Seguidores

Mostrando postagens com marcador insegurança. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador insegurança. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Segurança Pública do Rio em crise financeira, política, moral

   Depois da onda de roubos sucessivos no Rio de Janeiro, estado que vai sediar as Olimpíadas 2016, o governador "Pezão" resolveu dividir a culpa para os altos índices de crimes com a justiça. Segundo ele a polícia está fazendo o seu trabalho apesar das dificuldades. Inclusive irá contratar mais centenas de pms e policiais civis, mas, se a justiça manda soltá-los...Analisando a fala do governador até poderíamos dizer que ela está correta, que seria uma "verdade". Seria! Assim como não é verdade que o desarmamento da população soluciona os crimes.

   O PMDB, partido do governador, está no poder desde 2002, sempre apoiando a política fracassada de segurança do partido dos trabalhadores. Aliás, eles têm a maioria tanto no Senado como na Câmara de Federal. E aí, de que adianta essa maioria governador? Os juízes trabalham com leis. É redundante, mas, todos sabem que a justiça não cria leis. No máximo vota pautas polêmicas e por vezes impopulares, quando a hipocrisia política não quer encarar determinada polêmica. 

   Outra falácia que parte da mídia, muitas financiadas pelos governos não querem admitir, é que o desarmamento dos civis não tem relação nenhuma com os altos índices. Se assim fosse não veríamos ou viveríamos na idade da pedra com criminosos atacando suas vítimas com facas. De que valeu o referendo de 2003 que disse Não ao desarmamento? (Clique e leia mais sobre o referendo). Não é uma democracia? A vontade popular não deveria, em tese, ser respeitada? A voz do povo nesse caso, decididamente não foi a "voz de deus".

   Então governador do Estado do Rio de Janeiro, o senhor deveria era pressionar a bancada do PMDB no Congresso Nacional, especialmente o presidente da Câmara Federal, deputado carioca Eduardo Cunha, do mesmo partido do senhor, para que se mexa e vote as reformas de que tanto o país clama. Fazer teatro, jogo de cena para as emissoras e o povão desinformado já não faz efeito. O povo está sentindo literalmente na pele as consequências da inércia sua e de seu partido. Enquanto isso as verbas de gabinete dos deputados foram aprovadas. Enquanto isso os helicópteros das polícias estão parados por falta de recursos (lei mais...) para pagar as empresas que fazem as respectivas manutenções. Enquanto isso o senhor Secretário de Segurança Pública do mesmo Rio José Mariano Beltrame, está denunciado pelo Ministério Público pela compra de várias viaturas, em tese, com preço superfaturado. 

   Que se faça justiça governador...

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Vídeo: Marginal tenta roubar lotérica e é alvejado por policial em João Pessoa

Dois bandidos em uma moto tentaram assaltar uma casa lotérica na avenida principal do Castelo Branco, em João Pessoa (PB), mas foram baleados por um policial militar a paisana, que estava no local.

Um dos bandidos baleado caiu em frente à lotérica e o outro tentou fugir na motocicleta, mas quando estava na BR-230 caiu em decorrência dos ferimentos à bala. Os dois foram levados por ambulâncias do Samu para o hospital de Trauma da Capital.

Dilma prometeu segurança total na “Copa das Copas”, mas PF diz que não há efetivo para proteger todos

