Seguidores

Mostrando postagens com marcador associação. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador associação. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

ES: POLICIAIS ORGANIZAM DESFILIAÇÃO EM MASSA DA ACS


Movimento surgido nas redes sociais após mais uma frustada "reunião" como o Governo do Estado tem ganhador força entre policiais e bombeiros de todo Espírito Santo. 

Após 1 ano e 3 meses de espera, após ter dado todas as chances e prazos possíveis ao Governo do Estado, os policiais estão revoltados com a passividade das associações de classe na condução do processo de realinhamento salarial e a saída encontrada é uma desfiliação em massa da entidade.

O movimento surgiu em um comentário realizado no Facebook por um associado do 10o. Batalhão (Guarapari) e já abraçado por policiais da 10a. Cia Ind (Anchieta) e da 9a. Cia Ind. (Marataízes). O 9o. Batalhão (Cachoeiro) com maior número de associados do sul do estado também aderiu ao movimento:

"Hoje os CB e Sd sócios da ACS, do 10 BPM, se reuniram e marcaram para a semana que vem, irem até a ACS, para pedirem a desfiliação de sócios, pois estamos indignado com postura da ATUAL Diretoria da ACS, o pessoal de Anchieta também irão se juntar, já estamos em contato com o pessoal de Marataízes e Cachoeiro, os sócios não acreditam mais na ATUAL DIRETORIA, pois com suas reuniões secretas junto ao GOVERNO, estão fazendo a tropa DE marionetes. oUTROS BATALHÕES DEVERIAM TOMAR A MESMA ATITUDE. A ACS deixa de representar os CBs e SDs do 10º BPM."


"Aqui no sul estamos aguardando apenas o envio do formulário padrão para desassociar. Quase todos os soldados de 2007/2008/2009 já manifestaram essa idéia."

As reações de revolta crescem na internet. Notícias dão conta que na Capital e região metropolitana policiais também prometem aderir o movimento.

"Brincadeira, só pode ser isso, meu Deus, esqueceram da nossa Briosa que esta Presente 24 horas por dia, a nossa Briosa que é guerreira é da exemplos de DEDICAÇÃO e COMPROMETIMENTO, falEm a verdade o que esta acontecendo? nos temos o DIREITO DE SABER."
A reunião marcada para o dia 12 de setembro em que o Governo iria apresentar o estudo de realinhamento salarial foi mais uma vez transferida pra o dia 19, demonstrando total falta de respeito e apreço com a categoria que aguarda há mais de um ano.

Os próximos dias vão revelar se o movimento vai ganhar corpo. Pela revolta na tropa, tudo indica que sim. 
E você, concorda? Deixe sua opinião abaixo no formulário de mensagens.


sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

POLICIAIS DO AMAZONAS TRANCARAM PMs POR 10 HORAS; DISPUTA ELEITORAL


Comando da PM se mete em disputa entre Associações de Praças e covardemente mantém dirigentes de uma das associações trancados em uma sala por 10 horas. E agora transfere todos para o interior. É vergonhoso vê os oficiais do comando da PM à serviço de disputas eleitorais e com práticas completamente incompatíveis com os postos de comando da corporação. Estou aguardando áudios de coronéis em falas desrespeitosas e fora dos padrões de ética.


Pedido solicitado ao blog

Esse deputado começou a divulgar hj isso para nós, o comandante geral nos enrolou desde segunda feira passada dizendo que ninguém viajaria, porém hoje já estaremos pegando as passagens, querem dissolver na força nossa associação, sendo está totalmente legal.


peço sua ajuda novamente, pq um absurdo desse tamanho nunca aconteceu no Brasil.

instagram,face,twiter,site e blog do deputado Marcelo Ramos-Psb AM está repercutindo o caso


NOS AJUDE AI anastacio

sábado, 19 de outubro de 2013

Denuncia: Interferência do Estado nas Associações Policiais



Os Presidente da Associação das Praças Policiais Militares da Ativa e Reformados do Estado de São Paulo - APPMARESP, usa a tribuna popular da Câmara de Vereadores de Piracicaba e faz denúncias sobre a interferência do Estado nas Associações em especial na cidade de Piracicaba.

