Seguidores

Mostrando postagens com marcador joao dias. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador joao dias. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

MAJOR TENTA DESENCORAJAR O SOLDADO DA PM JOÃO DIAS, AQUELE QUE DERRUBOU O MINISTRO DOS ESPORTES. E TUDO FOI GRAVADO. OUÇA AGORA

Gabriel Castro
O PM João Dias, que narrou a VEJA os bastidores do esquema de corrupção operado no Ministério do Esporte
O PM João Dias, que narrou a VEJA os bastidores do esquema de corrupção operado no Ministério do Esporte (Lula Marques/Folhapress)
No depoimento que prestou à Polícia Militar do Distrito Federal, na quinta-feira passada, o soldado-delator João Dias deu detalhes importantes sobre o esquema de corrupção na capital federal, no governo do petista Agnelo Queiroz. O que a transcrição não mostra é que, logo depois de fazer as revelações, Dias sofreu pressão para recuar das denúncias. O site de VEJA obteve em primeira mão o áudio com este trecho do depoimento. O major Neilton Barbosa, que conduz a oitiva, primeiro se certifica de que João Dias não está gravando. Depois, tenta convencer o delator a não denunciar irregularidades no governo: "Tem certeza de que você quer seguir com esse tipo de coisa?".
As razões para o pedido do major não são técnicas. Nada impede um detido de falar o que sabe, especialmente quando os episódios relatados têm relação com o fato que motivou a prisão. Nesse caso havia: Dias foi detido quando tentava devolver à força 200 000 reais que, segundo ele, foram enviados por emissários do governo como um "cala-boca". Tentando passar um tom amigável, o major explica, candidamente, ao delator: "Quer relatar, relata, mas você está colocando o pé na cova".Continue lendo no Blog da Segurança de Pernambuco:>>>>

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

João Dias diz ter entregue 13 áudios envolvendo assessores do Ministro do Esporte


O policial militar João Dias Ferreira disse que não possui provas do envolvimento direto do atual ministro do Esporte, Orlando Silva, e de seu antecessor, Agnelo Queiroz, no suposto esquema de desvios de recursos públicos da pasta. O policial militar negou que tenha gravado diálogos de Orlando Silva. "Em nenhuma delas [das gravações] tem a voz do ministro".
Ao prestar novo depoimento nesta segunda-feira (24) à Polícia Federal, João Dias levou 13 arquivos de áudio e 4 ofícios emitidos pelo Ministério que, segundo ele, trazem "informações contraditórias" sobre a fiscalização dos repasses de verbas da pasta a entidades conveniadas. Segundo o policial, o material envolveria assessores da cúpula do ministério.

O policial militar também apontou o nome de sete ONGs que teriam contratos irregulares com o ministério e, de acordo com Dias, utilizavam os serviços de dez empresas fornecedoras indicadas pela pasta.

Em nota divulgada neste sábado (22), o Ministério do Esporte questionou a apresentação da conversa transcrita pela revista "Veja" e diz que pedirá à Polícia Federal para incorporar a gravação à investigação em andamento sobre o suposto esquema de desvio. No texto, a pasta classificou o material como "uma suposta gravação e cita supostos trechos, partes de frases, palavras isoladas, com o intuito claro de induzir os leitores".
G1 DF