Dilma prometeu segurança total na “Copa das Copas”, mas PF diz que não há efetivo para proteger todos
Em recente encontro com o presidente da Fifa, Joseph Blatter, Dilma procurou tranquilizar os dirigentes do futebol mundial sobre a preparação da Copa do Mundo no Brasil, e sobre as ameaças de protestos violentos nas ruas durante o evento. Dilma disse a Blatter: “a obra dos estádios é o mais simples. Podem vir ao Brasil. Vocês serão recebidos de braços abertos. Estamos preparados. O governo terá todo o empenho para que essa seja a Copa das Copas”.
Matéria divulgada pela Presidência da República, logo depois do encontro entre Dilma e Blatter na Suíça, afirma que o governo federal já investiu R$ 850 milhões em atividades de segurança para os grandes eventos, que se estendem até a Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro. O governo, que projeta um público de cerca de 600 mil turistas estrangeiros circulando no Brasil entre os meses de junho e julho, afirma que o legado dos investimentos em segurança será a total modernização da atividade policial no País.
O discurso do governo Dilma em relação à segurança para a Copa, entretanto, é desmentido pelos próprios profissionais que atual diretamente na proteção de autoridades, atletas e também turistas. Reportagem da CBN, reproduzida pelo site da Fenapef, revela que agentes federais estão apreensivos com a proximidade da competição, e dizem que não há pessoal nem estrutura suficientes: são 32 delegações estrangeiras, além de presidentes e ministros de vários países. A Polícia Rodoviária e a Polícia Federal, além de estradas, aeroportos, fronteiras, combate ao terrorismo, devem assumir a escolta dos visitantes.

Jones Leal, presidente da Confederação Nacional dos Policiais Federais, em entrevista à CBN, falou que a missão das forças federais de segurança é quase impossível: “Nós não temos condições de atender com segurança à sociedade e às delegações estrangeiras. E nós temos as nossas delegacias. Como ficaria? Abandonaríamos superintendências e delegacias que hoje já trabalham com efetivo mínimo? É uma situação muito difícil.”

De acordo com a reportagem da CBN, a Polícia Federal diz que hoje tem dez mil agentes. Ao menos 500 deles estão afastados por problemas psicológicos e de saúde. Na Polícia Rodoviária Federal, o contingente é parecido, e mil novos policiais aprovados em concurso deverão integrar o efetivo, mas sem resolver a falta de pessoal e de condições de trabalho, segundo o presidente da Federação dos Policias Rodoviários Federais, Pedro Cavalcante.
“Tem muitos postos onde falta água. Não há comunicação entre a gente. Uma coisa notória na PRF é a carência de policiais para o dia a dia. Imagina para trabalhar em eventos como Copa do Mundo e Olimpíadas”, afirma Pedro.
Diante da possibilidade de manifestações durante os jogos, o trabalho das polícias estaduais será crucial. Além da escassez de pessoal – nas manifestações de junho passado houve policiais militares com escala dobrada -, há falta de motivação entre policiais federais, rodoviários e militares.
 por Eduardo Mota – Assessoria de Imprensa/alvarodias.com.br

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Faroeste Caboclo: 16 das 50 cidades mais violentas do mundo são brasileiras (welcome)

Em 2012 eram 14 cidades; no ano de 2013, 15. Em 2014, o relatório anual da ONG mexicana Conselho Cidadão Para a Segurança Pública e Justiça Penal adicionou mais um município brasileiro ao ranking de 50 cidades com maior índice de homicídios do mundo.
A maioria das “mais violentas” está no continente americano (46 cidades), e na América Latina, em particular (41). Os países latino-americanos com maior problema de violência são Honduras, Venezuela, Guatemala, El Salvador, México e Brasil.
Com uma taxa de 187 homicídios a cada 100 mil habitantes, a cidade hondurenha de San Pedro Sula ocupou pelo terceiro ano consecutivo a liderança do ranking. O segundo lugar fica com Caracas, capital da Venezuela, e, em terceiro, Acapulco, no México, com taxas de 134 e 113, respectivamente, a cada 100 mil habitantes.
Saíram da lista as seguintes cidades que figuravam na lista de 2012: Brasília e Curitiba, no Brasil; Barranquilla, na Colômbia; Oakland nos EUA e Monterrey no México. Todas estas tiveram taxas inferiores ao 50° colocado, Valencia, na Venezuela
As 16 cidades brasileiras que estão na lista são:
- Maceió (AL) com 79,8;
- Fortaleza (CE) com 72,8;
- João Pessoa (PB) com 66,9;
- Natal (RN) com 57,62;
- Salvador (BA) com 57,6;
- Vitória (ES) com 57,4;
- São Luís (MA) com 57,0;
- Belém (PA) com 48,2;
- Campina Grande (PB) com 46,0;
- Goiânia (GO) com 44,6;
- Cuiabá (MT) com 44,0;
- Manaus (AM) com 42,5;
- Recife (PE) com 36,8;
- Macapá (AP) com 36,6;
- Belo Horizonte (MG) com 34,7 e
- Aracaju (SE) com 33,4.
 Abaixo, confira a lista completa:

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Mais uma agência bancária é explodida em Uberlândia MG (a 50 metros do batalhão PM)

Casa do ministro Gilmar Mendes é assaltada


A casa do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, localizada na MI 6, no Lago Norte, área nobre de Brasília, foi assaltada por volta das 18h30 desta quinta-feira (16). Dois adolescentes são suspeitos do roubo. Eles levaram, pelo menos, equipamentos da academia de ginástica do ministro.

A Polícia Militar agiu rápido. Recebeu a denúncia de um vizinho e poucos
 minutos chegou ao endereço da mansão, no Conjunto 1. Uma equipe
 do Águia 40 (Paranoá) juntamente com o GTOP 44 (Varjão e Lago
 Norte) cercou o imóvel e deu voz de prisão aos ladrões. ...

Para surpresa do militares, os autores do roubo eram dois garotos.
 Um tem 12 anos e comparsa 13 anos. Eles foram levados para a 
Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA 1), na entrequadra
 204/205 Norte.

Policiais da unidade, estão neste momento fazendo diligências com 
os ladrões mirins para tentar recuperar todos os objetos levados da
 mansão de Gilmar Mendes. A delegacia não forneceu destalhes do
 roubo e também não informou o que foi levado da residência do ministro.

No entanto, uma fonte afirmou que os ladrões entraram pelo menos
 na academia de ginástica da residência e levaram equipamentos.
 “Ainda estamos fazendo o levantamento, mas existe a possibilidade
 do envolvimento de outras pessoas no roubo. Há indícios de que elas
 sejam moradoras no Paranoá, cidade onde os suspeitos moram”, disse.

A audácia do roubo, mostra a falta de segurança que o brasiliense vive.
 Uma vizinha do ministro, que pediu para não ter o nome divulgado,
 afirma que não existe policiamento na quadra apesar de ser a residência
 de um ministro. “Dificilmente aparece uma viatura fazendo ronda
 aqui”, disse. “Nós estamos à mercê dos bandidos e corremos risco
 sempre que saímos ou chegamos em casa”.

Um policial militar, envolvido na ocorrência disse que no momento do
 roubo o ministro não estava na mansão. É possível que como o STF
 está em recesso, Gilmar Mendes esteja viajando com a família. Um
 homem que pode ser servidor do Supremo acompanhou o caso na 
delegacia, mas não comentou o roubo.

Peritos do Instituto de Criminalística (IC) da Polícia Civil, estão
 fazendo levantamento na tentativa de encontrar impressões
 de outros possíveis suspeitos. A polícia continua a investigação
 do caso.
Fonte: Blog Rota de Segurança/Redação - 16/01/2014

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Nota dos Agentes Federais do Maranhão:Homicídios cresceram 460% em três anos

Foto de Agente Federal Flavio Moreno.
É ANTIGA, PREOCUPANTE E CAÓTICA A SEGURANÇA PÚBLICA NO Maranhão e país! O colapso no sistema de segurança pública no MA: entre 2000 e 2013, o número de homicídios na capital e região metropolitana cresceu 460%.


Em meio à crise que é antiga, a Governadora Roseana Sarney compra 80 kg de lagosta.

Agentes Federais do Maranhão me enviaram por WhatsApp e compartilho com vocês. 