Comento: Isso acontece em muitas cidades...eles colocam agentes da P2 para vigiar, forjam IPM, punem de maneira prescrita e a administração se mistura com associações...numa relação promíscua e criminosa.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Associação entra com ação para impedir que militares sem curso de emergência, dirijam viaturas



Uma iniciativa da jovem Associação Geral dos Policiais Militares do Estado do Espírito Santo - AGEM-PMBM vai dar o que falar no meio policial de todo o Brasil.


Trata-se de uma ação que a Associação de classe entrou contra o Governo do Estado do Espírito Santo questionando o fato dos policiais e bombeiros militares dirigirem viaturas de forma irregular, sem o curso específico de condução de veículo de emergência conforme estipula o art. 145 do Código Brasileiro de Transito.

"Sou motorista há anos na PM e nunca fiz nenhum curso de condução de veículo de emergência. E isso é um absurdo. Cobramos a aplicação da Lei mas nós mesmo não a respeitamos. Outra coisa, se eu bater a VTR terei de pagar do meu próprio bolso. Isso só acontece na PM. Pergunte se em outro órgão ou repartição do governo isso acontece?  Não temos nenhuma gratificação de motorista. Qual o incentivo que temos pra dirigir viaturas para o Estado? Nenhum." - Disse um policial militar que não quis se identificar.

"É uma ação pioneira que outras associações não tiveram e não têm coragem de encabeçar. Nossa categoria tem sofrido com a defasagem salarial e com o descaso deste governo e ninguém diz nada. Esta é uma ação que mostra que nossa associação está disposta a lutar com os meios judiciais para amenizar o sofrimento dos nossos associados."  Comentou um diretor que preferiu também não se identificar.

Vejam os pedidos da ação: 



b) conceder inaudita altera pars a presente medida Tutela Antecipada, em face da relevância do pedido, a fim de determinar que:


I - seja impedido que os militares estaduais da PMES e do BMES que não preencham os requisitos previstos no art. 145 do CTB realizem atividade de condução de veículo de emergência, sob pena de aplicação de multa diária após a concessão da medida pretendida na forma de liminar,


II - seja providenciado a imediata realização de curso especializado e de curso de treinamento de prática veicular em situação de risco, nos termos da normatização do CONTRAN, sob pena de aplicação de multa diária após a concessão da medida pretendida na forma de liminar,

III – cesse qualquer cobrança a militares estaduais por danos causados ao erário e a terceiros em decorrência da imposição/autorização do Estado de fazer com que militares sem a capacidade técnica, que não possuam os requisitos legais, conduzam viaturas;

c) após a concessão da medida pretendida na forma de liminar, inaudita altera pars, requer a citação do Requerido, na pessoa de seu representante legal, no endereço declinado inicialmente, para que conteste e acompanhe, querendo, o presente pedido, até final decisão, sob pena de revelia e confissão, em conformidade com o art. 285, in fine, do Código de Processo Civil;

d) com a resposta ou sem, requer a total procedência do pedido, condenando-se a Requerida ao pagamento das custas do processo, honorários advocatícios e demais combinações legais;

e) condenar o requerido a devolução de qualquer valor pago por militar a título de conserto/reparo de viatura por acidente automobilístico, a título de reposição de erário por acidente automobilístico envolvendo viatura ou a titulo de indenização a terceiros decorrente de acidente envolvendo viatura se o militar não possuía ao tempo do acidente os devidos requisitos legais para conduzir um veiculo de emergência;

Vamos aguardar o resultado da justiça esperando que haja imparcialidade no julgamento da mesma.


Comento: Do universo de um milhão de militares, podemos supor que sequer 10% tem Curso MOPP - Movimentação Operacional de Produtos Perigosos. Portanto não teriam legitimidade nenhuma para notificar qualquer outro condutor, se nem eles, enquanto agentes da lei, em tese, respeitam as leis de trânsito. E o pior ainda está por vir; depois o militar tem a infelicidade de bater a viatura, ainda tem que assumir os danos. Obrigar o motorista a dirigir viaturas sem estar devidamente habilitado é abuso de autoridade! A Constituição Federal no seu artigo 37, reza que um dos princípios da administração é agir dentro da legalidade. Dirigir sem estar habilitado é legal? A grande maioria é amador ou ama-dor...literalmente, senta no piano e não sai música...

