de garis da Comlurb, sem o uniforme, faziam a limpeza nos Arcos da Lapa. O turista inglês John Mills que veio ao Rio pela primeira vez para o carnaval não sabia da greve.
— Eles foram espertos por fazer a greve logo neste período, pois a cidade está realmente muito suja.
Bairros como Copacabana e Botafogo não apresentavam problemas com a limpeza urbana nesta manhã, com ruas limpas e lixeiras vazias.
Apesar da paralisação parcial, foram recolhidos no sábado (1º), segundo a Comlurb, 26 toneladas de lixo no Sambódromo e mais 4 toneladas em seus acessos.
Nos principais blocos de sábado, incluindo o tradicional Cordão da Bola Preta, foram recolhidas 79,2 toneladas de resíduos.
Reivindicações
O movimento grevista reivindica ajuste salarial de R$ 803 para R$ 1,2 mil, aumento no valor do tíquete-alimentação diário de R$ 12 para R$ 20, pagamento de horas extras para quem trabalhar nos domingos e feriados, como previsto em lei, e melhores condições de trabalho. Eles fizeram um protesto ontem na sede da prefeitura.
No sábado (1º), o TRT-RJ (Tribunal Regional do Trabalho do Estado do Rio de Janeiro) declarou a “abusividade e ilegalidade” de qualquer movimento de paralisação dos garis vinculados à Comlurb. O Sindicato e Comlurb não reconhecem a greve. A Companhia informou por meio de nota que está em negociação com o sindicato da categoria “como faz todos os anos no período do acordo coletivo”. Até o fechamento desta matéria a Comlurb não havia se manifestado sobre a paralisação nem sobre as providências para solucionar o problema do lixo.
R7

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Polícia pede 'socorro' contra violência em postos de combustíveis

J.F.Pimenta / CCS“Gente, não adianta achar que a polícia vai resolver o problema de vocês, porque isso é mentira. Vai, coisa nenhuma”. A afirmação, que é do diretor do Deinter 3 (Departamento de Polícia do Interior), João Osinski Júnior, ocorreu nesta terça-feira (18), em reunião com frentistas e donos de postos de combustíveis, na Prefeitura de Ribeirão Preto.

A categoria se mobilizou pelo encontro para cobrar mais segurança, por causa da onda de assaltos que vem fazendo até frentistas desistirem da profissão.
No encontro, o representante da Polícia Civil e o responsável pelo Comando de Policiamento do Interior (CPI 3), o coronel da Polícia Militar José Roberto Malaspina, adotaram o mesmo discurso: a polícia sozinha não consegue resolver o problema de violência na cidade.
Osinski defendeu que é preciso que todos os membros da sociedade, assim como as polícias, trabalhem em cooperação mútua. Ele disse que, no caso dos postos, por exemplo, muitas vezes o frentista tem medo até de reconhecer o bandido. “Eu preciso de um negócio chamado ‘informação’. Nós temos que confiar uns nos outros. Porque se eu não tiver informação, eu não consigo descobrir quem foi que praticou o crime”.
O diretor, que lembrou que os bandidos estão usando armamento de guerra, disse que o crime organizado se aproveita das informações. “O bandido que foi no posto sabia onde estava o cofre. Ele tinha a informação”, disse Osinski, lembrando o roubo desta segunda-feira (17), quando uma quadrilha foi direto ao cofre escondido no local onde se fazia a troca de óleo.
Polícia Militar
Já o coronel da PM acredita que a sociedade colhe o que plantou há anos. Para ele, as leis brasileiras não deixam os criminosos fora das ruas. Malaspina citou as prisões feitas há 30 anos, dizendo que antigamente era difícil fazer flagrante de pessoas com antecedentes criminais. “Hoje, a cada dez abordagens, nove ou oito registram antecedentes”.
Postos falam em prejuízo de pelo menos R$ 300 mil
Os postos de combustíveis de Ribeirão Preto têm, ao menos, quatro assaltos à mão armada todos os dias, de acordo com o presidente regional do Sincopetro (Sindicato Comércio Varejista de Derivados de Petróleo), Oswaldo Manaia.
Nestes roubos, em que normalmente o bandido chega de moto em ações rápidas, é levado apenas o dinheiro que está com os frentistas, média de R$ 200.
Ação perigosa
Segundo o coronel José Roberto Malaspina, este é o tipo mais perigoso de assalto. O comandante regional da Polícia Militar (PM), relaciona este tipo de ação a usuários de drogas.
“O que gera maior risco são esses, que na maioria das vezes têm envolvimento com drogas e que estão nervosos no momento do assalto”.
Os outros bandidos que agem em postos, Malaspina classifica como especializados, responsáveis por ações com explosões e violação de cofre. Em Ribeirão Preto já houve 11 casos de explosão de cofres, que resultou em prejuízo de, pelo menos, R$ 306 mil.

