Seguidores

Mostrando postagens com marcador furto. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador furto. Mostrar todas as postagens

domingo, 22 de setembro de 2013

Uberlândia: Diretor administrativo de penitenciária é acusado de furtar os presos



EXCLUSIVO.....
PRESOS FORAM FURTADOS DENTRO DA PENITENCIARIA PIMENTA DA VEIGA EM UBERLÂNDIA
DIRETOR ADMINISTRATIVO DA PIMENTA DA VEIGA, FURTOU 27,000.00 DO COFRE + RECEBIMENTOS DE PRESOS, E ESTAVA SACANDO DINHEIRO DO BANCO COM CARTÕES E SENHAS DOS DETENTOS. A CORREGEDORIA DE MINAS DISSE TER TUDO DOCUMENTADO E FILMADO.

SEGUNDO INFORMAÇÕES O DIRETOR FUGIU PRO RIO DE JANEIRO.

LÁ DE FORA DÁ PRA ESCUTAR OS PRESOS GRITANDO "E AINDA FALAM QUE LADRÃO SOMOS NÓS"...LADRÃO QUE ROUBA LADRÃO SERÁ QUE TEM PERDÃO...?

segunda-feira, 11 de março de 2013

Tenente Coronel é condenado há 4 anos de reclusão, por desvio de mantimentos


Desvio de 16 toneladas de carne. Coronel condenado a 4 anos de reclusão

Brasília, 5 de março de 2013 – O Superior Tribunal Militar (STM) condenou um tenente-coronel do Exército e um empresário por estelionato. Os dois forjaram notas fiscais e desviaram de um quartel do Exercito cerca de 16 toneladas de carne e outros gêneros alimentícios, que somaram prejuízos aos cofres público na ordem de 200 mil reais.

De acordo com denúncia do Ministério Público Militar (MPM), o Tenente Coronel O.S, entre 1999 e 2001, exercia a função de chefe do centro de operações de suprimento e era subcomandante do 3º Batalhão de Suprimento (3º B Sup), sediado na cidade de Nova Santa Rita (RS).

Ele centralizava a gerência das aquisições de suprimentos  adquiridos pelo quartel  e segundo os promotores, auxiliado por outros militares, tinham por hábito fazer liquidação de despesa sem que as mercadorias fossem entregues pelo civil M.S,  empresário que fornecia os gêneros ao Batalhão. Passava pelas mãos do oficial todo o recebimento de gêneros  recebidos pelo Exército de empresas vencedora das licitações, a exemplo de milhares de quilos de carne bovina e suína, creme vegetal, café torrado, arroz, feijão, farinha de mandioca e leite em pó, que seriam distribuídos a outros quartéis do Exército na região.

Ainda segundo a denúncia, a conduta do militar, em conluio com o dono da empresa,  possibilitou que as mercadorias, embora pagas, não fossem efetivamente recebidas pela unidade militar, acarretando a apropriação da diferença dos valores em favor dos acusados. A denúncia foi ofertada em setembro de 2003 contra os acusados e outros quatro militares.

No julgamento de primeira instância, na Auditoria de Porto Alegre, o tenente-coronel e o empresário foram absolvidos dos crimes de peculato e estelionato. Os juízes entenderam que o tenente-coronel O.S teria apenas cometido o crime de falsidade ideológica e o condenou à pena de um ano e três meses de prisão. Já o empresário e os demais militares foram absolvidos de todos os crimes. O MPM recorreu e pediu a condenação do tenente-coronel e do empresário pelos crimes de estelionato e peculato.

A analisar o recurso, a ministra Maria Elizabeth explicou que os acusados lançavam declarações falsas de recebimento de gêneros alimentícios de forma a possibilitar o indevido pagamento de valores, por liquidação antecipada, referentes a produtos não entregues, com a consequente apropriação do montante pecuniário. Em outra prática, atestavam e entregavam mercadorias em quantidade e qualidade inferiores à contratada pela Organização Militar.

“Incontestável o conluio dos corréus que, sistematicamente, causavam à Administração Militar um proposital descontrole fiscal. Valeu-se, o oficial, da desorganização da Unidade Militar onde servia, concentrando em suas mãos o efetivo controle do pagamento e do recebimento dos gêneros alimentícios, tendo, inclusive, destruído documentos para não deixar vestígios.”

Quanto ao civil, segundo a magistrada, não há dúvidas quanto ao seu envolvimento na fraude. “Atuou de má-fé, praticando atos ardilosos e enganosos, com o intuito de lesar o patrimônio público e ludibriar pessoas. Fraudou os contratos com a Administração no momento em que deixou de cumprir deveres e obrigações pactuadas”, afirmou a magistrada.

Em seu voto, a ministra acatou parcialmente o pedido do MPM e condenou o tenente-coronel à pena de cinco anos, dez meses e 16 dezesseis dias de reclusão, por incursão no art. 251 (estelionato) e o civil à pena de quatro anos e um mês de reclusão, também por estelionato. A condenação do oficial por falsidade ideológica na primeira instância foi mantida pelo Plenário do STM.

