Seguidores

Mostrando postagens com marcador apagão na segurança. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador apagão na segurança. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 21 de maio de 2013

Brasil pode viver o apagão na segurança pública se houver greve nas polícias




     Polícia Civil  e Militar de São Paulo irá às ruas, com marcha inicial no MASP dia 11/06 às 14hs

       União Nacional das Esposas dos Militares das Forças Armadas -UNEMFA
     Sendo assim, a UNEMFA e a ANMB convidam a todos que têm amor à Pátria, à Família, a Deus e à preservação da liberdade, a estar presentes na Vigília da Família Militar dia 11 de junho de 2013 ( Dia da Batalha Naval do Riachuelo ), em Brasília - DF, com concentração às 09:00h na Praça dos Três Poderes, onde lutaremos pelos nossos 28,86%, demais perdas e a PEC-300 dos Militares Estaduais! Essa Vigília não é um ato exclusivo de militares e sim de TODOS os brasileiros: Militares Federais, Estaduais, Ativos e Inativos, parentes, amigos e simpatizantes.

O dia 11 de junho foi escolhido por ser o dia em que se comemora a Batalha do Riachuelo, ocorrida no rio Riachuelo em 1865, um dos afluentes do rio Paraná. A batalha é um dos episódios da Guerra do Paraguai, o mais mortífero e violento conflito entre países do continente sul-americano.

Solicitamos a todos os participantes que levem água potável, cobertura (boné sem conotação política partidária), protetor solar. Os militares devem usar suas camisetas de serviço e os civis que queiram fazer parte desta batalha, camisas brancas. Lembramos que será expressamente PROIBIDO bandeiras de partidos políticos e sindicatos.
Sabemos das dificuldades financeiras da tropa de outros estados da federação para o deslocamento, mas, quem puder comparecer, será muito bem-vindo.

Nosso muito obrigado ! Juntos somos fortes!

Ivone Luzardo – Presidente da União Nacional das Esposas dos Militares das Forças Armadas -UNEMFA

Marcelo Machado – Presidente da Associação Nacional dos Militares do Brasil – ANMB

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Homens disparam contra helicóptero da PM em Florianópolis


Criminosos atiraram contra um helicóptero da Polícia Militar de Santa Catarina, na tarde desta quarta-feira de Cinzas, em Florianópolis. O ataque ocorreu quando o helicóptero Águia sobrevoava a região de Carianos, bairro localizado próximo ao Aeroporto Internacional Hercílio Luz, no sul da capital catarinense.
De acordo com as primeiras informações repassadas pela PM, a aeronave não foi atingida. Dois homens foram detidos instantes depois munidos de uma pistola, em um matagal próximo do local do atentado.
As autoridades de segurança ainda não informaram se o episódio está relacionado à onda de ataques registrada no Estado há duas semanas. Até a tarde desta quarta, já haviam sido contabilizados 97 atentados em Santa Catarina.
Comentário: O Brasil está em estado de guerra faz tempo...pena que os governos estão se lixando pra isso. Querem apenas terceirizar o Estado, como forma de desviar dinheiro de maneira mais legalizada...viaturas, presídios...o povo? é um detalhe...ninguém quer saber de nada...só da Copa e Olimpíadas...e seus estádios superfaturados, inclusive alguns, como o do Corinthians  construído com dinheiro público. Precisamos de reformas...a começar na consciência do povo brasileiro...esse país é festa o ano inteiro, feriados...acorda alienados!!!

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

PEC 300 ressurge com força total em 2013



    Pra quem achava que ela estava morta, ledo engado. A PEC 300 estava apenas adormecida, e com a virada do ano, mudança na presidência do Congresso, várias associações se movimentam, além de uma grande mobilização nacional se articula, (sem maiores dados...para os dedo duros), e sabemos que pelos 10 estados estão se preparando para voltar a lotar as galerias do Planalto. A emenda que foi uma das principais promessas de campanha da presidente (ex-guerrilheira, sequestradora e ladra de bancos), Dilma Rousseff apostou na mentira para ganhar as eleições, porém não contava com força da categoria, que se reorganiza em busca da tão sonhada dignidade salarial. As lideranças apostam que o ano de 2013 será decisivo para que a PEC 300 seja recolocada na pauta de votações, pois em 2014 todos serão pais, (padrastos), todos dirão que se eleitos aprovarão a tão sonhada isonomia salarial, assim como fez a presidente.


