Seguidores

Mostrando postagens com marcador pc. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador pc. Mostrar todas as postagens

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Ocorrência do século! 15 ladrões tentam arrombar bancos, policiais matam 9


Comento: Parabéns pelo tirocínio, o serviço de inteligência eficaz e produtivo, pela harmonia entre Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal de Minas Gerais.
LUCAS SIMÕES ( O TEMPO)

Uma operação conjunta entre a Polícia Civil de São Paulo e a Polícia Rodoviária Federal de Minas Gerais (PRF-MG) acabou com nove bandidos mortos durante uma troca de tiros entre policiais e criminosos na cidade de Itamonte, na região Sul de Minas, no início da manhã de hoje (22).

Segundo a Polícia Militar (PM), um grupo de 25 criminosos estava sendo monitorado há mais de dois meses pela polícia paulista. Eles são suspeitos de outros assaltos a caixas eletrônicos em Minas Gerais e pretendiam arrombar equipamentos em várias cidades do Sul de Minas, como Caxambu, Passa Quatro e Itamonte.

Os bandidos saíram do estado de São Paulo no início da madrugada, por volta de 0h30, em cinco veículos: um Honda Civic, um Eco Sport, uma Duster e um Palio. Porém, quando os criminosos chegaram na Praça Padre Francisco Mira, no centro de Itamonte, por volta de 5h30, foram surpreendidos por um grupo de policiais civis e militares.

Houve troca de tiros entre os suspeitos e os policiais e dois bandidos foram presos. Outros quatro criminosos foram baleados dentro do Honda Civic e cinco deles foram atingidos por tiros em uma perseguição policial na entrada da cidade, na BR-354, na altura dos km 754 e 758. Ao todo, nove bandidos morreram na hora. Um policial civil também ficou ferido, mas não corre risco de morrer.

Segundo as primeiras informações da PM de Passa Quatro, pelo menos 14 criminosos usaram um carro e um caminhão para fugir pela BR-166, mais conhecida como rodovia Dutra – principal rodovia do Brasil, que liga o Sul ao Norte do país. Até o momento, não há pistas dos suspeitos.

Com os criminosos, a polícia apreendeu fuzis, pistolas, bananas de dinamite, um pé de cabra e outros materiais para arrombamento de caixas eletrônicos.

Cerca de 20 assaltantes foram surpreendidos por policiais durante a ação (Foto: Reprodução Jornal Hoje)





segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Servição PC MG: Quadrilha de roubo a carga é presa na BR-365 em MG


Quadilha presa Uberlândia (Foto: Reprodução/TV Integração)
Uma quadrilha especializada em roubo de cargas foi presa na tarde desta segunda-feira (27) em Uberlândia. Os 13 homens estavam comendo em uma churrascaria na BR-365, sentido Ituiutaba, no momento da abordagem. Eles foram identificados após um mês e meio de investigação do Departamento de Operações Especiais da Polícia Civil de Belo Horizonte (Deoesp). Duas carretas vazias, com placas de Indaiatuba (SP) e dois carros de passeio foram apreendidos e levados para a 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil.

De acordo com o delegado da Delegacia Especializada de Repressão ao Furto, Roubo e Desvio de Cargas, Marcus Vinicius Lobo Leite Vieira, os homens são de São Paulo e considerados de alta periculosidade. Eles agiam nas estradas mineiras, além dos estados de Goiás e Tocantins. “A quadrilha é especializada e cada um tinha uma função diferente. Alguns abordavam as vítimas em postos e hotéis à beira da estrada. Enquanto isso, outros cortavam o rastreador do veículo, mantinham as vítimas em cárcere privado, roubavam a carga e fugiam”, informou.
Segundo as investigações, os criminosos roubavam eletrônicos, remédios, cigarros e pneus automotivos. “Eles buscavam carretas com cargas avaliadas em mais de R$ 85 mil. Agora será feita a identificação, qualificação dos presos e vistorias nas carretas”, afirmou. Os homens podem responder por roubo, formação de quadrilha, receptação e talvez por documentação falsa.
A polícia ainda suspeita que o grupo tenha envolvimento com uma facção criminosa de São Paulo. A princípio os presos serão levados ao Presídio Professor Jacy de Assis, mas podem ser transferidos para Belo Horizonte. Continue lendo no G1 Triângulo Mineiro
Comento: Parabéns aos bravos policiais de Minas Gerais pelo excelente serviço e tirocínio policial. Servição!!!!

