Seguidores

Mostrando postagens com marcador manifestação. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador manifestação. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Exército admite realizar 'operações de inteligência' em manifestações de rua


Mais de duas semanas após um oficial das Forças Armadas ter sido detido pela Polícia Militar (PM) com manifestantes suspeitos de serem black blocs, antes de um protesto em São Paulo contra o governo do presidente Michel Temer (PMDB), o Exército brasileiro admitiu ao G1 realizar “operações de inteligência” permanentes em “manifestações de rua”.

Os ministérios públicos estadual e federal investigam se o capitão Willian Pina Botelho, de 37 anos, agia como agente infiltrado do Exército no dia 4 de setembro, quando ele e 18 ativistas foram abordados pela PM no Centro Cultural São Paulo, na Zona Sul da capital paulista. O grupo se preparava para participar do ato Fora Temer na Avenida Paulista. Continue lendo no G1 SP

quarta-feira, 29 de abril de 2015

PM do Paraná prende 17 policiais que se recusaram a participar do cerco aos professores; mais de 200 feridos


Ao todo 17 policiais militares foram presos durante a manifestação de professores estaduais do Paraná, nesta quarta-feira, após se recusarem a participar do cerco aos docentes. A informação, segundo o Estadão Conteúdo, foi confirmada pelo comando da Polícia Militar do Estado. 

Comando da Polícia Militar do Paraná afirma que 17 policiais foram presos por se recusar a participar do cerco aos professores em Curitiba— Broadcast Político (@broadpolitico) April 29, 2015.

Confronto com manifestantes e violência policial marcaram o terceiro dia de protesto dos professores estaduais do Paraná, que retomaram greve na segunda-feira (27).

Cerca de 20 mil manifestantes se reuniram em frente à Assembleia Legislativa do Estado (Alep) nesta quarta-feira (29). O tumulto começou enquanto a reforma da previdência dos funcionários públicos do estado era votada em plenário, e o confronto durou pelo menos 30 minutos ininterruptos. A PM utilizou caminhão com jatos de água, balas de borracha, spray de pimenta e bombas de gás lacrimogênio, inclusive lançadas de helicóptero. Pelo menos 100 pessoas ficaram feridas, segundo a transmissão da Globo News.


Após a Justiça recuar na decisão de liberar a entrada dos manifestantes durante a votação, os professores passaram a manhã em manifestação pacífica nas praças do centro Cívico. Os ânimos esquentaram quando a pauta Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou a pauta e suas alterações em sessão relâmpago. Segundo a PM, os manifestantes tentaram invadir o plenário.

sábado, 24 de maio de 2014

Policiais Miliares do Rio Grande do Norte se organizam e podem parar dia 27 de maio




Assembleia Geral da PM RN - 24/05/2014 - Em frente a governadoria.
Acampamento será retomado hoje e terça-feira (27) policiais paralisam as atividades. 

As praças aguardaram acampados a decisão dos oficiais e a reunião com Governo na próxima segunda feira.

Governo até agora não apresentou nehuma proposta sobre a reposição das perdas salariais.

facebook.com/cabojeoas

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Policiais militares do RJ preparam operação "Marcha Lenta" durante a copa


Policiais militares do Rio de Janeiro preparam para o dia 15 de Junho de 2014, o início da operação batizada como "Marcha Lenta". O objetivo da operação é reivindicar mudanças no regulamento da PM, que é arcaico e não dá direitos aos policiais, só deveres; como também reivindicar que o governo do estado e o comando da corporação cumpra o Decreto Estadual nº. 43.538 (RJ), de 03 de abril de 2012, que versa sobre a jornada de trabalho para o Policial Militar do Estado do Rio de Janeiro, a fim de ser cumprida a carga horária de 144 horas mensais para Policiais Militares da atividade fim (jornadas de 24x72 horas OU 12X48 horas) e 40 horas semanais para os Policiais Militares da atividade meio, conforme O Art. 3º, §§ 1º e 2º do supracitado Decreto; Além de melhores salários para a categoria. 

