Seguidores

Mostrando postagens com marcador Morre Itamar Franco. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Morre Itamar Franco. Mostrar todas as postagens

sábado, 2 de julho de 2011

Morre Itamar Franco, o melhor governador mineiro dos últimos tempos


           Morreu Itamar Franco, político que ocupou quase todos os cargos da vida pública brasileira e que teve momentos marcantes na recente história brasileira. Homem público com currículo limpo, decente, ético, coerente e acima de tudo homem que tinha palavra; fato raríssimo nos dias de hoje, em se tratando de política brasileira. Na tragédia de 1997, quando houve a greve da PM mineira na gestão do ex-governador Eduardo Azeredo (PSDB), Itamar se comprometeu com os profissionais da segurança pública, se caso vencesse iria valorizá-los. Daí tudo normal, política...promessas. (Aécio também prometeu que deixaria a PM entre as três mais bem pagas...). Itamar, (apelidado de "tupete", pela forma como penteava os cabelos), assim que venceu as eleições, além de dar aumento digno, concedeu anistia aos militares revoltosos. Em 1989 saiu como candidato a vice na chapa que seria vencedora, encabeçada por Fernando Collor, que acabou sendo expulso pelo "impeachement", com denúncias de corrupção, dentre outras. Itamar pegou o Brasíl quebrado, com a população revoltada, muitos se suicidaram, e as falências brotavam como erva daninha. Itamar Franco sempre ponderado, incompreendido por muitos, ressucita a fabricação do automóvel fusca. Ao contrário da megalomania de Collor, Itamar visava aquecer a economia através da indústria automobilística, cujo maior sucesso de vendas foi o fusca. No governo de Itamar Franco foi criado o Plano Real, sucesso até hoje, que propunha estabilizar a economia. Muitos falam que o autor foi o FHC, mas se o "tupetudo" não desse abertura, o referido plano econômico não teria saído do papel. Por tudo o que representou para o Brasil, especialmente para os profissionais da segurança, no momento mais difícil de nossa história, onde precisávamos acreditar e ter o apoio efetivo de um homem público como Itamar, este jamais virou as costas à tropa. Por ironia ou coincidência história, Itamar Franco morre justamente no dia dos bombeiros. Morre um pouco da ética, da honra, do homem que tinha palavra, (se o PT, PSDB ou PMDB tivéssem a metade...) gestos que tanto nos tráz saudades, principalmente em nossos dias. Que deus lhe reserve um lugar de glória!

         Anastácio/blog No Q A P