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

LEI ORGÂNICA DA PC É APROVADA NA ALMG E SEGUE PARA SANÇÃO DO GOVERNADOR

LEI ORGÂNICA DA POLÍCIA CIVIL É APROVADA NA ALMG E SEGUE PARA SANÇÃO DO GOVERNADOR

O Projeto de Lei Complementar (PLC) 23/2012, que institui a Lei Orgânica da Polícia Civil de Minas Gerais, foi aprovado em segundo turno pelo Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), na manhã desta quarta-feira, 23/10/2013.

A matéria, que tramita na ALMG desde 2012, objetiva conceder à Polícia Civil um marco legal, de caráter orgânico, compatível com as necessidades de modernização estrutural e funcional, a exemplo de outras instituições. Também prevê modificações na organização da Polícia Civil e nas carreiras dos servidores, buscando a valorização dessas categorias, sendo prioridade da segurança pública no Estado. A proposição recebeu 44 votos favoráveis e nenhum contra.

Leia mais
http://www.sargentorodrigues.com.br/index.php/destaque-mandato/748-lei-organica-da-policia-civil-e-aprovada-na-almg-e-segue-para-sancao-do-governador

O Projeto de Lei Complementar (PLC) 23/2012, que institui a Lei Orgânica da Polícia Civil de Minas Gerais, foi aprovado em segundo turno pelo Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), na manhã desta quarta-feira, 23/10/2013.
A matéria, que tramita na ALMG desde 2012, objetiva conceder à Polícia Civil um marco legal, de caráter orgânico, compatível com as necessidades de modernização estrutural e funcional, a exemplo de outras instituições. Também prevê modificações na organização da Polícia Civil e nas carreiras dos servidores, buscando a valorização dessas categorias, sendo prioridade da segurança pública no Estado. A proposição recebeu 44 votos favoráveis e nenhum contra.

SINDPOL MG denuncia disparidade entre PC e PM

Texto e fotofacebook.com/Sindpol Policia Civil-mg 

Distorções e disparidades são visíveis: Governador entrega viaturas para PMMG demonstrando que realmente a integração é uma farsa e o tratamento é diferenciado.

Disparidade Total
Na manhã desta terça-feira 22, o Governador Antônio Anastásia entregou mais uma vez 270 viaturas zero km para Polícia Militar, deixando de fora do benefício, mais uma vez a Polícia Civil. Se é o mesmo Governo, se é a mesma secretaria e ainda se é o mesmo sistema, porque a compra é feita de forma distinta? Se a necessidade é dos dois órgãos porque somente um é agraciado?

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

OFICIAL DESABAFA E FALA DA RELAÇÃO ENTRE OFICIAL, PRAÇA, PM E PC

Depois de tanto ler este site, resolvi contribuir pela 2ª vez. Não quero, de maneira alguma, ser o dono da verdade, até porque acredito que raras vezes existe verdade absoluta; como disse, minha intenção é apenas contribuir.

Ingressei na PM como soldado e, por meu mérito e esforço, sem ter que puxar o saco de ninguém, fui aprovado no vestibular da Academia do Branco. Após 14 anos de serviço, cheguei a algumas conclusões. Nelas, escreverei mais sobre a PM, por ser a Corporação que conheço (logicamente por pertencer a ela), mas também escreverei um pouco sobre a PC, no entanto, baseado nos meus contatos profissionais.

1. Bons e maus profissionais existiram, existem e sempre existirão em todos os lugares, incluindo a PM e PC. A questão é: atualmente, o que é um bom policial, seja ele militar ou civil? É o policial honesto? É o policial honesto e esforçado, que realmente trabalha (e não enrola) durante seu turno de serviço? É o policial que “não dá novidades”, mas que é um mão cansada? Eu classifico o bom policial como aquele que é honesto e que realmente trabalha, mas o motivo deste questionamento é o fato de quê atualmente, me parece que ainda há mais bons do que maus policiais, mas infelizmente o número de maus policiais vem aumentando muito. Do soldado ao coronel, há casos de corrupção, extorsão, roubos, envolvimento com jogos ilícitos, com drogas e muitos outros ilícitos. E isso tem desestimulado muito os bons policiais. A PM é uma Corporação extremamente séria e a maior prova disto é que ela é o órgão público do Brasil que mais demite/expulsa seus maus profissionais; mesmo assim, isto parece já não surtir o efeito desejado, qual seja, o de impedir ou evitar que policiais militares cometam ilícitos. Com relação ao tratamento entre Oficiais e Praças, não negarei que há muitos que se aproveitam do posto ou graduação para serem arrogantes e mal educados, mas tais pessoas não estão restritas apenas ao quadro de Oficiais: há sim muitos Praças que são extremamente grossos e arrogantes. Logo, isto independe de posto ou graduação: depende tão somente da educação recebida na família.

