Seguidores

Mostrando postagens com marcador capitão Wagner. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador capitão Wagner. Mostrar todas as postagens

sábado, 16 de novembro de 2013

1º Seminário Internacional dos direitos humanos dos militares




O objetivo do seminário é apresentar aos militares, advogados, operadores do Direito, acadêmicos de Direito e ao público em geral uma visão real dos Direitos Humanos, visão esta mal entendida e às vezes ignorada em nosso país hoje. Como também apresentar alternativas para que os militares possam lutar pelos seus direitos de forma legal e ordeira, levando ao conhecimento do público a situação precária que se encontram, sem que seja necessário agir de forma radical.

O seminário será realizado dias 29 e 30 de novembro de 2013.

• 1º Dia (sexta-feira, 29/11/2013): Entrega de credenciais a partir de 16h00 as 17h50, em seguida de 18h00 as 20h00 será Dedicado somente ao palestrante principal, que apresentará três abordagens em torno do tema, com tempo total de 02 horas;

• 2º Dia (sábado, 30/11/2013): será dividido em dois momentos, sendo o primeiro momento a partir de 09h00 iniciando com um coffe brake, e as 10h00 iniciando uma palestra principal de 90 min, com o convidado da Holanda que atua em haia, em seguida mesa redonda com duração de uma hora; às 12h30 intervalo de 2 horas para almoço; às 14h00 inicia o segundo momento com debates por um período de uma hora, em seguida mais 90 min para perguntas e respostas aos debatedores e ao palestrante.

Telefones para contato: (85) 3268.1719
(85) 8713.4214
(85) 9925.5129

Inscrições: R$ 30,00

Local: Ponta Mar Hotel - Av. Beira Mar, 2200, Meireles - Fortaleza.

Fonte: Vereador Capitão Wagner, PMCE

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Vereador Capitão Wagner do Ceará, verdadeiro líder militar, leiam...

Foto de Wagner Sousa.

FUTURO DA APROSPEC:
ELEIÇÕES NA APROSPEC e AMPARO AOS DEMITIDOS. Apesar das decisões desastrosas da Diretoria da APROSPEC, cheias de rancor e sem medir a responsabilidade da Associação, reafirmo minha posição de manter os salários dos companheiros demitidos. Teremos uma reunião com os Associados dia 29.06.2013 às 08h00 na quadra do Colégio Tiradentes para que possamos decidir o futuro da APROSPEC e dos companheiros demitidos. se a APROSPEC não bancar eu abdico do salário de vereador e banco....

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Cap. Wagner: "Se eu morrer, a culpa é do Secretário de Segurança e do Major Henrique"




A declaração foi feita na manhã de hoje, 14, quando Capitão Wagner divulgou dois Boletins de Ocorrência feitos ontem no 30º DP. Um se baseia na ameaça proferida pelo governador Cid Gomes na manifestação de domingo, ao afirmar que daria voz de prisão caso o parlamentar fizesse "confusão" em frente ao Batalhão de Policiamento de Eventos, no Tancredo Neves. No outro BO, Capitão registra a ameaça contra ele e sua família pelo fato de nas últimas semanas ser seguidos por dois veículos alternados: um corola prata, placa OIQ 7435 e um jeta preto, com numeração OHY 8335. Há indícios de que ambos sejam da Coordenadoria de Inteligência da Polícia Militar (Coin), cuja coordenação pertence ao Major Henrique, acusado de ter participado do grupo de extermínio numa rede de farmácias, assassinado com um tiro de fuzil uma criança com um ano de vida, envolvido com escutas não-oficiais de autoridades cearenses, além de ser primo do Secretário de Segurança Pública do Estado, Cel Francisco Bezerra. Em nenhum dos casos foi aberta investigação, ao passo que contra militares que lutam por mudanças, de forma pacífica, são perseguidos: expulsos e transferidos. Na tribuna, Capitão Wagner informou que "se alguma coisa acontecer comigo ou com a minha família, a responsabilidade não é do governador Cid Gomes, mas do Secretário de Segurança e do Major Henrique. A eles, é que está confiada a segurança".

Ceará: Governo encerra negociações com militares, (teremos copa?)


O Governo do Estado decidiu encerrar a mesa de negociação que discutia as reivindicações de policiais militares desde o final da greve da categoria, no início de 2012. “O Governo entende que cumpriu todos os pontos acordados”, afirma o titular da Secretaria do Planejamento e Gestão do Ceará (Seplag), Eduardo Diogo.
As reivindicações estão reunidas no “Termo de Acordo e Compromisso”, assinado pelo Governo e por representantes de associações militares em 10 de janeiro de 2012.
O secretário critica os líderes dos militares, a quem se refere como “meia dúzia de pessoas que possuem motivações politiqueiras e criminalescas”.
Diogo também ataca a manifestação de esposas de PMs, realizada no último domingo, que impediu a saída de efetivo do Batalhão de Policiamento de Eventos (BPE). O titular da Seplag considera a atitude como “o ápice da injustiça e irresponsabilidade”. Para o secretário, a ação colocou em risco a segurança da sociedade no Dia das Mães, com um Clássico-Rei sendo disputado. “O Governo não tem vocação para ser marido traído confesso”, ironiza Diogo. E avisa: o Estado não será mais pego de surpresa por manifestações dos militares e garante que “usará o braço firme da lei” para evitar que episódios semelhantes à greve voltem a acontecer.
Outro lado
Os líderes das associações de PMs evitam falar em greve, mas consideram que o diálogo com o Governo está cada vez mais difícil. Presidente da Associação dos Praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (Aspramace), o soldado Pedro Queiroz afirma que o secretário mente ao dizer que todas as reivindicações foram atendidas.
A avaliação de Queiroz é de que o clima na tropa é muito semelhante ao do período que antecedeu à greve. “A insatisfação da categoria é dupla. Por não ter as demandas atendidas e se sentir enganada pelas autoridades”, diz o presidente da Associação de Cabos e Soldados Militares do Ceará (ACSMCE), Flávio Sabino.
Capitão da PM e presidente da Associação dos Profissionais de Segurança Pública do Estado do Ceará (Aprospec), o vereador Wagner Sousa (PR) informa que uma reunião agendada para ontem, no Cambeba, foi cancelada pelo Governo. “Não enviaram ofício nem comunicado”, diz o vereador. As associações também desconheciam a decisão de encerrar a mesa de negociação. Leia mais O Povo