Seguidores

Mostrando postagens com marcador estupro. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador estupro. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Garotos “perderam a conta” dos estupros sofridos por tropas internacionais

GENEBRA – Relatos de crianças de nove anos revelam que as tropas internacionais enviadas à República Centro Africana promoveram estupros quase diários e até mesmo dentro de suas unidades militares, enquanto estavam sob o mandato da ONU para proteger os refugiados em total desespero em Bangui.
Este blog obteve trechos das entrevistas realizadas com as vítimas e que revelam que os crimes não ocorreram apenas de forma isolada. Na semana passada, a ONU afastou um de seus funcionários de alto escalão, Anders Kompass, sob a alegação de que ele entregou documentos confidenciais da investigação para a Justiça francesa, apontando para os responsáveis pelos crimes. Os soldados eram franceses e atuavam sob um mandato da ONU em 2014.
Entre maio e junho do ano passado, uma equipe das Nações Unidas entrevistou seis crianças nos campos de refugiados e que teriam sido alvos de abusos ou testemunhas. O que os relatos apontam é uma vida de terror. Segundo um garoto de apenas nove anos, os estupros contra ele eram frequentes. Em sua explicação, ele revela que “perdeu a conta” das vezes em que foi abusado. Em todas as ocasiões, a situação era parecida. Em troca de comida, ele era obrigado a se humilhar diante do soldado francês.
Os relatos apontam que os abuso ocorria em plena luz do dia. Um deles revelou que foi estuprado em uma rua, enquanto outro garoto contou que dois soldados alternavam entre quem o violentava e quem monitorava o local para impedir que fossem vistos. Continue lendo no Estadão

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Polícia Civil apresenta mulher (monstro) suspeita de permitir estupro da filha


 Uma mulher de 39 anos foi presa nesta quarta-feira (15), suspeita de facilitar que três homens abusassem sexualmente da filha de sete anos de idade. Solange Jardim de Moura foi presa quando saía do trabalho.
Os crimes teriam acontecido em 2012. O mandado de prisão contra a suspeita foi expedido em julho do ano passado, mas só agora a Polícia Civil conseguiu encontrá-la porque ela se mudou pelo menos três vezes neste meio tempo.
A menina que foi abusada está recolhida em um abrigo há pelo menos um ano e meio. Neste tempo, nenhum parente quis ficar com a guarda da criança e nem a mãe foi visitá-la.
A Polícia está investigando também uma acusação de abandono de incapaz e maus-tratos a criança. Durante o dia, a criança ficava trancada em casa sozinha e eram os vizinhos que forneciam alimentação para a menina.  À noite a mãe trabalhava e a criança ficava com homens que cuidavam dela.
Segundo a Polícia Civil, os homens eram amigos da mulher, frequentavam a casa e faziam uso de bebidas alcoólicas, além disso mantinham contato com a menina.
Solange nega o crime e afirma que não presenciou nenhum tipo de abuso contra a filha.

domingo, 7 de abril de 2013

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

PAI DE SANTO TENTA ESTUPRAR CRIANÇA DE 5 ANOS É LINCHADO



Mais uma vez a população cansada de tanta violência e de tantos crimes bárbaros tentam fazer justiça com as próprias mãos.Dessa vez foi em feira de santana estado da Bahia;Populares enfurecidos espancam e apedrejam e tentam de qualquer forma linchar um Pai de Santo,que segundo populares ele teria violentado uma criança de apenas 5 anos de idade;Os populares não se intimidam em espanca-lho e as chibatadas que este monstro pegou foi tudo gravado em vídeo Confira a Cena de espancamento.

Fonte:http://amigosdaguardacivil.blogspot.com.br

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

'Quem não reagiu está vivo', diz Alckmin sobre ação da ROTA

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) defendeu na manhã desta quarta-feira (12) a ação da Rota (Rondas Ostensivas Tobias Aguiar) que terminou com nove suspeitos mortos na terça-feira (11). "Quem não reagiu está vivo", afirmou Alckmin.


A operação ocorreu em um sítio em Várzea Paulista, cidade que fica a 54 km da capital paulista. Segundo a PM, uma denúncia anônima apontou que traficantes fariam no local o "julgamento" de um estuprador. CONTINUE LENDO NO G1

Comentário do blog: O "TRIBUNAL DO CRIME" serve para demonstrar o quanto nosso sistema judiciário é falido, lento, com leis arcaicas e anacrônicas. Quando é criada uma comunidade para fazer justiça é porque o Estado oficial já não existe há tempos. Esse estado fica vivinho da silva, na voracidade com que cobra os impostos e no desespero de se perpetuar no poder através do voto obrigatório. Passado a turbulência das eleições, tudo volta como era antes, caos, pânico e terror. A imprensa bem que podia visitar a família da garota que foi estuprada, mas, o sensacionalismo distorce as posições e "coitado" do estuprador...sequer foi identificado, para que outras eventuais vítimas fossem reconhecidas. Que ética é essa, onde quem vive a margem da lei, é que está zelando pelo nosso direito de ir e vir? Não vai demorar muito, irão fazer sindicatos...pois as milícias já existem...era dos bárbaros...ou olho po olho dente por dente...

terça-feira, 10 de julho de 2012

Dois soldados do Exército são presos suspeitos de estuprar adolescentes

Dois soldados do Exército Brasileiro estão presos no quartel de Quaraí, na Fronteira Oeste. Eles são suspeitos de estuprar duas adolescentes de 11 e 14 anos na sexta-feira.