2. Nunca houve, não há e nem haverá nenhum lugar no mundo onde o funcionário ganhará um salário igual (ou muito próximo) ao do diretor/gerente do local. Logo, não adianta ficar falando que os Oficiais e os Delegados ganham mais, pois isto é o natural de qualquer local. E para mim, a diferença tem que ser grande, tanto para compensar a responsabilidade maior que possuem, quanto como forma de reconhecimento do cargo. Mas isso não significa que os praças e as demais carreiras da PC devam receber um mau salário, significa apenas que sempre haverá uma diferença (que na maioria das vezes será grande) entre os que administram/chefiam e aqueles que executam. E para ser Oficial ou Delegado, não há outro caminho a não ser o do estudo. E outra coisa: há inúmeros cargos públicos no Brasil que pagam salários maiores do quê o de Oficial e Delegado; quem quiser, é só parar de choramingar e se dedicar aos estudos.

3. Fim da PM: vocês realmente acreditam que esta é a solução para todos os males? Vocês realmente acreditam que o simples fato de tirar o nome “militar” vai mudar muita coisa? Sempre haverá uma polícia fardada, ostensiva e com a missão de impedir que os crimes aconteçam. Se extinguir a PM, quem vai desempenhar tal função? A PC? Alguém da PC está realmente disposto a vestir uma farda e ir para a rua patrulhar? Pode até ser que um ou outro policial civil queira, até porque em alguns lugares há grupamentos da PC, tais como o GOE, GARRA, etc, mais militares do que a própria PM, mas eles são uma minoria muito pequena. Desta maneira, mesmo que haja a “desmilitarização” da polícia, a atividade de polícia ostensiva sempre existirá e, no caso do Brasil, por um bom tempo será desempenhada pelas mesmas pessoas que hoje a desempenham e, por óbvio, da mesma maneira. Maneira esta aliás que é muito boa, feita seriamente por muitos profissionais, quando há tempo para isto, e este tempo de efetivo patrulhamento está cada vez mais escasso, pois a PM tem que ficar atendendo um monte de ocorrência que não está diretamente relacionada a sua atividade.

Outra coisa: não entendendo por que tanto rancor contra o militarismo. É uma das formas de organização mais antigas das sociedades, baseada na hierarquia e disciplina. Não é o militarismo e nem a PM os culpados pelos abusos e erros cometidos por policiais. Nenhum curso de formação da PM ensina coisa errada; aliás, mesmo que muitos critiquem, os cursos da PM são muito bons e voltados e adaptados para a realidade paulista. Na verdade, os erros e abusos (que não são só cometidos por policiais militares, mas também por policiais civis) ocorrem em decorrência de uma soma de fatores, dentre os quais posso mencionar a falta de um treinamento constante após a formação, falta de uma boa supervisão, vistas grossas e participação dos supervisores (incluindo sargentos e oficiais) e uma boa legislação.

Na minha humilde opinião, o melhor para a população paulista seria uma única polícia, que tivesse sob seu poder o ciclo completo, mas ela não seria estadual e sim municipal. Isto porque a realidade dos municípios é muito, mas muito diferente e tudo que é planejado em São Paulo, desconsidera a realidade interiorana. Assim, cada município organizaria sua força policial da maneira que melhor lhe fosse possível. Mas sinceramente, pouquíssimos municípios teriam condições financeiras de arcar com a formação e manutenção de uma força policial bem estruturada; além disso, outro fator, talvez até mais importante do que a questão financeira, é o fato de que quase nenhum político (para não dizer nenhum) teria isenção para administrar tal poder visando apenas o benefício da população. Se com polícias estaduais sabemos que tais problemas, imaginem polícias municipais…

A PM é maior e melhor estruturada do que a PC e prende muito mais gente, mas isso é decorrência lógica do fato de que a “polícia fardada” tem que ter efetivo maior do que a “polícia sem farda” e, se ela tem efetivo maior, consequentemente prenderá mais gente, pois está mais tempo na rua e com mais recursos.

