Seguidores

Mostrando postagens com marcador ordem ilegal. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ordem ilegal. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Governador de Goiás proíbe policiais de usarem armas fora do serviço


MARCONI NA PECUÁRIA
O Governador Marconi Perillo durante visita ao Parque de Exposições Agropecuárias de Goiânia nesta segunda-feira comunicou à imprensa uma decisão importante que visa diminuir a violência em Goiás envolvendo policiais.
O governador determinou que a SSPJ-GO tome providencias urgentíssimas no sentido de proibir a utilização de armas de fogo para policiais que não estejam em serviço, especialmente em eventos.
Marconi disse que teve a garantia do secretário de segurança, Joaquim Mesquita, de que tal providencia será tomada de forma imediata. A decisão do governador chega logo depois do assassinato do jovem Luan Vitor Oliveira Sousa ocorrido na festa da Pecuária em Goiânia no último final de semana pelo policial civil Levi Moura de Sousa.
Comento: O Brasil está deixando o modelo federativo e se tornando "estados unidos", se americanizando. Ou seja, cada estado está interpretando a lei de jeito, de acordo com a conveniência. Em São Paulo proibiram policiais de prestarem socorro e agora em Goiás o governador proíbe policiais de usarem armas fora do serviço. Todos sabemos que quem regula o porte e fiscaliza as armas não são os estados, mas, o governo federal através da Polícia Federal. Ambas decisões do inconstitucionais, medidas populistas, para jogar confete para a imprensa. O que tem que ser verdadeiramente discutido, que é o modelo, o plano nacional para a segurança pública, bem como a criação de seu fundo visando financiá-la, isso é deixado de lado. É o mesmo que apoiar o aborto e não discutir os métodos anti-conceptivos. Brasil, o país do acaso...

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

PM de Campinas deixa vazar ordem para priorizar abordagens em negros


O comando da Polícia Militar em Campinas (SP) deixou vazar uma mensagem enviada à equipe do bairro Taquaral, com uma ordem determinando a abordagem focada em "indivíduos da cor parda e negra". O pedido, assinado pelo capitão Ubiratan de Carvalho Góes Beneducci, foi enviado no fim de dezembro e valeu até esta segunda (21). A PM classifica o episódio como "deslize de comunicação".
A ordem do capitão pede a intensificação do policiamento em ruas próximas ao Colégio Liceu aos sábados das 11h às 14h,  "focando em abordagens a transeuntes e em veículos em atitude suspeita, especialmente indivíduos de cor parda e negra com idade aparentemente de 18 a 25 anos".

Segundo o porta-voz da PM em São Paulo, o capitão Eder Antonio de Araújo, as características citadas na ordem do comando foram baseadas em uma carta enviada por moradores da região, que descreviam um grupo que praticava roubos a residências naquelas imediações.

"A forma como foi colocada a ordem de serviço, ela generaliza. Ela não tem uma ação específica", disse Edna Almeida Lourenço, integrante do movimento negro e fundadora da entidade Força da Raça Campinas. Na avaliação dela, a mensagem deveria informar, também, outras características dos suspeitos.

'Deslize de comunicação'
Para Araújo, a mensagem não tem teor racista. Ele afirma que o caso pode ser considerado um "deslize de comunicação". "O documento foi escrito de forma descuidada e com informações descontextualizadas. A partir do momento em que foi constatado o descuido, o caso foi imediatamente corrigido", disse Araújo.

De acordo com o oficial de São Paulo, duas pessoas com as características descritas foram presas no período em que a patrulha foi intensificada. A PM informou que, inicialmente, não pretende punir o autor da mensagem e que não será aberta sindicância para apurar o caso.
Ordem de serviço enviada pela Polícia Militar em Campinas (Foto: Reprodução)

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

PARADA GAY EM COPACABANA: Policiais homens estavam proibidos de revistar os travestis. Somente as "FEMs" poderiam fazer as revistas nos travecos.


Um fato absurdo chegou ao nosso conhecimento no dia de hoje. Segundo informações de alguns policiais do 19ºBPM (Copacabana), foi realizada uma reunião na semana passada, na qual estavam presentes o comandante do 19º batalhão da PM em Copacabana, Ten.Cel. Claudio Oliveira, policiais da unidade e organizadores da PARADA GAY, que foi realizada no ontem (Domingo 18/11/2012), para decidir alguns pontos importantes do evento e para orientar os policiais em como agir e tratar o público gay durante o evento. Até aí, tudo bem, nada demais nisso. Mas o fato que chamou a atenção e causou certa indignação nos policiais e agora em nós do BlogDaVerdadeRJ após ficarmos sabendo, foi que o sr. Tenente-Coronel Claudio deu ordem para que os policiais homens NÃO REVISTASSEM OS TRAVESTIS e que esta missão fosse executada apenas por POLICIAIS MULHERES. Ué coronel Claudio, como assim? Travestis não são mulheres, são homens, e só podem ser revistados por policiais homens e não por policiais mulheres como o sr. queria. E as policiais mulheres (FEMs), o que acham dessa atitude do ten-cel Claudio? E tem mais, o ten-cel também ordenou que os policiais perguntassem aos travestis, em caso de abordagens, como o mesmo gostaria de ser tratado, pelo nome de registro ou pelo o "nome de guerra". É um absurdo isso! Já imaginou uma policial "FEM" revistando um traveco? Continue lendo no Blog da Verdade