       Vamos torcer, ficar no q.a.p, participar, pois já na Copa das Confederações a força da categoria será demonstrada, podendo  haver uma greve nas cidades sedes da copa, o que seria uma vergonha internacional. A luta continua!!!

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

CRISE NA SEGURANÇA PÚBLICA, SINÔNIMO DE INCOMPETÊNCIA


Os jornalistas da Folha Mario Cesar Carvalho e Rogério Pagnam analisam a onda de violência e mortes que vem ocorrendo na grande São Paulo nos últimos meses.

Parte dos ataques começaram em reação da facção criminosa PCC após uma série de operações da Rota (Ronda Ostensiva Tobias de Aguiar) resultar na morte de um de seus líderes no início deste ano. CLIQUE AQUI E ASSISTA O COMENTÁRIO DOS ANALISTA

quinta-feira, 19 de julho de 2012

MINAS É O CAMPEÃO DE HOMICÍDIOS NO SUDESTE

Minas tem o índice mais alto de assassinatos no Sudeste.
Minas Gerais é Estado do Sudeste que registrou o maior crescimento em dez anos no número de assassinatos envolvendo crianças e jovens com até 19 anos. Em 2000, foram 361 vítimas da violência no Estado, contra 657 em 2010, um aumento de 82%. Se for considerada a taxa de mortes para cada mil habitantes, o salto é ainda maior: passou de 5,2 em 2000 para 10,7 em 2010, uma elevação de 106,7%.

Os dados são do Mapa da Violência 2012 - Crianças e Adolescentes do Brasil, feito pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos (Cebela), com base em balanços do Ministério da Saúde. 
Comparando com os demais Estados do Sudeste, só o Espírito Santo também apresentou crescimento no índice de homicídios (49,8%), enquanto São Paulo e Rio tiveram quedas significativas no período (78,2% e 37,1%, respectivamente).

"Minas vive hoje um salto de violência que outros Estados já viveram na década de 80 e 
conseguiram minimizar", comentou o pesquisador do Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (Crisp), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Luis Felipe Zilli. O crescimento da taxa de homicídios do Estado supera, inclusive, a elevação nacional, que foi de 15,8% de 2000 para 2010. 

Entre todos os Estados brasileiros, Minas fica em 14º lugar entre os que mais registram assassinatos de crianças e adolescentes, considerando os índices de 2010. Em 2000, o Estado ocupava a 21ª posição.

Capital. Em Belo Horizonte, a pesquisa também aponta aumento na taxa de homicídios para cada 100 mil habitantes, passando de 21,8 para 26,6 no período. O salto foi de 21,8%, o segundo maior entre as capitais do Sudeste, perdendo apenas para Vitória (ES), que teve um acréscimo de 90,3%. Já São Paulo e Rio de Janeiro continuam na contramão, com queda de 85,2% e 55%, respectivamente. Em números absolutos, a capital mineira teve 167 homicídios de crianças e adolescentes em 2000, contra 168 em 2010, uma elevação de 0,6%.

Preocupação. O que preocupa os especialistas é que os índices de violência permanecem em alta em Minas. De acordo a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), a taxa de homicídios, considerando o público adulto e juvenil, cresceu 16,3% no Estado de 2010 para 2011. Neste ano, a média continua sendo de dois assassinatos por dia na capital. "Agora, que os índices estão em alta, fica difícil para o Estado controlar a tendência de criminalidade", concluiu Zilli.