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

PM de São Paulo desabafa: - "o que a associação está fazendo?"

PRECISAMOS DE UMA REPRESENTATIVIDADE ATUANTE... ESPERO QUE NOSSA ASSOCIAÇÃO DE CABOS E SOLDADOS NOS REPRESENTE DIGNAMENTE...DIGNIDADE NÃO É BRIGAR...MAS TBM NÃO É CALAR-SE QUANDO SOMOS INJUSTIÇADOS...ESPERO MAIS ATUAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DE CABOS E SOLDADOS...CASO CONTRÁRIO PERDERÃO MUITOS ASSOCIADOS...NÃO BASTA CRITICAR OS POLITICOS, TEMOS QUE MOSTRAR QUE ESTAMOS VIVOS E A IMPORTANCIA DOS PRAÇAS..."SEM OS PRAÇAS NAS RUAS ACABOU A POLICIA MILITAR..." OS PRAÇAS DA POLICIA MILITAR DE SP NEM SEQUER POSSUEM UM PLANO DE CARREIRA DESCENTE...NA POLICIA CIVIL REDUZIRAM AS CLASSES...AQUI SOMOS PROMOVIDOS COM EM MÉDIA 25 ANOS DE SERVIÇO...ONDE ESTA A VALORIZAÇÃO DOS "SOLDADOS" QUE ESTÃO NA LINHA DE FRENTE DA SEGURANÇA PUBLICA ??? "SEM COMANDADOS PARA EXECUTAR...NÃO EXISTEM COMANDANTES..." O QUE A ASSOCIAÇAO ESTA FAZENDO PARA QUE TENHAMOS UM PLANO DE CARREIRA DESCENTE??? ESTA NÃO É SÓ MINHA OPINIÃO...É A OPINIÃO DE GRANDE PARTE DA TROPA...QUEREMOS UMA ASSOCIAÇÃO MAIS ATUANTE... ESTAMOS ABANDONADOS.







sexta-feira, 12 de julho de 2013

Associações militares não podem se comportar como partidos, que dão as costas para o povo

 
           Nesse momento em que o povo vai às ruas contra os partidos, contra a politicagem; se trouxermos essa realidade para dentro da caserna, especialmente no caso de Minas Gerais, não vimos nenhuma associação patrocinando ônibus para que os manifestantes pudessem ir à Brasília nos dias 09 e 10 de julho. A única que sempre ajudava, no caso de Minas, era o CSCS - Centro Social de Cabos e Soldados, aliás bancou a maior caravana da PEC 300, em 2009, cm 12 ônibus, mas, ultimamente tem deixado a desejar nesse aspecto. Esperamos que nas próximas movimentações, que serão nos dias 20 e 21 de agosto, possamos contar com esse valoroso apoio, não só em Minas, mas, por todo o Brasil. Cabe ao associado cobrar, questionar, e fazer as associações cumprirem o papel para os quais existem, qual seja, lutar pelos interesses dos sócios e da categoria como um todo.

sábado, 9 de fevereiro de 2013

CONHEÇA AASPESEN, DOS AGENTES PENITENCIÁRIOS DO NORTE - MG


ASSOCIE-SE JÁ! ASSIM, SEREMOS FORTES



























É simples e barato!
Para se associaar, o interessado deve procurar a sede da AASPESEN-MG (na Rua Ernesto Neves, nº 160ª, 2º Andar, Bairro: Edgar Pereira – Montes Claros – MG), preencher a ficha de filiação que autoriza o débito em conta corrente e já estará fazendo jús aos benéficios que a associação oferece.
Atualmente o valor da mensalidade é de 1% do vencimento básico do Agente Penitenciário.