Também é reivindicado melhores salários para os policiais militares.
Esta informação esta sendo difundida nas redes sociais e tem ganhado bastante adesão da tropa. 99,9% da tropa apoia esta ideia. Só o comandante geral e seus capachos, que não.
Chega! O tempo da escravidão acabou. Esse é o pensamento dos policiais militares de hoje em dia. O governo do estado e o comando da corporação acham que o policial de hoje é o mesmo de décadas atrás, os quais eram semi-analfabetos e mal sabiam ler e escrever e aceitavam todo tipo de covardia, quietos. A PM mudou. O policial de hoje sabe ler, sabe escrever muito bem, é formado em diversas áreas, sabe seus direitos e quer brigar para que tais direitos sejam cumpridos. Mas, o governo do estado e os coronéis que comandam a instituição fecham os olhos e ainda não se deram conta disso, pois, insistem com este tratamento desumano e políticas que só levam o policial ao descontentamento. Como exemplo, temos este Regime de Trabalho Escravo, intitulado de RAS Compulsório, onde policiais são OBRIGADOS a trabalhar em suas folgas e nem o dinheiro da passagem o governo tem a coragem de pagar. Acabou!
Ou atendem as reivindicações dos policiais militares, que não são absurdas, é o mínimo que se pode fazer por estes profissionais, ou a situação vai ficar cada vez pior.
Uma coisa que antes não víamos na corporação, hoje vemos; ou seja, diversos oficiais da instituição, que em sua maioria são bitolados e não enxergam que também sofrem como os praças, abriram os olhos e estão compartilhando da ideia de se fazer esta operação "Marcha Lenta". Pois, nem os mesmos estão mais suportando tamanho descaso com os policiais, pois, sabem que podem se tornar vítimas deste modelo de segurança pública falido, que só desmotiva a tropa e leva o policial à morte.
O bandido, quando vem pra matar o policial, não repara antes se o policial tem estrela no ombro ou não... "senta o dedo" e tira a vida do policial, sem pena.
Quarta-feira mesmo, um tenente da PM foi assassinado por bandidos, após sair do trabalho, em Duque de Caxias. Com certeza, sua família vai receber como pensão a mixaria de salário que ele ganhava, sem as gratificações.
Chega ! Ou dão as condições mínimas, como salário digno, escalas dignas e um regulamento descente, ou vão sentir o poder que uma tropa inteira tem.
Impedir os policiais de irem ao hospital, o comando não pode. Pois, eles não são médicos. Então, melhor o senhor governador sentar com o comandante da PM e começar a pensar melhor nas reivindicações da tropa, pois, tem tudo para adesão ser total e as ruas do estado ficarem sem polícia. Aí, queremos ver qual será a solução.
Não queremos as ruas sem os policiais militares. Mas, do jeito que a situação dos PMs está, não pode ficar.
Damos nosso total apoio à operação "Marcha Lenta".

quinta-feira, 6 de março de 2014

Trabalhadores da limpeza urbana do Rio desafiam prefeito e permanecem em greve





Mais imagens do ato da greve dos garis que percorre nesse momento as ruas do Centro do Rio de Janeiro. Os trabalhadores prometem continuar com a greve até que suas exigências sejam atendidas pela Prefeitura.


segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Marcha Nacional PEC 300 em Copacabana - "Resistir é preciso"


 Ao contrário do que eu pensei quando vi a pauta falando em “unificação e desmilitarização”, não houve presença política ao evento, pelo menos ostensiva. Foi um Ato verdadeiro, praticado pelos reais interessados em mudanças na Segurança Pública deste Estado, com a valorização do profissional.
Coronel PMER Rabelo falou sobre os recursos financeiros para a PEC 300.



 Por certo as atitudes (ilegais) do governo Sergio Cabral quando do movimento em 2011, quando militares estaduais foram trancafiados ao arrepio da lei em presídio de segurança máxima e excluídos sumariamente de suas Corporações, inibiram e ainda inibem a presença maciça destes profissionais, temem serem vitimas novamente de ilegalidades, que tanto transtornos causaram em suas vidas. Mas estou certo que estão atentos e vibrando com os que os representam nas ruas.

Coronel PMER Dambrosio.
Ora, não foi um movimento de profissionais da Segurança Pública? Foi, mas Segurança Pública é de interesse de todos, o Sargento EB Feliciano não se esquivou em estar presente.





Os mesmos e seus discursos, são realmente incansáveis na vontade de mudanças. Temos potencial politico, só na PMERJ são 240.000 votos, que poderiam garantir pelo menos cinco representantes na ALERJ.

Mesmo enferma, a Deputada Janira Rocha enviou representante, mostrando que apesar de PSOL, ela é uma Deputada digna de nossa admiração. Seu discurso é sempre coerente, mesmo se confrontado com representantes PMERJ na ALERJ.
DeLima convidou todos os 70 deputados da Casa Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, mas, devem estar ocupados com suas candidaturas, o que realmente importa para eles.

Mesmo com problemas de locomoção, Jurema Lima esteve nos prestigiando no evento. Quando se tem vontade nada é empecilho. Obrigado Jurema Lima.



terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

MORREU UM CINEGRAFISTA, POLICIAIS MORREM TODOS OS DIAS...

