Seguidores

Mostrando postagens com marcador exoneração. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador exoneração. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

DELEGADO É EXONERADO POR DIZER A VERDADE


Este policial e antes disto este homem. Foi exonerado do cargo de delegado diretor da deic no estado de Santa Catarina em abril. U
m ótimo profissional que sempre combateu o crime de frente.

Mas em entrevista coletiva ( Isto em abril deste ano ) após a prisão de assaltantes a caixas eletrônicos, ele deu uma declaração contundente:

— Se vierem para SC, podem ter certeza: vão ser preso ou ...mortos. Porque se vier para o confronto, nós vamos matar. — afirmou.

Foi exonerado do cargo por falar aos bandidos que não devem ir roubar em SC . pois iam se dar mal !........ Hoje ( Novembro ). Temos policiais baleados, carros baleados e delegacias baleadas por marginais importados de outros estados. ( coisa que nunca houve muito menos com tamanha agressividade em SC ) . 
.
A secretaria de segurança publica de SC, cheira a frauda de criança ! Não tinha e não tem coragem de fazer-se valer. E como sempre um policial de alma boa foi para a cruz. Para salvar o cargo de algum engravatado covarde.
.
" O TEMPO E SÓ ELE ... É O SENHOR DAS VERDADES "
.
WS.



domingo, 2 de outubro de 2011

Professor da UFU perde o cargo por improbidade administrativa

O professor do curso de direito da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) Renato Costa Dias teve a perda do cargo decretada pela Justiça Federal, em primeira instancia, na tarde desta sexta-feira (30). O pedido de exoneração foi feito pelo Ministério Público Federal (MPF) e o processo corre desde 2006, quando o MPF instaurou procedimento para investigar as reclamações das frequentes faltas do docente.

O MPF apurou que Costa Dias faltou por meses seguidos, durante dois anos, às aulas que deveria ministrar nas turmas do 4º ano do curso. A Universidade entrou com um pedido de afastamento em 2008, porém o professor encaminhou uma proposta de reposição da aula e justificou as faltas sendo motivos de saúde. Embora tenha se proposto, conforme apurou o MPF, Costa Dias continuou faltando.

O professor foi afastado do curso de direito em 2010, com a ação de improbidade administrativa em andamento, porém começou a dar aulas na Faculdade de Administração da UFU. Conforme o juiz responsável pela sentença, Gustavo Sorato, Dias sequer entregou os diários de classe referentes ao ano de 2007. “Por não dar as aulas e receber o salário, foi considerado que o professor teve um enriquecimento ilícito”, disse. Ele também terá de devolver o que recebeu indevidamente.

Procurado pela reportagem, Renato Dias disse não ter conhecimento da decisão judicial. “A história que tive conhecimento foi de uma denuncia, foi procedimento administrativo que virou ação judicial. A partir daí não tive mais noção”, disse. O docente ainda disse que irá se informar e ver “o que pode ser feito”, disse. O reitor da UFU, Alfredo Julio estava em Brasília e não também tinha conhecimento sobre o caso.

O juiz Gustavo Sorato disse que o processo ainda cabe recurso. “Ele pode recorrer nos próximos 15 dias. Caso contrário perderá o cargo”, disse.
 
Repórter: Renata Tavares
Correio de Uberlândia