E por mais que argumentem ou não aceitem, o policial militar é autoridade policial sim. Não é autoridade policial no sentido definido pelo CPP, mas é autoridade igual a qualquer policial civil, pois se não fosse, por exemplo, com que poder ele abordaria pessoas e veículos e os submeteria a busca? Encontrem uma resposta plausível para esta pergunta e ficarei contente em lê-la.

4. Relacionamento PC x PM: é outro ponto no qual as realidades da capital distanciam e muito das de muitas regiões do interior; no interior, é normal, comum haver amizade entre policiais civis e militares e tal amizade reflete diretamente no serviço, pois há colaboração e cooperação entre os órgãos e o maior beneficiado é a população; e na maioria das vezes, o policial (civil ou militar) faz parte de tal população, pois ele mora onde trabalha. Nunca fui maltratado ou coisa do gênero em delegacias; já fui até tratado com indiferença, mas jamais com falta de respeito; e vi, no mesmo momento, que tal indiferença poderia ser fruto de várias coisas: o cara não estava em um dia bom, tinha brigado com a mulher (ou a amante), tinha levado uma bronca do chefe, estava sem bico, o carro tinha quebrado, sei lá, por vários motivos, mas não foi pelo fato de eu estar fardado e ser policial militar. Mas acima de tudo, mais uma vez na vida, percebi que somos tratado como tratamos: se o policial militar for rude, sem educação, etc, ele receberá isto de volta, seja de um policial civil, ou de qualquer outra pessoa.

As maiores broncas de policiais militares contra os Delegados são quando eles levam um “flagrante pro doutor”, mas o Delegado não ratifica a voz de prisão. Aí muitos policiais militares realmente ficam machos. É até engraçado. Eu nunca sequer pensei em argumentar com um Delegado nas ocorrências em que a opinião dele foi diferente da minha e isto por um motivo lógico: a lei deu, dá e dará esta prerrogativa a ele, ponto. Eu sempre me preocupei em fazer o meu trabalho; o Delegado tem seu trabalho e suas responsabilidades definidas em lei. Outro fato: eu nunca vi um delegado falar para um oficial onde ele deveria colocar as viaturas ou como atender uma ocorrência; ele pode até sugerir em reuniões ou conversas informais. Assim, se ele não dá palpite no meu trabalho, por que eu daria no dele?

Com relação aos vencimentos, uma coisa é verdade: a maior parte dos Oficiais não quer receber um salário menor do que o de Delegado. Eu não tenho este problema, de verdade. Quando fiz concurso para a PM, já sabia quanto receberia de salário; e naquela época já sabia também o que já disse acima: há outros cargos públicos que pagam salários maiores; se eu quisesse, poderia ter me dedicado e tentado tais concursos. No entanto, sempre tive o sonho de usar farda e por isso optei pela carreira militar. É lógico que eu gostaria de receber um bom aumento e receber um ótimo salário, mas se isso não acontecer, bola pra frente.

O que me deixa realmente triste e até certo ponto irritado é ver que não há um critério justo para se estabelecer os salários públicos. Para mim, o maior exemplo disso é o Oficial de Justiça: um carteiro de luxo, que nada mais faz do que entregar cartas; quando está no “perrengue”, liga 190 e pede apoio. Eu sinceramente não sei quais seriam os critérios mais justos para se estabelecer os vencimentos dos funcionários públicos, mas me pergunto: qual o grau de complexidade da função dele? A qual risco ele está exposto? Infelizmente, não consigo achar respostas que justifiquem o alto salário que recebem.

Mas o fato é que sempre haverá aqueles que ganham mais e os que ganham menos; não sei como isto é definido, só sei que professores recebiam igual a juízes e vejam como eles estão hoje e também sei, por ouvir dizer, pois não vivi tal época, que o soldado da PM recebia dez salários mínimos quando o governador era Franco Montoro. E então: qual é o critério, se é que há algum?

Por enquanto, vou encerrando por aqui. Não sou e nem tenho a mínima pretensão de ser o dono da verdade; apenas quis contribuir para o site. Só peço que se alguém for contrargumentar, que seja dentro da boa educação e com argumentos sólidos. (Flit Paralisante).

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Policiais podem fazer greve se aposentadoria proposta pelo governo for aprovada


O presidente da Confederação Brasileira dos Trabalhadores Policiais Civis, Janio Bosco Gandra, afirmou que o mais provável é que o governo federal force a aprovação da regulamentação da aposentadoria das atividades de risco no modelo que ele propôs Projeto de Lei Complementar (PLP) 330/06). Nesse, caso, afirmou, a única alternativa para os servidores será convocar uma greve geral dos profissionais que atuam em atividades de risco no País.