OU VOCÊ PODE TAMBÉM, ACESSAR A FICHA DE AFILIAÇÃO, CLICANDO AQUI.SITE

http://www.aspenorte.com.br


ALEXANDRE GUERREIRO
PRESIDENTE DA AASPESEN-MG

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Derrota do IPSM, "e agora José?" Cadê as associações?


 A família militar de Minas Gerais sofreu um duro golpe na Assembléia Legislativa, quando viu seu instituto de previdência secular, tão necessário à tropa, e que ainda consegue existir mesmo depois da roubalheira do ex-governador Eduardo Azeredo, (que inclusive responde até hoje por improbidade administrativa). Qual das associações lutaram pela devolução de quase um bilhão de reais que foi desviado do IPSM? A proposta de lei complementar de número 31, no seu artigo 13 trouxe um prejuízo de 4% do repasse do governo para o IPSM.

  Primeiro devemos destacar que nenhuma, nenhuma associação bancou a viagem da tropa à Belo Horizonte, como já disseram, mudaram até o horário da votação, parecia tudo um grande circo, um teatro cheio de canastrões. Passada a votação as associações continuam inertes...não será feito nada? Nenhuma terá disposição de literalmente botar o bloco na rua, botar a tropa nas ruas para pressionar o governo? Nenhuma terá o saco roxo pra peitar esse governo? Nenhuma vai bancar os ônibus para a Capital? Sim, porque a tropa responderá, desde que haja os ônibus disponíveis, com certeza todos irão as ruas...mas pra fazer isso, os presidentes não podem ter rabo preso, porque senão, de fato nunca custearão esses ônibus...

 E agora "Josés", as associações vão ficar caladas? Elas têm que manifestar agora, não adianta daqui há dois anos querer aparecer e pedir votos, dizer que fez o impossível, sendo que a tropa está vendo que nem o possível (o custeio dos ônibus) foi feito...a pergunta que não quer calar: o que impede as associações de convocar à tropa? Seria o acordo salarial de 2011?...o tempo vai responder a tudo...

quinta-feira, 19 de abril de 2012

ASSOCIAÇÕES MILITARES EM MINAS GERAIS, PARA QUE QUE SERVEM?



Editorial do Blog do Cabo Fernando: Somos o estado que mais tem associações militares e as que mais arrecadam e que mamam em nossas tetas. E o que recebemos de volta? Nos traem e nos vendem para o governo em campanha salarial, áreas de laser precárias, principalmente no interior do estado, advogados que não nos atendem como deveriam atender, advogados apenas para atender os interesses do presidente, presidentes que no lugar de lutar pela classe, defender os interesses de seus associados, estão gastando dinheiro nosso para "bancar" militares políticos nas diversas cidades mineiras na eleição para vereadores neste ano, com o único intuito de formar uma pirâmide envolvendo os quatros cantos do estado de possíveis eleitos, que em muito breve o presidente desta associação irá cobrar os seus apoios para um cargo político bem mais alto. Mas o presidente de uma dessas associações acima, esqueceu-se que não adianta nenhuma prévia, pois os candidatos que não ganharem irão sair candidatos de qualquer jeito, ja que em sua maioria sabem que não tem condições de ganhar e saem apenas para gozarem de três meses de licença remuneradas. As PMs e BMs do Brasil seja de qual estado for não estão preparados para esse tipo de prévias política, teria que ser feito com bastante antecedencia uma conscietização política dentro dos batalhões, dentro dos clubes e através dos sites, blogs, jornalzinhos e outros meios de divulgação e não do jeito que a referida associação esta fazendo, o que deixa claro as intenções de seu presidente. Caso realmente vá cumprir com o seu prometido, o que duvido muito, devido as eleições municipais ser posterior a eleição da referida associação e a intenção desse presidente é apenas angariar eleitores para sua recandidatura, pois só não enxerga quem é cego, o envestimento que a entidade atravé do nosso dinheiro "fara" será um investimento inútil, pois dificilmente alcançará o objetivo pretendido e esse presidente sabe disso, mas para ele e seu secretariado o que importa é a imprensão causada em "alguns" militares, mesmo que não se eleja ninguém. Porque que a referida associação não faz uma prévia em Belo Horizonte? Eu desafiaria a diretoria a fazer, mas ela não fará e sabem porque, porque em Belo Horizonte o candidato oficial do presidente da entidade já é o vereador Cabo Julio, o mesmo vereador que juntamente com esse presidente nos traiu na ultima campanha salarial a Assembléia Geral no COPM, o mesmo vereador que no dia falou que nós reformados não não faziamos greve, o mesmo vereador que falou que não adiantaria convocar os militares da ativa pois eles não comparecem as Assembléias, o mesmo vereador que em seu blog e em uma reunião dentro de seu gabinete na Câmara, declarou seu apoio incondicional a recandidatura do Cabo Coelho a Presidencia do CSCS e voces acham que esse vereador esta dando esse apoio de graça? Pensando assim, voces acham que a diretoria da referida entidade faria uma prévia em Belo Horizonte, sabendo que fatalmente poderia aparecer outro militar que desbancaria o referido vereador? O que os presidentes dessa e das demais associações deveria ter é VERGONHA NA CARA, pois o que mais nós associados precisamos não é apoio para campanha política, pois o viciado em cigarro ou em bebida devem arcar com seus vícios e assim é o militar "candidato" que deve arcar com sua campanha. O que nós precisamos é que nossas associações lutem por um salario digno, por adicional noturno, por horas extras, pela não quebra de paridade entre ativos, inativos e pensionistas, pelos direitos dos militares reformados por incapacidade física ou por invalidez, direitos estes que até hoje não foram cumpridos, o que nós precisados é de presidentes de associações que cobrem uma postura do Cmt Geral da PMMG que paguem as diárias em dia dos militares que fazem o CEFS, pois tem sargentos que fizeram o curso no ano passado e até hoje não receberam o que lhes é de direito. Enfim o que nós precisamos é que os presidentes de associações usem o nosso dinheiro a nosso favor e não em favor de seus interesses, que ele comece sua gestão pobre e que termine pobre, e não que entre pobre e termine milionário como o que esta acontecendo.