NOTA DOS AGENTES FEDERAIS:

"É com grande tristeza que nós, Agentes de Polícia Federal do Maranhão, lamentamos a escalada de violência em São Luís. A insegurança que tranca a sociedade em casa e coloca diariamente o Maranhão nos telejornais nacionais nos deixa indignados e convictos de que não há solução mágica para resolvê-la.O atual sistema de segurança é maléfico à justiça. Estudos especializados demonstram com clareza que os atuais modelos de investigação e de repressão ao crime no Brasil são inoperantes e não conseguem dar uma resposta rápida e eficiente à sociedade. Como os juízes podem deixar de conceder liberdade a criminosos, quando a investigação foi lenta, burocrática e não conseguiu obter provas consistentes?As quadrilhas modernizam-se, estruturam-se e movem-se de maneira eficiente. Já passa da hora do Estado aperfeiçoar-se para combater o crime, valorizando seus recursos humanos e materiais, para colocarmos os criminosos no seu devido lugar e devolver a paz às famílias brasileiras. Isso aconteceu nos países desenvolvidos, que conseguiram reduzir drasticamente os indicadores de violência e impunidade. Porém, não se chega nesse grau de melhoria sem mudanças. As revisões nas leis penais, processuais e de execução penal serão insuficientes se continuarmos a fazer polícia como se faz hoje. A Federação dos Policiais Federais apresentou, ainda no ano passado, propostas de melhoria na forma de se combater o crime no Brasil, através de parlamentares comprometidos com a população brasileira. As PECs 51, 73 e 361/13, dente outras medidas legislativas, visam mudar a Constituição para aperfeiçoar os modelos de polícia, substituindo o atual modelo cartorário baseado no lento e desatualizado inquérito policial por um modelo de investigação rápida, eficiente e transparente, com participação ativa do Ministério Público e do Poder Judiciário.

Nesse novo modelo, toda instituição policial no país realizará atividades de investigação e prevenção, com polícias municipais, estaduais e federais aptas a combater crimes simples e complexos, como o tráfico de drogas, assalto a banco, lavagem de dinheiro, desvio de recursos, etc. O ganho de eficiência é indiscutível, pois haverá comunicação entre todas as polícias em escala nacional, além da desburocratização dos processos.

Não se combate crime organizado com papel. A situação exige medidas urgentes, de enfrentamento e de coragem. Mais policiais nas ruas, mais policiais desenvolvendo atividades de inteligência, monitoramento e levantamento de informações, para se prender e, principalmente, manter preso. Mas, por enquanto, ainda que dentro de um modelo de segurança ultrapassado e contraproducente, os agentes federais no Maranhão se colocam a disposição dos órgãos estatais para, com sua experiência e treinamento, ajudar na luta contra o crime organizado. Somos a sociedade e jamais deixaremos de lutar incansavelmente por ela."


segunda-feira, 11 de março de 2013

A violência e a segurança privada

Violência e segurança privada
É inegável o aumento dos índices que refletem as condições da segurança pública no nosso país. Aumento no número de homicídios, preços dos seguros etc. Mas, afinal, a quem interessa essa elevação?
Evidentemente, neste caso, não haveria apenas um fator. Porém, existe algo ainda nebuloso para as instituições responsáveis por prover a segurança pública, o incremento dos investimentos em segurança privada e a participação efetiva de agentes públicos em serviços desta natureza.
Se por razões legais, éticas e morais é vedado aos agentes exercerem atividades comerciais, sobretudo, aquelas relacionadas as suas funções primárias. Obscuramente, observa-se uma relação íntima entre as empresas de segurança privada e os agentes responsáveis por promoverem a segurança da população em geral, sobretudo, aqueles com maior poder de decisão.
Desta forma, o enfrentamento da questão torna-se urgente quando o aumento dos números da violência está cada vez mais relacionado com o crescimento das empresas de segurança privada e a consequente participação de agentes públicos nestas.
Este enfrentamento, sem dúvida, perpassa pelo legislativo, com a aprovação de leis que tratem mais diretamente sobre o tema. No entanto, o tema nunca será devidamente debatido se as instituições não reconhecerem a sua incompetência em exercer o devido controle sobre seus agentes, por desídia ou interesse.
Por outro lado, a questão do aumento dos gastos com segurança privada e a participação de agentes públicos, merece um amplo debate a ser realizado pelos diversos setores interessados no tema. Principalmente, a parte mais interessada, a sociedade.