O governo propõe que somente tenham aposentadoria como atividade de risco policiais e agentes penitenciários. Aqueles que ingressaram no serviço público a partir de 2003 não teriam direito a se aposentar com vencimentos integrais nem reajustes iguais aos dos agentes na ativa.



Os policiais querem manter a integralidade e a paridade nas aposentadorias e querem ver incluídos nas atividades de risco os auditores, oficiais de justiça e agentes de segurança.



As entidades dessas categorias estão reunidas em audiência pública na Comissão de Trabalho, de Administração Pública e Serviço Público.



Fonte: http://www2.camara.gov.br/blogdolomeu

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Policial militar morre após ser baleado por policiais civis


O policial militar ferido por tiros no Grajaú, na Zona Sul de São Paulo, na noite desta segunda-feira (3), não resistiu aos ferimentos e morreu por volta de 21h50. Segundo a Polícia Militar, o soldado foi baleado por policiais civis. O caso é investigado pelo DHPP e pelas corregedorias das polícias Militar e Civil.
O cabo Geraldo Alves da Cruz, que estava de folga e sem farda, tinha ido ao Grajaú para visitar o sogro e parou para conversar com amigos. O grupo foi abordado por policiais civis, na Rua Jequirituba, no Grajaú. CONTINUE LENDO NO G1

terça-feira, 5 de junho de 2012

SGT PM E POLICIAL CIVIL SÃO ENCONTRADOS MORTOS


Suspeita é de que crime em Monte Belo do Sul teve motivação passional


O final de um relacionamento amoroso é a hipótese investigada pela Polícia Civil para explicar as mortes do sargento da Brigada Militar (BM) Sérgio Luis de Campos Chagas, 35 anos, e da inspetora Varinia Bedina, 31 anos, ontem em Monte Belo do Sul, na Serra. Os corpos foram encontrados em uma sala da casa ocupada pelas duas corporações no centro do município de cerca de 3 mil habitantes.

Por volta das 13h30min, uma sequência de estampidos apavorou moradores da cidade. Em um primeiro momento, quem seguia para o trabalho pelas calçadas da Rua João Salvador, no Centro, pensou que se tratava de um assalto a banco. Foi o caso de um agricultor de 42 anos que naquele instante deixava a mulher no serviço, perto da praça central, e dali levaria a filha para o colégio.

– Escutei um tiro de pistola atrás do outro. Mandei minha mulher entrar logo onde ela trabalha. Mas quando passava de carro pela frente da Brigada Militar e da Polícia Civil, percebi que o barulho vinha lá de dentro. Fui embora ligeiro, levando minha filha – conta o produtor rural, que prefere não ser identificado.

Poucos minutos depois, a origem dos disparos atraía dezenas de curiosos para os arredores da casa onde funcionam as duas repartições e o Conselho Tutelar. Dois PMs correram para a sede policial, que estava fechada, o que não é comum. Após arrombar uma janela dos fundos, um policial militar encontrou um cenário assustador. Na sala da Polícia Civil, os corpos dos dois policiais – ele, comandante da BM na cidade. Perto das pernas do PM havia uma pistola .40. Sobre uma mesa estava outra pistola do mesmo calibre.

A dupla de PMs logo acionou colegas de farda, policiais civis e peritos. Quando o grupo de servidores chegou à sede das repartições, uma especulação sobre a tragédia já corria pelas ruas de Monte Belo do Sul: o sargento teria matado a inspetora, com quem manteria um relacionamento amoroso, e se suicidado.Continue lendo no Blog Mazelas Policiais

foto: ZERO HORA, 05 de junho de 2012 | N° 17091.

sexta-feira, 6 de abril de 2012

P2 X PC: UMA HORA ISSO VAI DAR MERDA. Militares confundem policiais civis com assaltantes durante operação na Grande BH. PCMG apreende aprox. 2 toneladas de drogas.


Policiais civis e militares se desentenderam durante uma operação na Região Metropolitana de Belo Horizonte, na tarde desta sexta-feira. Equipes do Departamento de Investigação Antidrogas (DIA) da Polícia Civil foram até a MG-424, na divisa de São José da Lapa com Pedro Leopoldo, em busca de traficantes de drogas que fariam a entrega de uma carreta bi-trem carregada de maconha e pasta base de cocaína. Dentro do veículo havia cerca de duas toneladas de entorpecentes.