Fonte: Blog do Cabo Fernando

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Associações militares x cidadania

               
  Por Marcelo Anastácio
         Vejo muitos colegas de farda se queixarem da postura de algumas associações, na maioria das vezes com toda razão, seja pela inércia de alguns advogados, seja pela má fé de alguns dirigentes que sequer prestam contas para os sócios. Há associações que inclusive ameaçam processar ou abandonar a causa dos sócios que ousarem a fazer qualquer tipo de denúncia.

             Hoje é um dia especial, 20 de outubro de 2011, e a história é construída pela massa, que derruba mais um ditador Muamar Kadafi, que se arvorou no poder da Líbia por mais de quarenta anos. Mas, o que tem a ver  um assunto com o outro, ainda mais em se tratando de notícia internacional. O povo quando participa será sempre, sempre o soberano, e nas associações não é diferente. Quantos de nós quando vemos os atos de convocação para assembléia, (nas raras vezes em que são divulgados), quantas vezes nós fomos? Quantas vezes deixamos o churrasquinho, o futebol, a pesca para participar de algum evento na associação? Qual o sócio que um dia teve coragem de denunciar um advogado na OAB, além de processá-lo por mal atendimento ou abandono da causa? Não temos essa cultura, por isso não se presta contas, por isso não somos respeitados.
        
            Não haverá milagres seja na associação militar ou de bairros, seja no partido ou nação, se não mudarmos a nossa concepção diante da política. Enquanto alimentarmos o discurso plantado por aqueles que  deturpam a coisa pública, de que a política é suja, sempre veremos aquela mesma meia dúzia, que perdura no     
senado, no congresso, nas câmaras de vereadores e nas associações militares. Ou participamos para construirmos juntos o nosso futuro, ou viveremos alheios, sendo comandados, subjugados e oprimidos pelos tiranos, oportunistas e derrotados principalmente pelo nosso comodismo. Temos que participar, e literalmente  vestir a camisa, não apenas no dia do jogo, mas, todos os dias. Ser brasileiro quando o hino toca é passageiro demais, temos que cantá-lo no dia-a-dia.
          