A pesquisa

Fonte. O Cebela é uma sociedade civil sem fins lucrativos, fundada há 30 anos, no Rio de Janeiro. No estudo foram utilizados dados do Sistema de Informações de Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde.

domingo, 1 de julho de 2012

Polícia e Bombeiro Militar e a Sociedade

Mãos Dadas Por Dignidade

Ser militar é uma escolha de vida, posto que é uma profissão que requer primeiramente a capacidade de renunciar a própria vida em defesa da sociedade, e, concomitantemente, a capacidade de na maioria em das vezes, renunciar a própria vida, quer seja familiar,social em prol do coletivo.

O que é a instituição policial militar? É o braço armado do Estado em defesa da sociedade, é o SOS nas horas difíceis, onde ninguém pode resolver o problema, onde o Estado tem que intervir para manter a paz social, é a instituição responsável pela segurança da população, pela prevenção e combate as drogas, pela defesa do meio ambiente, pela preservação das edificações do Estado, pela segurança externa dos presídios, pela área operacional na prisão dos delinqüentes, dentre outras missões.

Devemos também saber que o Corpo de Bombeiro Militares é uma corporação em que a principal missão consiste na execução de atividades de Defesa Civil, Prevenção e Combate a Incêndios, Buscas, Salvamentos e Socorros Públicos no âmbito de seus respectivos Estados.

A Policia e o Bombeiro Militar do Brasil são compostas por homens e mulheres de bem, que dedicam suas vidas na defesa de cada um de nós, e, como tantas outras instituições, também sofre com desvios de condutas, mas qual a instituição que não as têm? Todas, desde o judiciário até a mais simples instituição, porque os problemas de corrupção, desvios de condutas, nada têm a ver com a instituição, com suas bases, suas filosofias e finalidades, e sim, com o caráter individual de cada um de seus membros.

As instituições policiais e bombeiros militares são definidas na nossa Constituição Federal no artigo 144, e são definidas como força auxiliar nos seguintes termos:

 Art. 144. A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos:; Continue lendo no CONSCIENCIAPOLÍTICAPMBM

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Desmotivação na Defesa é risco de Segurança Nacional

Segundo recente estimativa baseada em dados do Fundo Monetário Internacional (FMI), com a desvalorização do real frente ao, o  pode perder a posição de   mundial em 2012. Um  inferior a 3% no Produto Interno Bruto (PIB) este ano prejudicaria o planejamento dos investimentos públicos.
Isto retardaria o início de diversos programas de obtenção e modernização de meios da Marinha, do Exército e da Força Aérea. Para garantir recursos para tais programas, será necessário aumentar os orçamentos anuais das Forças Armadas, interrompendo a tendência de path-dependency (dependência da trajetória) que vem caracterizando os gastos e investimentos do setor.

Por não contarem com percentual constitucional mínimo, tais gastos constituem alvo preferencial para cortes orçamentários. Como a maior parte do orçamento do Ministério da Defesa destina-se a  obrigatórias (inclusive as de pessoal), o pequeno aumento das dotações nos últimos anos não tem assegurado o fluxo dos recursos para renovação dos meios das três forças singulares.

Na Lei Orçamentária Anual para este ano (Lei 12.595, de 19 de janeiro de 2012), a dotação inicial da pasta da Defesa foi de R$ 64,795 bilhões, dos quais R$ 45,298 bilhões destinados a pessoal e encargos sociais, R$ 8,004 bilhões a outras despesas correntes, R$ 9,128 bilhões a investimentos e R$ 2,365 bilhões a encargos financeiros e reserva de contingência.

Os cortes no Orçamento da União, anunciados em 15 de fevereiro, totalizaram cerca de R$ 50 bilhões. Aproximadamente R$ 20 bilhões correspondiam a despesas obrigatórias e R$ 35 bilhões a despesas discricionárias. Para garantir o cumprimento de tais metas, o Governo Federal teria "garfado" temporariamente R$ 2,96 bilhões do Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS).

Em valores atualizados até 8 de maio, a dotação inicial do Ministério da Defesa para 2012 era de R$ 64,974 bilhões, dos quais R$ 16,461 bilhões (acrescidos de R$ 1,804 bilhão de restos a pagar) haviam sido pagos. Os órgãos centrais do MD contavam com R$ 1,964 bilhão, sendo que R$ 0,076 bilhão (mais R$ 0,155 bilhão de restos a pagar) tinha sido efetivamente pago.