Foto: É uma pena que tenha que morrer um repórter cinematográfico para que parte da imprensa sinta a mísera parte, a dor que a família militar sente diuturnamente ao ver seus pais, irmãos, filhos policiais serem assassinatos TODOS OS DIAS nas cidades brasileiras. O assassinato físico, o assassinato moral, que as vezes os levam às raias do autoextermínio. Por isso é necessário não o corporativismo, mas, a imparcialidade, tanto para o policial quanto para a imprensa. Apedrejar alguém ou a instituição apenas pela audiência é o mesmo que atingir um cinegrafista pelas costas, covardemente, desqualificando inclusive a causa do que eles chamavam até então de "protesto"...Marcos Marcos MaracanãÉ uma pena que tenha que morrer um repórter cinematográfico para que parte da imprensa sinta a mísera parte, a dor que a família militar sente diuturnamente ao ver seus pais, irmãos, filhos policiais serem assassinatos TODOS OS DIAS nas cidades brasileiras. O assassinato físico, o assassinato moral, que as vezes os levam às raias do autoextermínio. Por isso é necessário não o corporativismo, mas, a imparcialidade, tanto para o policial quanto para a imprensa. Apedrejar alguém ou a instituição apenas pela audiência é o mesmo que atingir um cinegrafista pelas costas, covardemente, desqualificando inclusive a causa do que eles chamavam até então de "protesto"...Inclusive seria oportuno que as associações das polícias militares do Rio exigissem direito de resposta. Haja visto que no dia do fato vários órgãos da imprensa culparam os militares de ter jogado a bomba que matou o cinegrafista.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

DF: POLICIAIS MILITARES PROMETEM PARALISAÇÃO POR 24 HORAS


PMs prometem parar policiamento. Fala-se em uma paralisação por 24 horas

A categoria que caminhou até agora sem a participação de entidades representativas, corre riscos.

Uma das reivindicações dos policiais militares e bombeiros militares é a equiparação salarial com as outras categoria da Segurança Pública. Afirmam que praças da PMDF e do Corpo de Bombeiros são os que recebem o menor salário entre os órgãos da segurança pública.bEnquanto isso, a crise na segurança pública nos assusta. 

Cartazes incentivando o movimento conhecido com "Operação Tartaruga" foram espalhados pelas ruas do Distrito Federal desde sábado passado. Tudo pago com recursos dos próprios bolsos dos praças PMs e BMs. Nenhuma associação se propôs a ajudá-los.  ...

O GDF que até hoje afirmava que não existia a "Operação Tartaruga", e sim, um pequeno movimento de alguns, que pretendem concorrer às próximas eleições, e tentam conquistar eleitores usando a Segurança Pública como trampolim, hoje mudou o discurso.

Policíais só atendem ocorrências consideradas graves e não ultrapassam a velocidade da via. Enquanto isso, os delinquentes tomam conta das ruas. A falta de ação efetiva de policiais militares nas ruas, afeta consideravelmente a vida do brasiliense. 

O secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar, diz que ainda é cedo para avaliar se houve efetivo aumento da violência, em comparação com o mesmo período do ano passado. Afirma que o número de homicídios, latrocínio, roubo e sequestro relâmpago caiu no ano de 2013, mas admite que a redução no número de apreensões de armas pela PM, pode ter influenciado no aumento da criminalidade. Só ele não quer enxergar.

A tropa continua insatisfeita, e promete radicalizar o movimento com a Operação Tartaruga até a Copa do Mundo.

Sandro Avelar explica, que está acompanhando o movimento dos PMs, ele acredita que o comando-geral da PM também está atento ao movimento e ao aumento da criminalidade.

Além de Outdoors nas ruas, os PMs pretendem espalhar faixas, cartazes e distribuir panfletos nos pontos mais movimentados de todo Distrito Federal.

Enquanto o interesse de dialogar não chega, vemos chacinas, latrocínio (roubo seguido de morte), homicídios, tráfico de droga, sequestro relâmpago, assaltos a bancos, a pessoas, postos de combustíveis, lanchonetes, comércio, residências e até o surgimento da quadrilha da marcha a ré. Esse é o quadro da violência vivido diariamente pelo brasiliense. Só neste fim de semana ocorreram 12 assassinatos no Distrito Federal.

Mas, Policiais e Bombeiros correm um grande risco, serem alvos dos pseudos milagreiros na tentativa de induzi-los e conduzi-los a uma paralisação total, quando certamente perderão o apoio daqueles que até agora se mantiveram ao seu lado. A população.

