Seguidores

Mostrando postagens com marcador greve. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador greve. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Agentes penitenciários decidem greve em assembleia na quarta-feira


Os agentes penitenciários do Paraná vão realizar uma assembleia em Curitiba na próxima quarta-feira (17) para discutir a falta de segurança para a categoria e decidir se entram em greve. A assembleia já estava marcada pelo Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sindarspen) desde a quinta-feira passada, logo depois da rebelião que durou 14 horas no presídio de Cruzeiro do Oeste (região noroeste).
Depois disso, presos da Penitenciária Estadual de Piraquara 2, na região metropolitana de Curitiba, fizeram outra rebelião com dois agentes reféns, que terminou neste sábado (13). Segundo o sindicato, desde dezembro do ano passado, foram 20 rebeliões e 29 agentes penitenciários feitos reféns. Os agentes pedem investimento no setor, contratação imediata de pelo menos 1.800 novos agentes e melhores condições para os presos. O Sindarspen alerta para o perigo de motins em outras unidades penitenciárias do Estado.

quinta-feira, 6 de março de 2014

Trabalhadores da limpeza urbana do Rio desafiam prefeito e permanecem em greve





Mais imagens do ato da greve dos garis que percorre nesse momento as ruas do Centro do Rio de Janeiro. Os trabalhadores prometem continuar com a greve até que suas exigências sejam atendidas pela Prefeitura.


quarta-feira, 5 de março de 2014

Judicialização da política, direito de greve e o salário dos garis


Leia mais no jornal O GLOBO
LEIA "LIXO QUE TE QUERO LONGE" NO G1
Comento: Pode um trabalhador que lida com toda sorte de doenças, riscos de acidentes, contaminações, por mais humilde que seja a sua atividade, trabalhar por um salário desses é terrível. Daí alguns falariam: "pede pra sair". Mas, a qualidade dos serviços que eles prestam, ( e a greve nos mostra isso), é determinante para uma cidade asseada, cidadã e ecologicamente correta. Quanto o serviços por eles prestados fica a contento, o risco para a população é imenso.

A classe política vive o mundo das disputas por ministérios, cargos de confiança para seus asseclas e puxa-sacos, enquanto as leis ou regulamentações que os políticos deveriam votar, ficam esquecidas por décadas; como a regulamentação do direito de greve dos serviços essenciais. Daí surge o fenômeno conhecido como judicialização da política brasileira, onde a justiça faz o papel que os "representantes" eleitos pelo povo, não fizeram. Por isso criminalizam os movimentos sociais e situações como essas, ficam na mão de uma, duas pessoas decidirem o destinos de milhares, seja os trabalhadores grevistas, seja os cidadãos que sofrem as consequências da greve.

Parece que a ida da população às ruas em junho de 2013 não surtiu nenhum efeito prático na conduta leniente dos políticos do Brasil. Novos capítulos virão e vamos aguardar para ver até onde vai a paciência do brasileiro frente a corja, na sua grande maioria, de políticos que decididamente não representam o povo.

segunda-feira, 3 de março de 2014

Em greve, garis protestam na Central do Brasil e mandam prefeito "varrer sozinho" no Carnaval (welcome)