Autor:  - oficial da Polícia Militar da Bahia, formado pela Academia de Polícia Militar da Bahia. Bacharelando em Direito pela Universidade Federal da Bahia.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Um sequestro a cada 12 horas em Brasília (sede do governo e da Copa)


                              
Apesar da integração entre as forças de segurança para combater a criminalidade, as autoridades ainda não conseguiram conter a onda de sequestros relâmpagos que assusta os brasilienses de todas as classes sociais. Depois da filha do ministro da Pesca, Marcelo Crivella, e de um diplomata italiano serem levados, em menos de dois meses, da 408 Sul por criminosos, agora foi a vez de o diretor-geral da Câmara dos Deputados, Rogério Ventura Teixeira, 50 anos, ficar sob o poder de assaltantes. Ele e outro servidor da Casa foram abordados na 512 Sul, na madrugada de ontem, por três homens e abandonados no Gama. Mensalmente, essa modalidade de crime cresceu 46% nos últimos anos. Em 2010, a média era de 42 casos. No ano passado, o número subiu para 56 e, nos primeiros nove meses de 2012, foram pelo menos 61 ocorrências contabilizadas a cada 30 dias...Continue lendo no Blog Isso é Brasília 

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Violência deixa 65 mortos em BH apenas em maio (no país da copa...)

Era uma manhã de terça-feira em Belo Horizonte, feriado do Dia do Trabalhador, quando moradores do bairro São Francisco, na região Noroeste, foram surpreendidos por tiros. O alvo: um catador de papel conhecido como Coroa, que trazia no bolso um cachimbo desses usados por dependentes de crack. Começava ali o balanço feito pela reportagem de O TEMPO dos homicídios registrados em maio na capital. Foram contabilizadas 65 vítimas da violência sem freio que segue em alta em todo o Estado.

O índice de maio é 16% superior ao último levantamento divulgado pela Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), em janeiro deste ano, quando houve 56 assassinatos. Desde então, a Seds mantém em sigilo os dados de Belo Horizonte, sob a justificativa de que vai publicar em breve um balanço semestral dos crimes no período.

Diante do silêncio do governo, a reportagem acompanhou todos os chamados publicados em maio no site da Polícia Militar e também o estado de saúde das vítimas de tentativas de homicídio que deram entrada nos hospitais. O resultado foi uma média de dois assassinatos por dia, o que confirma que não houve diminuição da violência registrada em 2011. No ano passado, ocorreram 762 assassinatos, uma frequência de 63 mensais - aproximadamente dois por dia.

Os números deste ano tornam-se preocupantes se forem levadas em conta as 11 ocorrências de maio classificadas pela polícia como "achado de cadáver", sendo que pelo menos cinco vítimas tinham sinais claros de agressão. Além disso, 19 pessoas sofreram tentativas de homicídio e foram levadas para hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Entre os oito que ficaram internados nos hospitais João XXIII e Risoleta Neves, todos sobreviveram. Os demais não foram identificados ou foram levados por amigos e/ou familiares para local não informado. Continue no jornal O TEMPO

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Inversão de valores na Segurança Pública: agora a culpa é do cidadão