Segundo a polícia, os dois homens, ambos de 19 anos, passaram em um carro em frente à escola onde as jovens estudam. Eles desceram do veículo e teriam amarrado as vítimas, levando até uma casa, onde praticaram o ato. De acordo com o delegado Roger Tavares, os soldados teriam estuprado as adolescentes e soltado as duas a cerca de 200 metros do lugar onde capturaram.

Atendendo chamado de testemunhas, a Brigada Militar chegou ao local e prendeu os dois em flagrante. Na delegacia, os soldados preferiram falar apenas em juízo. Procurado por Zero Hora, o 5º Regimento de Cavalaria Mecanizado informou que se manifestará nesta terça-feira.


Rafael Diverio

quinta-feira, 31 de maio de 2012

SGT DE TUPACIGUARA-MG É ACUSADO DE VIOLENTAR MENOR COM DEFICIÊNCIA



Um policial militar do município de Tupaciguara é suspeito de ter violentado sexualmente um adolescente de 16 anos, portador de deficiência mental moderada. De acordo com o menor, o sargento o buscava em casa de bicicleta levava para a casa dele. Lá, mandava que o adolescente tirasse a roupa e fazia sexo oral nele.

Ainda segundo o menor, o filho do policial, que estuda na APAE juntamente com a vítima, presenciava tudo. “Ele não fala e ficava agressivo”, disse.

A mãe, de 42 anos, afirma que o policial não saía da porta dela. “Ele falava que era pra deixar meu filho ir para a casa dele para nadar, joga sinuca e depois traria ele. Depois que ele fez essa barbaridade com meu filho, não veio mais aqui”, disse.

O pai, de 64 anos, não se conforma. “Eu estou muito decepcionado. Nunca esperava isso. Além de ele ser autoridade, é um pai de família. Deveria amparar e proteger as pessoas. Ele é até avô”, afirma.

O caso foi publicado no Jornal “O Independente”, de Tupaciguara, no dia 28 de maio. Na reportagem consta que o sargento deixava a arma em cima da mesa durante o ato sexual, ameaçando a vítima de morte a todo momento.

O Conselho Tutelar de Tupaciguara encaminhou denúncia à 254ª Cia PM, onde o sargento está lotado, e ao Ministério Público, “para prosseguimento a um possível processo criminal”, conforme divulgou “O Independente”.

Por telefone, o capitão Ramon, da PM da cidade, disse à nossa reportagem que o departamento policial vai tomar providências, mas não deu detalhes.

Fonte: UIPI

sábado, 7 de abril de 2012

MÃE É PRESA POR COMPRAR VIBRADOR PARA FILHA DE 13 ANOS

Em Divinópolis, município do interior de Minas Gerais, Sara Silva Oliveira Rios, de 42 anos foi presa na tarde de ontem por violação do artigo 224 do Código Penal. O referido artigo trata como estupro presumido quando menores de 14 anos são expostos a situações de natureza sexual, mesmo que aja consentimento por parte do menor.

Sara é mãe da menor P.S.O.R., estudante do oitavo ano do Ensino Fundamental da Escola Presidente Itamar Franco, e atleta da seleção juvenil de futebol feminino de Divinópolis. A menor havia pedido de presente de aniversário um vibrador para a mãe, que por ser adepta da sexualidade sem tabus comentou na loja com as vendedoras que era “pra embrulhar de presente, pois ela daria a filha”.

A vendedora da Sex-Shop que é professora no turno matutino, ministra aulas de Ensino Religioso para a filha de Sara, achou aquilo um absurdo e denunciou para o conselho tutelar a intenção da mãe. O Conselho Tutelar investigou o caso e flagrou a menor levando o presente para mostrar as amigas na escola.
Sara quando perguntada na delegacia se ela não se sentia responsável pela precocidade da iniciação sexual da filha, disse que a filha já possui vida sexual ativa desde os 12 anos e que o vibrador “seria apenas um plus a que toda mulher tem direito”.

Quando o delegado insistiu em questioná-la sobre a precocidade a resposta foi ainda mais assombrosa. Dr. Carlos Almeida Sobrinho perguntou: “O que você acha da sua filha aos 12 anos já ter vivido experiências sexuais com tantos homens?” Sara se resumiu a dizer: “Que bom que ela gosta do babado, né? Deus me livre ter uma filha que gosta de ‘lamber bife’. Deus me livre”.

Sara pode ser condenada a quatro anos de detenção e perder a guarda da filha. O pai preferiu não se manifestar sobre o caso. Disse apenas que não sabia sobre a vida sexual da filha e que acha estranho “uma menina que ainda brinca de bonecas pedir um presente tão estranho para a própria mãe”.