Osvaldo Praddo/Agência O Dia

Mais de 300 garis se reuniram na manhã desta segunda-feira (3), próximo à Central do Brasil, no centro do Rio, para protestar contra os baixos salários da categoria no município. Os manifestantes atacaram diretamente Eduardo Paes com gritos de “o prefeito vai varrer sozinho”, em referência à grande quantidade de lixo despejada nas ruas durante o Carnaval.
Em assembleia realizada pouco antes do protesto, cerca de 3.500 decidiram mantaer a greve, que já dura três dias. Alguns bairros da capital fluminense estão tomados de lixo, sobretudo, os locais por onde passaram os blocos no domingo (2) e o Sambódromo. A Comlurb (Companhia Municipal de Limpeza Urbana) conta com cerca de 15 mil garis.
Na Lapa, bairro boêmio da cidade, resíduos sólidos aglomeravam-se pelas calçadas, meios-fios e canteiros. O mau cheiro incomodava as pessoas que passavam pelas ruas. Durante a manhã, um grupo de garis da Comlurb, sem o uniforme, faziam a limpeza nos Arcos da Lapa. O turista inglês John Mills que veio ao Rio pela primeira vez para o carnaval não sabia da greve.
— Eles foram espertos por fazer a greve logo neste período, pois a cidade está realmente muito suja.
Bairros como Copacabana e Botafogo não apresentavam problemas com a limpeza urbana nesta manhã, com ruas limpas e lixeiras vazias.
Apesar da paralisação parcial, foram recolhidos no sábado (1º), segundo a Comlurb, 26 toneladas de lixo no Sambódromo e mais 4 toneladas em seus acessos.
Nos principais blocos de sábado, incluindo o tradicional Cordão da Bola Preta, foram recolhidas 79,2 toneladas de resíduos.
Reivindicações
O movimento grevista reivindica ajuste salarial de R$ 803 para R$ 1,2 mil, aumento no valor do tíquete-alimentação diário de R$ 12 para R$ 20, pagamento de horas extras para quem trabalhar nos domingos e feriados, como previsto em lei, e melhores condições de trabalho. Eles fizeram um protesto ontem na sede da prefeitura.
No sábado (1º), o TRT-RJ (Tribunal Regional do Trabalho do Estado do Rio de Janeiro) declarou a “abusividade e ilegalidade” de qualquer movimento de paralisação dos garis vinculados à Comlurb. O Sindicato e Comlurb não reconhecem a greve. A Companhia informou por meio de nota que está em negociação com o sindicato da categoria “como faz todos os anos no período do acordo coletivo”. Até o fechamento desta matéria a Comlurb não havia se manifestado sobre a paralisação nem sobre as providências para solucionar o problema do lixo.
R7

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Policiais Federais aprovam indicativo de greve


Arquivo
Representantes de sindicatos dos policiais federais de todo o País aprovaram nesta quarta-feira (29) indicativo nacional de greve para 9 mil servidores, incluindo agentes, escrivães e papiloscopistas. 

O calendário de paralisações para fevereiro foi aprovado, será gradativo e já está sendo planejado o direcionamento político de todos os atos públicos. 

"Não estão sendo planejadas simples paralisações, pois queremos verdadeiras campanhas de conscientização da sociedade. Sempre buscamos o debate com o Governo Federal, mas a situação se tornou insuportável, pois somos os únicos servidores públicos da história do Brasil com sete anos de congelamento salarial, e é evidente que a Polícia Federal está sendo sucateada como forma de castigo pelas operações que fez", afirmou José Carlos Nedel, diretor de estratégia sindical da federação. 

A federação nacional dos policiais federais anuncia que a agenda de paralisações será confirmada em assembleias estaduais nos próximos dias 4 e 5.


terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Agentes penitenciários ameaçam entrar em greve

Agentes penitenciários do Maranhão ameaçam entrar em greve em meio à crise que mobilizou os governos federal, estadual e o Poder Judiciário para tentar encontrar soluções para os problemas no sistema prisional maranhense. Uma assembleia geral foi convocada para a tarde da próxima quarta-feira (22).
Segundo o vice-presidente do Sindicato dos Servidores do Sistema Penitenciário (Sindspem), Cezar Castro Lopes, a ameaça de greve é uma resposta a uma iniciativa da Secretaria de Justiça e Administração Penitenciária do Maranhão (Sejap). Esta semana, a secretaria publicou no Diário Oficial uma portaria que, segundo Lopes, transfere para o Grupo Especial de Operações Penitenciárias (Geop), da Sejap, a responsabilidade integral pela segurança dos estabelecimentos prisionais estaduais.
Segundo o Sindspem, os agentes penitenciários estaduais passarão a cuidar apenas da escolta de presos convocados para audiências judiciais e da custódia de detentos hospitalizados. A segurança dos presos no interior dos presídios será feita apenas pelo Geop.
Entre as unidades afetadas pela medida estão o Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Maior estabelecimento prisional do estado, Pedrinhas abriga 2.200 detentos em 1.700 vagas. De acordo com relatório do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), só no ano passado, 60 detentos sob custódia do estado foram assassinados no interior do complexo.
Publicado em: 20/01/2014 jornalpequeno.com.br

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

PC MG: Notícias da Lei Orgânica: Deputados não comparecem e apreciação do projeto é adiada

facebook.com/Sindpol Policia Civil-mg

Notícias da Lei Orgânica: Deputados não comparecem e apreciação do projeto fica para próxima terça-feira 22, categoria indignada interrompe o trânsito e queima caixões.

