Seguidores

Mostrando postagens com marcador escala. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador escala. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Militares de Timóteo - MG, reclamam da nova escala

Bom dia! Venho através deste e-mail solicitar aos senhores que lutem pelos militares em relação a nova escala.Chegou essa situação ate meu e-mail, de militares denunciando esse fato, inclusive onde mandaram a escala para confirmar o fato.

A nova escala foi implantada a partir de hoje no vale do aço (Timóteo), onde o militar trabalha 3 dias e sai as 07:00 da manhã tendo esse dia de descanso e 1 dia de folga.Isso e um absurdo, pois acabou com o convívio familiar do militar. Além de que esta escala deveria começar apenas a partir do dia 1º de novembro.

Divulgue no blog, face para não deixar passar batido essa situação.Vamos unir em denunciar essas situações.

Ajude os nossos companheiros contra essa situação que com certeza atingira todos os militares.

Agradecido pela atenção.

Fonte: noticiasdepm@gmail.com




sábado, 11 de maio de 2013

Regulamentação da jornada de trabalho pela Polícia Militar, é golpe branco contra Assembleia Legislativa


Foi publicada no BGPM 35, de 09 de maio de 2013, a nova resolução da jornada de trabalho na Polícia Militar, mas como podemos notar, já há muitas reclamações sobre algumas escalas, que mais se assemelham a um regime de semi-escravidão, como a que estabelece o turno de 12 horas de trabalho.

O mais interessante da resolução, é que se fizermos uma analise detida de suas disposições, chegaremos a fácil constatação, que em sua elaboração foi desconsiderado todos os princípios que norteiam a tradição histórica de luta e evolução das garantias trabalhistas que são conquistas de toda classe trabalhadora brasileira.

É claro, que o Comando da Polícia Militar, como sempre, usando de sua "competência e fúria legislativa", se antecipou deliberadamente à discussão, tramitação e aprovação do projeto de lei complementar 33, apresentado pelo Deputado Sgt Rodrigues, e que foi aprimorado e melhorado em sua redação original pelas emendas apresentadas pelo Deputado  Cabo Júlio, que foram elaboradas  atendendo à reivindicações dos policiais e bombeiros militares.

Não conseguimos compreender, como se pode admitir uma jornada de trabalho, que avilta a dignidade, viola a Constituição da República, fere a cidadania, provoca o isolamento social e familiar, e o adoecimento físico e psicológico, com graves consequências,  prejuízos e desmotivação para o exercício das atividades profissionais, e na segurança e proteção dos cidadãos.

É de se lamentar, mas sempre que acreditamos, que o Comando irá promover alguma alteração na legislação interna corporis, o que vemos como resultado final, é a afronta a princípios fundamentais que regem o estado democrático de direito, e viola garantias constitucionais, sem qualquer cerimônia, e o que se ouve como suposta justificativa, da cabeça dos iluminados da alta cúpula, é a supremacia do interesse público, mas vale lembrar que há outros princípios regentes e não menos importantes, que são de observância obrigatória, como o da dignidade humana, dentre outros que compõem o regime democrático e republicano, em que parece que estamos vivendo.

Não obstante, as críticas, o que o Comando deseja ou está querendo provocar com sua estratégia de legislar sobre o tema, nada mais é que uma ação para esvaziar e enfraquecer o debate e o trabalho que está em curso na Assembleia Legislativa, em que se está buscando a regulamentação da jornada de trabalho, dos excluídos e recém egressos do sono da cidadania, que são os policiais e bombeiros militares, os últimos servidores públicos, que não são protegidos do arbítrio e abusos políticos, que sempre ocorrem no manejo da elasticidade da jornada de trabalho, para atender nem sempre o tão decantado interesse público.

Chamamos atenção dos policiais e bombeiros militares, para manifestar sua indignação e descontentamento com está odiosa resolução, e que estejam prontos e mobilizados para comparecerem à Assembleia Legislativa, para apoiarem e pressionarem democrática e pacificamente pela aprovação do projeto de lei, que trata da regulamentação da jornada, pois assim conquistaremos a alforria da escravidão, que nos vem sendo imposta por longos anos, sem qualquer compensação para os excessos e sobre carga de trabalho, que se tornaram habituais e comuns nas instituições militares estaduais.

Não podemos ser sacrificados e exigidos, além daquilo que é humanamente possível para prover a segurança dos cidadãos, somos seres humanos que também necessitam de descanso para recompor as forças e energias para exercer com dedicação, zelo, e desprendimento o nobre mister de proteger e levar tranquilidade e segurança aos cidadãos de Minas Gerais.

Leia e opine sobre a nova resolução, e se mobilize para comparecer à Assembléia Legislativa para defender sua dignidade, e sua saúde.

José Luiz Barbosa, Sgt PM - RR/Blog Política Cidadania e Dignidade

Comento: Paranizo os militares, a iniciativa sábia e muito inteligente do nosso comandante geral da PMMG, Senhor Coronel Santana e saúdo a tropa que merecidamente fará júz a esse benefício, que para muitos parece simplório, porém é um marco nas relações trabalhistas na Polícia Militar de Minas Gerais. Especial agradecimento ao deputado Sargento Rodrigues, que foi quem levantou a bola e com o viés político pode pressionar via Assembléia, para a regulamentação da escala. A PMMG amanhece mais cidadã! O primeiro passo foi dado, em relação a melhor implementação, cabe as nossas lideranças classistas, os nossos políticos militares abrirem o canal de diálogo com o comando e levar a insatisfação da tropa, visando a melhor adequação das escalas.

domingo, 12 de agosto de 2012

PMs protestam contra mudança na escala de trabalho, em Goiânia

Eles dizem que estão sendo obrigados a estender a jornada de trabalho. Comando da PM nega que tenha obrigado os PMs a cumprirem o horário.


Policiais do Comando de Operações de Recobrimento da Polícia Militar (Core) fizeram um protesto na porta do 1º Batalhão, em Goiânia, na noite de sexta-feira (10). Os militares dizem que estão sendo obrigados a estender a jornada de trabalho.
Os 120 PMs que integram o grupo e 60 viaturas ficaram parados. Os militares alegam que receberam do comando a ordem para estender o expediente por mais três horas e que não foram avisados com antecedência sobre a mudança na escala de trabalho.
“Trouxeram para nós de maneira imposta a escala de 12 por 36 horas, que seria trabalhar em um dia e no outro não. Fora isso, ainda há a obrigatoriedade de trabalhar além do nosso horário”, reclama o sargento Santos.
“Perdi minha faculdade e meu direito de estudar. Essa situação está insustentável na polícia de Goiás. Toda a tropa está cansada e ninguém é voluntário para trabalhar nesse serviço. Trabalhamos com esmero e afinco e não temos nenhum reconhecimento”, destaca o soldado Vilas Boas.Continue lendo no G1 e assista o vídeo no G1

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Despedida do Coronel Sidney Araújo, ex-comandante do 32°BPM

Ex-comandante do Batalhão da PM em Uberaba, Sidney Araújo deixou o comando do 32º BPM em Uberlândia. Com tempo suficiente desde 2009 para seguir para a reserva, pediu exoneração após quase dois anos no cargo, segundo informações, por discordar com o comando regional daquela região relacionada à escala imposta à tropa. Agora, o coronel PM Sidney desde sexta-feira está na reserva. Não se sabe ainda quem assumirá o posto.



Fontes: http://www.jmonline.com.br
Blog Guerreiros de Uberaba