Fonte: Jornal Estado de Tocantins
Blog da Força Tática 

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

MP denuncia Major do Exército por exploração sexual de aluna do Colégio Militar

Major do Exército é denunciado pelo Ministério Público. Militar, de 41 anos, é suspeito de exploração sexual contra aluna de 14 anos que estudava na instituição em que ele estava lotado

O Ministério Público ofereceu denúncia contra um major do Exército por crime de exploração sexual e por divulgação e armazenamento de fotografia, vídeo ou outro registro de cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente. O oficial de 41 anos, que trabalhava no setor administrativo de uma instituição militar de Juiz de Fora, é suspeito de envolver-se sexualmente com uma estudante de 14 anos que estudava no local onde ele estava lotado. Indiciado pela Polícia Civil, ele agora é réu na Justiça comum, em processo que tramita na 1ª Vara Criminal no município. O fato ocorreu em 2010, quando o major, com mais de 20 anos na corporação, teria levado a menina para motéis da cidade em três ocasiões. O pai da adolescente registrou boletim de ocorrência ao encontrar, no celular da filha, mensagens românticas supostamente enviadas pelo major. Após o episódio vir à tona, o militar, que é casado, foi transferido para Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, embora o Exército negue qualquer relação entre o caso e a saída do oficial de Juiz de Fora. Ele poderá ser chamado a responder pelos crimes 218-B do Código Penal e 242-A e B do Estatuto da Criança e do Adolescente, que preveem pena de até dez anos em caso de condenação.

Procurado pela Tribuna, o 1º promotor de justiça, Marcelo Coutinho, disse que não poderia fornecer nenhum tipo de informação a respeito do processo, alegando que a ação tramita em segredo de Justiça. No entanto, no boletim de ocorrência registrado contra o major, no ano passado, o pai da adolescente revelou ter sido alertado sobre o envolvimento da filha com o militar por meio de uma amiga da estudante. De acordo com o histórico da ocorrência, o pai telefonou para o número registrado no aparelho celular da filha, e o major teria atendido à chamada, dirigindo-se à aluna de maneira íntima. Questionada pelos familiares, a garota confirmou aos pais que o relacionamento teria se iniciado em julho de 2010. Ainda de acordo com a informação dada por ela, as conversas entre eles teriam começado pela internet. Porém, após um dia de aula, o major teria beijado a menina. A aluna ainda relata que foi levada pelo major a motéis da cidade. O relacionamento teria sido mantido por cerca de cinco meses. Conduzida ao HPS, onde ela foi examinada, uma perícia médica constatou que a adolescente já havia mantido relações sexuais.

O Exército afirmou, ontem, que ainda não foi notificado da denúncia. No entanto, o relações públicas da 4ª Brigada de Infantaria Motorizada, tenente-coronel Carlos Henrique da Mota Couto, disse que, somente após a conclusão do processo, é que a instituição poderá agir. "Se o major for condenado em período superior a dois anos e a aplicação da pena for a restritiva de liberdade, o comando instaura um processo que poderá resultar na perda do posto e da patente. Mas isso só pode ser feito após a conclusão do processo na Justiça", explicou.

Tribuna de Minas/montedo.com/Blog Notícia da Caserna

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Cabo da PM é preso suspeito de cinco estupros em Campina Grande

Um cabo da Polícia Militar suspeito de praticar cinco estupros foi preso na terça-feira (20) em Campina Grande. O mandado de prisão preventiva foi expedido pelo juiz Brancio Barreto Suassuna, da 3ª Vara Criminal da cidade, a pedido da Delegacia de Repressão a Crimes contra a Criança e o Adolescente, que investiga as denúncias. Desde o momento da prisão, ele permanece detido na carceragem do quartel do 2º Batalhão da Polícia Militar.

De acordo com a delegada da Polícia Civil Alba Tânia Abrantes, as investigações contra o cabo começaram após a denúncia de uma adolescente de 16 anos, que disse ter sido sequestrada por ele nas proximidades de casa, no Centro de Campina Grande. Conforme o relato da suposta vítima, o policial a teria obrigado a entrar em um carro e a dopado com uma droga semelhante à do do golpe conhecido como 'boa noite, Cinderela'.Continue lendo no G1/Paraíba:>>>>>>>>>>

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Universitária de Minas sofre tentativa de estupro e preso é quase linchado



Uma estudante sofreu uma tentativa de estupro na noite desta quinta-feira dentro da Universidade Fumec, no Bairro Cruzeiro, Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Segundo informações de um aluno da faculdade, que preferiu não se identificar, o crime teria acontecido no banheiro da instituição. 


As primeiras informações são de que o agressor também seria aluno da Fumec, mas ninguém da universidade foi encontrado para comentar o caso. 

Um vídeo postado no Youtube mostra o momento em que o agressor deixa o campus acompanhado por policiais do 22º Batalhão da Polícia Militar




EM.COM.BR

Comentário do Blog: E depois ainda me aparece alguns retardados querendo restringir o  serviço da PM em áreas universitárias. Eles querem o quê? Que a PM distribua para esses alunos, pirulito de maconha?