Não se deixem usar. Fiquem todos com Deus. 
Fonte: Redação com informações do Blog Rota de Segurança/ Portal Edson Sombra

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Associações convocam policiais para abraço simbólico ao Arena das Dunas durante visita da Presidente Dilma

Com a inauguração marcada do Arena das Dunas para acontecer nessa quarta-feira, 22, na qual contará com a presença da Presidente Dilma Rousseff, as associações dos policiais e bombeiros militares do RN estão convocando todos a realizarem um grande ato em defesa da Segurança Pública.
A ideia é de que os militares estaduais realizem um grande abraço no Arena das Dunas para chamar a atenção da imprensa nacional que estará presente para a inauguração do estádio quanto a situação caótica que se encontra o RN em relação a Segurança Pública.
Segundo divulgado recentemente, o Governo do RN devolveu à União cerca de R$ 12 milhões dos recursos destinados a Segurança Pública do Estado.
Além dos militares estaduais, outras categorias de servidores públicos e a sociedade civil planejam participarem de um protesto durante a inauguração do Arena das Dunas pela Presidente Dilma.
Os militares se concentrarão na sede da Associação de Cabos e Soldados a partir das 14 horas dessas quarta-feira (22).
Comento: Seria um abraço de urso?

sábado, 23 de novembro de 2013

Policiais Civis se revezam no acampamento da Assembléia

Polciais civis em greve ocupam Assembleia Legislativa de Goiás, em Goiânia (Foto: Gabriela Lima/G1)Apesar de duas decisões contrárias à greve de policais civis, agentes e escrivães mantêm uma rotina de ocupação na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), em Goiânia. Com as atividades paralisadas há 66 dias, servidores do interior do estado e da capital montaram, no início da semana, um acampamento no plenário da Casa. Enquanto alguns fazem escalas de revezamento, outros permanecem praticamente o tempo todo no local.


Entre os manifestantes em tempo integral está o agente Anderson André da Silveira, de 41 anos, que trabalha há 16 anos em Catalão, no sudeste do estado. Ele está na Alego desde segunda-feira (18), quando a ocupação começou, e conta que só sai para tomar banho "na casa dos  amigos". O policial dorme em uma barraca montada em uma das laterais do plenário e faz todas as refeições dentro do salão. "O sindicato fornece marmitex. Mas é dinheiro nosso, porque a gente contribui, paga mensalidade", disse em entrevista ao G1.


Investigador do Grupo Especial de Repressão a Narcóticos (Genarc), ele preferiu não mostrar o rosto, para não ser reconhecido em futuras ações de combate ao tráfico de drogas. Mesmo cansado, ele afirma que só deixará o plenário após um acordo. "Diferente do que está sendo passado, não tem um diálogo. O governo só manda recado e o próprio secretário de Segurança Pública só se reuniu com a liderança após a intervenção do Ministério Público", critica.
Diferente de Anderson, a agente Gelsiane Silva, da delegacia de Campinorte, não estava preparada para um possível acampamento quando saiu do norte de Goiás, na segunda-feira. "Vim para a assembleia. Quando chegamos aqui e nos informaram que não havia proposta para a  categoria o pessoal se revoltou e resolveu ocupar. Eu decidi ficar e apoiar porque só com a união vamos conquistar nosso objetivo", explicou.


Gelsiane passa o dia com colegas de profissão e, à noite, dorme na casa de parentes. "Eu visto a camisa da Polícia Cilvil, amo minha profissão. Vou ficar até recebermos uma proposta satisfatória", afirmou.

A quantidade de pessoas dentro do plenário varia de 500, nas horas mais movimentadas do dia, a 100, que dormem no local, de acordo com o Sindicato dos Policiais Civil de Goiás (Sinpol).Continue lendo no G1 Goiás

domingo, 27 de outubro de 2013

Entrevista com o coronel que foi espancado em São Paulo


Datena conversou ao vivo com o Coronel da Polícia Militar de São Paulo que foi espancado por manifestantes durante ato na noite desta sexta-feira. O policial disse que foi apenas mais uma das vítimas de vândalos que se infiltram em manifestações legítimas.

Vídeo Band, foto G1

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Os "Black Blocs", para quem servem?