fonte jornalacidade(Foto: J.F.Pimenta / CCS)

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Traficantes e assaltantes de São Gonçalo -RJ, reunidos mostrando veículos roubados e armas


Comento: A ousadia é tamanha que eles já não se preocupam mais em esconder seus rostos...devem ter roubado esse carro há poucos instantes...no país da copa...
blog SOS PMERJ

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

VIATURAS POLICIAIS INCENDIADAS NA BAHIA (uma das sedes da Copa...welcome)


Duas viaturas da Polícia Civil foram queimadas na madrugada desta quinta-feira (13) em Jandaíra, no norte da Bahia. Em entrevista ao Bahia Notícias, o prefeito Roberto Leite (PMDB) atribuiu a ação a bandidos e disse que a cidade não conta com sequer um policial militar há dois anos. De acordo com o gestor, a segurança é feita pela companhia do município de Rio Real, com a ronda de uma viatura “de vez em quando”. “Fica até oito, dez dias sem passar viatura. Eles vêm, dão uma volta e vão embora”, denunciou. Segundo o peemedebista, outros municípios da região também são monitorados pela unidade de Rio Real, como Olindina, Crisópolis, Acajutiba, Itapicuru e Aporá. O prefeito afirmou que o responsável pelo registro dos boletins de ocorrência em Jandaíra é um funcionário da prefeitura. “Estamos em um situação de caos, aqui na fronteira com Sergipe. Na escala da companhia de Rio Real, consta como se nós tivéssemos dois policiais”, relatou. Roberto Leite disse que a situação já foi exposta ao governo estadual diversas vezes, inclusive de forma direta ao comandante-geral da Polícia Militar baiana, o coronel Alfredo Castro. “Quando ele esteve aqui em Rio Real, eu disse que não tínhamos um policial há dois anos. Ele chamou um capitão, que eu não lembro o nome, e passou a situação”, declarou. 

por Rodrigo Aguiar/bahianoticias.com.br

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Viatura de polícia é amarrado e rebocado por caminhão de lixo (na sede da Copa...)


Carro da PM foi rebocado por um caminhão de lixo na cidade de Goianinha (Foto: Cedida/www.oolhodegato.com)
Aconteceu em Goianinha, a pouco mais de 50 quilômetros de Natal. Segundo comando de trânsito da PM, fato será apurado 'com todo o rigor'.


Um morador de Goianinha, distante pouco mais de 50 quilômetros de Natal, registrou o momento em que um carro utilizado pelo Núcleo de Operações Rodoviárias do Estado (NORE), pertencente à frota da Polícia Militar doRio Grande do Norte, foi rebocado por um caminhão que recolhe lixo na cidade.
Com medo de represálias por parte dos policiais que trabalham na cidade, o morador que fez a foto pediu ao G1 para não ser identificado. A fotografia foi feita, segundo ele, no início do mês, logo após o veículo da PM ter ficado sem combustível. Além disso, o morador relatou que também chamou a atenção o fato de o veículo estar sendo puxado por uma corda, tipo de auxílio que não é permitido. Segundo o artigo 236 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), só é permitido rebocar outro veículo com cabo flexível ou corda em casos de emergência. Do contrário, é considerado infração média com aplicação de multa.
Questionado sobre o ocorrido, o coronel Silva Júnior, que é subcomandante do Comando de Policiamento Rodoviário Estadual, afirmou que o fato será apurado com total rigor. “Não posso dizer se o veículo ficou sem combustível ou teve algum problema mecânico, mas vamos apurar com todo o rigor. Inclusive, também vamos procurar saber se o reboque foi mesmo feito com uma corda”, afirmou.