Na mesma data, a dotação inicial do Comando da Marinha era de R$ 16,913 bilhões, dos quais R$ 4,212 bilhões (mais R$ 293 milhões de restos a pagar) haviam sido pagos. O Comando da Aeronáutica contava com R$ 15,030 bilhões, dos quais R$ 4,189 bilhões (mais R$ 292 milhões de restos a pagar) efetivamente pagos, e o Comando do Exército com R$ 26,722 bilhões, dos quais R$ 7,595 bilhões (mais R$ 486 milhões de restos a pagar) pagos.
A crônica penúria orçamentária não é o único fator de desmotivação dos militares com a carreira, fenômeno que tem contribuído para a evasão de quadros (oficiais e praças graduadas) nas três forças singulares. A baixa prioridade atribuída à Defesa Nacional e o excessivo (e por vezes desnecessário) emprego de contingentes das Forças Armadas em operações de garantia da lei e da ordem (GLO) também são significativos.

Devido aos baixos vencimentos (em comparação com outros setores do serviço público), muitos jovens deixam de ingressar nas Forças Armadas, optando por carreiras de maior remuneração. O êxodo de militares para concursos públicos e para a iniciativa privada tem provocado evasão de profissionais altamente qualificados e com bom desempenho intelectual, com grande prejuízo para as três forças singulares.

domingo, 3 de junho de 2012

O Crack da segurança pública

Jornal do Brasil
Paulo Rosenbaum*



Os direitos constitucionais dos cidadãos estão todos lá, redigidos na carta, no entanto eles se parecem um pouco com o código de direito do consumidor: vai lá tentar receber teu dinheiro de volta!

A verdade é que o estado tem cada vez mais leis, mas cada vez menos poder para aplicá-las. Quando aplicada, tem sido de modo seletivo. Há razões diretas e indiretas para que não se promova segurança para a maioria da população. Vamos a algumas delas:

-O estado representado pela atual administração federal ainda conserva na memória primitiva e automática a correlação que havia no regime militar entre polícia e repressão política. Ou seja, a repressão tem sempre uma conotação de “direita” enquanto a marginalidade ainda pode ter uma coloração revolucionária. Junte-se a isso, a ingenua  consideração de que a correção do problema criminal depende exclusivamente de justiça social.  

-É grave saber que o estado não acredita que a ameaça aos seus cidadãos e os insustentáveis índices de violência sejam motivos de preocupação real. Já se ouviu em Brasília gente graúda afirmando com ironia que isso era “medo de burguesia”. O povo mesmo não está ameaçado.

-O estado imagina que a manutenção da ameaça pode, de alguma forma, aumentar o poder de barganha ao se outorgar a primazia da oferta de proteção. Tudo na base do paternalismo tosco que tem caracterizado o populismo latino americano e sua rasteira psicologia para as massas que coloniza.

-A educação formal das novas gerações têm sido pouco criativa, baseada em competição e instiga a agressividade. Tudo sob a fluída evocação do direito de escolha. Ninguém quer a volta das aulas de “moral e cívica”, mas – já que através dos exemplos daqueles que governam não chegaremos a lugar nenhum -- um pouco de filosofia e aulas de ética pública e privada não seria má idéia.   

-Leniência e assimetrias da lei. Na reforma do código penal legisladores vem descriminalizando  pequenos delitos e chamando-os de bagatelas. Mas o que poderia ser um avanço, transforma-se em autorização tácita ao crime se não houver a promoção de medidas sócio-educativas simultâneas ao ressarcimento que o ladrão terá que oferecer à vítima. Agora como é que pode ser que violadores de e-mail de atriz famosa possam ser apenados em até 12 anos de reclusão e os assassinos confessos, violentadores e ladrões do erário, se apenados, se safem com menos de um terço do tempo? Não sou da área, mas isso é desnecessário para enxergar distorções. 

-As prisões brasileiras estão entre as mais despreparadas e superlotadas do mundo. As taxas de reincidência e de reinserção social dos egressos demonstram isso amplamente.