Descumprindo o compromisso firmado, com base governista e também da oposição Parlamentares não comparecem em plenário em quantidade necessária para apreciação do projeto 023/2012 que contém a lei orgânica da PCMG. Eram necessários 39 dos 77 votos para aprovação da matéria, uma vez que, regimentalmente trata-se de lei complementar cuja apreciação exige maioria absoluta dos pares.

Não obstante, o fato do referido projeto tão esperado pela categoria não contempla in totum as reivindicações dos trabalhadores da PCMG. Havia um clima de grande expectativa, uma vez que, a categoria vem sustentando o movimento paredista de greve há mais de 4 meses por causa desse projeto. Logo a insatisfação e frustração foi geral. Muitos ali presentes indignados queimaram caixões na Rua Rodrigues Caldas interrompendo o trânsito por cerca de 2 horas causando grande congestionamento. Segundo o Deputado Sargento Rodrigues e também Deputado Evair Nogueira que presidiu a sessão, por ausência de quórum está pautado para a próxima terça-feira às 09:00 onde se espera que o projeto seja em fim aprovado. Em seu pronunciamento o Deputado Sargento Rodrigues corroborou pedindo voto e declarando apoio à emenda do Deputado Rogério Correa que será apresentado em plenário instituindo a relação entre a maior e a menor remuneração na Polícia Civil (1/3). Posicionamento que recebeu aplausos efusivos dos Policiais presentes nas galerias.

O Movimento cresce e ganha corpo


Durante todo o dia desta quarta-feira, foi grande e numerosa a participação de servidores públicos do segmento da Educação e da Saúde e ali também montaram acampamento em sinal de protesto. Todos indignados com o a postura do Governo em descumprir a lei que estabelece a política remuneratória dos servidores que deveria ser aplicada nesse mês de Outubro, porém o Governo descumprindo o que ele mesmo aprovou no último dia 26/09 anunciou índice zero de reposição das perdas salariais dos trabalhadores.

Vocês acreditam? Tirem suas conclusões...

quarta-feira, 10 de abril de 2013

ASSEMBLEIA GERAL DO PMs e BMs da BAHIA DIA 11/04/2013, ÀS 15 HORAS, GINÁSIO DOS BANCÁRIOS, SALVADOR


Via torpedo Capitão Tadeu confirma presença na Assembleia Geral dos Policiais! 


Movimenta os quartéis de todo o Estado a expectativa dos policiais baianos para a 1ª ASSEMBLEIA GERAL de 2013 convocada pelo vereador de Salvador Soldado Marco Prisco que ocorrerá amanhã, dia 11/04, às 15 horas no Ginásio dos Bancários (SSA).

O deputado estadual Capitão Tadeu confirmou há pouco, presença via torpedo (celular).

Se o governador insistir em ignorar os verdadeiros anseios da PM, o bicho vai pegar!

Seis meses para avaliar uma pauta é sacanagem!

Vai bombar a Assembleia! Participe, mobilize-se!

Blog Bizú de Praça

sábado, 23 de março de 2013

Servidores da Justiça no Triângulo Mineiro aderem a greve



O 1º dia de Greve em Uberlândia foi marcado por manifestação em frente ao Forum! — com André Eustáquio Borges FilhoSinjus Mg e Oficiais Sindojusem Fórum Abelardo Pena - Pça Professor Jacy De Assis S/n - Centro.

facebook.com/fredamorim

Servidores do Judiciário de Uberaba eItuiutaba, no Triângulo Mineiro, aderiram ao movimento e entraram em greve nesta sexta-feira (22). A paralisação é por melhores salários.

De acordo com os grevistas, apenas casos de emergência, como cumprimentos de mandados de prisão e apreensão, bem como processos relacionados à saúde serão atendidos.

Segundo os organizadores da paralisação, em Ituiutaba apenas 30% de cada setor está em funcionamento e a greve é por tempo indeterminado. Além do aumento salarial, algumas correções em planos de carreira estão entre as reivindicações. No fórum da cidade, cerca de 60% dos servidores cruzaram os braços. Em Uberaba, segundo o sindicato da categoria, 75% dos servidores entraram em greve.