Durante a abordagem aos quatro traficantes, os civis, que estavam descaracterizados, foram surpreendidos por militares do Serviço de Inteligência da Polícia Militar (PM), agentes P2, que desconfiaram de um assalto no local. Esses militares também trabalham sem farda. Continue lendo no Blog da Renata

quarta-feira, 14 de março de 2012

PT TRAI O SEU DISCURSO E OS POLICIAIS CIVIS

O Partido dos Trabalhadores na pessoa de Tarso Genro e o governo do RS estão mostrando bem a sua cara, o partido que deveria defender o interesse dos que ganham menos, estão transformando os que mais ganham no estado em marajás, aqueles que eles denunciavam nas eleições.



O PT perdeu a bandeira e o discurso, deu 146% de aumento para os Delegados que ganham mais  e agora oferece 60% parcelados em 6 anos para os que menos ganham na policia civil.

Durante campanha politica o sr, Tarso foi no sindicato da categoria e prometeu diminuir a diferença salarial entre os policiais e agora toma esta atitude, mostrando que o PT faz tudo pelo voto e que não tem palavra, fazendo propostas ridiculas e querendo manter o funcionalismo atrelado, com aumentos que vão comprometer futuros governos.



Uma vergonha que poderíamos esperar de outro partido, não do defensor dos trabalhadores, já á algum tempo o PT tem mostrado a sua preferência pelos mais abastados, ricos e poderosos enquanto para os que menos ganham dão migalhas, tipo a bolsa família.



Os policiais civis do RS estão indignados com a proposta feita hoje pelo governo, e na sexta-feira, 16/03, ás 11hs no Palácio da Policia, estarão reunidos para definir qual será a atitude da categoria diante da proposta ridicula, os policiais estão divididos entre a greve, paralisações ou a continuidade e fortalecimento da Operação Cumpram-se a Lei. 

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Atenção imprensa internacional: BRASIL MUITO PRÓXIMO DO "APAGÃO NA SEGURANÇA PÚBLICA"

Depois de 20 anos de ditadura militar, herança da luta entre o modelo capitalista e o comunista, o Brasil viveu anos de repressão,  inclusive para parte das Forças Armadas, onde até 1988 os militares de baixa graduação não podiam sequer votar. Nesse mesmo ano foi promulgada a nova Constituição, que trouxe ares, mais democráticos, para os civis é claro. Enquanto isso, os militares viveram uma espécie de "rancor cultural", pois, além do golpe dado em 1964, estes ainda são acusados até hoje pelo desaparecimento de milhares de ativistas políticos, cuja geração teve alguns mais famosos como os ex-presidentes Lula e Fernando Henrique, até a atual presidente Dilma Rousseff.

Então no ano de 2008, surge um projeto de emenda constitucional, enumerado PEC 300, que parece ter acendido as esperanças dos policiais e bombeiros para a tão sonhada recuperação salarial, visando a isonomia com o salário da PM de Brasília, a polícia mais bem paga do Brasil.

Porém, o Estado brasileiro subestimou os profissionais da Segurança Pública, protelando inúmeras vezes a votação da PEC 300, que chegou inclusive a ser votada em primeiro turno, porém, ficou pelo caminho a espera da segunda votação. O governo federal se sentiu vitorioso pela dissimulação, pela enganação mesmo, para com os profissionais da segurança. 

Se por um lado a aprovação da PEC 300 não aconteceu, por outro, ela deixou um legado de cultura sindical,  (no bom sentido da palavra), encorajando quase que inconscientemente os policiais a se organizarem em seus estados, forçando-os a cobrar diretamente de seus governadores.

Hoje, praticamente todos os estados brasileiros ou já pararam ou irão parar visando negociar com seus respectivos governadores, um aumento salarial, num país que vai sediar dois mega eventos, é inimaginável que o governo não tenha pensado no principal para um evento desse porte: valorizar o profissional da segurança. Tudo bem que o Osama Bin Laden e o Sadan Hussein morreram...mas, alguém vai querer pagar pra ver? Apostar a sua vida, sob uma segurança desmotivada, mal paga?

Os governos federal e estadual, estão pagando o preço pela irresponsabilidade, imprudência e desdém com que sempre trataram esse assunto. Será que teremos uma Copa segura, com todas essas greves militares ocorrendo de norte a sul do paísl?