As cenas de vandalismo que tomaram as ruas das principais capitais nacionais desde as manifestações de junho, praticadas por grupos autointitulados "Black Blocs", tinham como propósito criticar a administração pública estadual, mas os seus efeitos foram contrários e acabaram por desacreditar os atos legítimos de categorias sociais e profissionais que revindicavam por melhores condições de vida e trabalho. Mais do que em outros estados, no Rio de Janeiro as depredações que marcaram os desfechos dos protestos, abriram uma porta para as violentas ações policiais autorizadas pelo governo de Sérgio Cabral e levaram a violência urbana para o eixo dos manifestos populares. O cenário foi favorável somente ao governo do Estado, que procurava uma forma de desmoralizar as manifestações às vésperas de grandes eventos internacionais, além da proximidade do período eleitoral.
Na sua pesquisa Movimentos Londres / Paris, com o perfil de grandes protestos em massa mundiais, o especialista e professor de História Moderna e Contemporânea da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Francisco Carlos Teixeira, identifica a tática black bloc no Brasil, que teve a sua primeira aparição no dia 19 de março de 2011, durante o protesto contra a visita do presidente norte-americano Barack Obama ao Rio de Janeiro. Um pequeno grupo de manifestantes atirou uma bomba contra a embaixada americana na cidade. Analisando as manifestações que estão acontecendo atualmente na cidade, Teixeira chama a atenção para um processo que ele classifica de "Criminalização do Movimento Social", que consiste no sufocamento das reivindicações populares pelos atos violentos cometidos por uma minoria. "É o que está acontecendo neste momento com os atos promovidos pelos professores. As demandas da Educação não podem ser menos expressivas do que os atos de vandalismo. Mas a opinião pública e, principalmente o governo, estão colocando a violência em primeiro plano e não dando a necessária importância às revindicações das classes sociais. Isso é grave!", destacou Teixeira. Continue lendo no Jornal do Brasil

Outras informações no G1

domingo, 6 de outubro de 2013

Rio: Manifestante se masturba para provocar PM



Durante greve de professores, manifestantes já agrediam e xingavam todos que não fossem do PSOL na Câmara de Vereadores do Rio, desde parlamentares a assessores. Uma semana antes da votação de qualquer projeto, todos eram ostilizados e ameaçados ao adentrarem a Casa de Leis do município do Rio de Janeiro. O fato ocorrido no vídeo acima, mostra manifestantes tentando invadir a Câmara Municipal do Rio de Janeiro separando os vândalos da Polícia Militar, apenas o portão lateral daquele recinto. Assistam o vídeo e tirem suas conclusões, embasados em fatos nem sempre mostrados pela imprensa.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

6ª Manifestação pela Redução da Tarifa de Ônibus de Uberlândia #VEM PRA RUA!!!


E a cidade não pára! A luta cresce.


Convidamos a população de Uberlândia a se somar nesta 6ª Manifestação pela Redução da Tarifa de Ônibus de Uberlândia que acontecerá na quinta-feira (18/07/2013) às 17h na Praça Tubal Vilela (Centro).


Para conhecer a Carta Aberta da População de Uberlândia, tirada em Assembleia Popular, que contém toda a plataforma de reivindicações (a nível municipal, estadual e federal), acesse: http://goo.gl/i2yzV

Para conhecer a Carta Aberta da Assembleia Popular de Uberlândia à Sociedade, documento este que contém esclarecimentos e posicionamentos acerca dos últimos acontecimentos da cidade, acesse: http://goo.gl/apR7l

Reafirmemos claramente nossas pautas de reivindicação, nas ruas, em diálogo com a população. 

A RESISTÊNCIA CONTINUA!

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Policiais e Bombeiros do Brasil marcam data limite para aprovação da PEC 300


     Nos dias 09 e 10 de julho, policiais e bombeiros militares, policiais civis e agentes penitenciários participaram de manifestações no Congresso Nacional e Senado. Nessas datas puderam acompanhar a aprovação nas duas casas da anistia criminal. A PEC 300, mãe de todas as outras reivindicações é claro, também esteve na pauta, na tentativa de se criar um canal de diálogo com o governo federal na intenção de colocar a matéria na pauta de votações de 2° turno. A maioria dos estados presentes deliberaram que haverá nova manifestação marcada para os dias 20 e 21 de agosto, onde haverão caravanas se deslocando para Brasília ao mesmo tempo em que outros militares também se manifestarão nos estados. Se nesses dois dias a PEC 300 não for colocada na pauta de votações, já a tendência é de a categoria cruze os braços no 7 de setembro, data simbólica da Independência do Brasil!

       A tentativa de se buscar o diálogo com a presidência da república, é justamente para que a segurança pública não se veja confusa e usada neste momento em que o Brasil mais precisa dela. Se várias categorias se manifestam, outras estão literalmente parando as atividades, a única que está firme na defesa do patrimônio público e privado é justamente a segurança pública. Porém também temos as nossas demandas, e nada mais justo que a Excelentíssima Presidente Dilma Rousseff, que já recebeu várias categorias, estudantes e movimentos sociais, também receba os profissionais da Segurança Pública.