           Por isso, temos que participar das chapas, ou pelo menos nos mantermos bem informados para saber em quem não votaremos, e a partir daí tudo fica mais fácil. Não existem salvadores da pátria, muito menos em associações. Eles os eleitos, têm que se sentir vigiados, para que tenham zelo e probidade. Ir votar é muito pouco para a construção da nossa cidadania...portanto se as associações são o que são, será sempre reflexo da inércia ou da nossa efetiva participação e cobrança.


             Marcelo Anastácio/blog No Q.A.P

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

ASSISTÊNCIA JURÍDICA DAS ASSOCIAÇÕES É UM CIRCO E NÓS SOMOS OS PALHAÇOS!!!



Prezado Cabo Fernando,
Fui um ex-associado de algumas entidades de classe de militares, e venho através manifestar minha indignação em relação ao jurídico das entidades de classe de militares e bombeiros. Você é o único blogueiro que realmente denuncia as mazelas existentes na corporação, visto que a sua  principal concorrente é “parceira” das forças de poder existentes e não denuncia nada.  Você verá que este texto não será postado no blog dela.
Primeiramente sugiro a todos os militares e bombeiro a assistirem o filme clássico  dos anos 70 , SINDICATOS DOS LADRÕES,   que denuncia panorama idêntico a que estamos vivenciando atualmente nas nossas entidades de classe em Minas Gerais.
È chegada a hora de fazermos uma reflexão sobre a assistência jurídica que hoje, vem sendo oferecida aos militares por diversas associações.
Os militares e bombeiros estão cada vez  mais pressionados pelo governo “anestesia”, pela sociedade, pelo comando da polícia militar/bombeiro,  pela marginalidade crescente,  e deveríamos esperar de nossas associações, uma assessoria jurídica qualificada e preocupada com resultados, haja vista que atualmente a classe esta  COMPLETAMENTE FRAGILIZADA E ABANDONADA AO SOFRIMENTO E TOTAL DESCASO.
Quantos militares durante o serviço, não respondem a sindicância devido a danos á viatura, ou processos criminais de homicídio, tortura, ou são vítimas de perseguição de superiores.
Quando o militar enfrenta uma situação difícil tal como um PAD , uma tortura , um homicídio ele deve contar com um jurídico de primeira qualidade,  visto que  está enfrentando um momento delicado e obrigação de arcar com advogado representa muitas vezes uma intensificação do sofrimento, não só do militar como também de sua família.
O militar ou o bombeiro que responde a um PAD, PADS, justiça militar  e justiça comum criminal  deve  ser assessorado  de forma ampla , eficiente e com reponsabilidade para que o mesmo possa enfrentar os revezes da vida com a certeza que a sua ampla defesa e contraditório está se dando plenamente.
Se você que está lendo este texto nunca precisou se defender em uma sindicância ou na justiça militar, reflita , pois situações difíceis podem acontecer com qualquer um, especialmente na vida de um policial militar, considerando o atual Comando da Polícia Militar .
O presente texto vem denunciar o que todos sabemos, porém fingimos ignorar, o TOTAL DESCASO QUE OS ASSOCIADOS VEM ENFRENTANDO NO JURÍDICO DAS ASSOCIAÇÕES DIVERSAS  que atuam como entidades de classe. Os jurídicos destas entidades são terceirizados, de forma que contratam algum integrante da associação(integrante da panelinha), que geralmente não é advogado, para montar um escritório de advocacia e neste caso a única preocupação é com geração de lucros e não com os problema jurídicos dos militares.
O descaso serão enumerado abaixo, de forma didática e simplificada:
·         Existem associações que demoram 2 semanas para agendar com o associado um horário com o advogado; Ora, a receita mensal destas entidades garantiria as mesmas contratar mais ADVOGADOS para atender a demanda, contudo, para “economizar”,  tem poucos advogados prestando o serviço aos associados. Considerando ainda que é um ABSURDO ,que  o militar que  é denunciado na justiça militar ou na justiça comum  por homicídio, aguarde 2 semanas para ter o primeiro atendimento.