De Stm.jus

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

EXÉRCITO ESCLARECE FURTO DE MUNIÇÕES EM PIRASSUNUNGA-SP

Conforme publicado nesse Blog (clique aqui e reveja o caso), a atuação da Guarda Municipal de Pirassununga, foi o inicio de um desfecho impressionante que ocorreu após o furto no 13° Regimento de Cavalaria Motorizada de Pirassununga, onde foi mobilizada todas as forças policias para elucidação deste crime que agora você poderá acompanhar esse surpreendente desenrolar...

Fonte: Blog Amigos da Guarda Civil

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Tenente é acusado de furtar casa de traficante no Rio


O primeiro-tenente do Exército Luiz Octávio de Goes Freitas, de 28 anos, é acusado de furtar uma chopeira, de R$ 7,5 mil, e dois aparelhos de ar-condicionado, de R$ 1,2 mil e R$ 1,5 mil, da casa de um traficante e de uma família do Complexo do Alemão, no Rio.
O crime ocorreu em dezembro de 2010 e em janeiro de 2011, quando a Força de Pacificação expulsou o tráfico.
Após um ano e quatro meses, o Superior Tribunal Militar aceitou a denúncia do Ministério Público Militar. 
jornal "O Estado de S.Paulo".

domingo, 22 de abril de 2012

Processo por furto dependerá de representação

Ação condicionada

Ação penal por furto não mais será ação pública incondicionada. A mudança significa que o criminoso somente será processado no caso de a vítima representar perante a autoridade policial. A pena foi reduzida no anteprojeto do novo Código Penal para ir de seis meses a três anos de reclusão, para possibilitar a suspensão condicional do processo no caso de réus primários. Atualmente, a pena prevista é de um a quatro anos. O anteprojeto do novo código vem sendo elaborado desde outubro de 2011 e deve ser entregue ao Senado no dia 25 de maio, para tramitar como Projeto de Lei nas duas casas do Congresso Nacional. 
A aprovação da proposta foi feita pela comissão de juristas que elabora o anteprojeto do novo Código Penal. O relator da comissão, procurador regional da República Luiz Carlos Gonçalves, comemorou a mudança aprovada pelos juristas. “É uma proposta moderna que redefine o crime de furto no Brasil”, afirmou. A proposta considera furto a energia elétrica, água, gás, sinal de tevê a cabo e internet ou qualquer outro bem que tenha expressão econômica, além de documentos pessoais. Os juristas ainda mantiveram como causa de aumento de pena o furto praticado durante o repouso noturno e com destreza — que é a técnica desenvolvida para o crime. Ainda quanto ao furto simples ou com aumento de pena, a comissão definiu que a reparação do dano, desde que a coisa furtada não seja pública ou de domínio público, extingue a punibilidade, desde que feita até a sentença de primeiro grau e aceita pelo réu.

A comissão considerou como qualificados os furtos de veículos transportados para outro estado ou para o exterior, de bens públicos e aqueles cometidos em ocasião de incêndio, naufrágio e calamidade, os chamados saques. Nesses casos, a pena será de dois a oito anos de reclusão. Quando houver uso de explosivos no furto, a pena será de quatro a oito anos.

Dados do Departamento Penitenciário Nacional, do Ministério da Justiça, revelam que há no país 65 mil pessoas presas por furto. A ideia da comissão é promover uma descarcerização. O presidente da comissão, ministro Gilson Dipp, do Superior Tribunal de Justiça, classificou de degradante a situação carcerária no Brasil. “A comissão diminuiu a ofensividade do crime de furto, mas não desconsiderou furtos que podem ter gravidade, como o furto com uso de explosivos”, explicou o ministro, que preside os trabalhos da comissão.

A defensora pública Juliana Belloque observou que a comissão de juristas tem como foco a repressão a crimes violentos: “Alguém tem que sair para colocarmos outro dentro (dos presídios)”. A defensora esclareceu que as mudanças não foram por acaso. São uma construção que levou em conta, também, propostas encaminhadas pelo Ministério da Justiça à Câmara dos Deputados. Continue lendo no Blog Notícias da PC

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Polícia registra mais de 860 furtos no Rock in Rio (um festival de furtos)


