Seguidores

Mostrando postagens com marcador agente socio educativo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador agente socio educativo. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Dep. Sgt° Rodrigues garante vitória ao Projeto de Lei dos agentes penitenciários e socioeducativos


904501 optProjeto de Lei, de autoria do Governador do Estado, que será anexado ao Projeto de Lei nº 840/2015, de autoria do deputado Sargento Rodrigues, foi encaminhado à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) nesta segunda-feira, 25/5/2015. O PL dispõe sobre contratação por tempo determinado para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público.
A proposição prevê a PRORROGAÇÃO DOS CONTRATOS de agentes penitenciários e socioeducativos POR MAIS CINCO ANOS, nas áreas de saúde e educação por mais um ano e na área de defesa social, vigilância e meio ambiente por mais três anos.
Segundo o PL, a prorrogação dos contratos NÃO irá trazer prejuízo a continuidade do concurso público, edital 2013, que está em andamento, com previsão de provimento de 3.535 cargos de agente de segurança penitenciário e 820 cargos de agente de segurança socioeducativo.
O deputado Sargento Rodrigues vem trabalhando sobre o assunto desde 2013, pois enxergou a necessidade que os agentes teriam sobre o assunto. Na época, o parlamentar apresentou o Projeto de Lei 4.170 /2013 transformado no PL 840/2015 que prevê a possibilidade de prorrogação dos contratos administrativos dos agentes penitenciários e socioeducativos até a realização de concurso público que preencha o número necessário de agentes efetivos. A matéria do Governo será anexada ao PL do deputado Sargento Rodrigues e tramitarão juntos.
No dia 6/3/2015, Sargento Rodrigues esteve em agenda com o Secretário de Defesa Social, Bernardo Santana, quando entregou o projeto em suas mãos. Na ocasião, Bernardo Santana afirmou que é favorável ao projeto de lei e que o analisaria junto ao Governo do Estado.
No dia 23/4/2015, a Comissão de Segurança Pública realizou audiência, a requerimento do parlamentar, para tratar sobre o PL 840/2015. Mais de mil agentes penitenciários e socioeducativos lotaram o plenário da ALMG pedindo uma solução aos parlamentares para que os agentes contratados não sejam demitidos. Continue lendo no site dep.Sargento Rodrigues

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Agentes Sócio - Educativos de Uberlândia são ameaçados em início de motim


Um princípio de motim no Centro Socioeducativo de Uberlândia (Ceseu), deixou dois agentes de segurança pública feridos. Eles tiveram lesões nas mãos enquanto tentavam conter alguns adolescentes. O fato ocorreu durante a noite desta terça-feira (31). Os agentes relataram à Polícia Militar (PM), que, por volta das 22h30, internos estavam fazendo algazarra nos alojamentos e eles tiveram que fazer a intervenção. Durante os trabalhos, os profissionais receberam ameaças contra a vida e à família deles.

Os agentes chegaram a pedir que um dos adolescentes saísse do alojamento, mas ele não obedeceu às ordens e foi necessário uso de força para retirá-lo do local. Além desse menor, foi necessário fazer a contenção de mais três adolescentes. Os envolvidos no princípio de motim tem 16, 17 e 18 anos (dois deles).
Ainda segundo a polícia, as vítimas informaram que um dos menores tentou fugir, mas não conseguiu. Quando foi contido disse que logo que fosse desligado da unidade iria matar todos os agentes que interferiram na ação. Um boletim de ocorrência (BO) foi registrado durante a madrugada.
Fernanda ResendeDo G1 Triângulo Mineiro
Comento: O terrível é ter cinco agentes para cuidar de sessenta e seis "crianças"...

domingo, 26 de maio de 2013

Agentes Sócio - Educativos do CESEU Uberlândia, são afastados

SEDS exonera agentes de segurança do Ceseu de Uberlândia (Foto: Reprodução/Divulgação)
Foi publicado no Diário Oficial do estado de Minas Gerais deste sábado (25) o afastamento de 12 agentes de segurança do Centro Socioeducativo de Uberlândia (Ceseu). De acordo com o documento disponível na internet, o motivo é para averiguação de possíveis irregularidades.
O afastamento preventivo, ainda de acordo com diário Oficial, é de 30 dias contando a partir da data da publicação do documento.
G1 entrou em contato com a Secretaria de Estado de Defesa Social (SEDS), mas as ligações não foram atendidas.