G1 - Triângulo Mineiro

domingo, 10 de março de 2013

CAMINHONEIROS PODEM PARAR DIA 1° DE ABRIL

Olá, bom dia a todos venho aqui dizer que precisamos urgente provar a todos a nossa força, que precisamos de socorro. Aos poucos estamos sendo banidos da rodagem com alimento, petroleo, pecas, mão de obra sem estradas, sem frete. Assim, aos poucos estaremos banidos pela nossa governanta Dilma. Vamos fazer uma greve de verdade, organizada em nossas casas e deixa que sintam nossa falta e o valor que deveriam nos dar com petroleo mais em conta, peças de reposicao. Vamos parar em abril no dia 1° do mês, em nossas casas. Pelo amor de deus gente!!! Precisamos fazer isso enguanto há tempo...destribua isso aos amigos estradeiros abracos a todos!

Comentário anônimo, recebido pelo blog.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Agentes de trânsito paralisam atividades em Campina Grande


Os agentes de trânsito da Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos de Campina Grande (STTP) decidiram paralisar as atividades nesta segunda-feira (10), já que a STTP não pagou os salários relativos ao mês de novembro. Em assembleia realizada na última quinta-feira (6) os agentes decidiram começar a paralisação e enviaram a informação para a superintendência.
De acordo com o sindicato da categoria, o ofício informando a intenção e o motivo da paralisação foi encaminhado na quinta-feira (6) ao Superintendente da STTP, Salomão Augusto. Segundo o presidente da Associação dos Agentes de Trânsito, Fábio Farias, a decisão foi tomada pela ampla maioria dos agentes e reflete a indignação com o descaso com que a STTP e a prefeitura vêm tratando a categoria. CONTINUE LENDO NO G1

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Brasília: Regras para greve de servidor.


Autor(es): ANTONIO TEMÓTEO » VERA BATISTA

Governo discute proposta a ser enviada ao Congresso que deverá incluir veto a paralisação de policiais, como nas Forças Armadas, e garantia de serviços mínimos
Considerada uma das prio­ridades do governo fede­ral, a elaboração das dire­trizes da Lei de Greve co­meça a tomar corpo. O Executivo pretendeenviar para o Congresso Nacional até o fim do ano uma minuta de projeto para regula­mentar as relações entre a União, servidores e sociedade. Serão deli­mitadas regras para paralisações, piquetes e percentual mínimo de trabalhadores que devem manter as atividades. Uma das propostas mais polêmicas das que são co­nhecidas até agora é a de proibir a greve de policiais, como ocorre hoje com as Forças Armadas.

As discussões a respeito do texto têm ocorrido semanalmen­te entre representantes da Advo­cacia Geral da União (AGU), da Casa Civil, da Secretaria-Geral da Presidência da República e do Mi­nistério do Planejamento. Parte dos itens em debate foram apre­sentados ontem durante o 87° Fó­rum do Conselho Nacional de Se­cretários de Estado da Adminis­tração (Consad), em Brasília.

De acordo com o secretário executivo adjunto do Planeja­mento, Valter Correia, o grupo de trabalho pretende propor que os servidores só possam cruzar os braços se apresentarem uma pau­ta reivindicatória e se houver ne­gociação prévia. Além disso, os técnicos avaliam ser necessário aprovar um indicativo de greve com comunicação prévia à admi­nistração pública. Deverá ser obri­gatório, ainda, declarar o compro­misso em assegurar a continua­ção de serviços essenciais.

Correia disse que precisa ser definido quais são as áreas essen­ciais e qual o percentual mínimo para a manutenção do serviço. Ele ressaltou que outra polêmica a ser resolvida é a possibilidade de o governo contratar temporá­rios, pessoas jurídicas ou com­partilhar a execução dos serviços com outros órgãos, mediante convênio, caso haja descumpri- mento dos percentuais mínimos que serão fixados .

“Outra questão, que já é consti­tucional, é a proibição do exercí­cio de greve por membros das Forças Armadas. E está em discus­são até que ponto isso se estende para as polícias civil, militar e o corpo de bombeiros”, destacou.

O secretário-executivo do Pla­nejamento ressaltou que a dife­rença entre oprojeto em discus­são no governo e os que tramitam no Legislativo é que no mesmo instrumento será regulamentada a Convenção 151 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), da qual o Brasil é signatário. O tra­tado internacional regula a nego­ciação coletiva entre trabalhado­res da União, estados e municí­pios, sobre a proteção contra vio­lação da liberdade sindical e da independência dos sindicatos em relação aos governos.