A Polícia Civil registrou até as 22h deste domingo 863 queixas de furto na Cidade do Rock e imediações desde o primeiro dia de festival. Só nesta noite, 117 relataram furtos no Rock in Rio.
Até agora, a noite com mais registros de furto foi a do dia 25 de setembro, quando se apresentaram Metallica, Slipknot e Mötorhead. O número se explica pela grande quantidade de pessoas naquele dia, quando o policiamento ainda não havia sido reforçado.
No dia 29, quando o festival foi retomado, a Polícia Civil registrou 34 furtos. A noite que teve Stevie Wonder e Jamiroquai foi notadamente a com menos público, dia em que os serviços em geral funcionaram melhor. Após a folga de três dias, a segurança melhorou com a presença mais marcante da Polícia Militar e os serviços melhoraram consideravelmente.
O posto de polícia instalado nas imediações da Cidade do Rock também registrou furtos no dia 23 (185), dia 24 (126), dia 30 (122) e dia 1º (122). Ao todo, foram computados também 291 extravios.
Rock in Rio 4
Considerado um dos maiores festivais do mundo, o Rock in Rio cresceu, deixou o Brasil, mas retorna ao País em 2011 em sua quarta edição.
A festa da música começou na sexta-feira (23) com nomes renomados da música pop. No Palco Mundo, cantam Claudia Leitte, Katy Perry, Elton John e Rihanna. No sábado (24), foi a vez do rock pop de NX Zero, Stone Sour, Capital Inicial, Snow Patrol e do Red Hot Chili Peppers que agitaram o público.
Fechando o primeiro fim de semana do Rock in Rio 4, muito metal e peso com Glória, Coheed and Cambria, Motörhead, Slipknot e Metallica, no domingo (25).
A segunda bateria de shows começou na quinta-feira (29), com clima dançante e muito soul de Janelle Monáe, Kesha, Jamiroquai e o veterano Stevie Wonder. O pop novamente foi convocado na sexta-feira (30) ao som de Ivete Sangalo, Lenny Kravitz e Shakira.
Neste sábado (1º), o Maná, Maroon 5 e o Coldplay se revezam com os brasileiros do Skank e o cantor Frejat no palco mundo. A despedida do Rock in Rio 4 fica com Pitty, Evanescence, System of a Down e Guns N'Roses.

Repórter: Fernando Diniz
Terra/Jornal do Brasil
http://www.jb.com.br/rock-in-rio-2011/noticias/2011/10/03/policia-registra-mais-de-860-furtos-no-rock-in-rio/

terça-feira, 27 de setembro de 2011

PM DO 17º BPM É PRESO POR FURTAR CARRO DE POLICIAL CIVIL PARADO PERTO DA CABINE




Um cabo do Batalhão da Ilha do Governador (17º BPM), que não teve o nome divulgado, foi preso na noite de segunda-feira (26) suspeito de ter furtado o carro de outro agente da Polícia Civil. Segundo o comandante do 17º BPM, coronel Wolney Dias, o Honda Fit estava estacionado próximo à cabine onde o policial trabalhava.

De acordo com o comandante, o agente percebeu que a chave de seu carro não estava no local onde os policiais costumam deixar. Ao dar falta do objeto, ele correu para a avenida Brigadeiro Trompowski e constatou que seu veículo também não estava lá.

O agente retornou ao Batalhão e comunicou o ocorrido ao comandante do 17º BPM. Segundo Wolney Dias, uma investigação foi aberta juntamente com a equipe do setor de inteligência, que encontrou o carro estacionado diante da casa do cabo do mesmo batalhão, na Vila Valqueire, zona norte da capital fluminense.

- Assim que questionamos o cabo, ele confessou o crime.

O comandante do 17º BPM informou ainda que era o primeiro dia de serviço do agente, que havia sido transferido do Batalhão de Belford Roxo (39º BPM). Após a confissão, ele foi autuado durante a madrugada de terça-feira (27) por crime militar e levado para o Hospital Central da Polícia Militar, localizado no Estácio, zona norte da cidade, onde fez exame de corpo de delito.

G1-RIO

sábado, 24 de setembro de 2011

Rock in Rio: "Um festival de furtos"...


Posto policial tem fila para registro de furto de celular e carteira no festival. Até 1h, ao menos 75 pessoas registraram ocorrência de furto, diz delegado. 3 suspeitos foram presos; médica foi furtada 2 vezes no 1º dia do festival.
 Dezenas de pessoas se amontoavam em uma fila no posto da Polícia Civil, localizado em frente à Cidade do Rock, por volta da 1h deste sábado (24), para registrar o furto de celulares e carteiras dentro do Rock in Rio. As pessoas reclamavam de falta de policiamento e tentavam recuperar documentos, que foram encontrados abandonados pela polícia do lado de fora do festival.
Segundo o delegado Orlando Zaccone, responsável pelo posto policial do festival, pelo menos 75 boletins de ocorrência de furto haviam sido registrados até o horário. Três homens foram presos e outros estavam detidos para averiguação. “A situação está um caos. E muitas pessoas ainda aguardam para registrar o caso”, disse o delegado Zaccone ao G1.
Questionado sobre quem são os criminosos, ele respondeu: “Ouvimos várias versões, foi levantada a hipótese de que caiu um tapume e que pessoas de fora conseguiram ingressar. Também falaram que houve um roubo de ingressos de fãs que estavam vindo para o Rock in Rio e que estas pessoas se aproveitaram para furtar lá dentro”, acrescentou o delegado.
A médica Claudia Hidasy foi furtada duas vezes e, em ambos casos, registrou um boletim de ocorrência no posto policial. Na primeira vez, às 17h, um celular foi furtado do seu bolso da frente da calça. Às 23h, outro aparelho de telefone foi levado do seu bolso.

“Estou revoltada, isso é inacreditável. Fui roubada duas vezes no mesmo dia aqui dentro e ambas perto da roda gigante, na região da Rock Street. Falta policiamento aqui dentro”, disse ela, revoltada. A médica veio de Volta Redonda com os filhos para curtir a primeira noite do festival.

Tahiane Stochero/Do G1, no Rio