Execução com Tiro na cabeça na Baixada Fluminense - RJ (no país da Copa..."welcome")


Um vídeo que circula pelas redes sociais mostra a execução de um homem à luz do dia, com três disparos, na Estrada Plínio Casado, em Belford Roxo uma das mais movimentadas da cidade. Segundo os relatos de testemunhas à 54ª DP (Belford Roxo), a vítima seria um ladrão e estava atacando comerciantes e pedestres.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

RIO: POLICIAIS DENUNCIAM FALTA DE CONDIÇÕES DE TRABALHO EM UPPS E RECEBEM AMEAÇAS DE NOVOS ATAQUES

PMs DENUNCIAM FALTA DE CONDIÇÕES DE TRABALHO EM UPPS E RECEBEM AMEAÇAS DE NOVOS ATAQUES

Aos 27 anos, estudando Psicologia e na Polícia Militar desde 2010, a soldado Alda Rafael Castilho morreu após ser baleada durante ataque de traficantes da facção Comando Vermelho (CV) contra o contêiner que serve como base para a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Parque Proletário, no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio, na tarde dest domingo, dia 2 de fevereiro.

Na ação criminosa, o soldado Marcelo Gilliard da Silva Miranda, 32, também ficou ferido. 

Atingido na perna, ele foi submetido a uma cirurgia e permanece internado no Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, na região central do Rio.

Menos de doze horas antes, a sede da UPP do Parque Proletário já havia sido alvo de outro ataque. 

Um veículo preto passou, por volta das 23h30 de sábado. 

Uma PFem foi baleada de raspão no joelho e uma viatura – que estava parada em frente ao contêiner – também foi atingida.

“Eles passaram em um carro preto e efetuaram disparos de fuzil e pistola. É um absurdo que nos tratem como bonecos. Estamos proibidos de revidar qualquer agressão, para não haver troca de tiros, e não temos autorização para trabalhar: somos obrigados a ficar parados para não batermos de frente com traficantes. Ou seja: podemos ser atacados à vontade e não podemos fazer nada. Acontece uma perda, mandam o Bope, reforço, enchem o morro de PM e depois volta tudo a como estava antes”, desabafou um soldado que pediu para não ter a identidade revelada por temer represálias.

Os tiros atravessaram o contêiner – que não é blindado – e além das marcas de perfurações na parede, o sangue da PFem no chão da base da UPP agravaram o clima já tenso.

“Era uma tragédia anunciada. Os ataques não somente lá como em outras UPPs têm sido constantes. Somamos a isso o fato de termos sido jogados em UPPs onde não temos condições de nos abrigar com segurança. Não bastasse isso, somos nós contra bandidos fortemente armados, que conhecem bem a região e que não têm nada a perder. É uma guerra desigual e injusta”, lamentou o PM.

Na última sexta-feira, dia 31 de janeiro, o alvo de ataque criminoso foi a UPP do Andaraí. 

Policiais realizavam patrulhamento de rotina quando foram surpreendidos por um grupo de homens armados, na localidade conhecida como Cruzeiro. 

O soldado Leira foi atingido no abdômen. Socorrido pelos próprios colegas de farda, foi levado para o Hospital Federal do Andaraí e não corre risco de morte.

Dois dias antes, a vítima foi um PM lotado na UPP da Rocinha. 

O soldado Guilherme Gomes de Souza, 27, foi salvo pelo colete ao ser baleado durante confronto com criminosos na localidade conhecida como Lajão.

A Polícia agora investiga denúncias de que novos ataques já estão sendo planejados: um seria na UPP de Manguinhos e outro na Pedra do Sapo, onde inclusive dois PMs – uma loira e um conhecido como Liers – seriam os alvos.

FONTE - http://robertatrindade.com.br/?p=16757

Aos 27 anos, estudando Psicologia e na Polícia Militar desde 2010, a soldado Alda Rafael Castilho morreu após ser baleada durante ataque de traficantes da facção Comando Vermelho (CV) contra o contêiner que serve como base para a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Parque Proletário, no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio, na tarde dest domingo, dia 2 de fevereiro.