Fonte: Correio Braziliense.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

"JUSTIÇA MATANDO O DIREITO DE GREVE"



Para manutenção da ordem pública, forças 
da Segurança Nacional poderão ser acionadas

A 3ª Vara da Fazenda Pública declarou, na tarde desta quarta-feira, dia 10, a ilegalidade da greve dos integrantes da carreira de agentes penitenciários do DF. A decisão atende pedido de antecipação de tutela feito pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e determina o retorno imediato dos serviços prestados pela categoria, principalmente as escoltas e visitas de parentes aos presos.
Para assegurar o cumprimento da decisão, a Justiça determinou que os agentes penitenciários em paralisação sejam substituídos por outros servidores pertencentes à Secretaria de Segurança Pública (SSP). Caso o efetivo não seja suficiente, está autorizada a requisição das forças da Segurança Nacional, para que haja garantia da segurança e ordem dos estabelecimentos prisionais do DF, enquanto durar a greve. O objetivo é que não haja prejuízo à ordem pública.
De acordo com o pedido feito pelo MPDFT, a suspensão de serviços como visitas dos familiares, escoltas e banho de sol dos presos torna o Estado refém da greve, com risco de rebelião. Para o órgão, não foram respeitadas as condições mínimas de manutenção da massa carcerária.

Fonte: AGEPEN-AC/MPDFT

terça-feira, 21 de agosto de 2012

EM GREVE, PRF SÓ ATENDERÁ URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NAS ESTRADAS DE MINAS


A categoria reivindica reajuste, exigência de nível superior para policial rodoviário federal, adicional noturno e de insalubridade e reestruturação da carreira.

O atendimento de ocorrências de acidentes nas rodovias federais de Minas Gerais só serão feitos em caso de urgência e emergência. O anúncio foi feito na tarde desta terça-feira pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) que está em greve desde ontem. Com a medida, nas batidas que não causarem vítimas, e sim danos materiais, os envolvidos terão de seguir até um posto mais próximo da corporação para fazer o boletim de ocorrência.

De acordo com Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais no Estado de Minas Gerais (SINDPRF-MG), os casos que representarem perigo à vida serão atendidos normalmente. O sindicato faz um alerta para motoristas que se envolverem em batidas sem vítimas para retirar os veículos da pista e evitarem novos acidentes. Durante a paralisação, também não será feita a escolta de cargas, entrega de boletins de ocorrência e de extrato de multas.

O número de policiais nas estradas não sofrerá alteração. Isso porque, segundo o sindicato, a quantidade de agentes que trabalha na malha rodoviária do Estado é inferior ao necessário. CONTINUE LENDO NO BLOG DO LOMEU

domingo, 19 de agosto de 2012

Advogados da União também podem entrar em greve nos próximos dias

Brasília  - O presidente da Associação Nacional dos Advogados da União (Anauni), Marcos Luiz da Silva, disse hoje (18) que a categoria poderá decretar greve a partir da próxima semana, se considerar insatisfatória a proposta do governo, de reajuste de 15,8%, a ser pago até 2015. Silva esteve reunido na tarde de hoje com o secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça.

“Entendemos que a proposta sequer repõe a inflação do período. A ideia é levar a proposta para as bases, onde já há um sentimento de um certo repúdio à proposta apresentada. Temos a expectativa de uma reação da base, podendo inclusive haver deflagração de greve”, disse o representante dos advogados da União, que são cerca de 1,7 mil em todo o país.
Também participaram da reunião representantes de procuradores federais e defensores públicos.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

NOVO ATAQUE DOS SERVIDORES POR SALÁRIO


Servidores do Judiciário vão iniciar um processo de pressão para que o STF julgue os chamados “mandados de injunção” para revisão dos salários.
Na prática, são processos que estão na Corte e pedem que a Constituição seja cumprida no que diz respeito à necessidade de recomposição salarial anual dos servidores com base num índice único.
Os servidores acreditam que a revisão salarial feita dessa forma seria muito maior que o aumento que eles pedem ao governo.

Por Lauro Jardim/Blog Radar online - Veja