Seguidores

Mostrando postagens com marcador disturbios. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador disturbios. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Brasil à beira da guerra civil!

  As manifestações pelo descontentamento da má prestação dos serviços públicos no Brasil, parece não ter fim. O que seria uma "marolinha", segundo o Lula, ganhou fôlego e agregou à pauta, outras reivindicações além dos ("caros") vinte centavos. Na realidade essas duas moedas de dez centavos foi como se fosse gasolina ateada ao fogo, e desejos represados, anestesiados pelo carnaval, futebol, desta vez foram insuficientes para domar o povo. Como diria novamente o Lula: "nunca antes na história desse país"...

Todos estamos perplexo sobre qual final terá essa história, ao mesmo tempo que sonhávamos por esse dia, em que as massas arrebentariam as amarras, vivemos um período conturbado, com atos literais de revolta, contra a omissão do Estado, a corrupção de seus governantes, e o sofrimento do povo.

 Não seria exagero se considerássemos esses pequenos focos de violência, como um prenúncio do que está por vir, caso as reformas exigidas não venham com a velocidade imposta pelas ruas. Se os políticos acharem que nos enrolarão novamente, com promessas, com vaselina...pagará o preço altíssimo, ao ver a quantidade de vândalos proliferaram por todo o Brasil.

Especialmente a presidente Dilma Rousseff, se achar que freará as massas como fez com policiais e bombeiros do Brasil que lutavam por dignidade e melhores salários via PEC 300; produzindo escutas ilegais, prisões arbitrárias, expulsões abusivas, saiba que na revolta não há regulamentos capazes de segurar as massas. E mais, qualquer tentativa de criminalizar o movimento, cai por terra pelo histórico de arruaça que alguns atuais petistas tiveram, nas condutas homicidas, na prática de roubos, na morte de agentes da segurança pública nos anos setenta. Qualquer partido ou político que queira criticar o movimento tem que se lembrar disso, como também deveria usar os serviços públicos para ter a real noção dos anseios da população.

Enquanto manifestantes morrem atropelados, comerciantes têm suas lojas depredas e objetos furtados, a polícia faz das "tripas" coração para consertar as cagadas dos governos, "seja de qual bandeira for", a população ganha fôlego, via redes sociais, que servem de informação e arma visando ajoelhar essa classe política que ignora a iminência de uma guerra civil.