Na ação criminosa, o soldado Marcelo Gilliard da Silva Miranda, 32, também ficou ferido.
Atingido na perna, ele foi submetido a uma cirurgia e permanece internado no Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, na região central do Rio.
Menos de doze horas antes, a sede da UPP do Parque Proletário já havia sido alvo de outro ataque.
Um veículo preto passou, por volta das 23h30 de sábado.
Uma PFem foi baleada de raspão no joelho e uma viatura – que estava parada em frente ao contêiner – também foi atingida.
“Eles passaram em um carro preto e efetuaram disparos de fuzil e pistola. É um absurdo que nos tratem como bonecos. Estamos proibidos de revidar qualquer agressão, para não haver troca de tiros, e não temos autorização para trabalhar: somos obrigados a ficar parados para não batermos de frente com traficantes. Ou seja: podemos ser atacados à vontade e não podemos fazer nada. Acontece uma perda, mandam o Bope, reforço, enchem o morro de PM e depois volta tudo a como estava antes”, desabafou um soldado que pediu para não ter a identidade revelada por temer represálias.
Os tiros atravessaram o contêiner – que não é blindado – e além das marcas de perfurações na parede, o sangue da PFem no chão da base da UPP agravaram o clima já tenso.
“Era uma tragédia anunciada. Os ataques não somente lá como em outras UPPs têm sido constantes. Somamos a isso o fato de termos sido jogados em UPPs onde não temos condições de nos abrigar com segurança. Não bastasse isso, somos nós contra bandidos fortemente armados, que conhecem bem a região e que não têm nada a perder. É uma guerra desigual e injusta”, lamentou o PM.
Na última sexta-feira, dia 31 de janeiro, o alvo de ataque criminoso foi a UPP do Andaraí.
Policiais realizavam patrulhamento de rotina quando foram surpreendidos por um grupo de homens armados, na localidade conhecida como Cruzeiro.
O soldado Leira foi atingido no abdômen. Socorrido pelos próprios colegas de farda, foi levado para o Hospital Federal do Andaraí e não corre risco de morte.
Dois dias antes, a vítima foi um PM lotado na UPP da Rocinha.
O soldado Guilherme Gomes de Souza, 27, foi salvo pelo colete ao ser baleado durante confronto com criminosos na localidade conhecida como Lajão.
A Polícia agora investiga denúncias de que novos ataques já estão sendo planejados: um seria na UPP de Manguinhos e outro na Pedra do Sapo, onde inclusive dois PMs – uma loira e um conhecido como Liers – seriam os alvos.

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Copa 2014: Exército Brasileiro será força auxiliar dele mesmo?



          O Brasil é uma piada, e agora será uma piada internacional. Imaginem que o texto da Constituição Federal de 1988, reza no seu artigo 144 que as polícias militares são forças auxiliares do Exército. Mas, num verdadeiro "Samba do Crioulo Doido", os papéis se inverterão na Copa e o Exército passará a ser força auxiliar das polícias militares. Ou seja, força auxiliar das forças que auxiliam o Exército. Foi como o Pré - Sal, eles venderam para o Brasil, algo que já era do Brasil. Entenderam? Nem eu...Será que alguém vai ter que desenhar a Constituição? Leia o Artigo 144 abaixo: 


Art. 144. A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos:

§ 6º - As polícias militares e corpos de bombeiros militares, forças auxiliares e reserva do Exército, subordinam-se, juntamente com as polícias civis, aos Governadores dos Estados, do Distrito Federal e dos Territórios.

 Sem falar na aberração chamada Força Nacional, uma espécie de extraterreno jurídico, já que não está no texto original da Constituição Federal, e apenas existe por força de decreto presidencial. 

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

DF: POLICIAIS MILITARES PROMETEM PARALISAÇÃO POR 24 HORAS


PMs prometem parar policiamento. Fala-se em uma paralisação por 24 horas

A categoria que caminhou até agora sem a participação de entidades representativas, corre riscos.

Uma das reivindicações dos policiais militares e bombeiros militares é a equiparação salarial com as outras categoria da Segurança Pública. Afirmam que praças da PMDF e do Corpo de Bombeiros são os que recebem o menor salário entre os órgãos da segurança pública.bEnquanto isso, a crise na segurança pública nos assusta. 

Cartazes incentivando o movimento conhecido com "Operação Tartaruga" foram espalhados pelas ruas do Distrito Federal desde sábado passado. Tudo pago com recursos dos próprios bolsos dos praças PMs e BMs. Nenhuma associação se propôs a ajudá-los.  ...

O GDF que até hoje afirmava que não existia a "Operação Tartaruga", e sim, um pequeno movimento de alguns, que pretendem concorrer às próximas eleições, e tentam conquistar eleitores usando a Segurança Pública como trampolim, hoje mudou o discurso.