--A política de segurança prisional se sofistica muito lentamente. Por exemplo, ainda não se conseguiu um acordo – pasmem, são quase 10 anos de discussão -- para que as operadoras de telefonia móvel bloqueiem chips dos celulares que entram aos milhares no sistema prisional. Depois de investimento milionários as salas de telejulgamentos estão ociosas porque não há acordo sobre a constitucionalidade de audiências virtuais. Pode ser até que estejamos na frente em Internet para todos, mas a mentalidade geral persiste retrógrada.

--A política de remuneração de policiais no País (acrescente-se bombeiros) é ridícula e degradante  Não porque estas pessoas mereçam privilégios especiais, mas, o exercício de uma profissão que mistura insalubridade com riscos muito reais, merece ter a política de salários completamente revista e reestruturada. Provavelmente a corrupção policial desceria ao patamar administrável.   

-Faltam investimentos mais efetivos em inteligência policial, controle de armas nas fronteiras e aprimorar a integração entre as comunidades e a segurança pública.

- Toda policia deveria prevenir e pacificar.

O primeiro golpe nos direitos civis é a ausência de segurança. Mas estamos sem tempo para discutir medidas objetivas. A fofoca política e o bate boca vem em primeiro lugar na audiência. Desde a redemocratização não testemunhávamos impasses institucionais tão graves entre os poderes republicanos: à mercê de gangues, a população pede socorro!

Para quem?

Ps - Estaríamos todos agradecidos com apenas 1% da consideração que os chefes de estado terão  durante a RIO+20. 

* Paulo Rosenbaum é médico e escritor.

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Barbárie na Bahia do PT: 35 mortes em 3 dias. E o governador abraçando um assassino em Cuba.

Enquanto o petista Jacques Wagner, governador da Bahia, levava um abraço para o tirano assassino Raul Castro, o ditador de Cuba, ao lado de Dilma que chamou o Pinheirinho de "barbárie", a violência tomava conta da Bahia.

Subiu para 35, segundo o governo da Bahia, o número de mortos na onda de violência que atinge o Estado desde o início de uma greve de policiais militares, no dia 31 de janeiro. Exército, Marinha e Força Nacional continuam trabalhando. Segundo o governo baiano, quase 3 mil homens fazem o patrulhamento em áreas de grande circulação de pessoas, como estações de transbordo, pontos turísticos e terminais de passageiros de Salvador.
Do Estadão/Blog Coturno Noturno

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Secretário responsável pela segurança da Copa de 2014 e Olimpíada de 2016 pede demissão

O secretário extraordinário de Segurança para Grandes Eventos do Ministério da Justiça, José Ricardo Botelho, pediu demissão no último final de semana e alegou motivos pessoais para deixar o cargo. O mais cotado para substituir Botelho é o corregedor da Polícia Federal Valdinho Jacinto Caetano. As informações são da “Folha”.


A secretaria foi criada em agosto de 2011 e tem a responsabilidade de coordenar as ações de segurança em eventos internacionais que acontecerão no Brasil, como a Copa do Mundo de 2014, o Rio+20 e os Jogos Olímpicos de 2016.



Botelho comandava mais de 50 mil homens e administrava um orçamento de aproximadamente R$ 1 bilhão, destinados a proteger torcedores na Copa.



Há duas semanas, o diretor de logística da mesma secretaria, Odécio Carneiro, também saiu do governo após se tornar alvo de uma ação de improbidade administrativa.


Yahoo

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

DIA DO APAGÃO NA SEGURANÇA PÚBLICA DO RIO 10/02/12

Nas redes sociais, e nos blog's cresce a movimentação de policiais militares para uma greve no Rio de Janeiro, as informações dão conta que a paralisação será dia 10 de Fevereiro, conforme divulgado hoje pelos jornais O Dia e Extra abaixo.

Seria muito bom que o paspalho do Sérgio Cabral chamasse a PM e começasse a conversar antes que o caldo entorne.

Reprodução do jornal Extra, Coluna Extra Extra