O Brasil está muito próximo de um "apagão na segurança pública", talvez a única visível, já que saúde e educação, apesar de serem eternos motes de campanha, nunca são percebidas pela chamada sensação imediata...

Por Marcelo Anastácio
Blog No Q.A.P

Maldição da PEC 300: APOIO TOTAL AOS PROFISSIONAIS DA SEGURANÇA PÚBLICA DO RIO

             Ao que parece o comandante geral da PM do Rio, está com as mesmas práticas de tirania. Começou com um discurso de austeridade, falso, porque um dos seus primeiros atos foi aceitar e receber as viaturas compradas com valores superfaturados, sem sequer ter se pronunciado...parece que não sabia, ou não quis saber...um carro daqueles que no mercado seria no máximo 40 mil, foi comprado pelo estado do Rio de Janeiro por 150 mil. Depois, fez a reunião com os Praças, mas na função de P2 do que de líder, que é aquele que conduz; e agora, até pela sua ausência como condutor nesse processo de diálogo, faz ameaças aos manifestantes. RIDÍCULO!
            
               É claro que a tropa deve estar coesa, atenta e não se intimidará com essas tentativas de criminalizar o movimento que é justo, e principalmente LEGAL, pois, só as Forças Armadas é vedado a greve.

               Não é possível que um os policiais que encaram tiros de fuzil todos os dias, que são atacados moralmente, pelos desvios de conduta praticados pelos seus "colegas", que foram desmoralizados indiretamente pelo governador, quando xingou os Bombeiros de "vândalos"...atacando todos militares...

                    Estávamos em Brasília, em meados de 2011, quando alguns governadores tiveram a cara de pau de viajarem para Brasília, para fazer lobby contra a PEC 300, um deles era o Cabral...e agora prova do próprio "veneno"...que seria lindo...uma greve da segurança pública no Rio...

               Meus amigos cariocas, "quem sabe faz a hora"...e a hora é essa! Quem encara fuzil, encara desabamento, enchente...vai "pagar pau" para uma pressãozinha de um comandante? kkkkk..."quem nasce no morro, não morre no asfalto"...JUNTOS SEREMOS ETERNAMENTE FORTES!!!


                   BLOG NO Q.A.P

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

S.O.S. Bombeiros, PM, Polícia Civil, Aviso e Convocação


youtube.com/revistaamigosweb

Polícia Civil mira PMs por explosões a caixas

Um suspeito de paticipação em ataques de caixas eletrônicos foi preso em Campinas por equipes de Jundiaí
ALINE PAGNAN
aline.pagnan@bomdiajundiai.com.br

A 3ª Vara Criminal de Jundiaí expediu nesta terça-feira ao menos cinco mandados de prisão temporária e busca e apreensão contra policiais militares. Um PM, que mora em Campinas, foi preso por equipes da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Jundiaí nesta terã-feira à tarde e, até o fechamento desta edição, outros quatro mandados ainda estavam em andamento.

A investigação da Polícia Civil aponta que quatro PMs e um agente penitenciário - que atua em Bauru - estariam envolvidos em ataques a caixas eletrônicos ocorridos no ano passado na região de Jundiaí.

Prisão / O PM preso nesta terça, J. O., de 39 anos, estava em sua casa, no Jardim Eulina, em Campinas, quando a equipe da DIG o surpreendeu.

Os investigadores fizeram uma revista no imóvel e encontraram uma arma com numeração raspada. O revólver calibre 38 era usado, segundo o PM, para sua proteção. Ele alegou falta de dinheiro para comprar uma arma legalizada.

De acordo com os investigadores da Polícia Civil, o PM estava sem a arma da corporação, apreendida anteriormente durante uma investigação administrativa. Além do revólver, foram apreendidas 31 munições de calibre 38 e 54 para pistola 380. 

J. foi levado para uma delegacia de Campinas, onde foi elaborada ocorrência. Ainda na tarde desta terça ele foi escoltado até o presídio Romão Gomes, em São Paulo. O local abriga policiais militares.

Investigação /As ações desencadeadas ontem deveriam seguir até a madrugada. A investigação da Polícia Civil dura mais de seis meses e, segundo informações de investigadores, deve ter outros desdobramentos nos próximos dias.

Os detalhes da ocorrência e as ligações entre os PMs e o agente penitenciário não foram revelados para evitar atrapalhar os próximos passos. Os nomes dos envolvidos também não foram confirmados.