Policíais só atendem ocorrências consideradas graves e não ultrapassam a velocidade da via. Enquanto isso, os delinquentes tomam conta das ruas. A falta de ação efetiva de policiais militares nas ruas, afeta consideravelmente a vida do brasiliense. 

O secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar, diz que ainda é cedo para avaliar se houve efetivo aumento da violência, em comparação com o mesmo período do ano passado. Afirma que o número de homicídios, latrocínio, roubo e sequestro relâmpago caiu no ano de 2013, mas admite que a redução no número de apreensões de armas pela PM, pode ter influenciado no aumento da criminalidade. Só ele não quer enxergar.

A tropa continua insatisfeita, e promete radicalizar o movimento com a Operação Tartaruga até a Copa do Mundo.

Sandro Avelar explica, que está acompanhando o movimento dos PMs, ele acredita que o comando-geral da PM também está atento ao movimento e ao aumento da criminalidade.

Além de Outdoors nas ruas, os PMs pretendem espalhar faixas, cartazes e distribuir panfletos nos pontos mais movimentados de todo Distrito Federal.

Enquanto o interesse de dialogar não chega, vemos chacinas, latrocínio (roubo seguido de morte), homicídios, tráfico de droga, sequestro relâmpago, assaltos a bancos, a pessoas, postos de combustíveis, lanchonetes, comércio, residências e até o surgimento da quadrilha da marcha a ré. Esse é o quadro da violência vivido diariamente pelo brasiliense. Só neste fim de semana ocorreram 12 assassinatos no Distrito Federal.

Mas, Policiais e Bombeiros correm um grande risco, serem alvos dos pseudos milagreiros na tentativa de induzi-los e conduzi-los a uma paralisação total, quando certamente perderão o apoio daqueles que até agora se mantiveram ao seu lado. A população.

Não se deixem usar. Fiquem todos com Deus. 
Fonte: Redação com informações do Blog Rota de Segurança/ Portal Edson Sombra

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Associações convocam policiais para abraço simbólico ao Arena das Dunas durante visita da Presidente Dilma

Com a inauguração marcada do Arena das Dunas para acontecer nessa quarta-feira, 22, na qual contará com a presença da Presidente Dilma Rousseff, as associações dos policiais e bombeiros militares do RN estão convocando todos a realizarem um grande ato em defesa da Segurança Pública.
A ideia é de que os militares estaduais realizem um grande abraço no Arena das Dunas para chamar a atenção da imprensa nacional que estará presente para a inauguração do estádio quanto a situação caótica que se encontra o RN em relação a Segurança Pública.
Segundo divulgado recentemente, o Governo do RN devolveu à União cerca de R$ 12 milhões dos recursos destinados a Segurança Pública do Estado.
Além dos militares estaduais, outras categorias de servidores públicos e a sociedade civil planejam participarem de um protesto durante a inauguração do Arena das Dunas pela Presidente Dilma.
Os militares se concentrarão na sede da Associação de Cabos e Soldados a partir das 14 horas dessas quarta-feira (22).
Comento: Seria um abraço de urso?

LADRÕES RENDEM POLICIAIS MILITARES NO FÓRUM E ROUBAM SUAS ARMAS!!!

Na tarde dessa segunda-feira 20/01, quatro ladrões em um celta branco entraram no fórum eleitoral de Jaboatão, próximo a BR 101, rederam dois PM que se encontravam no local é roubaram suas Armas, algemas e acredite, aproveitaram para levar carteira e celulares das VITIMAS, agora se a PM está sendo ASSALTADA dentro do FÓRUM, quem vai defender os CIDADÃOS de Pernambuco???

Foto: LADRÕES RENDEM POLICIAIS MILITARES NO FÓRUM E ROUBAM SUAS ARMAS!!!

Na tarde dessa segunda-feira 20/01, quatro ladrões em um celta branco entraram no fórum eleitoral de Jaboatão, próximo a BR 101, rederam dois PM que se encontravam no local é roubaram suas Armas, algemas e acredite, aproveitaram para levar carteira e celulares das VITIMAS, agora se a PM está sendo ASSALTADA dentro do FÓRUM, quem vai defender os CIDADÃOS de Pernambuco???


Fonte: Sistema Penitenciário/ Blog do Adeilton