·         Para o associado que acabou de se filiar é necessário aguardar o mínimo de 6 meses de carência para se ter o direito a assessoramento jurídico. Mais uma vez ressalto que a receita mensal destas entidades é mais que suficiente para  se garantir até mesmo ao recém filiado a assessoria jurídica, contudo, a preocupação não está sendo com a dignidade  e tranquilidade  dos militares e sim com um lado empresarial que não deveria ser objeto de uma entidade de classe, no qual o policial deveria ter um apoio psicológico, social  e jurídico.
·         As entidades de classe estão contratando mais ESTAGIÁRIOS , que  não tem vínculo empregatício e recebem pouco pelo serviço prestado, e DEMITINDO ADVOGADOS, sob a alegação que o escritório jurídico não está gerando  o lucro devido. È o exercício de advogar, interceder a favor de alguém, defendo-o com razões e argumentos. O advogado desempenha função essencial à justiça, sendo indispensável a sua participação na esfera judiciária, porquanto cabe a ele servir de elo entre a parte desprotegida e o direito que concerne a esta.  Como em qualquer área profissional, somente  após a valorização deste profissional  através de adequada  remuneração,  é que o associado terá um serviço de qualidade. Estagiário não tem formação, capacidade e experiência para acompanhar nenhum processo judicial, tal como está comumente acontecendo nas associações, advogado tem OAB e pode ser realizada pesquisa no site da OAB para se verificar se aquele profissional que lhe está atendendo é realmente um advogado, podendo até mesmo realizar uma queixa junto OAB/MG.
·         OS poucos advogados que estão atuando nestes jurídicos, têm tantas causas, que muitas vezes vão para a audiência sem saber do que se trata  a causa, perdem prazos, não atendem por telefone os associados, não dão retornos periódicos acerca da causa,  não movem a ação em tempo hábil e quem paga a conta É VOCÊ, uma vez que a associação não se responsabiliza por nada.  Receber a contribuição mensal dos associados todas as associações querem, todavia, não  se responsabilizam por falhas do jurídico . Nesta hora, colocam a culpa no advogado, que muitas vezes não tem culpa de nada, pois não tem como acompanhar tantos processos simultaneamente. E os estagiários que cuidam destes processos, não possuem experiência ou qualificação para assumir tamanha responsabilidade.
·         A situação mais gravosa que irei denunciar é  a dos diretores jurídicos que exercem tal função nas entidades de classe diversas. Não são advogados, tão pouco bacharéis que  estão  usurpando as funções precípuas de um advogado.  Para piorar a situação, fiquei sabendo que um político famoso por ter sido condenado em 1ª instância por envolvimento direto na máfia das ambulâncias, não sendo advogado, tão pouco bacharel, assumiu um jurídico de uma entidade de classe muito  conhecida. Acorda pessoal! Isto é mutreta na certa, uma vez que o  Ar1 1º  da Lei 8.906 determina expressamente que a direção de tais entidade cabe ao ADVOGADO, com inscrição NA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL.  Esta prática configura exercício ilegal da advocacia, visto que a direção de jurídico é atividade precípua de advogado, conforme art. 28 inciso I do Estatuto da OAB.  Desta forma, deveria ser investigado pelo Ministério Público Estadual este exercício ilegal da advocacia que vem ferir os direitos e garantias dos associados que acreditavam estar sendo bem atendidos. Esta função é privativo do advogado,  pois somente este profissional poderá gerir e administrar eficazmente um setor jurídico, visto que possui os conhecimentos juridicos e técnicos para exercer esta função.

È necessário o surgimento de novas lideranças na polícia, com outros ideais e objetivos, pois atualmente a situação está como no planalto em Brasília, cheio de espertalhões fazendo VOCÊ de palhaço.
O voto dos associados é o único meio de alterarmos o atual cenário das entidades de classe e devemos ser atuantes e não ficarmos omissos diante  destas mazelas, pois um dia você poderá precisar contar com uma associação e não terá apoio nenhum.
Conto e confio em você para mudarmos a atual conjuntura, Cabo Fernando!!!
Belo Horizonte, 18 de outubro de 2011.
Cabo Santos

Blog do Cabo Fernando