Por Marilda Pansonato Pinheiro -Jornal da Tarde 
Nós, Delegados de Polícia, assistimos atônitos declarações dos responsáveis pela segurança pública nos recomendar “segurança privada” e assumindo publicamente sua falta de competência no policiamento ostensivo no Estado de São Paulo. Para completar o quadro, que seria cômico, não fosse trágico, essas mesmas autoridades negam ou tentam ignorar publicamente a existência e a ousadia da conhecida facção criminosa, provavelmente responsável pelos últimos ataques na cidade, subestimando a inteligência e a realidade do cidadão.
O estado de São Paulo atingiu o ápice da falência na segurança pública e vários fatores, anunciando que o pior estaria por vir, foram desconsiderados ao longo desses anos. Crer em estatísticas facilmente manipuladas, associadas ao comodismo da sociedade em confiar que tudo estaria sob controle, levou essa mesma sociedade ao caos e ao inferno – este deixando de ser imaginário para se tornar a mais pura e cruel realidade. Cada vez mais os fatos empurram os cidadãos para dentro de suas casas, como se fossem prisões particulares.
Não se pode mais frequentar um restaurante. O medo dos arrastões assusta. O cidadão faz a sua parte, paga seus impostos, procura porto seguro, mas não encontra respaldo. Infelizmente a violência faz parte do cotidiano da maioria e não se pode encarar quem comete crimes como se ele fosse vítima da sociedade, quando que, na verdade, é o contrário. O índice de homicídios que, pelo terceiro mês seguido, registrou aumento na cidade de São Paulo (102 casos em maio, com aumento de 21,4% em relação ao mesmo mês em 2011), é “triste”, mas “natural”, segundo declarações de autoridades do estado. Continue lendo no BLOG DO EXPERIDIÃO PORTO

sexta-feira, 2 de março de 2012

O círculo da insegurança na Capital (Cidade sede da Copa 2014...)

Do Hoje em Dia - 2/03/2012 - 07:22

A sensação de insegurança nas ruas e até mesmo dentro de casa leva aflição à população. Não há quem não tenha um conhecido ou familiar, quando não a própria pessoa, que tenha sido vítima ou participado de alguma ocorrência. Os dados divulgados pelo Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG) em relação aos veículos furtados e roubados em Belo Horizonte têm consequências que vão além da violência e passam para o âmbito da economia popular.

As estatísticas registram mais de 6 mil ocorrências com veículos na capital em todo o ano passado, quase 20% a mais do que no período anterior, o que, em primeira análise, sugere o crescimento desse tipo de crime. Como não há uma comparação que envolva também o crescimento natural da frota de veículos, que em Belo Horizonte já beira 1,5 milhão, o que se tem é que os carros se tornaram um alvo fácil.

As seguradoras já detectaram o problema e revisaram suas tabelas. Em Belo Horizonte, estão na mira duas regiões: norte e noroeste, que hoje têm tarifas superiores às que o seguro aplica no bairro do Leblon, na zona sul carioca. Por lá costumam circular muitos carros importados, perfil bem diferente dos bairros mais visados de Belo Horizonte. A semelhança entre as duas áreas é exatamente a insegurança provocada pelos índices de violência. A consequência é um valor mais alto para se segurar um automóvel em Venda Nova do que no Leblon.

Os carros de passeio lideram a preferência dos ladrões. Tanto no Rio de Janeiro quanto na capital mineira, por trás de boa parte dos furtos e roubos de automóveis está o tráfico de droga, que preocupa cada vez mais as autoridades de segurança pública.

É um círculo vicioso, conforme destaca o delegado titular da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos de BH. Os traficantes querem veículos novos, possantes e velozes para transportar os entorpecentes e cometer assaltos, conseguindo, assim, dinheiro para comprar droga.

Ao mesmo tempo, as quadrilhas brigam o tempo todo pelos territórios e pontos de venda, ampliando ainda mais o índice de assassinatos em Minas Gerais, como publicamos há dois dias. Os índices de homicídios têm crescido quase que na mesma proporção do de furtos e roubos de veículos.

As autoridades policiais fazem um alerta para a população tomar mais cuidado, em parte por causa dos equipamentos de segurança dos veículos, como travas e alarmes, cada vez mais sofisticados. Com dificuldade para furtar, os criminosos estão rendendo os motoristas e fugindo em seguida.

No outro lado da moeda, também tem aumentado o índice de recuperação de veículos roubados ou furtados, em quase 40% no ano passado, sinal de que as forças de segurança pública estão atentas e agindo contra os principais tipos de crimes nas mais diversas regiões.
 
Fonte: Hoje em Dia:>>>>>>>>>>