 Itatiba sofreu um  novo ataque 
Bandidos armados e encapuzados explodiram um caixa eletrônico nesta terça-feira em Itatiba. O equipamento fica em uma galeria, ao lado de um posto de combustíveis no bairro Nossa Senhora das Graças.

Um vigia contou à polícia que viu um carro preto estacionar próximo ao local. Três homens encapuzados desceram e foram até o caixa e poucos minutos depois houve a explosão. O carro saiu em alta velocidade, parou para que os suspeitos entrassem e partiu sentido a Campinas, pela rodovia Dom Pedro I. Na fuga, os bandidos deixaram 

R$ 16 mil no chão. Não foi revelado o valor que eles roubaram.

Fonte: Blog do Adeilton9599

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Jovem que roubou carro no Barreiro é filho de policial civil e foi denunciado pelo pai

Um dos jovens apresentados na manhã desta terça-feira (8) na 2ª Delegacia de Polícia Civil do Barreiro, em Belo Horizonte, é filho de um policial civil aposentado. O rapaz, de 19 anos, roubou um carro no Barreiro de Baixo e foi denunciado pelo próprio pai.

Segundo a polícia, o homem suspeitou das companhias do filho e foi até a delegacia, onde fez a denúncia. O jovem foi preso juntamente com um comparsa, de 21 anos, com quem roubou o carro de um casal. Um terceiro suspeito, que teria emprestado a réplica de uma pistola usada no crime, ainda está sendo procurado. Na casa dele foram encontradas peças de motocicletas.

Com a dupla também foram apreendidas porções de maconha, balança de precisão e um maçarico. O envolvimento deles em outros roubou e com o tráfico de drogas será investigado.

FELIPE REZENDE/KARINA ALVES
Siga em: twitter.com/OTEMPOonline

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Policiais Civis e Agentes Penitenciários do DF entram em greve


Os agentes da Polícia Civil do Distrito Federal decidiram em assembleia na tarde desta quinta-feira (27) entrar em greve por tempo indeterminado.

Com a decisão, 30% do efetivo vai trabalhar. Crimes de menor potencial ofensivo como furtos de veículos e roubos não serão investigados. As escoltas de presos para hospitais por agentes também estão suspensas.

“Vamos atender e investigar apenas crimes contra a vida e crimes hediondos, como estupro”, informou o vice presidente do sindicato da categoria, Luciano Marinho.
Essa é a segunda vez neste ano que a categoria interrompe o atendimento à população. Entre e abril e maio, os agentes pararam por 16 dias e conseguiram do GDF a promessa de que os salários seriam reajustados em 13%, o pagamento de dívidas que o governo tem com a categoria, a implementação do plano de saúde subsidiado e a reestruturação da carreira.
De acordo com a SSP, como o salário dos policiais é pago com recursos do Fundo Constitucional, qualquer reajuste depende de conversas com o governo federal.



Neste mês, os agentes fizeram duas paralisações de três dias para pressionar o governo. A Secretaria de Segurança Pública informou que está trabalhando em uma solução para solucionar o impasse com os policiais civis o mais rapidamente possível.

Agentes penitenciários também estão em greve



Os agentes penitenciários do DF estão em greve desde o dia 6 deste mês. De acordo com o Sindicato dos Agentes das Atividades Penitenciárias (Sindpen), a categoria reivindica aumento de 120% para ter os salários equiparados com agentes penitenciários da Polícia Civil
O presidente do Sindpen, Leandro Allan Vieira, afirma que os agentes penitenciários do DF recebem R$ 3.300 para fazer o mesmo trabalho dos agentes da polícia, que recebem R$7.500.
As visitas aos presos no Complexo da Papuda chegaram a ser suspensas. Nesta semana,agentes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros foram chamados para monitorar as visitas.
Nesta quarta-feira (26), o Tribunal de Justiça do DF determinou que os agente penitenciários em greve devem ter os dias parados descontados. Além disso, os grevistas estão proibidos de circular dentro das unidades prisionais e de assinar o ponto.
O tribunal determinou que servidores da Secretaria de Segurança Pública devem ocupar o lugar dos agentes em greve para normalizar as vistas aos presos, inclusive por seus advogados. A greve foi considerada ilegal no dia 7 de outubro, e o sindicato deve pagar multa de R$ 50 mil por dia pelo descumprimento da decisão judicial.